Resultado de imagem para Os chineses e a ponte Salvador-Itaparica
Rui Costa (com João Leão) recebe chineses da CREC: megaponte  Salvador-Itaparica
de volta à cena…
Resultado de imagem para João Ubaldo condena ponte Salvador-Itaparica
…sem mais João Ubaldo, brilhante e firme nativo da ilha, que
combateu o projeto da obra faraônica até a morte.

ARTIGO DA SEMANA

Brasília do susto no STF, e a ponte chinesa na Bahia do PT

Vitor Hugo Soares

Brasília ferveu e o País também , na quarta-feira, 19 de dezembro, para não esquecer. A começar pela decisão afoita (no dizer da gente da beira do São Francisco, rio da minha aldeia) do ministro Marco Aurélio Mello, ao mandar soltar todos os presos condenados em segunda instância. Um deles – mais famoso entre os mais de 160 mil que iriam para as ruas -, o ex-presidente Lula.

Foi dia também do presidente Michel Temer ir ao Uruguai, para se despedir dos colegas do Mercosul. E do substituto, Rodrigo Maia (presidente da Câmara em campanha de reeleição), afrouxar a Lei de Responsabilidade Fiscal, sancionando medidas que  autorizam gastanças de prefeitos.  Ricardo Lewandowski, ministro do STF, decidiu  que o governo federal – já a partir de janeiro de 2019 – terá que pagar o reajuste dos servidores. Virou panela de pressão a quarta-feira que começara com expectativas de anúncios de mudanças, às vésperas da posse do novo presidente. 

Um dia antes da bravata de Marco Aurélio, o general Etechegoyen deu entrevista coletiva no Planalto. E recarregou pilhas, falando sobre ameaças de ataques,  e alertando sobre a necessidade de cuidados especiais com a segurança de Bolsonaro, na festa da posse, que, além de chefes de estado e figurões da política, dos governos e de negócios internacionais, prevê participação de público “estimado entre 250 mil a meio milhão de pessoas”.

No começo do dia 19, sorridente e aparentando calma, Jair Bolsonaro embarcou no Rio, rumo à Granja do Torto, para o primeiro teste geral do seu futuro ministério , no barco que ele comandará nos próximo quatro anos (pelo menos). Mas, à medida que surgiam novas notícias sobre a decisão de Marco Aurélio – e a tensão nacional crescia-,  Bolsonaro fechou a cara no Torto. E determinou atenção máxima e silêncio absoluto a seus futuros ministros e assessores. E assim foi, até a dura e firme contestação da procuradora Geral da República, Raquel Dodge, e a quase imediata decisão de Toffoli, que anulou o feito de Mello.

Decido então tirar os olhos de Brasília,  mirar em direções mais próximas do meu terreiro, antes de chegar o ano regido por Ogum, guerreiro do candomblé, São Jorge dos cultos católicos. E vejo que os chineses (que Bolsonaro vê com desconfianças) estão chegando à Bahia, sob o domínio do PT do governador reeleito Rui Costa e do senador eleito Jaques Wagner (o galego de Lula) e acenam bancar a mega-construção da ponte Salvador-Itaparica, sobre a Baia de Todos os Santos.  A turma de Pequim desembarca de mansinho e meio nas sombras, aproveitando-se do estranho silêncio crítico quase total.
A começar pela ausência do escritor essencial, João Ubaldo Ribeiro, autor de “Viva O Povo Brasileiro”, que combateu até a morte a suspeita obra faraônica e seus interesses submersos. Agora, em lugares antes ocupados pelas empreiteiras OAS e Odebrecht (em apuros na Lava Jato) no plano de ponte está a empresa chinesa CREC (China Railway Group Limited), que promete “fazer de sua atuação na Bahia a referência para todo Brasil e para a América Latina”.

A decisão do grupo foi comunicada há poucos dias ao governador Rui Costa, pelo diretor Wang Kun, líder de uma delegação de oito chineses à Bahia. Um dos maiores entusiastas da obra é o vice-governador, João Leão, que se auto-proclama “um construtor de pontes”. Um língua solta sobre quem as operações de combate à malfeitos vivem de olho. Fico por aqui. Feliz Natal a todos.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta.E-mail: vitor_soares1@terra.com.br   

Be Sociable, Share!

Comentários

Vanderlei on 22 dezembro, 2018 at 19:28 #

Que os chineses estão invadindo o Brasil e toda a América do Sul já é público e notório. Mas, que eles estão prestes a estragarem um paraíso e patrimônio mundial da natureza, a maior ilha marítima do Brasil, para mim é uma novidade. Os baianos e os demais brasileiros vão deixar que isso aconteça? Já estive diversas vezes na Ilha de Itaparica e não desejo voltar lá passando por uma ponte ou viaduto. Quero voltar à Ilha de Itaparica através de embarcações marítimas como sempre fiz e não desejo ver no caminho uma grande obra “faraônica”, como muito bem disse João Ubaldo. Uma ponte é um símbolo de progresso. Uma ponte para o futuro, será? Para mim, uma ponte para a Ilha de Itaparica deixará em aberto diversas questões sobre o real futuro da Ilha, quanto ao lado histórico, quanto ao meio ambiente, sobre a urbanização em massa e o fluxos de veículos e demais impactos decorrentes desse novo e gigantesco acesso à ilha. E o pior, a ilha deixará de ser ilha!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • dezembro 2018
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31