jun
10
Postado em 10-06-2019
Arquivado em (Artigos) por vitor em 10-06-2019 00:41

O Comentarista: O que diz o livro de Palocci

 

Antonio Palocci deve lançar nos próximos meses um livro, “com reflexões sobre os erros dele e do PT”.

Não será a primeira vez. Em 2007, o já ex-ministro publicou Sobre formigas e cigarras, uma autobiografia curta narrando episódios antes e durante seu período na Fazenda.

Confira algumas curiosidades sobre o que o livro diz (e omite). Ao que tudo indica, o próximo volume não vai ser muito melhor.

1. O sumiço de Duda Mendonça

Duda Mendonça, citado pelo dono da Adega do Leone, não é lembrado nas memórias de Palocci

O capítulo 2 de Sobre formigas e cigarras é dedicado à Carta ao Povo Brasileiro, peça-chave da vitoriosa campanha eleitoral de Lula em 2002.

A ideia da carta nasceu em almoço na Adega Leone, restaurante português de Ribeirão Preto, cidade da qual Palocci foi prefeito. O estabelecimento fecha às segundas, mas abriu uma exceção para receber uma refeição reservada para o alto escalão do petismo.

Na página 26, Palocci nomeia quem estava à mesa: Lula, Dirceu, Mercadante, José Genoino, o governador Zeca do PT e Guido Mantega, além do próprio Palocci.

Curiosamente, na memória do próprio Leone Rufino, dono do restaurante, Duda Mendonça também estava presente. O marqueteiro tem local de destaque no cartum publicado na revista Piauí em agosto de 2015 ilustrando a história.

No livro de Palocci, Duda Mendonça nem é citado.

2. O contato próximo com a Globo

Palocci conta que, durante a campanha de 2002, telefonou para João Roberto Marinho duas vezes para contar da Carta ao Povo Brasileiro. Marinho sugeriu a ele que o texto deveria incluir um “número forte” de meta de superávit primário, como 4%. A meta ficou fora do texto.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • junho 2019
    S T Q Q S S D
    « maio    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930