maio
17

OPINIÃO

Simpatizantes de Lula no Cristo Redentor do Rio.Simpatizantes de Lula no Cristo Redentor do Rio. Pilar Olivares REUTERS

A situação política do Brasil, a poucos meses da eleição presidencial, beira o absurdo se a última pesquisa CNT/MDA refletir a realidade. Teríamos, com efeito, o seguinte panorama, difícil de entender fora das fronteiras do país: o popular ex-presidente Lula da Silva, líder indiscutível do seu partido, o PT, na prisão e impossibilitado de disputar as eleições, obteria hoje no primeiro turno quase o mesmo número de votos que a soma dos outros quatro candidatos com maior apoio: Jair Bolsonaro, com 16,7%, Marina Silva, com 7,6%, Ciro Gomes, com 5,4%, e Geraldo Alckmin com 4%. Juntos têm 33,7%, contra 32,4% de Lula. E isso mais de um mês depois de ele ser preso e com poucas chances de ser solto.

Como se fosse pouco, no segundo turno o ex-presidente seria eleito com o dobro de votos que qualquer de seus competidores, e com seis vezes mais (49% contra 8,3%) que Michel Temer, o atual presidente da República. Por que se trata, então, de uma situação absurda? Porque Lula é um político condenado por corrupção em segunda instância a mais de 12 anos de prisão e, segundo a Lei da Ficha Limpa, está impossibilitado de disputar eleições. E até poderia ocorrer que, antes da votação de 7 de outubro, o ex-presidente voltasse a receber uma segunda condenação, também por corrupção, enquanto ainda é réu em vários outros processos.

No mesmo levantamento em que o ex-presidente aparece como vencedor indiscutível outros dados revelam o absurdo da situação. Para 51% dos eleitores, a prisão de Lula “é justa”, e 49,9% a consideram “injusta”, enquanto 40,8% acreditam que Lula “não poderá disputar as eleições”. É um país claramente partido em dois. Não é estranho que, frente a esse panorama, o PT mantenha acesa  a chama da esperança de poder arrancar do Tribunal Superior Eleitoral alguma saída jurídica que lhe permita, ainda na cadeia, disputar uma eleição que ele ganharia por ampla margem.

Por isso Lula e seus mais fiéis correligionários do PT se negam a buscar um substituto para disputar a eleição, tentando assim capitalizar os milhões de votos que ele continua tendo. Daí que o partido tenha decidido que Lula será candidato até o momento em que a Justiça determinar definitivamente se poderá ou não ser candidato a presidente.

O problema é que o jogo é grave, porque essa incerteza poderia se manter mesmo depois de ter vencido a eleição, que até correria o risco de ser anulada se a Justiça afinal decidisse que o ex-presidente era inelegível. Tudo isso em uma eleição tão importante, num momento tão crítico para o país, e com um PT que poderia se ver tentado, como já insinuaram alguns de seus líderes, a impugnar o resultado de uma votação em que Lula não figurasse. Voltaria a soar o alarme de um novo golpe, como foi no caso do impeachment de Dilma Rousseff, e o panorama político se tornaria ainda mais sombrio, se é que isso é possível.

Diante dessa situação que recorda o teatro do absurdo, seria importante que os altos tribunais de Justiça decidissem o caso Lula sem esperar mais, de um modo ou de outro, sem possibilidade de dúvidas, se não quiser continuar brincando com fogo, comprometendo a já grave incerteza e o desânimo dos eleitores, que ameaçam, como nunca no passado, com o castigo do voto em branco ou nulo. Se há algo de que necessita neste momento um país da importância do Brasil no continente americano e no tabuleiro mundial é de clareza e celeridade judicial para que as eleições presidenciais possam se realizar com tranquilidade e segurança democrática, sem que sobre elas se abata a grave sombra da ilegalidade ou de jogos pouco limpos sob a mesa.


“Milla”, o grande sucesso axé de Netinho. Cai bem em qualquer espaço e em qualquer tempo. Está aí a novela “Segundo Sol”, ambientada na Bahia, para confirmar.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

O empresário Fernando Gontijo disse nesta quarta-feira, 16, que o triplex do Guarujá, pivô da condenação e prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é “objeto de desejo para muitas pessoas”.

Gontijo arrematou na terça-feira, 15, o apartamento do Condomínio Solaris por R$ 2,2 milhões, lance mínimo, ainda em primeira praça.

A força-tarefa da Operação Lava Jato afirma que o ex-presidente recebeu propinas da empreiteira OAS no mesmo montante, na forma de melhorias e ampliação do apartamento em troca de contratos com a Petrobras.

Lula nega ter recebido propinas e afirma que nunca foi dono do triplex que o levou para a cadeia – condenado a 12 anos e um mês de reclusão, o petista cumpre pena na sede da PF em Curitiba desde 7 de abril.

Gontijo, que já tem condenação em ação de improbidade como alvo da Operação Confraria, da Polícia Federal na Paraíba, esclareceu na nota oficial que arrematou o triplex na condição de “investidor do mercado imobiliário, com especial atenção aos leilões judiciais, onde há boas oportunidades de negócios”.

“Trata-se de um imóvel icônico, raro, único, conhecido no Brasil e que tem forte apelo para negócios futuros, por ser objeto de desejo para muitas pessoas.”

O empresário faz projeção otimista. “Como se trata de imóvel sem impedimentos legais após a expedição da carta de arrematação judicial, tenho a expectativa de que venha a ser tornar um bom investimento imobiliário.”

LEIA A NOTA OFICIAL DO COMPRADOR DO TRIPLEX

“Como já é público e notório, arrematei, por intermédio da Guarujá Participações, o imóvel localizado no Condomínio Solaris, no Guarujá (SP).

Sou investidor do mercado imobiliário nacional, com especial atenção aos leilões judiciais, onde há boas oportunidades de negócios.

Assim, decidi comprar pelo lance mínimo, ainda na primeira praça, o apartamento. Trata-se de um imóvel icônico, raro, único, conhecido no Brasil e que tem forte apelo para negócios futuros, por ser objeto de desejo para muitas pessoas.

Além disso, como se trata de imóvel sem impedimentos legais após a expedição da carta de arrematação judicial, tenho a expectativa de que venha a ser tornar um bom investimento imobiliário.

Fernando Gontijo”

 
AFA Mundial de Rusia
O polêmico manual distribuído pela AFA

“As russas não gostam de ser vistas como objetos”, “prestam muita atenção se você é limpo, cheiroso e bem vestido” e “odeiam homens chatos”, diz o manual de língua e cultura russa distribuído na terça-feira, dia 15, pela Associação Argentina de Futebol (AFA) a cerca de 40 jornalistas esportivos. Ao folhear o material, os alunos inscritos no workshop encontraram uma seção intitulada “O que fazer para ter uma oportunidade com uma garota russa”. O escândalo começou depois que alguns participantes, entre surpresos e indignados, postaram o tutorial machista nas redes sociais. A AFA confirmou a este jornal que o polêmico material existiu, mas afirma que foi retirado de circulação dias atrás pelo Departamento de Educação e nunca chegou às mãos de alunos. Segundo sua versão, o manual foi escrito por “uma terceira parte não vinculada à AFA, que viveu muitos anos na Rússia”.

Entre as dicas do livreto que viralizou estavam: “Trate a mulher que está na sua frente como alguém de valor, com ideias e desejos próprios”, “dê atenção a seus valores e sua personalidade” e “não faça perguntas estúpidas sobre sexo” . “Como as mulheres russas são bonitas, muitos homens só querem levá-las para a cama, talvez elas também queiram, mas são pessoas que querem se sentir importantes e únicas”, alertava o segundo dos oito pontos.

  • Futebol é ultramachista, mas nunca vi algo tão grosseiro em um âmbito institucional”, disse ao EL PAÍS o jornalista Nacho Catullo, o primeiro a tuitar o conteúdo do manual, que em poucas horas foi reproduzido por mais de 2.000 pessoas. Dos cerca de 40 jornalistas que participaram do workshop, apenas três eram mulheres, mas isso não impediu que muitos de seus colegas homens se chocassem ao encontrar conteúdo “ultrapassado e de mau gosto”, nas palavras de Catullo.

Outra recomendação pedia para não desanimar se encontrasse “mulheres que só dão valor às coisas materiais”. “Não se preocupe, há muitas mulheres bonitas na Rússia e nem todas são boas para você. Seja seletivo”, encorajava.

Diante da chuva de críticas, o pessoal da AFA interrompeu o curso para jornalistas, dirigentes e jogadores de futebol que irão à Copa do Mundo na Rússia e recolheu os manuais sem dar explicações. Depois de alguns minutos, eles foram devolvidos com a página arrancada. Mas já era tarde.

O escândalo mostra a rápida mudança cultural que a Argentina vive desde a eclosão de grandes mobilizações feministas, especialmente entre as novas gerações. Recentemente, cantores, jornalistas, jogadores de futebol e outras celebridades foram alvo de escárnio público por causa de comentários sexistas que teriam passado despercebidos anos atrás.

Os alunos enfatizaram que, no início, o professor Eduardo Pennisi não entendia o que estava acontecendo. Quando um dos participantes falou da polêmica gerada nas redes sociais, Pennisi disse que não achava o material obsceno ou sexual, conta Alejandro Wall, outro dos presentes. Havia incluído o guia para tornar a aula “mais agradável”, segundo Leonardo Paradizo, também participante.

O workshop de três horas foi realizado na sede da instituição em Buenos Aires. Os conselhos não foram escritos pelo professor, mas extraídos do blog Amar esta en ruso, como descobriram os usuários da Internet.

maio
17
Posted on 17-05-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-05-2018


 

Ronaldo, no (PE)

 

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Roberto Caldas decide falar

 

Quase uma semana depois de Michella Marys Pereira denunciar o advogado Roberto Caldas por agressões físicas, ele resolveu dar uma entrevista a O Globo e negou que tenha batido na ex-mulher.

“A Michella tinha problemas de… (pausa) Ela dava muita topada, ela não vê cantos. Ela vivia com as pernas roxas, dava muita topada. O hematoma no rosto é algo que eu imagino que lembraria. Já vi ela toda unhada nas costas e nas pernas. Ela dizia que precisava tomar remédios para se controlar porque se arranhava”.

O ex-juz também foi questionado sobre ter feito sexo com Michella enquanto ela estava inconsciente.

“Falar que eu fiz sexo não consentido é o fim da picada, eu fico todo arrepiado com isso. Não vou fazer considerações porque isso nunca aconteceu”.

  • Arquivos