Resultado de imagem para Temer é hostilizado no Largo Paissandu
Temer deixa às pressas o local do incêndio:”meteu-se desgraçadamente”…
Resultado de imagem para Incendio no edificio do largo do Paissandu
..no inferno do desastre no edifício da União sob domínio do MSLM : perguntas sobre responsáveis à espera de respostas.

ARTIGO DA SEMANA

Temer e o MSLM: desgraçadamente no desastre

Vitor Hugo Soares

No começo da madrugada, do mais triste e desesperador 1º de Maio da história recente do País, foi percebido no quinto andar do edifício Wilton Paes de Almeida, o primeiro sinal do desastre que se aproximava: labaredas no arranha-céu do Largo Paissandu, transformado em emblemática “favela vertical” de sem-teto, no centro histórico da maior cidade da América do Sul.

Gente pobre e sem ocupação fixa. Marreteiros (no linguajar paulistês) do Brasil e de outros países em crise no continente, largados da sorte. Enganados e explorados por sabichões da política, dos negócios e da contravenção corrupta e corruptora disseminados em volta. Boa parte submersa nas áreas de sombras dos chamados “movimentos sociais”.

“Amaldiçoado seja aquele que pensar mal destas coisas”, terá pensado algum viajante francês de passagem pela megalópole brasileira em transe, na data internacional de celebração dos trabalhadores. Principalmente, ao presenciar a aparição, do nada, no meio do caos, da soturna figura do presidente da República, Michel Temer . Simbólica também, pela desaprovação e descrédito na opinião pública.

Lembrei do “caso da Tia Cezalina” (que escuto há décadas no círculo familiar, diante de situações desastradas e desastrosas do tipo. O ocupante do Palácio Jaburu (talvez levado pelo sopro oportunista de algum marqueteiro da hora), “meteu-se desgraçadamente” . O erro de avaliação do presidente, e de seus assessores , foi grave. Só não causou maior estrago graças à pronta intervenção da polícia paulista, contendo a revolta dos manifestantes. E agilidade dos agentes de segurança da Presidência, que deram proteção e retiraram Temer, às pressas, colocando-o no carro oficial quase aos empurrões, em meio a vaias, xingamentos pesados e objetos atirados na direção de sua cabeça.

Ainda assim, o mais grave neste caso tenebroso – e que exige investigação séria, diante das muitas e variadas dúvidas, suspeitas e acusações que se multiplicam -, tem a ver com o esclarecimento sobre o efetivo papel e responsabilidades do autodenominado “Movimento Social de Luta por Moradia” (da sigla MSLM) , que começaram a pipocar, ainda no calor da hora, principalmente na cobertura do fato pelas emissoras de TV.

Denúncias que pipocam no meio do emaranhado de erros e malfeitos – semelhante aos fios dos “gatos” utilizados para a iluminação clandestina do prédio e ponto de origem do curto circuito, faísca do desastre, segundo os peritos. Enquanto as chamas se propagam até o assustador desmoronamento da antiga joia arquitetônica, de outra época da capital paulista, que virou armadilha fatal. No rastro, se revelam detalhes da constrangedora situação de abandono, conivência, desleixo e incompetência.

O prédio da União, antiga sede da Polícia Federal em São Paulo, ocupado há anos por descamisados sem teto, vilmente explorados por “facções criminosas”, na acusação do ex-prefeito João Doria. Gente  que tem de pagar, aos chefes do pseudo “movimento social”, taxas escorchantes para “viver” no inferno que virou escombros, onde corpos (ou cinzas que restaram) estão ainda sob a montanha de entulho. Um deles, encontrado nesta sexta-feira. Que outros liames movem e sustentam, desgraçadamente, organizações do tipo MSLM, e seus comandantes?. Eis uma das perguntas à espera de resposta, antes do próximo desastre.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br.

Rosa Passos canta o outono, tudo de bom:Bela melodia! Linda voz! Magnífica interpretação.

A música vai dedicada à jornalista Ana Vieira, amiga do peito do site blog Bahia em Pauta ( e do primo editor), que conhece Rosa e cultiva o trabalho de uma das melhores e mais competentes intérpretes da música brasileira. Viva!!!

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

maio
05
Posted on 05-05-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-05-2018
DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

PF no Paraná diz que reportagem da Veja é falsa

 

A Polícia Federal no Paraná divulgou uma nota em que nega as informações da reportagem de capa da Veja sobre a rotina de Lula na carceragem de Curitiba.

Leia abaixo a íntegra da nota da PF:

“Em relação à publicação da revista VEJA, em 04/05/2018, de matéria intitulada “A VIDA NO CÁRCERE”, assinada pelo jornalista Thiago Bronzatto, que trata da suposta rotina do Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência Regional da PF em Curitiba, esclarecemos que:

1. Minucioso exame das imagens de circuito interno de segurança permite verificar que o autor da matéria não teve acesso à área restrita ao Ex-Presidente.

2. Grande parte das informações constantes na reportagem são equivocadas e imprecisas. É absolutamente falso, por exemplo, que seja administrada insulina ao custodiado.

3. O jornalista esteve presente no edifício da Superintendência Regional recentemente, onde participou de uma reunião com um servidor que não possui relação com quaisquer procedimentos relacionados à custódia.

4. As circunstâncias que envolvem possível circulação do jornalista por outras alas do prédio, após a mencionada reunião, já estão sendo apuradas.

Comunicação Social da Polícia Federal no Estado do Paraná”

maio
05
Posted on 05-05-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-05-2018


 

Thiago Lucas, no

Os ministros de Fazenda, Nicolás Dujovne, e de Finanças, Luis Caputo, anunciam a redução de médio ponto na meta fiscal de 2018.Os ministros de Fazenda, Nicolás Dujovne, e de Finanças, Luis Caputo, anunciam a redução de médio ponto na meta fiscal de 2018. AFP

O Governo argentino se empenha em transmitir tranquilidade, mas os antecedentes de uma das economias mais convulsionadas do mundo ocidental provocaram nervosismo dentro e fora do país. O dólar disparou e o Governo decidiu usar artilharia pesada para lutar contra essa escalada. Pela terceira vez na mesma semana, o Banco Central aumentou as taxas de juros, que já eram as mais altas da região, elevando-as em poucos dias de 27% para 40%, um recorde absoluto no mandato de Mauricio Macri. Mas não parou por aí. O ministro da Economia, Nicolás Dujovne, enviou uma mensagem aos mercados, que pressionam atualmente a Argentina de uma forma inédita desde que Macri chegou ao poder, em 2015. Dujovne anunciou um corte de gastos significativo, de 3,2 bilhões de dólares (11,3 bilhões de reais), principalmente em obras públicas. Com isso, a meta de déficit fiscal para este ano foi reduzida de 3,2% para 2,7% do PIB.

A mensagem aos investidores é clara: a Argentina decidiu cortar gastos e, com isso, deve se endividar menos, por isso quem investe no país não deve se assustar. A medida teve efeito imediato e o dólar começou a baixar, mas a manobra tem consequências negativas fortes. A elevação dos juros para 40% e o corte de gastos significam um freio para uma economia que tinha voltado a crescer e começa a sair de uma longa crise.

Um crescimento mais baixo da economia argentina também deve trazer implicações para o Brasil. O país vizinho deve reduzir as importações de produtos brasileiros, principalmente, de automóveis. Hoje, a indústria automobilística responde por quase metade da pauta de exportação aos argentinos. A Argentina é o terceiro destino do comércio exterior brasileiro, segundo a Associação do Comércio Exterior do Brasil (AEB). “Por conta da recente recessão que o Brasil atravessou, as montadoras começaram a aumentar a exportação para a Argentina, mas com o cenário de forte desvalorização do peso e o impacto do câmbio na inflação, a renda dos consumidor argentino vai diminuir”, explica Sérgio Vale, economista-chefe da MB Associados.

Na avaliação do economista, todos os países emergentes tiveram uma depreciação da moeda nos últimos meses, mas o caso da economia argentina é mais complicado. “Muita gente acreditava que a Argentina parecia ser um bom exemplo nos últimos anos, mas a realidade é que ela tem problemas profundos nos fundamentos econômicos. A questão fiscal no país é bem pior que a nossa”, explica. Ainda segundo Vale, a Argentina ainda precisa passar por mudanças que o Brasil já enfrentou nos últimos dois anos, como a reforma trabalhista, a regra do teto de gastos e o controle da inflação. O país vizinho conta também com pouca reserva internacional. “Essa diferença da economia dos dois países é o que justifica essa piora maior da Argentina diante da mudança da política monetária dos Estados Unidos”, explica o economista.

Macri está disposto a fazer de tudo para conter a inflação, mas as críticas são cada vez mais fortes, já que muitos argentinos que votaram nele pensavam que a esta altura o Governo já teria controlado esse fantasma do aumento descontrolado de preços, que no passado afundou vários Governos argentinos. Macri ainda tem um importante controle político da situação, obteve um resultado muito bom nas eleições legislativas de outubro e enfrenta uma oposição dividida, mas a economia se tornou claramente seu ponto fraco e há rumores constantes de possíveis mudanças na equipe econômica.

A alta progressiva dos juros mostra o desespero do Governo, que não consegue controlar a disparada do dólar diante do peso argentino. A primeira tentativa de freá-la veio em 27 de abril, com um aumento de três pontos porcentuais nas taxas de juros, foi repetida na quinta-feira, com outra elevação de três pontos, e se completou nesta sexta, depois que o peso se desvalorizou 8,6% em 24 horas. O dólar fechou na quinta-feira a 23,30 pesos, a maior cotação desde que, em janeiro de 2002, depois da maior crise recente no país, com cinco presidentes em duas semanas, foi abandonada a chamada conversibilidade, ou seja, a taxa de câmbio fixa de um dólar para um peso.

Nova meta fiscal

Os mercados pressionam o Governo para que faça um ajuste mais forte. Macri sempre respondeu que não havia margem política, econômica nem social em um país com quase 27% de pobreza para fazer o corte de gastos que eles pedem. Mas agora fez uma concessão parcial com a decisão de frear as obras públicas, a vitrine do Governo. O consenso é que o déficit fiscal está na origem do problema da Argentina, que depende de financiamento externo, cada vez mais caro em consequências da alta das taxas de juros dos EUA, para cobrir seu excesso de gastos. “A nova meta de déficit para este ano nos permitirá economizar 3,2 bilhões de dólares nas finanças públicas. O resultado financeiro diminuirá na mesma proporção, porque a conta de juros será estável e o déficit cairá. Isso é importante porque a Argentina não pode continuar vivendo de empréstimos”, disse Dujovne.

O mercado cambial reagiu imediatamente às medidas oficiais, depois de uma quinta-feira trágica para o peso. O dólar baixou de 23,30 para 21,70 nas primeiras operações após o anúncio do Governo ? uma valorização de 7,3% do peso. Recuperou assim o valor anterior à disparada da moeda americana na quinta-feira. Dujovne atribuiu a volatilidade do mercado a questões externas, principalmente às consequências regionais do aumento das taxas de juros dos títulos a dez anos dos Estados Unidos, e também internas. Ele responsabilizou a oposição peronista, que impulsiona no Congresso uma lei para frear a retirada de subsídios públicos do setor de serviços e retroagir para novembro os aumentos de tarifas, uma medida “demagógica” e “populista” com “um custo fiscal de 200 bilhões de pesos” (35,2 bilhões de reais).

Dujovne disse que os gastos do Estado serão reduzidos em 30 bilhões de pesos (4,9 bilhões de reais), principalmente nas verbas destinadas a obras de infraestrutura. “É um gasto em que não gostamos de mexer, porque se trata de obras públicas”, afirmou. “Mas enviamos o sinal de que, apesar das pressões populistas [da oposição], a Argentina decidiu adotar um conjunto de medidas fiscais.”

O lado negativo do ajuste e da nova faixa de flutuação do dólar é a inflação. O Governo fixou como meta para 2018 um aumento de 15% no Índice de Preços ao Consumidor (IPC), quatro pontos porcentuais a menos que as previsões feitas pelo Fundo Monetário Internacional em seu relatório regional de abril. Dujovne confirmou a meta inflacionária governamental porque “estrutura um plano econômico integral”. É a partir dela, por exemplo, que o Governo define os aumentos salariais com os sindicatos, negociações que marcam a agenda política local durante o início do ano. O ministro admitiu que o aumento dos juros e o dólar acima dos 21 pesos podem pressionar a inflação, mas considerou que “seria muito pior ficar de braços cruzados”. (Colaborou Heloísa Mendonça)

maio
05
Posted on 05-05-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-05-2018

Por Bruno Tavares, TV Globo

Ricardo Pinheiro, que está desaparecido, tinha tatuagens pelo corpo (Foto: TV Globo/Reprodução)

O corpo encontrado na tarde desta sexta-feira (4) nos escombros do edifício Wilton Paes de Almeida, no Centro de São Paulo, é do homem que caiu com o edifício. A confirmação de que o cadáver é de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, de 39 anos, foi feita após exame nas digitais, que estavam intactas.

O cadáver foi levado ao Instituto de Criminalística (IC) e passou por exame de papiloscopia, que comparou suas impressões digitais com as de Ricardo que estavam registradas no banco de dados da Polícia Civil.

A vítima por pouco não foi retirado do prédio com vida. Bombeiros tinham acabado de colocar o cinto de segurança para puxá-lo para um prédio vizinho quando o edifício em chamas ruiu na madrugada de terça (assista abaixo).

 
Veja o momento em que prédio desaba no centro de São Paulo

Veja o momento em que prédio desaba no centro de São Paulo

Vizinhos contaram que, durante o incêndio, Ricardo já tinha saído do edifício, mas voltou para tentar ajudar os moradores dos andares mais altos, que estavam com dificuldade para sair.

 
Novo vídeo mostra queda de morador junto com prédio que desabou em SP

Novo vídeo mostra queda de morador junto com prédio que desabou em SP

O corpo foi retirado dos escombros no início da tarde. Desde então, havia evidências de que se tratava mesmo de Ricardo.

Além de o cadáver estar com o cinto de salvamento, tinha tatuagens semelhantes às de Ricardo e vestia uma blusa azul com inscrição atrás, muito parecida com a que o homem usava no dia do incêndio.

 
Bombeiros encontram corpo nos escombros de prédio que ruiu um SP

Bombeiros encontram corpo nos escombros de prédio que ruiu um SP

O estado do corpo da vítima também indica também que ela despencou de uma grande altura. “Em princípio ele [corpo] sofreu pancadas, esmagamento. O corpo dele não sofreu alterações por conta do incêndio. Isso é um indício de que possa ser aquele homem que estava do lado externo do prédio. Ele vai ser identificado pela perícia”, disse o tenente Guilherme Derrite logo após a localização do corpo.

Inicialmente, os bombeiros encontraram a perna da vítima. O restante do corpo foi retirado em seguida, mas sem a cabeça.

 

Homem desapareceu quando era resgatado por Bombeiros em prédio que desabou em SP (Foto: GloboNews/Reprodução) Homem desapareceu quando era resgatado por Bombeiros em prédio que desabou em SP (Foto: GloboNews/Reprodução)

Homem desapareceu quando era resgatado por Bombeiros em prédio que desabou em SP (Foto: GloboNews/Reprodução)

 

Buscas

Segundo o major Max Mena, que atua nas buscas, um dos cães farejadores localizou o cadáver na quinta (3). “A cadela sinalizou o local ontem. Equipes de buscas iniciaram trabalhos minuciosos. Hoje, após 22 horas, conseguimos encontrar o primeiro corpo.”

Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz dos bombeiros, depois que os cães identificaram o local, foram retiradas cerca de 10 toneladas de entulho na mão, sem auxílio de máquinas.

A montanha de escombros do prédio chega a 15 metros de altura. Mais de 40 homens passaram a madrugada trabalhando nas buscas. Cinco máquinas auxiliam na retirada do entulho, como retroescavadeiras e um trator.

Desaparecidos

Com a descoberta do corpo de Ricardo, os bombeiros agora trabalham oficialmente com cinco vítimas desaparecidas:

  1. Selma Almeida da Silva;
  2. Welder, 9, filho de Selma;
  3. Wender, 9, filho de Selma;
  4. Eva Barbosa Lima, 42;
  5. Walmir Sousa Santos, 47.

Além de Selma e os filhos gêmeos dela, agora, as equipes buscam o casal Eva Barbosa Silveira, de 42 anos, e Walmir Souza Santos, de 47. Eles estavam no oitavo andar do prédio.

Na quinta-feira, as duas filhas de Eva, Edivânia da Silveira e Evaneide, buscavam informações sobre a mãe. Eva e o marido moravam no prédio e não foram vistos desde o desabamento.

“Eu penso que ela está aí, porque eu deixei ela aí. Ou então, se alguém tentou salvar ela, fui no hospital e não achei”, diz Evaneide.

O delegado da seccional Centro, Marco Antônio de Paula Santos, disse na tarde desta sexta que os familiares dos desaparecidos devem procurar o 3º Distrito Policial (DP) para fazer boletim de ocorrência de desaparecimento. O 3º DP fica na Rua Aurora, 322, na região da Santa Ifigênia.

Os familiares também serão encaminhados para o Instituto Médico-Legal (IML) para a realização de exame de DNA que poderá ajudar na identificação e liberação de possíveis corpos encontrados nos escombros.

  • Arquivos