bolsonaro
Ato pró-Bolsonaro no Rio, no sábado 29. CARL DE SOUZA AFP
Brasília / São Paulo

“Vamos ganhar essas eleições no primeiro turno. A diferença será tão grande que será impossível qualquer possibilidade de fraude”, disse o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) em vídeo exibido durante as manifestações em seu apoio que povoaram a avenida Paulista ao longo de quatro quarteirões, entre a Alameda Peixoto Gomide e a Alameda Joaquim Eugênio de Lima. A mensagem de Bolsonaro, exibida em um telão posicionado ao lado de um dos quatro caminhões de som mobilizados para a manifestação, modula um pouco o discurso do capitão reformado do Exército. Bolsonaro vinha dizendo em entrevistas que não aceita outro resultado que não sua eleição. Na mesma gravação, o candidato à Presidência menciona as expressões “PT não, PT nunca mais”, numa referência à mobilização “ele não, ele nunca”, que, promovida por mulheres, reuniu milhares de pessoas em cidades espalhadas por todos os estados brasileiros no sábado.

Os atos a favor de Bolsonaro organizados em diversas cidades no sábado em no domingo serviram para responder aos protestos convocados contra sua candidatura e apoiados por alguns de seus adversários, como Guilherme Boulos (PSOL) e Ciro Gomes (PDT) — a representante de Ciro no ato organizado no Largo da Batata, em São Paulo, foi sua vice, a senador Kátia Abreu (PDT). Enquanto os críticos de Bolsonaro usavam preto, roxo e vermelho, seus apoiadores voltaram a colorir a avenida Paulista de amarelo anos depois das manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, quando o capitão reformado do Exército ainda parecia longe de se transformar em um candidato viável à Presidência da República. Neste domingo, os organizadores do evento calcularam em 1,8 milhão a quantidade de manifestantes. A julgar pelas maiores manifestações pelo impeachment de Dilma, que reuniram na avenida 500.000 pessoas segundo o Datafolha, o número não parece muito realista, mas isso não quer dizer que a mobilização não foi significativa.

Os quatro quarteirões ocupados pela manifestação não estavam completamente preenchidos, mas a concentração em torno dos quatro carros de som era grande, a ponto de dificultar a locomoção. Da mesma forma, em Brasília, os apoiadores do deputado do PSL fizeram sentir sua presença nas ruas. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, 25.000 veículos passaram pela Esplanada dos Ministérios entre 8h40 da manhã e 13h45, período em que ocorreram as carreatas a favor de sua candidatura. De dentro dos seus veículos ou a pé, os apoiadores de Bolsonaro gritavam palavras de ordem como “eu vim de graça”, “fora PT” e “mito”. Muitos simulavam armas com as mãos, um dos gestos mais característicos do militar reformado do Exército. De acordo com o último Ibope, Bolsonaro tem 41% das intenções de voto no Distrito Federal, bem à frente do segundo colocado, o petista Fernando Haddad (14%).

Os atos a favor de Bolsonaro também foram significativos no Espírito Santo e no Rio de Janeiro, este último ontem, mas, para além das capitais, se espalharam por várias cidades de médio porte como atestam vários vídeos distribuídos por meio das redes sociais. O mais expressivo, como de costume, foi o organizado em São Paulo, mas a mobilização, convocada para as 15h, acabou antes do que se esperava, por conta de uma forte chuva — por volta das 17h, alguns deputados ainda discursavam, mas para um público reduzido.

Os manifestantes se reuniram desde cedo na região, já que a avenida Paulista fecha aos domingos para os carros. Muitos dos apoiadores usavam camisas da seleção brasileira ou com a frase “Meu partido é o Brasil”, com a qual Bolsonaro estava quando levou uma facada no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora (MG). De cima dos carros de som, candidatos a deputado federal criticavam não apenas o PT, mas partidos como MDB e PSDB. Outros pediam votos aos eleitores de João Amoêdo (Novo), Álvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB) e Geraldo Alckmin (PSDB), para que a eleição se encerre no primeiro turno.

“Já tomamos purpurinada, ovada, cusparada e até facada. Quem são os intolerantes? Por que, quando artista fala que vai votar em outro candidato, é democracia, e quando a gente fala que vai votar em Jair Boolsonaro, a gente quer ditadura?”, questionou o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) do alto de um dos carros de som. Em outro momento, o deputado que concorre à reeleição disse que “as mulheres de direita são mais bonitas que as da esquerda”. “Elas não mostram os peitos nas ruas e nem defecam nas ruas. As mulheres de direita têm mais higiene”, completou. Só foram registrados alguns momentos de tensão depois que a forte chuva que caiu na Paulista concentrou os manifestantes no vão livre do MASP. A rápida intervenção da Polícia evitou que os desentendimentos entre apoiadores e opositores de Bolsonaro tivesse consequências de relevo.

Be Sociable, Share!

Comentários

Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:30 #

Gostaria de contribuir com alguns vídeos de diferentes cidades. De fato o que vimos ontem foi algo bem significativo:

Goiânia

https://www.youtube.com/watch?v=kTZPeP88g_s


Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:31 #

Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:31 #

Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:32 #

Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:32 #

Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:32 #

Daniel on 1 outubro, 2018 at 4:35 #

Outras cidades importantes tiveram carreatas, o que dificulta a criação de vídeos mais curtos. Mas foram igualmente cheios!

Em Salvador foram dois eventos simultâneos: um no Farol da Barra e outro no Morro do Cristo. Ambos tiveram bom público!


Lucas Ribeiro on 1 outubro, 2018 at 6:51 #

Que pena que não tem video de Salvador! Gostaria tanto de ver o BOM público!!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • outubro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031