Do Jornal do Brasil

 

LISANDRA PARAGUASSU

 

BRASÍLIA (Reuters) – Ao completar um ano preso (condenado a 12 anos de cadeia por corrupção passiva e lavagem de dinheiro) neste domingo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz, em artigo publicado na Folha de S. Paulo, que ainda está preso para que seja impedido de reorganizar a oposição no país e que não há nada que sustente sua prisão.

“Por que têm tanto medo de Lula livre, se já alcançaram o objetivo que era impedir minha eleição, se não há nada que sustente essa prisão? Na verdade, o que eles temem é a organização do povo que se identifica com nosso projeto de país. Temem ter de reconhecer as arbitrariedades que cometeram para eleger um presidente incapaz e que nos enche de vergonha”, escreveu Lula.

Macaque in the trees
Ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

“Eles sabem que minha libertação é parte importante da retomada da democracia no Brasil. Mas são incapazes de conviver com o processo democrático”, termina o ex-presidente em seu artigo. Ao completar um ano preso este domingo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz, em artigo publicado na Folha de S. Paulo, que ainda está preso para que seja impedido de reorganizar a oposição no país e que não há nada que sustente sua prisão.

“Por que têm tanto medo de Lula livre, se já alcançaram o objetivo que era impedir minha eleição, se não há nada que sustente essa prisão? Na verdade, o que eles temem é a organização do povo que se identifica com nosso projeto de país. Temem ter de reconhecer as arbitrariedades que cometeram para eleger um presidente incapaz e que nos enche de vergonha”, escreveu Lula.

“Eles sabem que minha libertação é parte importante da retomada da democracia no Brasil. Mas são incapazes de conviver com o processo democrático”, termina o ex-presidente em seu artigo.

O presidente se entregou à Polícia Federal em 7 de abril de 2018 depois de ser condenado em segunda instância, por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do apartamento tríplex no Guarujá, em que é acusado de ter recebido o imóvel em troca de benesses a empreiteiras.

Lula mantém a defesa de que foi condenado sem provas e que nada encontraram para incriminá-lo, “nem conversas de bandidos, nem malas de dinheiro, nem contas no exterior”.

“O Supremo negou-me um justo pedido de habeas corpus, sob pressão da mídia, do mercado e até das Forças Armadas, como confirmou recentemente Jair Bolsonaro, o maior beneficiário daquela perseguição”, escreveu.

Tudo isso, afirma o ex-presidente, para impedi-lo de concorrer às eleições em 2018.

Desde a semana passada, o PT e movimentos sociais organizam caravanas e manifestações lideradas pelo ex-candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, e sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB). Na manhã deste domingo, movimentos sociais se reuniram em frente à Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso, para o “Bom dia, presidente Lula”, feito todas as manhãs

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos