set
18
Postado em 18-09-2018
Arquivado em (Artigos) por vitor em 18-09-2018 00:41

Do Jornal do Brasil

 

Em entrevista coletiva, a primeira concedida desde que assumiu a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli rebateu hoje (17) críticas à confiabilidade da urna eletrônica e afirmou ser “lenda urbana” que a Corte atue para conter a Lava Jato.

“Em primeiro lugar, o Supremo Tribunal Federal (STF) sempre deu suporte à Lava Jato. Vamos parar com essa lenda urbana, com esse folclore, o Supremo Tribunal Federal nunca deu uma decisão que parasse a Lava Jato ou outras investigações”, afirmou o ministro ao ser questionado sobre decisões da Corte com potencial de afetar a operação.

Macaque in the trees
Dias Toffoli (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil )

O ministro destacou, porém, que o que o Supremo tem feito é atuar para dar parâmetros legais às investigações e garantir o devido processo legal “em alguns casos que eventualmente necessitem dessa intervenção. Quando as investigações se mostram abusivas, elas são, como devem ser, tolhidas pelo Judiciário, que é o que garante direitos individuais e fundamentais”.

Eleições

A respeito de afirmações recentes do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, que levantou suspeitas de possível fraude nas urnas eletrônicas durante a votação, Dias Toffoli respondeu que “a urna é 100% confiável”.

“A respeito disso, eu digo apenas que ele sempre foi eleito usando a urna eletrônica”, disse Toffoli sobre as suspeitas levantadas pelo candidato. “Os sistemas são abertos a auditagem para todos os partidos políticos seis meses antes da eleição, para todos os candidatos e para a Ordem dos Advogados do Brasil”, destacou o presidente do STF.

Ele ressaltou ainda que pela primeira vez as eleições no Brasil serão acompanhadas por observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA). “Tem gente que acredita em saci-pererê”, disse o ministro a respeito das suspeitas sobre a urna.

Be Sociable, Share!

Comentários

Vanderlei on 18 setembro, 2018 at 10:30 #

GRAVÍSSIMO! TSE entregou nossos códigos de segurança das urnas para a Venezuela do ditador Maduro

Você sabia que cinco venezuelanos e um português representam Smartmatic no TSE brasileiro??
Ou seja, são donos das fraudáveis urnas eletrônicas utilizadas no Brasil.
A empresa líder (Smartmatic Brasil) indica cinco venezuelanos e um português como pessoas “legalmente habilitadas” para representar o consórcio na concorrência.

Os indicados são o português Victor Manuel dos Reis e os venezuelanos Chandler Molina, Servio Altuve, Marta Blanco, Valentina Vaquero e Pedro Mugica.
Victor assina pelas duas empresas do consórcio (Smartmatic Brasil e Smartmatic International Corporation). Com sede em Barbardos, a SIC não tem autorização para participar de licitações no Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=8flV0c1aXZM


Lucas Ribeiro on 18 setembro, 2018 at 13:57 #

É isto aí Vanderlei:
http://www.maurosantayana.com/


Vanderlei on 18 setembro, 2018 at 20:08 #

The Noite (19/08/14) – Entrevista com Diego Aranha

https://www.youtube.com/watch?v=xATaNCsre9Q


Taciano Lemos de Carvalho on 19 setembro, 2018 at 0:39 #

Nota de Esclarecimento: códigos-fonte da urna eletrônica
A Justiça Eleitoral esclarece que nunca entregou códigos-fonte da urna eletrônica para qualquer empresa privada, seja estrangeira ou nacional

http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2018/Setembro/nota-de-esclarecimento-codigos-fonte-da-urna-eletronica


Vanderlei on 19 setembro, 2018 at 9:17 #

Para mim, a Nota de Esclarecimento do TSE não confirma que a urna eletrônica é inviolável. Ela poderá ser violada em qualquer momento de uso e até no TSE. Não existe 100% de garantia. O sistema bancário mundial gasta uma fortuna enorme na segurança bancária e nem por isso consegue ser 100% seguro e protegido quanto a fraudes. Hackers já roubaram em pouca movimentações na Europa valores acima de 1 bilhão de Euros num só dia. As invasões e roubo de correntistas e de bancos são diários e envolvem milhões de dólares, diariamente. basta acompanhar na imprensa. E isto, inclusive, entra no custo bancário. Num programa Manhattan Connection, do ano passado, um dos maiores especialista, americano, em segurança bancária afirmou que não existe 100% de segurança nos bancos e perguntado sobre as urnas eletrônica ele afirmou, categoricamente, que sim elas são violáveis. Finalmente, encerrando, da minha parte, este bate papo. Se não dá para confiar no presidente do STF e ex-presidente do TSE, como confiar nas urnas eletrônicas? Eu não confio!

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2018/03/lider-de-grupo-hacker-que-roubou-1-bilhao-de-euros-de-bancos-e-preso.html

http://www.mundodoshackers.com.br/onda-de-roubo-de-senhas-santander-itau-bradesco-e-outros-bancos

https://zap.aeiou.pt/roubo-bancos-mexicanos-pirataria-202599

https://gizmodo.uol.com.br/hackers-nova-forma-invasao-caixas-eletronicos/

https://www.baboo.com.br/seguranca/hackers-do-grupo-moneytaker-roubam-us-1-milhao-de-banco-russo/


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos