Do Jornal do Brasil

 

Coisas da Política

Tereza Cruvinel

A polarização que cega

A polarização chegou esta semana e assustou, embora fadada a acontecer quando fosse definido o substituto de Lula, o favorito barrado pela Justiça. Para o IBOPE, Bolsonaro chegou a 28% e Fernando Haddad firmou-se no segundo lugar com 17%. O petista cresceu menos, segundo o Datafolha, mas isso não conteve o pavor dos que consideram igualmente nefastas tanto a volta do PT como a vitória da extrema direita. Enquanto isso, Bolsonaro é que continua crescendo sem fazer campanha, e isso é que devia nos apavorar.

O ex-presidente Fernando Henrique esconjurou em carta pública o perigo de uma “vitória dos extremos” que, agravando a crise, faria o barco afundar. Trata-se de legítima preocupação, vinda do maior líder do PSDB. Do mundo acadêmico, interpretação mais precisa do drama brasileiro vem do professor de Harvard Steven Levitsky, autor do livro “Como as democracias morrem”: em artigo publicado ontem na Folha de S. Paulo ele diz que Bolsonaro é que ameaça a democracia brasileira. Não o PSDB, nem o PT, e todos sabemos porque.
Bolsonaro cresce num leito de hospital. A possibilidade de ele ganhar no primeiro turno existe, embora para isso ele tivesse que devorar os votos de todos os candidatos da centro-direita. Disputas entre extremos levam os eleitores, dos dois lados, a querer resolver a parada no primeiro turno. E, embora Haddad ainda possa crescer mais, convertendo votos de Lula ou conquistando eleitores, o tempo não o favorece neste jogo de antecipação.
O crescimento de Haddad, e sobretudo o disparo de 11 pontos revelado pelo IBOPE do dia 19, tirou de foco o avanço contínuo de Bolsonaro. Ontem nova pesquisa XP/IPESP confirmou sua marcha batida. Ele cresceu dois pontos, chegando a 28%. Na pesquisa espontânea, ganhou mais oito pontos percentuais, chegando a 24%. O petista cresceu 6 pontos na série, chegando a 16%. Outra pesquisa telefônica, feita pelo Instituto Brasilis para a Genial Investimentos, concluiu que, se a eleição fosse hoje, Bolsonaro teria 30% dos votos, contra 17% de Haddad. Ciro e Alckmin teriam ficado bem para trás, com 7%.
Regionalmente Bolsonaro só não lidera no Nordeste, onde empata com Ciro em 17%,contra 26% de Haddad, segundo o Datafolha. Na próxima semana seus filhos e uma caravana farão um giro pela região para pescar votos lulistas. De modo que a ofensiva, neste momento é de Bolsonaro, mas o crescimento do petista é que parece ter incomodado o centro representado por Fernando Henrique. Quando prega a união do centro, ele busca em verdade quem possa ultrapassar o petista e derrotar o capitão da extrema direita no segundo turno. Mas falta, no centro, quem tenha músculos para tanto.

Regras violadas
Volto, pois, ao artigo de Levitsky, “A erosão das normas democráticas”. Diz ele que uma boa constituição não basta para que a democracia vá bem. É preciso também que uma sociedade observe regras não-escritas, destacando duas. Uma, a tolerância mútua. Reconhecer o adversário como legítimo competidor, não como inimigo, respeitando sua vitória quando ele ganha. Outra, a indulgência, que significaria não fazer uso pleno do poder, e mesmo do “jogo duro” constitucional, de todo o rigor da lei, para esmagar o adversário. Ele acha que no Brasil estas regras não foram observadas nos últimos anos, e deu nisso.
Para quem não leu, conclui ele: “A polarização nublou as percepções. Nem o PSDB nem o PT são uma ameaça à democracia. Os dois partidos deveriam ser rivais acalorados, mas não inimigos temidos. A verdadeira ameaça é Bolsonaro, e a tentação de apoiá-lo, gerada pelo medo. A centro-direita e a centro-esquerda do Brasil precisam perceber a gravidade da situação, antes que seja tarde.”
Afinal, quem mais cultua a ditadura e a tortura, já deu tantas demonstrações de autoritarismo, homofobia, misoginia e racismo, e ainda embala uma agenda tributária não revelada aos eleitores?

Be Sociable, Share!

Comentários

Daniel on 23 setembro, 2018 at 9:26 #

Acreditando nas pesquisas, fica claro que Haddad cresceu devido à demanda reprimida que existia entre os adoradores do petismo. Suprida essa lacuna a tendência agora é que canibalize votos com Ciro Gomes.

Mas isso é só análise em cima dos números, ainda acho que essas pesquisas estão bem destoantes do cenário real e do que se vê nas ruas.

Sobre o último parágrafo: O fato é que muitas pessoas ligadas ao petismo e outros partidos de extrema esquerda divulgam falsos textos nas redes sociais eivados de manipulações contra Bolsonaro.Todos os comentários negativos já feitos por Bolsonaro sobre mulheres, gays e negros, por exemplo, se deram em desfavor de movimentos ativistas que militam radicalmente e ideologicamente por estas causas. Bolsonaro tem uma quantidade imensa de apoiadores negros, homossexuais e mulheres.

Por matérias falaciosas e manipuladas assim que o maluco da faca foi acreditando que Bolsonaro era um alvo a ser combatido. Quando a mídia vai assumir a culpa que tem?


Lucas Ribeiro on 23 setembro, 2018 at 22:18 #

SUBLIME IRONIA: GOLPE IMPLODIU PSDB E MDB, E O PT SOBREVIVEU COM LULA/HADDAD
22 De Setembro De 2018 Ricardo Kotscho
“As redes sociais deram o direito à palavra a uma legião de imbecis que antes falavam apenas em um bar” (Umberto Eco, escritor e filólogo italiano, em junho de 2015).

***

A 15 dias da eleição, só uma coisa já é certa: PSDB e MDB, os grandes partidos da aliança golpista de 2016, cevada pela Lava Jato e pela velha mídia, já estão fora do segundo turno, relegados ao bloco dos nanicos.

E o PT de Lula, o principal alvo da operação para derrubar Dilma, sobreviveu com Fernando Haddad, na bica para ir ao segundo turno contra Jair Bolsonaro.

A legião de imbecis que ocupou todos os espaços nos últimos anos, ao fazer das redes sociais nativas o campo de combate do antipetismo, não se deu conta de que gerou em seu ventre esta excrecência da extrema-direita ululante das viúvas da ditadura.

Ficaram pendurados na brocha e só lhes restou aderir ao capitão e ao general ensandecidos para impedir a quinta vitória consecutiva do PT nas eleições presidenciais.

Este é o resumo da ópera bufa lavajatense, que vai chegando ao seu clímax, depois de Lula comandar da sua cela solitária em Curitiba a derrocada de quem o condenou e prendeu.

O PT não morreu e agora assiste de camarote à agonia dos seus algozes.

Uma cena singela na madrugada de sexta-feira, retratada pela repórter Anna Virginia Balloussier, na Folha deste sábado, é emblemática desta reta final de campanha.

É a foto do tucano Geraldo Alckmin tomando café sozinho, acompanhado apenas de dona Lu, numa lanchonete deserta de beira de estrada, após o debate dos presidenciáveis na TV Aparecida.

Cercado de mesas e cadeiras vazias, sem nenhum militante, assessor, segurança ou mísero puxa-saco a seu lado, Alckmin era o símbolo de uma era que acabou.

A carta-desespero que FHC enviou aos eleitores na véspera, para tentar ressuscitar a candidatura tucana, pode agora ser colocada na lápide do partido que nos últimos 16 anos se dedicou apenas a destruir o adversário.

Para completar o clima de fim de feira da direita golpista, na mesma noite o patético bilionário Henrique Meirelles, candidato só dele mesmo e do que restou do MDB, jogou no ar seu último trunfo: prometeu liberar a maconha.

Ainda que não vá para o segundo turno, pois permanece aberta a disputa com Ciro Gomes pela segunda vaga, o PT sai desta campanha maior do que entrou, adiando mais uma vez o fim anunciado tantas vezes pela legião de imbecis preconizada por Umberto Eco.

Lula sozinho deu um xeque-mate na elite brasileira, no carcomido establishment, que entronizou Michel Temer no Palácio do Planalto, e agora junta os cacos de um país dilacerado, quebrado, de volta ao passado de fome, miséria e desemprego.

Por onde passa em suas viagens pelo Brasil, seu herdeiro Fernando Haddad é recebido com as mesmas festas que fariam para Lula, se ele pudesse ser candidato, em contraste com seus adversários.

Como ele mesmo anunciou na véspera de ser preso, a ideia sobreviveu ao homem Lula, condenado sem provas, realimentando a esperança de milhões de brasileiros destituídos de seus direitos básicos de cidadania.

Ainda não dá para saber quem vai ganhar, mas já se sabe quem perdeu esta eleição.

Entre a volta à ditadura militar de triste memória e o futuro das novas gerações, o país joga o seu destino nas urnas no próximo dia 7 de outubro.

Falta pouco agora.

Vida que segue.


Vanderlei on 24 setembro, 2018 at 0:08 #

“Lula sozinho deu um xeque-mate na elite brasileira”. As urnas dirão a verdade dia 7 de outubro!


Vanderlei on 24 setembro, 2018 at 0:13 #

Se você teve uma empregada que lhe deu enormes prejuízos, inclusive financeiros ($$$), e , em decorrência disto a demitiu, pergunto: Você aceitaria agora uma nova empregada, para cuidar de sua casa e família, indicada por ela?


Lucas Ribeiro on 24 setembro, 2018 at 6:58 #

Depende senhor Vanderlei. Se a minha empregada tivesse ganho 24 títulos de doutor Honoris causa em 2013 ( depois destes, já vieram outros e mais honrarias), eu aceitaria a indicação dela!!!


Lucas Ribeiro on 24 setembro, 2018 at 6:59 #

Vanderlei on 24 setembro, 2018 at 12:15 #

Pra que serve títulos, condecorações e outras coisas mais para um condenado e com mais condenações pela frente? Quem jogou a biografia no lixo foi o Lula mesmo mais ninguém!


Lucas Ribeiro on 24 setembro, 2018 at 12:30 #

Ainda continua sendo condecorado e respeitado no mundo todo. Vide pessoas que o visitam em Curitiba . Só não vê quem é cego !!!!i


Lucas Ribeiro on 24 setembro, 2018 at 12:42 #

Daniel on 25 setembro, 2018 at 13:28 #

“Respeitado” é ótimo…

Como se merecesse respeito quem se dá ao desplante de beijar mão de um condenado chefe de quadrilha.


Vanderlei on 25 setembro, 2018 at 23:52 #

Qual é a grande utilidade de uma condecoração, a não se inflar o egocentrismo de uma pessoa? Gostaria que me mostrassem qual utilidade que tem uma condecoração para o desenvolvimento de um país. Uma condecoração só serve para inflar o egocentrismo. E pensar que até Fidel Castro já foi condecorado. Pobre Mundo! E imundo.


Lucas Ribeiro on 26 setembro, 2018 at 7:42 #

“Gostaria que me mostrassem qual utilidade … Que pena que Jorge Amado , Guimarães Rosa e outros não tenham recebido o Nobel de literatura!!!!
É muita iNguinorância para uma pessoa só!!!


Daniel on 27 setembro, 2018 at 10:42 #

Sim, “inguinorância” é o nome certo…


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos