jul
26
Postado em 26-07-2018
Arquivado em (Artigos) por vitor em 26-07-2018 00:06
DO PORTAL DE NOTÍCIAS TERRA BRASIL

O Facebook retirou do ar nesta quarta-feira, 25, uma rede de páginas e contas ligadas a coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL) como parte da política de combate a notícias falsas. De acordo com a rede social, as contas faziam parte de uma rede coordenada que usava contas falsas no Facebook para disseminação de conteúdos sem deixar claro a origem da informação “com propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”.

Pelo comunicado, Facebook diz que desativou 196 páginas e 87 contas no Brasil por sua participação em “uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”. O comunicado não identifica as páginas ou usuários envolvidos.

Facebook é pressionado a combater fake news

Facebook é pressionado a combater fake news

Foto: Dado Ruvic/Ilustração / Reuters

O MBL disse, pelo Twitter, que o Facebook “já ligou para alguns coordenadores para oferecer conselhos de marketing e (que) agora excluiu esses mesmos coordenadores acusando-os de serem perfis falsos”. De acordo com o movimento, o Facebook acaba de banir da plataforma diversos coordenadores “sem explicação nenhuma”.

De acordo com a Reuters, fontes afirmam que a rede era administrada por membros “importantes” do MBL. O grupo ganhou destaque ao liderar protestos em 2016 pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff, cassada no mesmo ano. De acordo com a Reuters, os representantes do MBL não responderam as perguntas enviadas pela reportagem.

As páginas desativadas, que juntas tinham mais de meio milhão de seguidores, variavam de notícias sensacionalistas a temas políticos, com uma abordagem claramente conservadora, com nomes como Jornalivre e O Diário Nacional, de acordo com as fontes.

O Facebook tem enfrentado pressão para combater as contas falsas e outros tipos de perfis enganosos em sua rede. No ano passado, a empresa reconheceu que sua plataforma havia sido usada para o que chamou de “operações de informação” que usaram perfis falsos e outros métodos para influenciar a opinião pública durante a eleição norte-americana de 2016, e prometeu combater as fake news. 

Be Sociable, Share!

Comentários

Daniel on 26 julho, 2018 at 0:36 #

Vejam só: “Combate à fake news” agora vira parte da novilíngua para censura, ataque ao pensamento divergente e distorção de fatos.

Basta se atentar para como se deu a história, analisar o histórico censurador do facebook (dito pelo próprio dono) e como as tais “fake news” vêm sendo usadas pela grande mpidia para atacar os que se dizem de direita. A censura é evidente!


Daniel on 26 julho, 2018 at 0:36 #

Fico aqui imaginando como seria o escândalo se a censura fosse contra páginas de esquerda, inclusive aquelas que mais incitam o ódio, a divisão social e a intolerância…

A distorção beira o surreal!


Daniel on 26 julho, 2018 at 0:40 #

Daniel on 26 julho, 2018 at 0:41 #

Daniel on 26 julho, 2018 at 0:43 #

Dono do Facebook assume viés ideológico da rede social e de como isso influencia na censura deliberada às páginas violadas:

https://www.youtube.com/watch?v=PQLmq8-OZL8


Taciano Lemos de Carvalho on 26 julho, 2018 at 8:32 #

“Não precisam explicar, eu só queria entender”. Quem financia o MBL, ‘dono’ das quase 200 páginas de boatos?


Daniel on 26 julho, 2018 at 9:40 #

Não sou membro do movimento, mas achar que um movimento que alcança 10 milhões de pessoas por dia não tem capacidade de angariar recursos é no mínimo nonsense.

Agora, eu pergunto: quem sustenta os atos terroristas do MST, CUT, UNE e UBES?

“Não precisam explicar, eu só queria entender”…


Taciano Lemos de Carvalho on 26 julho, 2018 at 17:05 #

MOVIMENTO BRASIL LIVRE »
Renovação Liberal: a associação familiar para onde vai o dinheiro do MBL
Renan Santos, um dos líderes do grupo, e seus irmãos são os associados da entidade que controla os recursos e as doações ao movimento. Família Santos é ré em 125 processos

A família Santos responde atualmente a 125 processos na Justiça, relativos a negócios que tiveram antes da criação do MRL. O EL PAÍS teve acesso a estes processos. A maioria é relativa à falta de pagamento de dívidas líquidas e certas, débitos fiscais, fraudes em execuções processuais e reclamações trabalhistas. Juntos, acumulam uma cobrança da ordem de 20 milhões de reais, valor que cresce a cada dia em virtude de juros, multas e cobranças de pagamentos atrasados.

https://www.google.com.br/amp/s/brasil.elpais.com/brasil/2017/09/26/politica/1506462642_201383.amp.html


Taciano Lemos de Carvalho on 26 julho, 2018 at 17:13 #

Essa grana aí é apenas troco. A verdadeira vem dos irmãos bilionários (em dólar)


Daniel on 26 julho, 2018 at 17:32 #

É sério que vai colocar uma fonte suspeitíssima do El País, um dos maiores conglomerados internacionais de mídia beneficiados com recursos do notório delinquente George Soros?

O MBL tem 2, 7 milhões de seguidores no facebook (mesmo com todo tipo de ataque e boicote por parte desta rede social); quase 400 mil inscritos no youtube; quase 150 mil seguidores no twitter. Devo realmente desconsiderar todo esse alcance em prol de uma reportagem raivosa baseada em fake news?

Os investidores bilionários de hoje financiam a esquerda e sua pauta odiosa e intolerante – George Soros, fundação Ford, Rockfeller, Open Society…

Caso o colega de fato conhecesse um pouco do que tenta falar, saberia como esse lixo ideológico vem sendo enfiado de cima para baixo por meio de ongs, fundações e organizações internacionais.


Daniel on 26 julho, 2018 at 17:34 #

Dinheiro é o que não falta para essa elite vermelha.


Taciano Lemos de Carvalho on 26 julho, 2018 at 18:17 #

Grande parte dos seguidores/divulgadores do MBL é robô. Para espalhar as mentiras.

Quanto ao “financiamento” do MBL, os das fiesps da vida é troquinho, moedinha. A coisa vem de “gente” como os irmãos Koch.


Daniel on 26 julho, 2018 at 18:24 #

Mais uma fake news. Investigações revelam que robôs compõem grande porcentagem em qualquer mídia social.

Determinados veículos de imprensa chegam a quase 50% de sua audiência nestas redes composta por robôs.

Dilma chegou a contratar uma empresa – visando campanha eleitoral – só para divulgar e disseminar sua narrativa por meio de robôs.

O MBL é só uma gota no oceano. Mas, como convêm à ditadura midiática e ideológica, é sempre o alvo escolhido para ser vilipendiado e atacado.


Taciano Lemos de Carvalho on 26 julho, 2018 at 19:11 #

Segundo a rede social, as páginas e perfis “faziam parte de uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”

Foram desativadas 196 páginas e 87 perfis. Entre eles estão notórias divulgadoras de fake news e do noticiário dos novos liberais brasileiros, como o Jornalivre, Diário Nacional e página do Movimento Brasil 200 – aquela mesma do movimento liderado pelo presidente da Riachuelo Flávio Rocha.


Daniel on 26 julho, 2018 at 19:35 #

Ora bolas, você queria que o facebook dissesse o quê? Que assumisse a cruzada persecutória contra páginas de direita? Que assumisse que os funcionários pagos para fazer o “fact Checking” são ideologicamente de esquerda e agem para censurar qualquer post que vá de encontro aos dogmas dessa linha política?

O facebook não foi capaz sequer de definir razoavelmente quais sãos os crimes ou violações das tais páginas. “Divisão” e “desinformação” nada mais é do que coisa nenhuma!

Onde está a checagem sobre blogs sujos ligados ao petismo que estimulam o ódio, atacam s justiça e produzem factoides jornalísticos o dia inteiro? Onde está a checagem sobre movimentos terroristas como MST, CUT, UNE e suas redes de intolerância, ataques e caos social?

Os grupos e páginas censuradas cometeram apenas uma heresia: ousar remar contra a maré da turminha intolerante que se diz tolerante, que estimula o ódio mas se diz “do amor” e que persegue mas de diz sem rancor.

No fundo eles sabem que perderam o monopólio da informação, e isso é o que mais os assusta (especialmente visando a próxima eleição). Por isso tanto esforço para censurar, boicotar, distorcer e difamar!


Taciano Lemos de Carvalho on 26 julho, 2018 at 21:00 #

O dono do Facebook agora está sendo acusado até de comunista, por alguns que se dizem mblistas que vejo por aí no WhatsApp. Verdade que conheço um que sua imagem no Zap era a logomarca do MBL. Depois a marca sumiu, a defesa do “movimento” diminui. Claro que deve ser estratégia.

Como tais mblistas chamam o Lula de comunista…é um pulinho pra chamar um dos capitalistas mais rico do mundo também de comunista. Quando modestos, chamam de esquerdista. Nem um e nem outro é comunista. Eu diria nem mesmo de legítima esquerda.

Mas que a rede mbl é de boato, é.


Daniel on 26 julho, 2018 at 21:46 #

Caro Taciano, a “acusação” é óbvia: o próprio assumiu que o facebook possui um viés de esquerda em pleno congresso dos EUA. E disse isso se valendo do fato de a Califórnia (sede da empresa) ter uma maioria esmagadora de pessoas simpáticas a esquerda.

Honestamente, depois do que foi discutido aqui, e de constatações naturais dos fatos, não entendo porque você mantêm essa resistência a admitir o óbvio. O cerceamento ao pensamento divergente é evidente; a punição dada APENAS à páginas de direita é evidente; a tentativa de caracterização qualquer opinião de direito como “fake news” ou “discurso de ódio” é evidente; a ausência de bases razoáveis e objetivas para punir essas mesma páginas é evidente.

Só nega quem é ingênuo ou complacente!


Taciano Lemos de Carvalho on 27 julho, 2018 at 8:37 #

Só uma coisa. Acredita quem quiser que o Faceboook tem um viés de esquerda. É um enfoque enviezado, essa opinião.

No Brasil estamos cheios de exemplos de gente que se diz —ou falava que era— de esquerda e demonstram que são de direita. Na melhora das hipóteses, de centro, se é que centro é coisa que preste.

Mas que as páginas e perfis derrubados pelo Facebook eram falsos e/ou serviam apenas para disseminar fake news, eram. E que eram controlados pelo mbl, eram.


Taciano Lemos de Carvalho on 27 julho, 2018 at 10:30 #

Taciano Lemos de Carvalho on 27 julho, 2018 at 10:30 #

Whatsapp


Taciano Lemos de Carvalho on 27 julho, 2018 at 14:33 #

Olha o que acontece com algumas almas que compartilham as mentiras geradas pelo mbl:
http://www.tribunadainternet.com.br/charge-do-duke-1437/


Daniel on 27 julho, 2018 at 16:17 #

É incrível como o Taciano roda, roda, roda, mas para sempre no mesmo lugar: ma teimosia (sim, teimosia) em reconhecer o caráter persecutório, censurador e autoritário das redes sociais perante o pensamento de direita e a doutrinação ideológica de esquerda massificada pelos formadores de opinião da grande mídia.

Bastou o crescimento de redes sociais minimamente livres para que o então monopólio esquerdista fosse subjugado. Por isso tanto esforço para rastrear, boicotar e punir essas pessoas que, ora vejam, ousaram sair da casinha.


Daniel on 27 julho, 2018 at 16:21 #

Daniel on 27 julho, 2018 at 16:25 #

Imagine se uma organização internacional manobrasse em favor de partidos de direita e censurassem páginas relevantes vinculadas a esquerda em ano eleitoral…

http://www.jornalivre.org/noticia/nota/acao-do-facebook-foi-elaborada-para-proteger-partidos-de-extrema-esquerda-nas-eleicoes-deste-ano/


Daniel on 27 julho, 2018 at 16:33 #

Daniel on 27 julho, 2018 at 16:49 #

Professor da UFPE sobre a censura escancarada:

https://www.youtube.com/watch?v=yBZH2aj-gFQ


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • julho 2018
    S T Q Q S S D
    « jun   ago »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031