Jerusalém 
Bolsonaro assina livro ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e do rabino Shmuel Rabinovitch em visita a sinagoga na Cidade Velha de Jerusalém, no dia 1º de abril
Bolsonaro assina livro ao lado do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e do rabino Shmuel Rabinovitch em visita a sinagoga na Cidade Velha de Jerusalém, no dia 1º de abril MENAHEM KAHANA AFP

O presidente Jair Bolsonaro encerrou sua visita oficial a Israel com mais elogios ao Estado judaico, ao qual reiterou amar “como namorados que se tornam noivos, no bom sentido”, inaugurando uma nova era de cooperação econômica entre os dois aliados. “Israel, comparado com o Brasil, não tem quase nada em terras e recursos minerais, mas acima de tudo tem fé. E foi com essa fé que move montanhas que transformou o país”, afirmou Bolsonaro nesta terça-feira, durante um encontro com empresários organizado em Jerusalém pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

Pouco antes, Bolsonaro visitou no parque tecnológico da Cidade Santa a sede da Mobileye ? a empresa de ponta de software para veículos autônomos adquirida pela gigante Intel ? e percorreu uma mostra sobre inovação em que oito empresas israelenses, incluindo várias startups da vanguarda tecnológica, mostraram a ele seus avanços em diferentes campos, como agricultura, medicina e segurança. Seu anfitrião, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, também não poupou elogios a Bolsonaro e a comitiva que o acompanhava. “Não temos limites quanto ao que compartilhar com vocês, seja cibersegurança, segurança em geral, agricultura, água… O céu é o limite e lhes damos boas-vindas como nossos queridos amigos”, disse Netanyahu.

Bolsonaro assegurou que o Brasil também tem muito a oferecer a Israel e abriu caminho para a cooperação na exploração conjunta de cobiçadas riquezas naturais brasileiras, como o nióbio ? usado para tornar o aço mais resistente à corrosão ? e o grafeno, um material do qual se esperam usos revolucionários para impulsionar o desenvolvimento tecnológico. “Temos a segunda maior reserva do mundo de grafeno. Essa maravilha movimentará um trilhão de dólares [3,86 trilhões de reais] na próxima década”, disse Bolsonaro aos empresários.

No fim do dia, eminentemente econômico, o presidente visitou o Museu do Holocausto, o Yad Vashem, onde percorreu uma exposição de fotografias sobre o extermínio e rendeu homenagem aos mais de seis milhões de judeus assassinados pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Na saída, o presidente foi questionado a respeito da declaração de seu chancelar, Ernesto Araújo, que há poucos dias disse que o nazismo era “de esquerda”. “Não há dúvida, né? Partido Socialista, como é que é?”, respondeu Bolsonaro, segundo a agência Reuters. Historiadores refutam cabalmente a afiliação de mandatário brasileiro e de seu chanceler, em voga entre alguns afiliados à extrema direita no Brasil. O próprio museu que acabara de visitar exibe em seu site texto que atribui o nazismo a grupos radicais de direita: “Hitler e o Partido Nazista chegaram ao poder devido a circunstâncias sociais e políticas que caracterizaram o período entre-guerras na Alemanha. Muitos alemães não podiam admitir a derrota de seu país na Primeira Guerra Mundial, argumentando que ‘traições’ e a fragilidade na retaguarda paralisaram e, eventualmente, causaram o colapso na frente de batalha”, afirma o museu em seu site em um texto em inglês.

Armas e nióbio

O museu foi o último compromisso na viagem de Bolsonaro, na qual anunciou a criação de um escritório de negócios em Jerusalém (em vez de uma embaixada como prometera na campanha) e se tornou o primeiro chefe de Estado a visitar, acompanhado de um primeiro-ministro israelense, o Muro das Lamentações, em Jerusalém Oriental. Esse gesto, evitado durante décadas por outros mandatários e condenado pela Autoridade Palestina, pode ser interpretado como o reconhecimento tácito da soberania israelense sobre Jerusalém Oriental.

O chefe de Estado brasileiro também aproveitou a visita para fazer uma defesa apaixonada das armas ao postar, em sua conta no Instagram, uma foto em que aparece apontando um fuzil. Uma imagem que situou em “Jerusalém, Israel” e sob a qual escreveu: “O que torna uma arma nociva depende 100% das intenções de quem a possui. Defendo a liberdade, com critério, para cidadãos que querem se proteger e proteger suas famílias”.

Bolsonaro disse estar “impressionado” com o funcionamento da United Hatzala, uma organização com a qual mais de 5.000 voluntários colaboram em Israel. Equipados com a última tecnologia de localização e coordenados a partir da central em Jerusalém, eles trabalham para atender emergências médicas o mais rápido possível. Uma tarefa para a qual sua equipe médica, além de contar com os meios convencionais, também utiliza motos e bicicletas adaptadas como ambulâncias ? que lhes permitem, por exemplo, chegar aos pacientes em lugares de difícil acesso, como o centro histórico de Jerusalém e a antiga Jaffa, cujas ruas estreitas são um obstáculo para as ambulâncias tradicionais. O presidente teria encarregado seus assessores de estudar a possibilidade de implantar um sistema similar no Brasil.

“Detrás del Muro de Los Lamientos”, Fito Paez y Mercedes Sosa: gravação do álbum “El Amor Despues del Amor”, do compositor e cantor argentino Fito Paes, lançado em 1992 com grande sucesso de vendagem na Argentina e em vários países do mundo, incluindo  o Brasil. Nesta faixa sobre o Muro das Lamentações, Mercedes Sosa empresta sua extraordinária voz na condição de convidada especial. Os dois merecem aplausos por esta performance. Confira.

BOM DIA!!! 

(Vitor Hugo Soares)

=========================================

Detras Del Muro de Los Lamentos
Fito Páez

Detras Del Muro de Los Lamentos

Gota que cae del cielo, no besa al suelo, no besa al suelo
Lluvia que cae del cielo, y yo la bebo, y yo la bebo
Ah… tu corazón… ah… tu corazón
Desnudo mar abierto, no sopla el viento, no sopla el viento
Todo resulta un juego, que quita el miedo, me quita el miedo
Y cuando llega, cura
Calma el oro a la luna
Y yo que andaba ciego
Cayó del cielo y no beso el suelo
Y se detuvo el tiempo
Detrás del muro de los lamentos

Todo lo que hicimos la mentira y la verdad
Todo lo que hicimos sigue vivo en un lugar

Todo poco a poco va dejando de importar
Todos esos menos esos paraísos en el mar
Y navegar y navegar y navegar
Y yo que andaba ciego
Cayó del cielo y no beso el suelo
Y se detuvo el tiempo
Detrás del muro de los lamentos
Ah… tu corazón… ah… tu corazón
Ah… tu corazón… mi corazón
Ah… tu corazón… tu pobre sordo corazón
Ah… tu corazón…

Ah… tu corazón… (tu corazón)
Ah… tu corazón… (tu corazón)
Ah… tu corazón…
Ah… tu corazón…

Atrás do Muro Das Lamentações

Gota que cai do céu, não beija o solo, não beija
o solo
Chuva que cai do céu e eu a bebo, e eu a
bebo.
Ah… Teu coração… Ah… Teu coração.
Desnudo mar aberto, não sopra o vento, não sopra
o vento
Tudo no fim é um jogo, que tira o medo, me
Tira o medo
E quando chega, cura
Acalma o ouro a lua

Tudo que fizemos a mentira e a verdade
Tudo que fizemos segue vivo em um lugar

Tudo pouco a pouco vai deixando de importar
Todos esses menos esses paraísos no mar
E navegar e navegar e navegar
E eu que andava cego
Caiu do céu e não beijou o solo
E se deteve o tempo
Atrás do muro dos lamentos
Ah… teu coração… Ah… teu coração.
Ah… teu coração… meu coração.
Ah… teu coração… teu pobre surdo coração
Ah… teu coração

Ah… teu coração… (teu coração)
Ah… teu coração… (teu coração)
Ah… teu coração…
Ah… teu coração…

 

 

 

 

 

 

 

abr
03
Posted on 03-04-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-04-2019

Um mês depois da morte, laudo de exames realizados pelo Instituto Adolfo Lutz descartam todos os tipos de meningite como causa do óbito

Lula com o neto, Arthur Araújo Lula da Silva.
Lula com o neto, Arthur Araújo Lula da Silva. Ricardo Stuckert Divulgação

O laudo de exames feitos no neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva descarta todos os tipos de meningite como causa da morte da criança de sete anos há um mês, como havia informado o Hospital Bartira, da rede D’Or. Arthur Araújo Lula da Silva morreu na tarde do dia primeiro de março, após dar entrada no hospital com náuseas, febre e dores abdominais. O resultado negativo para a doença acusada foi confirmado pela Prefeitura de Santo André.

“Apesar da notificação, o resultado do exame de líquor realizado no mesmo dia pelo próprio Hospital Bartira, acusou bacterioscopia negativa”, diz a nota da Prefeitura de Santo André, sem informar o motivo que levou a criança a óbito. “Informações adicionais relacionadas ao caso dependem da autorização expressa da família”, acrescenta o comunicado.

Por volta das 7h da manhã do dia primeiro de março, Arthur foi levado para o Hospital Bartira com febre e dores abdominais. Já no hospital, passou a apresentar confusão mental e morreu por volta de meio dia. No dia, o hospital informou meningite como causa da morte. “Todos os procedimentos de proteção e profilaxia dos comunicantes foram realizados seguindo os protocolos do Ministério da Saúde”, diz a nota da prefeitura. Amostras de sangue da criança foram enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para confirmar o diagnóstico. O laudo emitido nesta segunda-feira, porém, descartou todos os tipos de meningite.

O ex-ministro da Saúde da gestão petista, Alexandre Padilha, chegou a comentar o caso no Twitter, cobrando uma posição do hospital sobre a divulgação da causa da morte da criança. “Apenas dois objetivos nos movem em relação a tais cobranças. O primeiro conseguimos: que a autoridade sanitária viesse a público esclarecer à população que não se tratava de um caso de doença meningóccica para a qual havia corrida por vacina”, publicou.

A segunda cobrança do ex-ministro é de que o Hospital Bartira esclareça “quais procedimentos de apuração já realizou para o vazamento de diagnóstico que se revelou antiético para com a família e irresponsável com a Saúde Pública da região”. Padilha disse ainda que solicitaria ao Conselho Regional de Medicina que apure se houve participação dos médicos no vazamento da notícia. Segundo a Revista Crusoé, a família de Arthur decidiu processar o hospital por divulgar a morte da criança sem a sua autorização. O EL PAÍS tentou contatar o Hospital Bartira, mas a assessoria de imprensa da unidade de saúde não atendeu as ligações.

O ex-presidente foi autorizado pela Justiça Federal a ir ao velório do neto no sábado de Carnaval. Seis policiais armados com fuzis acompanharam o ex-presidente em todo momento. Lula ficou ao lado da família por cerca de duas horas, durante as quais pode consolar o filho Sandro, pai de Arthur, e a nora Marlene. Foi a segunda vez que Lula saiu da prisão na Superintendência da PF, em Curitiba, desde que foi preso em 7 de abril de 2018 —em novembro, ele saiu para ser interrogado na Lava Jato—. Há um mês, os advogados do ex-presidente solicitaram à Justiça autorização para que ele participasse do enterro de seu irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá, de 79 anos, no dia 30 de janeiro, mas o pedido foi negado. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Antonio Dias Toffoli, acatou um recurso da defesa e autorizou o petista a encontrar os familiares, mas a decisão foi liberada no exato momento em que acontecia o enterro.

abr
03
Posted on 03-04-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-04-2019

Carlos Bolsonaro vota a favor de impeachment de Crivella

 

Carlos Bolsonaro foi um dos vereadores do Rio que votaram a favor da abertura de processo de impeachment contra Marcelo Crivella, registra O Globo.

Em julho do ano passado, o filho do presidente faltou à votação de outro processo de impeachment movido contra o prefeito do Rio.

Na época, Carlos disse ter ficado diante de uma “faca de dois gumes”: “Se estou presente e voto com o prefeito, vão dizer que ele me comprou. Se eu estou presente e voto contra o prefeito, vão dizer que estou do lado do PSOL”.

No segundo turno da eleição de 2016, os Bolsonaros pediram voto para Crivella. O prefeito, por sua vez, elogiou a candidatura de Jair à Presidência.

abr
03

Do Jornal do Brasil

 

O ex-presidente Michel Temer se tornou réu nesta terça-feira (2) em processo que teve origem na Operação Lava Jato. O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, aceitou as duas denúncias contra o ex-chefe de Estado feitas pelo Ministério Público Federal, semana passada, no Rio.

Temer responderá por corrupção passiva, peculato (quando funcionário público tira vantagem do cargo) e lavagem de dinheiro por desvios em obras da Usina Angra 3, no sul fluminense. Ele já é réu em processo por corrupção envolvendo o grupo JBS – conhecido como o caso da mala.

Macaque in the trees
Ex-presidente Michel Temer (Foto: Alan Santos/PR)

Nas duas denúncias oferecidas pelo MPF, o desvio calculado é de R$ 18 milhões das obras de Angra 3, além de pagamento de propina de R$ 1,1 milhão.

Também viraram réus João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, considerado operador financeiro do ex-presidente, e o ex-ministro emedebista Moreira Franco

abr
03
Posted on 03-04-2019
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-04-2019



 

Sponholz, no

 

Do Jornal do Brasil

 

Mourão, ministro da Defesa e governador e prefeito do Rio estavam presentes

  Uma pistola foi furtada do estande da maior e mais importante feira internacional de segurança e defesa, a América Latina, a LAAD Defence & Security, que começou nesta terça-feira (2) e reuniu autoridades como o  presidente em exercício, Hamilton Mourão, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e o governador Wilson Witzel e o prefeito Marcelo Crivella. 

{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jb.com.br/_midias/jpg/https://www.jb.com.br/_midias/jpg/2019/04/02/97x70/1_mouraoooo-333768.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5ca3982689245', 'cd_midia':333775, 'ds_midia_link': 'https://www.jb.com.br/_midias/jpg/2019/04/02/627x418/1_mouraoooo-333768.jpg', 'ds_midia': 'Witzel, Mourão e autoridades durante evento de segurança no Rio ', 'ds_midia_credi': 'Romério Cunha/VPR', 'ds_midia_titlo': 'Witzel, Mourão e autoridades durante evento de segurança no Rio ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '627', 'cd_midia_h': '418', 'align': 'Left'}

De acordo com a assessoria do evento,  a arma que foi retirada do local, pouco antes do evento começar, não funcionaria. A  arma roubada seria uma pistola modelo APX Compact, calibre 9mm. Uma outra do mesmo modelo foi colocada no lugar da roubada.

Macaque in the trees
Arma é roubada em evento de segurança no Rio (Foto: reprodução rede social)

Militares das Forças Armadas que participam da feira foram chamados no estante logo após o roubo. 

  • Arquivos

  • Abril 2019
    S T Q Q S S D
    « mar    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930