Kofi Annan, em Nova York em 2012.Kofi Annan, em Nova York em 2012. GETTY

O ex-secretário geral da ONU Kofi Annan (Kumasi, Gana, 1938), que ocupou o cargo entre 1997 e 2006, morreu no sábado em Berna aos 80 anos, segundo informação da Organização Internacional das Migrações (OIM) em publicação no Twitter. “Hoje lamentamos a perda de um líder, um líder e um visionário: ex-secretário geral da ONU. Uma vida bem vivida. Uma vida digna de ser comemorada”, escreveu o órgão. Annan ganhou o Nobel da Paz em 2001 “por seu trabalho por um mundo melhor organizado e mais pacífico”. Em 2012 também recebeu o Prêmio Confúcio da Paz por “sua enorme contribuição à reforma e ressurgimento das Nações Unidas e como enviado especial da ONU e da Liga Árabe na Síria”.A família de Kofi Annan e sua fundação também confirmaram seu falecimento. “Morreu em paz nesse sábado 18 de agosto após uma breve doença”, diz uma publicação no Twitter na conta oficial de Annan, em que colocaram um comunicado lamentando sua perda. O diplomata ganês, confirmou a família, adoeceu quando voltava da África do Sul após comparecer à comemoração do aniversário do nascimento do líder sul-africano Nelson Mandela. Annan foi hospitalizado em Genebra e depois levado de avião a um hospital da capital, Berna, onde morreu.“Sua mulher Nane e seus filhos Ama, Kojo e Nina estiveram com ele nesses últimos dias”, relata o comunicado, que também diz que o ganhador do Nobel foi “um internacionalista profundamente comprometido que lutou durante toda sua vida por um mundo mais justo e pacífico”. A família também pediu privacidade nesse momento de luto.

Annan subiu de um começo humilde à secretaria geral da ONU. Seu maior fracasso na liderança do órgão, segundo ele mesmo reconheceu, foi não conseguir deter a guerra no Iraque, e pediu durante sua entrevista coletiva de despedida realizada na sede da organização em Nova York para não ser julgado unicamente pelo escândalo “Petróleo por Alimentos” nesse país, uma fraude que envolveu pelo menos 2.400 empresas no pagamento ilegal de comissões e propinas ao entorno do ditador iraquiano Saddam Hussein enquanto evitavam os controles das Nações Unidas.

O programa, que começou em dezembro de 1996 e acabou em 2003, nasceu como a mais ambiciosa operação realizada nos 60 anos de existência da ONU. O plano de ajuda contemplava o auxílio à população iraquiana com alimentos e remédios nos anos do embargo econômico contra o regime de Saddam Hussein. Dessa forma, se permitiu que petróleo saísse do Iraque no valor de 64,2 bilhões de dólares (251 bilhões de reais) e entrassem no país bens no valor de 34,5 bilhões de dólares (135 bilhões de dólares). Mas o programa se transformou em uma fonte de renda extra ao entorno de Saddam Hussein, que de acordo com os cálculos recebeu propinas e comissões de 1,8 bilhão de dólares (7 bilhões de reais).Annan afirmou ter feito todo o possível para deter a guerra no Iraque e que apesar de se tratar de seu pior fracasso não deve apagar outras conquistas como os esforços da ONU em prol dos direitos humanos, a luta contra a desigualdade, em favor do desenvolvimento, cujo maior expoente são os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. O ex-secretário geral expressou seu desejo de que seu mandato fosse lembrado como o da luta contra o desastre do tsunami no Oceano Índico e o terremoto na Cachemira, entre outros.lém da guerra no Iraque, Annan disse diversas vezes que o atentado contra a sede da ONU em Bagdá em agosto de 2003, em que o enviado especial Sergio Vieira de Mello morreu, foi outro dos piores momentos vividos na secretaria. Ele se manteve ativo até seus últimos dias, liderando a delegação da ONU The Elders, fundada por Nelson Mandela, que visitou o Zimbábue durante as eleições no final de julho.O secretário geral da ONU, Antonio Guterres, lamentou a morte de Annan, afirmando que seu legado será sempre uma inspiração para todos. “Nesses tempos turbulentos, Annan nunca deixou de trabalhar para manter vivos os valores da Carta das Nações Unidas. Seu legado será sempre uma inspiração para todos”, disse Guterres em um comunicado. O líder português acrescentou que “foi uma referência e um guia”: “Em muitos sentidos, ele era as Nações Unidas”. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, também lamentou sua perda em sua conta do Twitter: “Hoje perdemos um grande humanista. Kofi Annan nos deixa, ex-secretário geral da #ONU e Nobel da Paz, mas seu legado fica para continuar trabalhando a favor da paz, da segurança e para reforçar a defesa dos #DireitosHumanos”

Be Sociable, Share!

Comentários

Daniel on 19 agosto, 2018 at 2:54 #

Nessa época a ONU ainda nutria alguma credibilidade. Hoje virou celeiro de discursos “lacradores” e militância ideológica radical.


vitor on 19 agosto, 2018 at 11:54 #

Daniel:

Isso mesmo. Na mosca!!!


Taciano Lemos de Carvalho on 19 agosto, 2018 at 13:50 #

Brasil sairá da ‘ONU comunista’ se eu for eleito, diz Bolsonaro. Diz que é um antro comunista.
Haja manipulação do bufão maior do Brasil

Aliás, manipulação e ignorância. Disse que tiraria o Brasil do Conselho de Segurança da Onu. E o Brasil não faz parte de tal Conselho. Ou é ignorante ou mentiroso. Alertado quanto à inverdade, escapuliu dizendo que tiraria o nosso país da Onu.


Taciano Lemos de Carvalho on 19 agosto, 2018 at 15:25 #

Direita Raiz x Direita Nutella: eleitores de Daciolo e Bolsonaro estão em pé de guerra
A nova batalha que movimenta eleitores de Daciolo e Bolsonaro partiu de uma piada irônica no Twitter, mas irrita eleitores que não captaram o sarcasmo.

e a ‘Direita Raiz’ tem patente no nome e fala em Deus toda hora, a ‘Direita Nutela’ dispensa a patente e menciona pouco o Criador. A nova batalha que movimenta eleitores de Daciolo e Bolsonaro partiu de uma piada irônica no Twitter, mas irrita eleitores que não captaram o sarcasmo. O autor do meme, o redator publicitário Lucio Caramori, usa de ironia para rebater os defensores do candidato do PSL, e, povoada de momentos surreais, a conversa inclui hashtags como #BolsonaroComunista e #ÉMelhorDacioloSeAcostumando. A thread – maneira como o Twitter organiza as conversas – passou de 3,3 mil retuítes em dois dias.

Tudo começou com este tuíte: [veja no link do Estado de Minas. Abaixo]

https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2018/08/17/interna_politica,981036/direita-raiz-x-direita-nutella-eleitores-de-daciolo-e-bolsonaro-estao.shtml


Vanderlei on 19 agosto, 2018 at 17:57 #

A ONU se perdeu no tempo. Está fora de órbita do mundo. Infelizmente!


Daniel on 19 agosto, 2018 at 19:05 #

Engraçado citar um texto bisonho sobre Bolsonaro e Daciolo por aqui. Tal situação nonsense seria o mesmo de dizer que o PCO tem rusgas com o PT na esquerda.

Aliás, dizer que um completo lunático é “de direita” beira o surrealismo. E convêm relembrar que o rapaz tem origem no PSOL e defende políticas de notório viés esquerdista.

Se assemelha mais ao PCO de sinal trocado.


Taciano Lemos de Carvalho on 19 agosto, 2018 at 20:59 #

Bisonho é o Dalciolo e, principalmente, as ideias do outro em defesa da tortura e dos assassinatos realizados pela ditadura civil-militar do golpe de 1964. Mas que a imagem reproduzida no jornal Estados de Minas conta um pouco de cada um dos dois, conta.


Taciano Lemos de Carvalho on 19 agosto, 2018 at 21:02 #

Carta aberta ao General Mourão, o índio do Amazonas
http://d24am.com/politica/carta-aberta-ao-gal-mourao-o-indio-do-amazonas/

Interessante


Daniel on 20 agosto, 2018 at 2:00 #

Calma Taciano, o nome do dito cujo é Daciolo.

No mais, creio que as considerações de Bolsonaro a respeito do regime militar diga respeito ao FATO de que se não houvesse o golpe dado pelo militares, teria havido um golpe dado pelos comunistas.


Daniel on 20 agosto, 2018 at 2:01 #

d24am…cruzes.

Vai que é vírus…


Taciano Lemos de Carvalho on 20 agosto, 2018 at 8:03 #

Se o cara é errado politicamente, nada de grave eu errar o nome dele.


Daniel on 20 agosto, 2018 at 12:27 #

Sei, sei…heheheh


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos