maio
29
Posted on 29-05-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 29-05-2019


 

Claudio, NO JORNAL

 

maio
29

Do Jornal do Brasil

Medida provisória 870 reestrutura o governo federal e foi aprovada na Câmara semana passada

  O presidente Jair Bolsonaro enviou uma carta aos senadores nesta terça-feira na qual faz um apelo para que os parlamentares não alterem o texto da Medida Provisória 870, que reestrutura o governo federal, aprovado na semana passada pela Câmara dos Deputados, disseram à Reuters três fontes do governo familiarizadas com o assunto.

A carta foi entregue ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e deverá ser lida na sessão desta terça, quando está previsto que os parlamentares votem a MP.

Macaque in the trees
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Senadores, entre eles o líder do PSL, partido de Bolsonaro, na Casa, Major Olimpio (SP), anunciaram que apresentarão um destaque ao texto aprovado pelos deputados para que o Conselho de Controle de Atividade Financeira (Coaf) fique sob comando do Ministério da Justiça, encabeçado por Sergio Moro, e não sob o guarda-chuva da pasta da Economia.

Caso essa mudança no texto seja aprovada, a MP, primeira medida adotada pelo governo Bolsonaro em janeiro e que também reduziu de 29 para 22 o número de ministérios, terá de ser novamente analisada pela Câmara, o que pode levar a medida a perder validade, já que ela caduca na próxima segunda-feira.

Se a MP caducar, retornará a configuração de 29 ministérios na Esplanada e, por exemplo, o Ministério da Economia, atualmente encabeçado por Paulo Guedes, será desmembrado em três pastas –Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Além disso, o Coaf seguiria no Ministério da Fazenda.

Outras pastas extintas por Bolsonaro também voltarão a existir, como o Ministério do Trabalho.

No início da tarde desta terça, Olimpio foi ao Planalto para uma conversa com Bolsonaro e deverá falar com os jornalistas após o encontro.

Cantor do hit ‘Jenifer’ morre poucos meses depois de ficar conhecido nacionalmente, quando explodiu nas paradas e foi aclamado no Carnaval de Salvador

Morre Gabriel Diniz
O cantor Gabriel Diniz em uma apresentação. Reprodução

Gabriel Diniz viveu seu mais intenso verão neste 2019. A ascensão meteórica veio ao emplacar nacionalmente o hit Jenifer, o que se traduziu em uma agenda de 20 shows por mês e em sua consagração no Carnaval 2019. Um sucesso repentino que durou cerca de intensos seis meses, encerrados com sua morte prematura nesta segunda-feira, após a queda do avião no qual estava em Sergipe.

Mas a vida musical de Diniz, morto com apenas 28 anos, não se resume ao sucesso sobre o Tinder. Nascido em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, se mudou durante a adolescência para João Pessoa, na Paraíba, e forjou sua carreira de cantor de forró com amigos da escola. Vocalista de bandas como Cavaleiros do Forró —que teve outros dois vocalistas mortos em circunstâncias trágicas—, tornou-se conhecido regionalmente e gravou desde 2016 três álbuns de estúdio e três ao vivo. Também já havia gravado com astros da música nacional os sucessos Acabou, acabou, com Wesley Safadão (também seu sócio), e Paraquedas, com Jorge e Mateus. Ambas são de 2017 e acumulam mais de 67 milhões e 19 milhões de visualizações no YouTube, respectivamente.

 

O auge veio após Diniz apostar em uma letra que faz referência ao “match” que dá início a tantos relacionamentos hoje, embalada em uma mistura de forró e sertanejo que gruda nos ouvidos como chiclete: “O nome dela é Jenifer / Eu encontrei ela no Tinder / Não é minha namorada / Mas poderia ser”. Se Chico Buarque falava de moças na janela e bandinhas de sopro e virou um totem na MPB, Diniz buscou seu lugar na Música extremamente Popular Brasileira ao retratar as vicissitudes do amor digital e buscar a identificação das grandes massas. Por um intenso verão, conseguiu.A letra foi escrita por oito pessoas do “coletivo de autores” Big Jhows, de Goiânia, celeiro de boa parte de artistas do sertanejo pop que logo ficam nacionalmente conhecidos. A ideia veio em meados de 2018, quando Junior Lobo, um dos integrantes do coletivo, estava lanchando com amigos. Uma mulher então apareceu de repente e abraçou um deles. “A menina era meio feinha, e depois que ela foi embora, fui zoar ele: ‘E aí, é sua namoradinha?’. Ele respondeu: ‘Não, é do Tinder”, contou ao portal G1 em janeiro. “Veio na hora: isso é tema. A gente tem que botar Tinder numa música. Aí fui para outra dimensão. A gente lanchando lá e eu ‘matutando’ como ia ser a música”. Alguns dias depois compartilhou a ideia com seus colegas e Jenifer veio ao mundo, obedecendo a certo padrão de composição, que busca tendências internacionais ou bebe das redes sociais e dos termos usados na Internet para conhecer o comportamento do público e abastecer o atual mercado de música pop. 

Mas para emplacar, além de fórmula, Jenifer precisava do faro de Diniz. O coletivo Big Jhows vendeu os direitos da canção para o cantor Gusttavo Lima, que chegou a gravá-la e a cantá-la em um show. Mas não a lançá-la. Em uma viagem para Goiânia, em busca de composições que pudessem se transformar em hits, Gabriel Diniz se encontrou com os Big Jhows e conheceu Jenifer. Ao saber que já estava vendida a Lima, buscou o colega e comprou de forma amigável os direitos da música pelo mesmo valor vendido inicialmente. Um clipe foi então lançado em setembro com a atriz Mariana Xavier e foi ganhando público pelo país até se transformar no mega hit de verão. Nem a equipe de Diniz confiava no êxito, segundo relatou o cantor ao G1. “Ninguém achou que ia ser esse sucesso. Nem o pessoal do meu escritório, nem meu empresário. O Wesley [Safadão] não acreditou, ninguém acreditou. Foi uma aposta minha, sozinho mesmo”, explicou.

Até esta segunda-feira o clipe de Jenifer já acumulava mais de 233 milhões de visualizações no YouTube e mais de 60 milhões de audições no Spotify —um número naturalmente inflado pela morte de seu intérprete. Diniz ainda surfava na onda gerada por ele mesmo. Não teve tempo de buscar o seu próximo hit. O cantor deixa a namorada Karoline Calheiros.

“Old Times”, Dianne Keaton: direto de uma das cenas mais marcantes do filme “Annie Hall” (Noivo Neurótico, Noiva Neurótica), uma espécie de divisor de águas da grande obra cinematográfica de Woody Allen, a canção “Seems Like Old Times”, na despojada e original interpretação de Keaton, uma das atrizes da predileção de Allen. Ganhador do Oscar de Melhor Filme, batendo Stars Wars (Guerra nas Estrelas). Vale a pena ver e ouvir mais uma vez.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares) 

 

Do  Jornal do Brasil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Após exaltar os manifestantes que foram às ruas neste domingo (26) em defesa do governo, o presidente Jair Bolsonaro disse ter exagerado ao chamar de “idiotas úteis” os participantes dos protestos contrários ao bloqueio de recursos da educação no último dia 15, principalmente alunos e servidores da área.

Em entrevista à TV Record, Bolsonaro também sugeriu que parlamentares se desvinculem do centrão, grupo informal com cerca de 200 deputados e que foi um dos principais alvos dos atos pró-governo.

O presidente fez ao aceno ao Congresso ao dizer não querer brigar com o Parlamento, mas disse que a palavra centrão, que reúne parlamentares de siglas como PP, DEM, PRB, MDB e Solidariedade, virou um “palavrão” e que parte considerável dos parlamentares não quer se rotulada ao “grupo clientelista”.

Macaque in the trees
Jair Bolsonaro (Foto: José Dias/PR)

“Estive no Paraná esses dias com um grupo de parlamentares ali que estavam nos partidos do centrão e eles me falaram: ‘olha, este rótulo não está pegando bem para nós, né? Meu voto é independente.’ E assim é grande parte desses parlamentares. Ou seja, virou um palavrão”, disse Bolsonaro.

“Então eu acho que eles têm que trabalhar para desvincular-se disso daí. Agora, a melhor maneira de mostrar que eles não têm nada a ver com o dito centrão, que foi satanizado este nome, é ajudar a votar aquilo que interessa para o Brasil. Agindo dessa maneira terá o reconhecimento por parte da população”, completou.

Em relação à declaração que deu sobre os manifestantes que saíram às ruas no dia 15 de maio pedindo recursos para a educação, quando os chamou de “idiotas úteis”, Bolsonaro diz ter se excedido.

“Eu exagerei, concordo, eu exagerei. O que diz aí o certo é que são os inocentes úteis. A grande maioria são garotos inocentes que não sabiam o que estavam fazendo lá.”

Segundo Bolsonaro, “a garotada foi pra rua contra corte na educação”, sem estar ciente de que se tratava de um contingenciamento de recursos. “Eu deixei de gastar, não tirei o dinheiro do banco. Eu segurei aproximadamente 3,6% do montante. Quer dizer, 30% de 12% das despesas discricionais. E a molecada foi usada, essa garotada foi usada por professores inescrupulosos, uma parte né, para fazer manifestação política contra o governo.”

O presidente falou ainda sobre a possibilidade de o Congresso tocar algumas reformas que não foram propostas pelo governo, como a tributária. Afirmou não ver isso com preocupação.

“Sem problema nenhum. Se não me engano esta proposta é do [deputado federal] Baleia Rossi (MDB), de São Paulo. Eu não tomei conhecimento desta pauta ainda porque está faltando uma conversa minha com o Paulo Guedes (ministro da Economia). E havendo essa conversa e se a proposta dele for boa nós vamos tocar”, disse Bolsonaro.

Manifestações Neste domingo (26), com a direita rachada, as manifestações pró-governo Bolsonaro realizadas pelo país exaltaram projetos encampados pelos ministros Sergio Moro (Justiça) e Paulo Guedes (Economia) e concentraram críticas não só no centrão, alvo já esperado, como no presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Os atos foram impulsionados pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL), que, apesar das recomendações de integrantes do governo para que mantivesse distanciamento, estimulou a mobilização ao espalhar imagens em redes sociais e dizer que ela era um “recado àqueles que teimam com velhas práticas”.

Ao levar milhares de pessoas às ruas em ao menos 140 cidades, as manifestações superaram a expectativa de aliados do governo em meio ao racha de grupos de direita e ao temor de fracasso devido ao desgaste popular de Bolsonaro nos primeiros meses de mandato.

(WÁLTER NUNES)

O líder do PSL no Senado, Major Olimpio, disse que vai insistir na defesa de que o Coaf retorne ao Ministério da Justiça.

“Eu vou continuar apoiando e votando para que o Coaf fique no Ministério da Justiça, até por uma questão de coerência. Fiz uma mobilização intensa para que o PSL na Câmara votasse fechado pela necessária manutenção do Coaf no Ministério da Justiça. É a defesa do programa de governo e da estrutura de governo do presidente Jair Bolsonaro.”

Três pessoas morreram no acidente

O cantor Gabriel Diniz, 28, morreu na tarde desta segunda-feira (27) em um acidente aéreo na cidade de Estância, na região de manguezal do Porto do Mato, perto da divisa entre Sergipe e Bahia. A informação foi confirmada pela assessoria do músico.

“A Luan Promoções, familiares, fãs, amigos e equipe estão todos muito abalados com está triste notícia que pegou todos de surpresa nessa manhã, 27. Com muito pesar confirmamos a morte do Gabriel Diniz e de todos tripulantes”, diz a nota oficial da assessoria do cantor.

O velório e o enterro do cantor serão realizados em João Pessoa, cidade onde ele cresceu,

Gabriel Diniz, do hit “Jenifer”, estava indo se encontrar com a namorada e a família em Maceió (AL). Ele namorava com Karoline Calheiros há cerca de dois anos, e hoje é o aniversário de 25 anos dela.

O cantor Gabriel Diniz estava dentro de um monomotor que saiu de Salvador (BA) com destino a Maceió. Documentos dele, como o passaporte, foram encontrados na região do acidente.

Macaque in the trees
Gabriel Diniz (Foto: Divulgação)

“Não deixaremos perder a sua irreverência jamais, você conquistou uma nação com o seu trabalho e carisma! Estendemos nossos sentimentos também aos familiares dos outros tripulantes envolvidos”, conclui a nota.

A aeronave não tinha autorização para fazer táxi aéreo. Segundo informações da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o monomotor é do Aeroclube de Alagoas e tinha a autorização apenas para fazer voos de instrução. A reportagem tentou ligar para os donos do aeroclube, mas não obteve resposta.

Segundo a Anac, a aeronave tinha o Certificado de Aeronavegabilidade, ou seja, autorização para voar, até 2023. A inspeção mecânica do monomotor também estava em dia e vigente até 2020.

O monomotor Piper, modelo PA-28-180, tinha o prefixo PT-KLO. A aeronave foi fabricada em 1974 e tinha a capacidade para o transporte de apenas três passageiros, mais o piloto.

SUCESSO NO CARNAVAL

Natural de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, Gabriel Diniz se tornou nacionalmente conhecido pelo single “Jenifer”, cujo clipe continha a atriz Mariana Xavier. A canção entrou rapidamente na lista dos maiores hits da música nacional e foi um dos maiores sucessos do Carnaval. “Me sinto abençoado por Deus ter posto ‘Jenifer’ em minhas mãos”, chegou a dizer Diniz em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Conhecido também como GD, o cantor de arrocha -mescla de forró e axé- fala sobre um rapaz que toma um pé na bunda da namorada e dá a volta por cima.

Escrita por um coletivo de Goiânia, a composição foi oferecida a expoentes da música extremamente popular brasileira, como Wesley Safadão e Gusttavo Lima, que a rejeitaram por destoar de suas esticas de moços de família.

Antes de ocupar as paradas das plataformas de streaming, Gabriel Diniz começou sua primeira banda, chamada Loucos Por Forró, quando estava na escola, em João Pessoa.

A carreira profissional teve início quando ele se mudou para Recife, após receber um convite para ser vocalista da banda Capim com Mel. Depois de abandonar o curso de engenharia elétrica, em 2012, embarcou em carreira solo.

ACIDENTE AÉREO

Gabriel Diniz estava em Feira de Santana, na Bahia, onde fez um show na noite de domingo (26). Em suas redes sociais, ele agradeceu a recepção do público baiano. “Sempre uma alegria voltar a Feira de Santana e ser recebido com tanta alegria e com tanta energia positiva. Obrigado pelo carinho galera. Uma verdadeira multidão curtindo o nosso show. Até a próxima se Deus quiser sim”, escreveu.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Sergipe, por volta das 12h40 desta segunda (27), a aeronave em que o cantor viajava para Maceió não estava mais no radar do Grupo Aéreo Tático do Recife.

O Corpo de Bombeiros de Sergipe confirmou que foram encontrados três corpos. O piloto Linaldo Xavier está entre as vítimas confirmadas pela PM de Sergipe. Engenheiro eletricista, ele se dividia entre a profissão e a aviação executiva.

O outro piloto que estava a bordo do monomotor era Abraão Farias. Linaldo e Abraão constam como diretores do Aeroclube de Alagoas, que é dono da aeronave.

A Aeronáutica disse em nota nesta segunda que já iniciou o processo de investigação pelo acidente.

SIDNEY GONÇALVES DO CARMO E BEATRIZ VILANOVA

maio
28
Posted on 28-05-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 28-05-2019



 

Paixão, no

 

maio
27

Em 2017, no mesmo complexo, uma revolta causou 56 mortes

Parentes dos detentos nas imediações do complexo prisional em Manaus neste domingo.
Parentes dos detentos nas imediações do complexo prisional em Manaus neste domingo. STRINGER REUTERS

Perfurações com escovas de dentes raspadas, até ficarem afiadas, e asfixia a golpes de mata-leão. Foi por alguma dessas agressões que 55 presos detidos no Complexo Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, morreram nas últimas 48 horas. Quinze deles tiveram as mortes confirmadas no domingo, e outros 40 foram dados como mortos pelo Governo do Amazonas nesta segunda-feira (inicialmente foi divulgado o número de 42), após a autoridades locais terem garantido que os transtornos que levaram a óbitos no dia anterior já estavam sob controle.

Segundo a secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), as mortes desta segunda-feira ocorreram por enforcamento em três unidades distintas: o Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM I), todos localizados na capital amazônica. Os assassinatos por conflitos internos vêm ocorrendo no complexo prisional manauara pelo menos desde 2017, quando uma revolta que durou 17 horas causou 56 mortes. Além disso, em dezembro passado, um agente penitenciários morreu dentro da prisão.

O Departamento de Correções da Amazônia havia dito à agência de notícias EFE que a situação estava controlada no final da tarde de domingo, quando um batalhão da Polícia Militar foi acionado para entrar no Compaj. O Governo federal informou que, por solicitação do Governo do Amazonas, vai enviar uma Força-tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) para atuar no complexo penitenciário de Manaus. “Formada por agentes federais de execução penal dos 26 estados da federação e do Distrito Federal, a FTIP obedece o planejamento definido pelos entes envolvidos na operação, sempre que houver necessidade de sua atuação”, explica o Ministério da Justiça e Segurança Pública em nota.

O ministério, comandado pelo ex-juiz Sergio Moro, lembra ainda na nota que “a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) é responsável pela segurança da área externa do Complexo Penitenciário Anísio Jobim desde 09 de janeiro de 2017. A FNSP continuará atuando no local”. Nesta segunda-feira, por conta das 15 mortes de domingo, o Ministério já havia determinado o reforço da presença policial em outras unidades penitenciárias do estado como “medida de precaução”. Mais cedo, o secretário da Administração Penitenciária do Amazonas, Coronel Marcos Vinicius Almeida, descartou se tratar de uma “rebelião” e disse que as mortes ocorreram durante a visita dominical por uma “disputa entre os internos”.

As vítimas do domingo, segundo Almeida, morreram asfixiadas ou perfuradas com escovas de dente. “Isso nunca aconteceu durante as visitas, alguns morreram dentro da cela com as grades fechadas. Muitos cometeram os crimes em frente aos parentes”, afirmou o secretário. Segundo a Secretaria, não houve fugas, nem houve ataques aos guardas da prisão. E nenhum parente foi feito refém. A motivação da luta que causou as mortes será objeto de investigação pelas autoridades, que suspenderam temporariamente as visitas ao centro de internação e analisarão as imagens das câmeras de segurança.

Por G1

SÃO PAULO - 14h40: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: Reprodução/GloboNews

SÃO PAULO – 14h40: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: Reprodução/GloboNews

 
 
Manifestações em apoio a Bolsonaro ocorrem em todos os estados e no DF

Manifestações em apoio a Bolsonaro ocorrem em todos os estados e no DF

Ao menos 156 cidades em 26 estados e no Distrito Federal tiveram protestos entre a manhã e a tarde deste domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro e de medidas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.

As convocações ganharam força após os protestos em defesa da educação do último dia 15, contra os cortes anunciados pelo governo para os ensinos superior e técnico federais.

Grupos de manifestantes saíram em passeatas e carreatas a partir desta manhã levando bandeiras do Brasil e faixas com frases de apoio a propostas apresentadas pelo governo de Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, os atos eram pacíficos.

Os protestos também apoiavam a reforma ministerial do governo Bolsonaro, com redução de 29 para 22 no número de ministérios. Houve, ainda, grupo de manifestantes no Rio de Janeiro que pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e contra a democracia.

Bolsonaro fala em ‘recado’ para quem temia ‘velha política’

Neste domingo, por volta de 20h40, 156 cidades em todos os 26 estados e no Distrito Federal tinham tido protestos. No dia das manifestações em defesa da educação, às 19h30, 222 cidades de todos os 26 estados e do Distrito Federal tinham registrado atos.

Ao participar de culto no Rio de Janeiro ainda durante a manhã deste domingo, o presidente Jair Bolsonaro disse que as manifestações pró-governo são um “recado” aos que “teimam com velhas práticas” e, segundo afirmou, não permitem que o “povo se liberte”. O presidente disse que a manifestação era “espontânea”, tinha pauta definida e respeitou leis e instituições.

Veja como foram as manifestações

Rio de Janeiro

 

RIO DE JANEIRO, 10h07: Manifestantes fazem ato pró-Bolsonaro em Copacabana — Foto: Reprodução / TV Globo RIO DE JANEIRO, 10h07: Manifestantes fazem ato pró-Bolsonaro em Copacabana — Foto: Reprodução / TV Globo

RIO DE JANEIRO, 10h07: Manifestantes fazem ato pró-Bolsonaro em Copacabana — Foto: Reprodução / TV Globo

No Rio, o ato se concentrou na Avenida Atlântica, na orla de Copacabana. Manifestantes usavam, principalmente, roupas com cores verde e amarelo e carregavam bandeiras do Brasil. Vários carros de som se concentraram em dois pontos: na altura do Posto 5 e em frente à Rua Xavier da Silveira.

Por volta de 11h30, o ato se espalhava por sete quarteirões, com dois quarteirões cheios em cada extremo e com três mais espaçados entre eles, da Rua Sá Ferreira até perto da Rua Barão de Ipanema.

Parte dos manifestantes pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e viola a democracia.

No sul do estado do Rio de Janeiro, ao menos três cidades também tiveram protestos: Resende, Volta Redonda e Três Rios.

Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense cerca de 400 pessoas se reuniram em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, segundo organizadores. Já em Macaé, os organizadores estimam que 2 mil pessoas estivessem participando de atos pró-Bolsonaro nesta manhã. Também aconteceram atos em Saquarema, em São Pedro da Aldeia, em Iguaba Grande e em Casimiro de Abreu.

A cidade de São Pedro também contou com ato, mas organizadores e PM ainda não divulgaram estimativas.

Em Petrópolis, organizadores estimam cerca de mil pessoas. Ainda na Região Serrana, aconteceram atos em Nova Friburgo e em Teresópolis.

Distrito Federal

 

BRASÍLIA, 10h34: Manifestantes se reúnem em frente ao gramado do Congresso Nacional — Foto: Fernanda Calgaro/G1 BRASÍLIA, 10h34: Manifestantes se reúnem em frente ao gramado do Congresso Nacional — Foto: Fernanda Calgaro/G1

BRASÍLIA, 10h34: Manifestantes se reúnem em frente ao gramado do Congresso Nacional — Foto: Fernanda Calgaro/G1

Em Brasília, por volta das 9h, parte do grupo se concentrava no Museu da República, na região central da capital. Outra parte foi para o gramado do Congresso Nacional. Segundo a Polícia Militar do DF, às 10h30 cerca de 2 mil pessoas estavam na Esplanada. Às 11h20, a corporação já falava em 10 mil manifestantes.

São Paulo

 

SÃO PAULO - 14h08: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: GloboNews/Reprodução SÃO PAULO - 14h08: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: GloboNews/Reprodução

SÃO PAULO – 14h08: Manifestantes fazem ato de apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Paulista — Foto: GloboNews/Reprodução

Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, os manifestantes começaram a se reunir no início desta tarde nas proximidades do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Ao menos cinco carros de som foram levados para o ato.

No interior do estado, manifestantes de Campinas encheram o Largo do Rosário, na região central. A organização estimou 5 mil participantes, enquanto a PM calculou 3 mil.

Em Indaiatuba, ato no Parque Ecológico reuniu entre 200 e 300 pessoas, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa. Manifestações aconteceram também em Sumaré e em Americana.

Em Sorocaba, o ato ocorreu em frente à Prefeitura da cidade com cerca de mil pessoas, de acordo com a organização. A PM estima 400. Itu também contou com manifestação.

Em São Carlos, os manifestantes se reuniram na praça do Mercadão. Segundo a organização do evento, por volta das 10h30 cerca de 500 pessoas participavam do ato. Já a Polícia Militar calculou cerca de 300.

Em Bauru, às 10h20, aproximadamente 100 carros e 30 motos estavam agrupados em carreata, segundo os manifestantes. Todo o trajeto era acompanhado pelo helicóptero da Polícia Militar.

Em São José do Rio Preto, os manifestantes se reuniram em frente ao Mercado Municipal, no centro da cidade. Segundo os organizadores, 1500 pessoas participaram do ato. Segundo a PM, que acompanha a manifestação, 1 mil pessoas participaram.

Em Fernandópolis, de acordo com organizadores, 100 pessoas participaram da manifestação, que acabou às 10h30. A Polícia Militar estima o público em 50.

Em Araçatuba, mil pessoas participaram do ato, segundo a organização e PM. A manifestação terminou por volta das 11h30. Cerca de 300 pessoas de Birigui, segundo organização, se juntaram ao protesto. De acordo com a PM eram 80. A região também teve manifestações em Votuporanga.

Em Jales, a organização do ato contou 80 participantes. A PM não divulgou estimativa.

Em Mogi das Cruzes, o grupo começou a se reunir às 10h na Avenida Cívica. Os manifestantes se revezam em discurso no microfone com palavras de apoio a Bolsonaro e às medidas do governo. De acordo com a Polícia Militar eram cerca de 200 pessoas. Segundo a organização, o número de participantes variava entre 250 e 300 pessoas.

Em Piracicaba, manifestantes se reuniram no Centro. Havia um carro de som, vários cartazes e camisetas nas cores da bandeira do Brasil. Às 11h35, organizadores e Guarda Municipal estimavam adesão de pelo menos 2,3 mil pessoas.

Em Jundiaí, moradores se reuniram no pontilhão da Avenida Nove de Julho. Segundo o organizador, o ato foi realizado a favor da Reforma, do MP 870, que reduz a quantidade de ministérios, da investigação do judiciário e do pacote anticrime. De acordo com a organização, aproximadamente mil pessoas estiveram no local. A PM estimou 300 pessoas.

 

RIBEIRÃO PRETO, 11h50: manifestantes fazem ato em apoio ao governo Bolsonaro em Ribeirão Preto neste domingo (26) — Foto: Ariane Lima/EPTV RIBEIRÃO PRETO, 11h50: manifestantes fazem ato em apoio ao governo Bolsonaro em Ribeirão Preto neste domingo (26) — Foto: Ariane Lima/EPTV

RIBEIRÃO PRETO, 11h50: manifestantes fazem ato em apoio ao governo Bolsonaro em Ribeirão Preto neste domingo (26) — Foto: Ariane Lima/EPTV

Na região central de Ribeirão Preto, a Polícia Militar estimou uma adesão de 6 mil pessoas ao movimento e os organizadores, de 7 mil manifestantes. A dispersão ocorreu por volta das 11h45.

No Vale do Paraíba, estiveram presentes cerca de 1,5 mil pessoas em ato de São José dos Campos. A PM não esteve no local. Manifestações também aconteceram em Taubaté e em Jacareí.

Cerca de 500 pessoas foram ao Parque do Povo de Presidente Prudente para participar da manifestação, segundo organizadores.

Em Ilha Solteira, cerca 150 pessoas se manifestaram no Centro da cidade de acordo com a organização. A PM estima 400.

Araras teve ato com 350 pessoas, segundo organizadores. A PM fala em 100 manifestantes.

A manifestação em Araraquara reuniu cerca de 500 pessoas, segundo os organizadores. Pirassununga e Rio Claro também tiveram atos. A PM ainda não informou estimativas.

Também houve manifestação em São João da Boa Vista, com 250 pessoas, de acordo com a organização. Já a Polícia Militar estimou cerca de 50.

Em Marília, 400 pessoas participaram da manifestação, segundo a organização. Polícia Militar estima em 300. Em Jaú, organizadores estimam 1,2 mil participantes. PM não estimou número de manifestantes, mas contou 40 caminhões e 70 veículos. Assis também teve ato.

Já em Limeira, o ato reuniu cerca de 800 pessoas, de acordo com organizadores. A PM não divulgou estimativa.

Santos contou com ato com cerca de 5 mil pessoas, de acordo com organizadores. Para a PM, eram cerca de mil. Praia Grande, Guarujá e Registro também tiveram manifestações.

Em Itapetininga, a organização estima 300 pessoas no ato. A PM fala em 200 pessoas. Em Itapeva, eram 100 pessoas, segundo organizadores, e 50 para a polícia. Tatuí e Avaré também contaram com atos.

Bahia

 

SALVADOR, 10H52: Grupo realiza manifestação no Farol da Barra neste domingo (26) — Foto: Itana Alencar/G1 SALVADOR, 10H52: Grupo realiza manifestação no Farol da Barra neste domingo (26) — Foto: Itana Alencar/G1

SALVADOR, 10H52: Grupo realiza manifestação no Farol da Barra neste domingo (26) — Foto: Itana Alencar/G1

Em Salvador, o ato teve início por volta das 10h no Farol da Barra, e o grupo começou a se dispersar às 11h40. Os manifestantes cantaram o hino nacional e gritaram palavras de ordem, com pedidos de “avança, Brasil”. A organização e a Polícia Militar não divulgaram estimativa de público.

Também houve ato em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros da capital baiana, e em Itabuna, no sul do estado.

Em Juazeiro, foram 150 manifestantes, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa. O estado também teve atos em Camaçari, em Vitória da Conquista, em Porto Seguro, em Eunápolis, em Sobral e em Luís Eduardo Magalhães.

Minas Gerais

 

BELO HORIZONTE, 11h10: Belo Horizonte tem ato em apoio ao governo Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Aluisio Marques/TV Globo BELO HORIZONTE, 11h10: Belo Horizonte tem ato em apoio ao governo Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Aluisio Marques/TV Globo

BELO HORIZONTE, 11h10: Belo Horizonte tem ato em apoio ao governo Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Aluisio Marques/TV Globo

Em Belo Horizonte, a concentração do protesto começou por volta das 10h, na Praça da Liberdade, na região Centro-Sul da capital. Os manifestantes se vestiram, em grande parte, de verde e amarelo. Organizadores estimam que 35 mil pessoas tenham participado do ato, mas a PM não divulga números.

Em Uberaba, na região do Triângulo Mineiro, cerca de 400 pessoas participavam do ato no fim da manhã, segundo organizadores. A Polícia Militar não fez estimativa de público.

Também houve protestos em Ipatinga, Timóteo e Governador Valadares, no Leste de Minas. Os atos foram pacíficos.

Em Varginha, cerca de 150 pessoas participaram da manifestação. Também houve atos em Poços de Caldas e Pouso Alegre, onde 150 veículos participaram de carreata. Em Itajubá, a Guarda Municipal estima 500 pessoas. Em Lavras, organização e PM não divulgaram estimativa.

Em Montes Claros, o ato na área central da cidade reuniu cerca de 500 pessoas, segundo a PM. Os organizadores não divulgaram números.

Organizadores do ato em Juiz de Fora informaram que cerca de 10 mil manifestantes compareceram. A PM não divulgou números.

Em Alfenas, manifestantes se reuniram na Praça Central e depois saíram em carreata pela cidade. Nem a organização, nem a Polícia Militar informaram números.

Pará

 

BELÉM, 10h22 : Ato pró-bolsonaro chega à avenida Nazaré no centro de Belém — Foto: Fabiano Villella / TV Liberal BELÉM, 10h22 : Ato pró-bolsonaro chega à avenida Nazaré no centro de Belém — Foto: Fabiano Villella / TV Liberal

BELÉM, 10h22 : Ato pró-bolsonaro chega à avenida Nazaré no centro de Belém — Foto: Fabiano Villella / TV Liberal

Em Belém, manifestantes caminhavam pela Avenida Presidente Vargas. Eles carregavam bandeiras do Brasil e faixas em defesa de Bolsonaro e com críticas ao Congresso. A coordenação do evento afirmou que, ao final do ato, às 12h, cerca de 50 mil pessoas participavam. A Polícia Militar estima que às 10h55 o ato tenha reunido cerca de três mil pessoas.

Maranhão

 

SÃO LUÍS: 11h55. Manifestantes fazem passeata neste domingo (26) em apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Litorânea — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante SÃO LUÍS: 11h55. Manifestantes fazem passeata neste domingo (26) em apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Litorânea — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

SÃO LUÍS: 11h55. Manifestantes fazem passeata neste domingo (26) em apoio ao governo Bolsonaro na Avenida Litorânea — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

Em São Luís, manifestantes se reuniram na Avenida Litorânea. O hino nacional foi executado, e bandeiras do Brasil se espalhavam pela via. De acordo com os manifestantes, mais de 1 mil pessoas participaram do ato. A PM não divulgou estimativa. Também houve uma manifestação a favor do governo Bolsonaro em Imperatriz.

Pernambuco

Em Recife, de acordo com a organização do evento por volta das 15h50 havia cerca de 65 mil pessoas participando. A PM não divulga estimativa de participantes em manifestações de rua. Ao menos seis trios elétricos acompanham os manifestantes.

Em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, por volta das 9h20 os manifestantes se concentravam em frente ao Polo Cultural (antiga Estação Ferroviária), no Centro.

Alagoas

 

Maceió, 11h: Manifestantes cantam hino nacional na Praça Vera Arruda — Foto: Magda Ataíde/G1 Maceió, 11h: Manifestantes cantam hino nacional na Praça Vera Arruda — Foto: Magda Ataíde/G1

Maceió, 11h: Manifestantes cantam hino nacional na Praça Vera Arruda — Foto: Magda Ataíde/G1

Em Alagoas, manifestantes percorreram a orla de Maceió. Segundo a organização, às 12h, cerca de 20 mil pessoas estavam na manifestação. A Polícia Militar não acompaanhava o protesto. O estado também teve ato em Arapiraca.

Mato Grosso

 

Protesto a favor de medidas propostas pelo governo federal em Barra do Garças. — Foto: Ivan de Jesus/Centro América FM Protesto a favor de medidas propostas pelo governo federal em Barra do Garças. — Foto: Ivan de Jesus/Centro América FM

Protesto a favor de medidas propostas pelo governo federal em Barra do Garças. — Foto: Ivan de Jesus/Centro América FM

Em Cuiabá, manifestantes fizeram carreata pela cidade, mas não há estimativa de participantes. Em Rondonópolis, a PM estimou cerca de 3 mil pessoas em manifestação.

O estado também teve atos em Tangará da Serra, Barra do Garças e Sorriso.

Paraná

 

FOZ DO IGUAÇU, 11h: Manifestantes se reúnem na Praça do Mitre — Foto: Renan Gouveia/RPC FOZ DO IGUAÇU, 11h: Manifestantes se reúnem na Praça do Mitre — Foto: Renan Gouveia/RPC

FOZ DO IGUAÇU, 11h: Manifestantes se reúnem na Praça do Mitre — Foto: Renan Gouveia/RPC

Em Curitiba, organizadores estimam cerca de 3 mil pessoas reunidas na Praça Santos Andrade, em apoio a medidas do governo como a reforma da Previdência e o pacote anticrime. A PM não fará contagem.

Em Foz do Iguaçu, região Oeste do estado, manifestantes começaram a se reunir por volta das 9h na Praça do Mitre vestidos com roupa verde e amarelo. No ato, foram usados dois caminhões que eram utilizados pelo Exército na década de 70 e agora pertencem a um colecionador. O protesto acabou às 11h30, e a organização estimou a participação de 2.500 pessoas.

Guarapuava, Ponta Grossa e Umuarama também contam com manifestações.

Acre

 

CRUZEIRO DO SUL, 09H34h: Cerca de 30 manifestantes se reúnem na Praça Orleir Cameli neste domingo (26), segundo a organização do ato — Foto: Mazinho Rogério~/G1 CRUZEIRO DO SUL, 09H34h: Cerca de 30 manifestantes se reúnem na Praça Orleir Cameli neste domingo (26), segundo a organização do ato — Foto: Mazinho Rogério~/G1

CRUZEIRO DO SUL, 09H34h: Cerca de 30 manifestantes se reúnem na Praça Orleir Cameli neste domingo (26), segundo a organização do ato — Foto: Mazinho Rogério~/G1

No Acre, moradores do município de Cruzeiro do Sul começaram a se concentrar no Centro da cidade por volta das 8h. Com bandeiras do Brasil e do Acre, além de camisetas com fotos do presidente, os manifestantes ouviram o hino nacional e falavam palavras de ordem em apoio ao presidente. Ao menos 30 pessoas participam do ato, segundo a organização. A Polícia Militar não acompanha a manifestação.

Santa Catarina

Em Florianópolis, as mediações da Praça XV de Novembro foram fechadas para a realização da manifestação, que contou com 10 mil pessoas, de acordo com organizadores. A PM estima 9 mil.

Em Balneário Camboriú, a Praça Almirante Tamandaré foi o ponto de encontro dos participantes. A Guarda Municipal informou que pelo menos 5 mil pessoas compareceram no protesto. A organização não divulgou a estimativa.

Em Joinville, caminhoneiros se juntaram à manifestação, que contou com 2 mil pessoas, de acordo com a organização. A PM fala em 700.

Outras 3 mil pessoas estiveram em ato em Criciúma, segundo organizadores. A polícia não divulgou estimativa.

Em Chapecó, uma manifestação reuniu 1,2 pessoas, de acordo com a organização. A PM estima 350.

Mais 5 mil pessoas se manifestaram em Blumenau, segundo organizadores. A PM não divulgou estimativa. A região do Vale do Itajaí ainda teve atos em Brusque e em Gaspar.

Ceará

 

FORTALEZA, 14h27: Manifestantes participam de carreata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Flávio Rovério/SVM FORTALEZA, 14h27: Manifestantes participam de carreata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Flávio Rovério/SVM

FORTALEZA, 14h27: Manifestantes participam de carreata em apoio ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Flávio Rovério/SVM

Em Fortaleza, manifestantes para uma carreata desde as 13h. Até as 14h15, a estimativa de número de participantes não havia sido divulgada pelos manifestantes nem pela Polícia Militar.

Espírito Santo

Manifestantes percorrem ruas de Vitória e Vila Velha. O protesto começou por volta das 14h, no bairro Praia da Costa, em Vila Velha. O grupo promete atravessar a Terceira Ponte para encontrar com pessoas que estão reunidas na Praia do Canto, na Capital.

Goiás

Em Goiânia, um grupo de manifestantes realiza um ato que pede a aprovação da reforma da previdência e do “pacote anticrime”. A organização estima que 12 mil pessoas participavam do ato às 17h. Já a Polícia Militar disse que cerca de 10 mil estavam no local no mesmo horário

Jataí, Catalão e Anápolis também têm manifestações.

Rio Grande do Norte

Em Natal, manifestantes se posicionam favoravelmente à reforma da previdência, ao pacote anticrime e à manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) nas mãos do ministro Sérgio Moro. Ato parecido acontece em Mossoró. Não há estimativa de participantes nas duas cidades.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, manifestação apoiou medidas como a reforma da Previdência, o “pacote anticrime” e o decreto das armas. A organização estimou cerca de 30 mil pessoas. A Brigada Militar informou que não faria estimativas.

Em Caxias do Sul, na Serra, organizadores estimaram 2,5 mil pessoas. A Brigada Militar falou em mil. O estado também teve atos em Erechim, Santa Maria, Rio Grande, Passo Fundo, Cruz Alta, Pelotas, Uruguaiana, Santa Rosa e Bagé.

Sergipe

Em Aracaju, acontece um ao favorável à reforma da Previdência, ao pacote anticrime e à manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Justiça. Organização e PM não divulgarão estimativa.

Tocantins

Em Palmas, cerca de 800 pessoas se reuniram para manifestar apoio ao governo do presidente, segundo organizadores. A estimativa da PM foi de 600 participantes.

 

Em Paraíso do Tocantins, a organização estima 1,5 mil pessoas em ato. A PM não divulgou estimativa. O estado ainda teve manifestações em Colinas do Tocantins, Araguaína, Gurupi e Guaraí.

Paraíba

Atos acontecem em João Pessoa e em Campina Grande, mas organizadores e PM não divulgaram estimativa de participantes.

Roraima

Em Boa Vista, a manifestação conta com 200 pessoas, segundo a organização. A PM não acompanha o ato.

Piauí

Em Teresina, cerca de 3 mil pessoas participaram de manifestação, segundo organizadores. A Polícia Militar estimou mil pessoas

Piripiri e Parnaíba realizam atos, mas organização e PM não divulgaram estimativas de participantes.

Amapá

 

MACAPÁ, 17h: Manifestantes se reúnem na orla de Macapá em ato pró-Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1 MACAPÁ, 17h: Manifestantes se reúnem na orla de Macapá em ato pró-Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

MACAPÁ, 17h: Manifestantes se reúnem na orla de Macapá em ato pró-Bolsonaro neste domingo (26) — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

Em Macapá, dois grupos realizam atos. Em um, PM e organização estimam cerca de 5 mil participantes. No outro, organizadores contam por volta de mil pessoas, e a polícia fala em 100.

Rondônia

Manifestantes em Porto Velho, Ariquemes e Ji-Paraná realizam atos sem estimativas de organização ou da PM. Em Cacoal, organizadores afirmam que ato conta com 500 participantes.

Amazonas

Em Manaus, manifestantes se reuniram para apoiar medidas do governo federal. Organização e PM não divulgaram estimativas.

Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande e em Dourados, manifestações reuniram cerca de 5 mil pessoas cada, segundo as organizações. A PM não divulgou estimativas. O estado também teve atos em Ponta Porã e em Três Lagoas.

 

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 22 23

  • Arquivos