Resultado de imagem para CB Poder Sergio Moro entrevista exclusiva
Moro ao Correio Braziliense: ”Falsos escândalos não me
farão desistir”.

ARTIGO DA SEMANA

A licença de Moro, a exclusiva no CB e o Maracanã

Vitor Hugo Soares

Cercado de especulações por todos os lados – como se fora uma ilha sob bombardeio, ou alvo estratégico de guerra a ser afundado a todo custo, no governo Bolsonaro –, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, sem direito adquirido ainda para tirar férias, pediu licença não remunerada para tratar de assuntos particulares, na próxima semana, entre os dias 15 e 19. A autorização, assinada pelo presidente da República, serviu de gatilho para palpites de todo tipo, somados a teorias conspiratórias, das mais prosaicas aos maiores disparates, desde sua publicação, dia 8 de julho, no Diário Oficial da União (DOU).

O registro da burocracia oficial, no entanto, foi precedido de atos, fatos e signos relevantes da política, do poder e da comunicação (do jornalismo principalmente), direta ou indiretamente relacionados ao ex-magistrado condutor da maior e mais efetiva ação de combate à corruptos e corruptores no País. Agora, ministro mais bem avaliado do governo, nas pesquisas de opinião pública. Mesmo depois dos vazamentos de mensagens e conversas privadas, por celular, entre autoridades da Lava Jato, divulgadas no site Intercept, do jornalista norte-americano, Glenn Greenward. 

Dois destes sinais mais explícitos de reação de Moro, diante do bombardeio, vieram no domingo, em Brasília e no Rio de Janeiro. No DF, a publicação no Correio Braziliense, da abrangente e diversificada entrevista, por cujas retas, tangentes, curvas e atalhos o ex-magistrado trafega sem acidentes de percurso  entre perguntas e respostas sobre seu papel na Lava Jato – sob questionamentos e ataques a partir da publicação, no Intercept Brasil, de mensagens (e o primeiro áudio) do material vazado por fonte anônima e ainda desconhecida. O ministro responde também, sobre sua atuação nos seis primeiros meses do governo Bolsonaro, e adianta informações sobre projetos futuros, na gestão, na política e até no plano pessoal. E diz a frase síntese da manchete de página na publicação da entrevista: ”Falsos escândalos não me farão desistir”.

Lembrado sobre o boneco inflável que o exibe como o Super-Homem nas manifestações em frente do Congresso, o ex-juiz faz reparos: “Eu sempre refutei esse rótulo de herói ou protagonista. Sempre destaquei que o mais relevante da Lava Jato é a verificação de um amadurecimento das instituições”. Mas, ao tempo que rejeita a comparação com o “Superman”, o ministro cita um personagem de “Star Wars”, ao falar sobre o futuro, caso não se torne candidato ao Planalto ou ministro do Supremo Tribunal Federal: “Faria que nem o Luke Skywalker. Sumiria por 20 anos e voltaria no episódio 8”. Lance de mestre enxadrista na conversa jornalística.

No Rio, na tarde do domingo da publicação da entrevista, a exposição pública em uma das mais importantes e simbólicas vitrines nacionais de avaliação popular: o Maracanã. No jogo decisivo da Copa América, – taça conquistada pela seleção do Brasil ao bater a do Peru por 3 a 1 – Moro foi, sem dúvida, um dos personagens mais buscados com curiosidade e atenção pela platéia, pelas lentes dos celulares, câmeras de TV e holofotes em geral. Com direito a braço levantado pelo mandatário, na efusiva comemoração do primeiro gol do time canarinho. Nesta segunda, 15, Moro submerge para gozar “férias” de uma semana, deixando atrás de si a poeira das especulações e das teorias conspiratórias. E depois? Responda quem souber.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta.E-mail: vitors.h@uol.com.br

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos