ago
07
Posted on 07-08-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 07-08-2019

CÂMARA APROVA COM GOLEADA TEXTO-BASE DA PREVIDÊNCIA EM 2º TURNO

 

Com 370 votos favoráveis e 124 contrários, o plenário da Câmara acaba de aprovar em segundo turno o texto-base da reforma da Previdência. Um parlamentar se absteve.

Na votação anterior, em 13 de julho, o texto principal foi aprovado por 379 votos a 131.

Nesta quarta-feira, a partir das 9h, os deputados voltam a se reunir para votar oito destaques que propõem a supressão de trechos já aprovados, sendo sete da oposição e um do Novo.

A expectativa de Rodrigo Maia é concluir a votação na noite dehoje,7, para encaminhar a PEC ao Senado.

“Anclao en Paris”, Adriana Varela: a extraordinária “garganta con arena” do tango argentino foi aplaudida de pé pelo público  que lotava o teatro Chailliot de Paris., no recital  que Adriana ofereceu em duas antológicas apresentações em Maio. Merecidamente!
BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

Encontrado morto traficante que tentou fugir disfarçado como a própria filha

O presidiário de 42 anos morreu enforcado com um lençol no presídio de Bangu I. O caso é investigado

Imagem de Clauvino da Silva no momento em que tentava fugir de prisão. Em vídeo, a polícia descobre o presidiário sob o disfarce.Foto: AFP | Vídeo: REUTERS

O traficante de drogas Clauvino da Silva, que se vestiu como sua filha na semana passada para tentar escapar do Complexo Penitenciário de Bangu, foi encontrado morto nesta terça-feira dentro de sua cela, segundo fontes oficiais. O preso, de 42 anos e que cumpria uma sentença de 73 anos e 10 meses de prisão, aparentemente morreu enforcado com um lençol, de acordo com as primeiras informações do Secretário de Estado da Administração Penitenciária (Seap).

As autoridades prisionais informaram em comunicado que uma investigação será aberta para esclarecer o que aconteceu na prisão de segurança máxima do Laércio da Costa Pelegrino, conhecida como Bangu I, no Rio de Janeiro.

A tentativa de fuga de Da Silva, conhecido como Baixinho, percorreu o mundo nesta semana depois que o traficante tentou fugir da prisão com roupas femininas e uma máscara de silicone. Da Silva usou a visita de sua filha de 19 anos e a cumplicidade, ao que parece, de uma gestante que, por estar isenta de fazer radiografias, apresentou o disfarce com que ele tentou fugir.

Embora o homem tenha colocado uma máscara de silicone no rosto, óculos, uma peruca com cabelos escuros e roupas femininas, ele foi reconhecido pelos agentes da prisão quando estava prestes a deixar a prisão. A tentativa de fuga foi registrada em um vídeo que foi divulgado pelo Seap e passou a circular rapidamente pelas redes sociais com imagens da incrível transformação do homem.

Clauvino da Silva, em uma imagem feita pelos servidores públicos da prisão depois que se descobriu seu disfarce.
Clauvino da Silva, em uma imagem feita pelos servidores públicos da prisão depois que se descobriu seu disfarce.

Da Silva já escapou da prisão em 2013, junto com outros trinta presos, que fugiram de um dos presídios do mesmo complexo pelo sistema de esgoto. Baixinho, no entanto, foi preso um mês depois, quando a polícia interveio em uma disputa territorial pelo tráfico de drogas na cidade de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

Por Diego Amorim

Rogério Marinho, quase sem voz, está na Câmara atuando nas negociações para a continuidade da votação da reforma da Previdência.

Há pouco, ele parou no salão verde rapidamente para conversar com jornalistas e voltou a dizer que não acredita em mudanças no texto durante a tramitação do segundo turno.

O secretário especial da Previdência ponderou que os deputados ainda têm liberdade para mexer na proposta, mas deixou claro que a equipe econômica tem conseguido ajustar todos os pleitos até aqui, incluindo os das bancadas feminina e evangélica.

“Ninguém vai receber menos do que o piso do salário mínimo”, quis destacar Marinho.

A sessão destinada à votação ainda não começou.

ago
07
Posted on 07-08-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 07-08-2019

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A escritora Toni Morrison, vencedora do Nobel de Literatura de 1993, morreu na noite de segunda-feira (5), aos 88 anos. Ela foi a primeira mulher negra a ganhar o prêmio.

A informação foi confirmada pela sua editora, em uma publicação no Twitter. “Sua narrativa e sua prosa hipnotizante deixaram uma inegável marca em nossa cultura”, escreveu. 

Macaque in the trees
Toni Morrison (Foto: REUTERS/Stephen Chernin)

Nascida no estado de Ohio, ela ficou conhecida por obras que descrevem os obstáculos políticos e sociais enfrentados pela comunidade negra ao longo da história americana. 

Em “O Olho Mais Azul”, seu romance de estreia publicado em 1970 nos EUA, Morrison conta a história de uma moça negra que sonhava em ser loira e de olhos azuis como a atriz Shirley Temple.

Com sua ficção sobre as conflituosas relações de negros e brancos no país, ganhou o apelido de Pantera Negra, em analogia ao grupo que inseriu com força o debate das questões raciais na sociedade americana. Ela também escreveu livros como “Amada” e Canção de Salomão”. 

ago
07

Trump congela todos os ativos do Governo venezuelano nos Estados Unidos

Presidente assina ordem executiva para ampliar ao máximo as sanções contra o regime de Maduro

Donald Trump, nesta segunda-feira em Washington.
Donald Trump, nesta segunda-feira em Washington.S. LOEB (AFP)

Os Estados Unidos deram mais um passo em seu esforço de asfixiar o Governo venezuelano. O presidente Donald Trump assinou na noite de segunda-feira uma ordem executiva que congela todos os ativos do regime de Nicolás Maduro no país norte-americano. “Todos os bens e interesses em bens do Governo da Venezuela que se encontram nos EUA estão bloqueados e não podem ser transferidos, pagos, exportados, retirados nem negociados de outra maneira”, diz o texto da medida adotada. Com esta ação, a Venezuela entra na reduzida lista de países sujeitos a tais restrições por Washington: Coreia do Norte, Irã, Síria e Cuba.

A ordem executiva da Casa Branca —equivalente a uma medida provisória— justifica a ação contra Caracas pela “continuada usurpação do poder por parte de Maduro” e dos membros de seu regime, assim como pelos “abusos contra os direitos humanos, incluindo a detenção arbitrária ou ilegal” e a detenção de cidadãos venezuelanos, interferência com a liberdade de expressão e contínuas tentativas “de solapar o presidente interino Juan Guaidó” e o exercício de autoridade legítima da Assembleia Nacional venezuelana. Os EUA foram o primeiro entre cerca de 50 países a reconhecer Guaidó, chefe do Parlamento, como presidente provisório da Venezuela, em janeiro, e defendem uma transição democrática e a convocação de eleições presidenciais transparentes.

Esta é a primeira vez em 30 anos que os EUA congelam os ativos de um país ocidental. Neste ano Washington impôs sanções a mais de 100 indivíduos e entidades venezuelanas, incluindo a companhia petroleira estatal PDVSA, o Banco de Desenvolvimento da Venezuela e o Banco Central do país. Trump já tinha antecipado na semana passada que cogitava impor essa rigorosa sanção ao regime, em vista dos apoios que Maduro estava recebendo por parte da China e Irã.

A escalada na pressão é a antessala das sanções que Washington anunciará contra Caracas nesta terça-feira na Conferência Internacional pela Democracia na Venezuela, organizada pelo Grupo de Lima no Peru para abordar a grave crise no país caribenho. O assessor de segurança nacional dos EUA, John Bolton, antecipou nesta segunda-feira que detalhará “amplas” medidas que terão “muitas consequências potenciais”. O encontro contará com a participação de 59 países e três organismos internacionais: o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), CAF-Banco de Desenvolvimento da América Latina e a União Europeia. Bolton também advertiu a China e a Rússia que o apoio contínuo ao regime venezuelano “poderia afetar o pagamento de sua dívida depois da queda de Maduro”.

As sanções mais duras

Desde 2017, Trump vem apertando o alicate das sanções contra Caracas, mas neste ano aplicou as mais duras, que prenunciam um panorama sombrio para uma economia já em situação de colapso. As restrições à venda de petróleo impostas em março —que começaram a vigorar em maio— causaram uma substancial redução do fluxo de caixa do regime de Maduro e desataram uma crise de escassez de combustível no país, parcialmente superada com o uso do ouro da nação e com a impressão de dinheiro inorgânico, que jogou mais lenha na fogueira da inflação, que já era a mais elevada do planeta.

Há algumas semanas, o congelamento das empresas e as suspeitas de corrupção envolvendo participantes do CLAP (Comitês Locais de Abastecimento e Produção, o programa assistencial que subsidia alimentos importados e há três vem paliando o desabastecimento) representaram um golpe duro para esse instrumento de controle político do chavismo. Dele dependem pelo menos 16,3 milhões de venezuelanos, um número que foi crescendo, segundo dados da Pesquisa de Condições de Vida do Venezuelano de 2018. Esse mesmo estudo revelou que, em meio à pior crise econômica que o país já viveu, 90% dos venezuelanos não têm renda suficiente para sua alimentação, e 51% dos lares estão em situação de pobreza.

Um possível embargo econômico total encontraria o país em seu pior momento, com uma hiperinflação que completará dois anos em novembro, uma das mais prolongadas. Além disso, o setor produtivo está totalmente prostrado, especialmente o agrícola, e a nova moeda adotada há apenas um ano já foi devorada pelo dólar, que é a moeda corrente na prática. Em Caracas, tudo é pago em dinheiro norte-americano, do táxi e do cachorro-quente de rua a consultas médicas e roupas nos shoppings.

Na semana passada, o Fundo Monetário Internacional atualizou seus prognósticos para o país, descartando a cifra de dez milhões por cento de inflação até o final do ano, localizando-a agora em um milhão por cento. Entretanto, o organismo estimava que o PIB encolherá 35% neste ano, especialmente por causa da queda da produção petroleira, que já está abaixo de um milhão de barris diários.

Proteção à CITGO

F. SINGER, Caracas

Juan Guaidó foi o primeiro a reagir às novas sanções impostas à Venezuela pelos EUA, seu principal aliado na disputa contra Nicolás Maduro para obter uma solução para a crise política e institucional mediante a demissão do líder chavista, a instalação de um Governo de transição e a convocação de eleições livres.

O chefe do Parlamento destacou que a medida protege, entre outros ativos, a refinaria Citgo – a mais importante da PDVSA no estrangeiro, que estava ameaçada pela disputa judicial internacional iniciada pela Cristallex, como defesa a uma expropriação sofrida durante o governo de Hugo Chávez.

“Qualquer um que quiser se beneficiar da crise será afugentado. Toda pessoa, companhia, instituição ou nação que pretender fazer negócios com o regime estará, para efeitos da Justiça internacional, colaborando e sustentando uma ditadura, ficará sujeito a sanções e será cúmplice de crimes que não prescrevem”, escreveu Guaidó em uma série de tuítes.

O chefe do Parlamento venezuelano e presidente interino afirmou que a ação busca proteger os venezuelanos e acrescentou que é “a consequência da soberba de uma usurpação inviável e indolente, que não conta com apoio popular, mas sim com uma estrutura cuja fidelidade se mantém à base de dinheiro saqueado da República”.

ago
07
Posted on 07-08-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 07-08-2019



 

Paixão, na (PR)

 

Por Eduardo Rodrigues e Leandro Canônico — São Paulo

Assista à entrevista completa de Daniel Alves no São Paulo

Depois da recepção calorosa no aeroporto de Congonhas, na segunda-feira, Daniel Alves foi apresentado como reforço do São Paulo na noite desta terça-feira, no Morumbi, em evento que contou com entrevista coletiva e entrada no gramado para receber o calor dos mais de 40 mil torcedores presentes – com camisa recebida das mãos de Kaká e até recado de Messi.

De terno e gravata, Daniel Alves apareceu no salão nobre no Morumbi por volta das 19h36, ao lado do presidente Carlos Augusto Barros e Silva (o Leco) e do diretor executivo Raí. Sorridente e concentrado, o lateral ouviu oito minutos de discurso de Leco e mais sete de Raí antes de falar e comemorar sua nova etapa. A entrevista durou cerca de 35 minutos.

– Sabe que hoje estou realizando um sonho de criança, sonhei muito por esse momento. Esse momento chegou, e só tenho a dizer ao São Paulo que hoje eles não estão contratando um jogador, mas um torcedor do São Paulo.

 

Daniel Alves recebe a camisa 10 do São Paulo ao lado de Lugano e Leco — Foto: Marcos Ribolli Daniel Alves recebe a camisa 10 do São Paulo ao lado de Lugano e Leco — Foto: Marcos Ribolli

Daniel Alves recebe a camisa 10 do São Paulo ao lado de Lugano e Leco — Foto: Marcos Ribolli

– (…) Alguém que se emocionou com Raí, Lugano, Kaká, Luis Fabiano, são meus amigos e muitos outros jogadores. Muller, Cafu e por aí vai. Está sendo prazeroso viver esse dia. Vivi muita coisa, mas esse momento está sendo especial.

Raí reforçou a representatividade da contratação do lateral.

– Desnecessário falar da grandeza desse personagem, desse brasileiro. Nos últimos três meses falamos muito disso, da força das raízes. Eu acho que, como bem disse o presidente, citando o Leônidas, eu também disse ao Dani que encaro como divisor de águas uma contratação desse tamanho. (…) Minha maior contribuição para a vinda do Daniel foi quando ganhamos a Libertadores e o Mundial em 92 – destacou.

 
 
Daniel Alves fala sobre recolocar o São Paulo na briga por títulos

Daniel Alves fala sobre recolocar o São Paulo na briga por títulos

Na entrevista, Daniel Alves falou sobre as motivações que o levaram, aos 36 anos, a voltar para o Brasil e escolher o São Paulo, seu clube de coração. Uma dessas motivações, claro, é disputar a Copa de 2022.

– A primeira coisa que eu solicitei para o São Paulo é que eu preciso de solidez de projeto, que eu preciso de estabilidade esportivamente falando, porque tenho outros objetivos na frente e preciso construir ela com as dificuldades, em jogar no Brasil, mas meu sonho é superior a qualquer dificuldade que tenho pelo caminho – explicou Dani Alves.

  Daniel Alves durante apresentação pelo São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Daniel Alves durante apresentação pelo São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

– Tenho o sonho de jogar a Copa de 2022 e preciso de um time que acredite em mim, na minha história no futebol, e esse foi o ponto primordial. (…) Eu venho ao São Paulo para dar resultado, não quero que ninguém pense que eu venho para encerrar minha carreira. Tenho muitos objetivos – completou.

Daniel Alves assinou contrato válido até dezembro de 2022, apresentou-se ao elenco na manhã desta terça, mas ainda não tem data para estrear. O São Paulo quer ouvir do jogador, com os resultados dos exames em mãos, as condições em que ele está depois das férias.

 
 
Daniel Alves diz que quer estrear pelo São Paulo no clássico contra o Santos

Daniel Alves diz que quer estrear pelo São Paulo no clássico contra o Santos

 

Campeão da Copa América com a seleção brasileira em julho, Daniel Alves estava em férias e ficou até a última segunda-feira no Nordeste. Portanto, vai precisar de uma pré-temporada. Mesmo assim, quer estrear já no sábado, contra o Santos, no Morumbi, pelo Brasileirão.

– Eu estava enchendo o saco do Raí e do Lugano que eu queria sentir esse jogo do São Paulo. Eu não sei o que eles acham, mas pedi uns minutos. Espero que eles me ouçam. Eu venho aqui para ajudar e fazer as coisas um pouquinho melhor – avisou Dani Alves.

 

Daniel Alves ganha cartão de sócio-torcedor do São Paulo das mãos de Leco e Raí — Foto: Marcos Ribolli Daniel Alves ganha cartão de sócio-torcedor do São Paulo das mãos de Leco e Raí — Foto: Marcos Ribolli

Daniel Alves ganha cartão de sócio-torcedor do São Paulo das mãos de Leco e Raí — Foto: Marcos Ribolli

Veja outras respostas de Daniel Alves:

Mudança de patamar do São Paulo

– Olha, o Raí acabou de falar que o São Paulo está em construção. Está caminhando para representar e respeitar toda a história. E eu estou vindo com esse intuito, para poder contribuir com minha experiência, trabalho e performance. Para que o São Paulo não passe tanto tempo sem aspirar títulos. E por isso aceitei esse desafio. Sei da história do São Paulo, que me fez tanta alegria. O São Paulo não pode viver muito tempo sem troféus. É motivante estar em um clube que sempre torci, sempre vibrei, tem um sabor especial.

 

O fator Tite

– Eu não conversei com o Tite e nem com minha esposa e amigos sobre a minha decisão porque eu não queria intervenção em nenhum aspecto. Deixei meu coração. A posição em que eu vinha atuando no PSG não era de lateral. Eu conheço as posições em que atuo, sou um jogador de resultado. Não quero que seja teoria, mas sim prática. Estão se juntando duas histórias muito incríveis tentando caminhar para o mesmo lado.

Lateral ou meia?

– Quando você toma a decisão de vir para um clube em construção, a única ideia é ajudar. Domino todas as posições, de meia, de lateral, sou disciplinado taticamente, que ajuda bastante os companheiros. Tenho um desempenho importante. Não é uma preocupação onde vou jogar. Quero contribuir. O mais importante é que o resultado seja favorável, conivente com a posse que o São Paulo está fazendo comigo.

 
Lateral ou meia? Daniel Alves fala sobre o posicionamento no São Paulo

Lateral ou meia? Daniel Alves fala sobre o posicionamento no São Paulo

Pai palmeirense?

– Na realidade meu pai era são-paulino e virou a casaca. Espero que agora com a chegada do filho ele volte. Ele que me apresentou o São Paulo, com sacrifício, na TV preta e branca. Espero que ele possa pensar melhor nisso com a chegada do filho aqui. Nossa história é muito curiosa. E acho que ele não vai deixar de vibrar com isso.

 

Salvador da pátria

– Acredito que não tem risco, porque não tem salvador da pátria, ainda mais eu. O que trago para os meus companheiros e a qualidade que temos no grupo é a experiência e o faro de campeão. Onde passei, conquistei alguma coisa, e aqui no São Paulo não vai ser diferente. Brinquei com o Pato hoje que a gente tem mais chance de títulos, só falei para ele que não me garfe. Por onde passei, deixei títulos. Eu venho para contribuir para o São Paulo ganhar, ser pioneiro e que seja um clube que inspire outros clubes em estratégia, e por isso estou aqui.

 
 
Daniel Alves fala sobre o projeto com o São Paulo: "Venho para dar resultado"

Daniel Alves fala sobre o projeto com o São Paulo: “Venho para dar resultado”

Camisa 10

– Não quis pegar o número de ninguém, por isso escolhi o número do Raí. Para não ficar dúvida que eu vim aqui para somar. Os números estavam soltos. Simplesmente porque era uma referência e o número estava solto. Quero ser tratado da mesma forma que todos.

Jogadores voltando ao Brasil

– Eu acredito que na minha visão e na visão deles, a gente deve um pouco ao nosso futebol porque não atuamos tanto aqui. Eu gostaria, falando de mim, de retribuir tudo o que o futebol brasileiro me deu. Ter vivido grandes momentos com clubes europeus e não ter vivido com clubes brasileiros. Vivi coisas boas com o Bahia, mas não deu tempo de viver mais coisas. E por isso estou aqui. Temos um compromisso com o nosso futebol, com os jovens que querem ser jogadores, ajudar a família, como fizemos. Devolver um pouco essa oportunidade que o futebol brasileiro deu.

 Daniel Alves, sempre com boas frases, responde aos questionamentos no São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Daniel Alves, sempre com boas frases, responde aos questionamentos no São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Como retribuir para o futebol brasileiro?

– Eu acredito que sim (lateral na Europa é diferente do que aqui), em alguns aspectos acredito que sim. Retribuir trazendo esse aprendizado que vivi em vários países, várias ideologias, clubes diferentes, experiências que peguei lá. O futebol moderno pede os extremos. Eu costumo dizer que a minha posição de que nós somos amigos de toda a área.

– Amigos do meio, da área e do ataque estamos para ajudar todos eles. E temos que ver a demanda para ajudar para fazer o melhor. Sou uma pessoa muito receptiva e gosto de escutar como ele gosta de receber a bola, como jogar… Eu estou aqui no São Paulo para ajudar meus companheiros e sempre ver a melhor forma que eles jogam.

Custo para o São Paulo

– Olha, eu volto a insistir, no dia de ontem eu me senti um torcedor realizando um sonho. Surpreendente para mim, não esperava tanto carinho. Estou muito feliz.

– Vou discordar só na questão: não acredito que sou caro, porque vim de graça. Eu sou o jogador mais barato da história do futebol, fui comprado só pelo Barcelona, o resto fui tudo de graça.

 
Daniel Alves brinca e diz que é um jogador "baratinho" para o São Paulo

Daniel Alves brinca e diz que é um jogador “baratinho” para o São Paulo

Maior contratação do Brasil?

– Eu acredito que para o futebol brasileiro pode ser uma coisa grande “eu, Daniel Alves”, mas para mim não. Muitos jogadores maiores que eu já voltaram para o Brasil e se eu falar aqui não vai acabar hoje. A começar pelo Romário e aí vai. O que posso dizer é que o São Paulo e o Brasil contratou um dos jogadores mais profissionais, disciplinados. Não é uma profissão fácil, de brincadeira e não quero que a expectativa seja maior que minhas pretensões. Se coloca a expectativa lá em cima pode chegar lá frente e não ser isso. Acredito que o futebol contratou outros grandes jogadores, como o Filipe Luís, que acabou de chegar.

PSG e Neymar

– Eu acredito que hoje é um dia muito especial para mim e não gostaria de falar dos meus amigos, nem do PSG… Acaba desviando o foco. Quero viver esse momento aqui. Parece que não, mas para mim é incrível.

São Paulo briga por títulos?

– Eu tenho acompanhado o futebol brasileiro, evidente, sei que tem contratações que tem melhorado bastante. Mas você misturou as coisas. Não acredito que quem tem mais dinheiro pode mais. Dinheiro é uma coisa e o futebol é outra. O São Paulo pela história sempre vai entrar na conta. O São Paulo teve uma transição, e numa transição sempre tem seus pontos baixos, e por isso estou aqui para essa transição seja o mais rápido possível e aspirar coisas o mais rápido possível.

– Sei que o campeonato é difícil, equilibrado. Tem muitos times que brigam pelo título, e não descarto o São Paulo ser uma das possibilidades.

 

Daniel Alves responde a centenas de jornalistas no salão nobre do Morumbi — Foto: Marcos Ribolli Daniel Alves responde a centenas de jornalistas no salão nobre do Morumbi — Foto: Marcos Ribolli

Daniel Alves responde a centenas de jornalistas no salão nobre do Morumbi — Foto: Marcos Ribolli

 

Irmão chamado Disney

– Como a gente não tinha dinheiro, meu pai queria colocar o parque dentro de casa. Esse é o nome dele mesmo. É cantor de forró, está no caminho correto. Que ele saiba que tem um irmão aqui para ajudar.

Apoio a Juanfran

– Me coloquei à disposição para ajudar, uma pessoa que está mudando de país, e isso requer uma atenção importante. O São Paulo está adquirindo uma contratação muito boa, um jogador muito bom taticamente. Tem o um contra um muito forte e vai agregar muito ao São Paulo.

  • Arquivos