Liberalismo, conservadorismo, socialdemocracia e reacionarismo

Joaci Góes

Para a querida irmã Jacira Góes que hoje aniversaria!

Na atual fase da vida brasileira, muito dividida, politicamente, espanta o nível de ignorância revelado pelas pessoas, de um modo geral, ao enquadrar, ideologicamente, os atores em conflito. Não nos referimos, apenas, à grande massa inculta da população, num país como o nosso, a nona economia, em que a educação figura como a de pior qualidade entre as 80 nações de maior PIB do Planeta. Ainda que tenhamos uma considerável parcela da população usufrutuária de elevado nível de qualidade de vida, a maioria está condenada ao exercício de uma cidadania de segunda classe, tamanha a desigualdade reinante entre nós.

Basta dizer que metade da população brasileira oscila entre dispor de nenhum ou um precário acesso a saneamento básico, o primeiro e mais importante requisito entre os componentes da estrutura físico-social dos povos, como atesta a OMS (Organização Mundial de Saúde). Isso porque os governos petistas, de Lula e Dilma, consideraram o financiamento, a fundo perdido, da infraestrutura de países bolivarianos, como Cuba, Venezuela, Equador, Argentina, Bolívia, Nicarágua, Angola e Moçambique, uma prioridade maior do que atender às necessidades básicas e clamorosas do seu eleitorado bovino que, mesmo reiterada e descaradamente, explorado, mantém fidelidade canina aos que se aproveitam de sua subserviência pavloviana. O preço que pagam é o que todos sabemos: redução da expectativa de vida, alta mortalidade infantil, estado de saúde precário, marcado por verminoses, diarreias, cólera, giardíase, febre tifoide, infecção por shigella e outras.

Referimo-nos à ignorância de gente grande e de fala bonita, abrilhantada nos bancos acadêmicos, aí incluídos professores universitários e políticos profissionais. A primeira e mais evidente dimensão dessa ignorância crassa é a incapacidade de distinguir entre o que seja esquerda x direita. A menos que queiram identificar como sendo de esquerda todo e qualquer comportamento vazio de inteligência e de decência, como é o caso dos que se opõem às consequências da Operação Lava Jato, razão pela qual lutam para implodi-la, com o propósito de dar continuidade ao processo que mergulhou o País na mais funda prostituição moral de que se tem notícia na história dos povos cultos.

A palavra chave dessa postura imoral reside no slogan Lula Livre, senha para consolidar a aliança em curso de parte ponderável do chamado Centrão, representante da extrema-direita, com grupos fundamentalistas da autodenominada esquerda radical brasileira. Observe-se a atual identidade de posições do Centrão com os radicais de esquerda, na apreciação de projetos de lei originados do Executivo. A percepção dessa tosca aliança levou a população às ruas no último domingo, para apoiar as reformas e o Ministro Sérgio Moro, uma das personalidades mais admiradas no mundo.

Queremos, agora, nos restringir às grosseiras confusões, por ignorância ou má-fé, que fazem entre os conceitos dos componentes do longo título deste texto. Para começar, liberalismo não se confunde nem com conservadorismo, nem com socialdemocracia, embora tenha com ambas as concepções alguns elementos comuns. O reacionarismo, por outro lado, é vazio de conteúdo ideológico, porque aplicável a qualquer pensamento que não aceita revisão, estando presente como uma das características de toda posição resistente a mudanças, como é próprio dos regimes ditatoriais, sendo o mais intolerante, com muitos corpos à frente, o comunista, inteiramente avesso ao diálogo democrático, a exemplo do que existiu na União Soviética e perdura em países atrasados como Cuba e a Coréia do Norte.

Não incluímos a China, porque, de há muito, o regime, ali, que eliminou dezenas de milhões de vidas, deixou de ser comunista para figurar como exemplar do fascismo mais florescente que se conhece na experiência dos povos, onde domina uma aliança entre os governantes, os militares e uma parcela minoritária da população que prospera em níveis sem precedentes, enquanto a grande maioria vive sob o regime da mais ostensiva escravidão, como observam os que, cada vez mais, visitam o Gigante Asiático. Não há registro na história de um país que incorpore tantos bilionários, a cada ano, como a China. Os esquerdistas reacionários brasileiros, porém, nem de longe pensam em se mudar para lá, onde se exige trabalho duro e a corrupção é punida com a morte.

O capitalismo é o sistema responsável pelo avanço humano em todos os domínios, como reconheceu Marx, gerador de riquezas que permitem assegurar um piso de dignidade para os segmentos mais pobres da população, como vemos nos países europeus, nos Estados Unidos, Canadá, Japão, Coreia do Sul, Austrália e nova Zelândia. Mesmo quando exercido com excessivo egoísmo, o liberalismo gera prosperidade, como ensinou o médico holandês, de origem huguenote francesa, que viveu na Inglaterra, Bernard de Mandeville (1670-1733), no clássico A fábula das Abelhas, Vícios Privados, Benefícios Públicos (The Fable of the Bees, Private Vices, Publick Benefits), de 1714.

A reacionária autodenominada esquerda brasileira, acometida de dissonância cognitiva, ainda não assimilou as lições legadas pela implosão do Império Soviético que levou todos os partidos comunistas da Europa a migrarem para o centro, a centro-direita e, até, a extrema direita, como atesta Norberto Bobbio, no pequeno-grande livro Direita e Esquerda.

Tem razão Mário Vargas Llosa, ao concluir, em seu último trabalho, O chamado da Tribo: “A doutrina liberal representa desde a sua origem as formas mais avançadas de cultura democrática e é aquela que mais fez progredir, nas sociedades livres, os direitos humanos, a liberdade de expressão, os direitos das minorias sexuais, religiosas e políticas, a defesa do meio ambiente e a participação do cidadão comum na vida pública”.
O oposto do liberalismo conduz à violência e ao atraso.

Joaci Góes é escritor , presidente da Academia de Letras da Bahia, ex-diretor da Tribuna da Bahia. O texto foi publicado originalmente na TB, nesta quinta-feira , 4/6.

Be Sociable, Share!

Comentários

Lucas Ribeiro on 5 julho, 2019 at 10:41 #

Simples, meu caro . Leia a Veja desta semana !!!!


Lucas Ribeiro on 5 julho, 2019 at 10:43 #

…..admitindo-se, como hipótese, a autenticidade da troca de informações obtidas por meios criminosos, a honradez de Sérgio Moro cresceu, ainda mais, no conceito de pessoas desapaixonadas e de bem…

O seu heroi de barro caiu . Basta ler a Veja desta semana.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • julho 2019
    S T Q Q S S D
    « jun    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031