abr
23
Posted on 23-04-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-04-2018


 

Amarildo, na (ES)

 

abr
23
Posted on 23-04-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-04-2018

“Não, calma! É que eu moro aqui!”

 

Antes de jantar com parlamentares e dirigentes do PSD, na última quarta-feira, em Brasília, Geraldo Alckmin conversou com o deputado Fábio Faria, no saguão do edifício que o parlamentar usa quando está na capital federal.

O relato é da Folha:

“Durante o papo dos dois, o ministro Raul Jungmann (Segurança), do governo Temer, apareceu. Surpresos, os presentes perguntaram se ele também havia sido convidado para o encontro de pretensos apoiadores do tucano.

— Não, calma! É que eu moro aqui!”

A inflação, medida pelo IPCA do IBGE está em queda. Após descer a 2,95% em 2017, acumulou 2,68% nos 12 meses terminados em março. O alívio dos preços, vindo da alimentação, derrubou o índice do setor de serviços para 3,95% em março, após três anos em dois dígitos. Mas a onda de baixa de preços e de custos, inclusive dos juros básicos (que caíram de 14,25% ao ano, no fim de 2016, para 6,50% ao ano em março), parece passar ao largo dos planos de saúde. E pode trazer dor de cabeça a 8 milhões de segurados de novos planos individuais. 

As discussões sobre os reajustes dos planos de saúde individuais (aplicados nos aniversários dos carnês, a partir de junho) racharam a diretoria Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que regula o mercado e administra os conflitos entre planos de saúde e empresas que contratam planos de assistência médica para 32 milhões de brasileiros, outras 6,4 milhões de pessoas envolvidos em planos de adesão (Clubes, associações), além de 9,2 milhões de planos individuais (8 milhões novos).

Esperava-se que o reajuste dos planos voltasse à casa de um dígito, que ocorreu em 2013

Pela redução da velocidade da inflação, esperava-se que o reajuste dos planos voltasse à casa de um dígito, que ocorreu em 2013 (9,04%, para uma inflação de 5,91%), em 2014 (9,65% para uma inflação de 6,41%). Em 2015, a inflação bateu em 10,67% e os planos foram reajustados em 13,55%, índice que subiu a 13,57% em 2016 (inflação de 6,29%) e em 2017, quando o IPCA baixou a 2,95%, mas a febre inflacionária dos planos de saúde permaneceu em 13,55%.   

Para os 8 milhões dos novos planos individuais esperava-se a ação diligente da agência reguladora. Mas a diretoria da ANS está incompleta. O presidente foi substituído interinamente por Leandro Fonseca da Silva, diretor de Normas e Habilitação das Operadoras e que ainda acumula interinamente a diretoria de Gestão. Três outros diretores compõem a diretoria. 

A ANS tentou mudar a tradição de aceitar as planilhas de custos dos planos, expurgando excessos. Como fazem as agências que regulam as tarifas de transportes urbanos: examinam as planilhas dos concessionários e as homologam, cortando aberrações. Numa diretoria mais ampla e representativa, daria tempo a discussão mais técnica e capaz de proteger os que enfrentam dificuldades para bancar planos individuais sempre subindo acima da inflação e especialmente na faixa dos idosos, onde a tendência em todo o mundo é o aumento exponencial de custos no cuidado da saúde. 

Mas o governo não deu atenção devida à questão. O Ministério da Fazenda dará a última palavra. Os planos de saúde querem repetir o número mágico de 13% de reajuste. Os salários vão subir de 3% a 4%. E o reajuste dos aposentados tende à faixa de 2%.

Morreu na sexta-feira, 20, e foi sepultado neste sábado, 21, no cemitério Jardim da Saudade, uma das mais dignas , representativas e presentes figuras da política, das lutas democráticas e da vida pública da Bahia nas últimas seis décadas: Inácio Gomes.  Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, incansável lutador na defesa das melhores e mais corajosas causas da democracia e dos direitos humanos, advogado firme e corajoso, administrador competente e figura humana
admirável.
Assim como a Bahia, Salvador e a família de Inácio, sua partida deixa de luto também este site blog Bahia em Pauta – do qual ele sempre foi colaborador e grande estimulador desde a origem – e uma lacuna imensa de amizade e afeto no coração deste editor. Saudades!
Em tributo na partida de Inácio Gomes, reeditamos um texto deste imenso baiano e brasileiro que acaba de nos deixar, publicado originalmente em agosto de 2009. O retrato sem retoque da retidão política e integridade moral do grande ser humanoe que partiu.
(Vitor Hugo Soares)

================================================

Resultado de imagem para Inácio Gomes morreu em Salvador

“O editor do Bahia em Pauta recebeu do advogado Inácio Gomes uma mensagem eletrônica com informações relevantes sobre a questão do pagamentos de jetons a secretários de estado a título de complemento salarial. Inácio solicita que o blog divulgue suas informações, uma vez que o assunto ganhou manchete ruidosa mas, de repente, saiu do foco de interesse das pautas – sem sequer chegar ao âmbito da Prefeitura da capital.

Em razão do interesse público das informações de um dos mais conceituados e corajosos advogados da Bahia – além do texto inteligente e bem humorado – o Bahia em Pauta decidiu publicar a íntegra da mensagem de Inácio como texto opinativo e revelador dos tempos que correm, como é do jeito e natureza deste site-blog. Confira.

(Vitor Hugo Soares)

=======================================================
OPINIÃO

Revelações do poder

Inácio Gomes

Há dias o jornal A Tarde em excelente matéria jornalística investigativa publicou noticia sobre pagamento de jetons relativos à participação em conselho de empresas públicas por parte de secretários de estado e Procurador Geral da PGE que elevariam os vencimento dos benefícios além do limite legal.

Depois o silêncio sepulcral.

Os funcionários públicos, vitimas, sempre, de pareceres restritivos da PGE nos casos de vantagens salariais ficaram esperançosos de que a PGE passasse a defender tese tão liberal quanto a prolatada em causa própria no caso denunciado.

Eu defendo, já se vão dez ano, uma funcionaria estadual. Em seu favor duas decisões do TCE; uma das Câmaras Cíveis Reunidas do TJ/Ba; uma da 6ª turma do STJ; uma decisão monocrática do Ministro Marco Aurelio ( STF) e a PGE continua com recursos típicos da litigância de má fé.

Gostaria que você desse noticia do favorecimento denunciado. Antonio Balbino costumava me dizer : ” Seu Inácio o poder não corrompe. Revela”. Tem razão o mestre o que temos de REVELADOS nos dias de hoje dá para encher a Fonte Nova. Um abraço do companheiro Inacio.

PS – Vou substituir o termo companheiro. Desmoralizaram muito a expressão.

Inácio Gomes é advogado

Uma grande canção para um grande homem da Bahia – e querido amigo deste site blog – que partiu.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

 DO PORTAL METRO 1

Morre Inácio Gomes, ex-presidente da Câmara Municipal de Salvador

Foto: Divulgação/Câmara

Morreu sexta-feira (20), em Salvador, o advogado e ex-presidente da Câmara Municipal de Salvador, Inácio Gomes – a causa da morte não foi divulgada.

“A Bahia perdeu um infatigável defensor da democracia e um destemido combatente dos direitos humanos durante a ditadura militar. A morte de Inácio Gomes abre uma lacuna na política baiana”, lamentou o atual presidente da Câmara, vereador Leo Prates (DEM).

Inácio, que advogou para diversos presos políticos durante o período da ditadura, também foi secretário de Administração na gestão Mário Kértezs na Prefeitura.

O sepultamento do advogado foi neste sábado (21), às 16 horas, no Jardim da Saudade.

Do Jornal do Brasil

 

Para tentar impedir a paralisação da máquina administrativa e dos investimentos públicos no ano que vem, o governo vai ter de postergar para 2020 o reajuste dos servidores públicos previsto para 2019. Com isso, cerca de 370 mil servidores de 23 categorias, como professores, militares, auditores da Receita e peritos do INSS, ficariam com os salários congelados. A expectativa, segundo o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, é que essa postergação gere uma economia de cerca de R$ 5 bilhões.

A medida seria necessária porque o reajuste escalonado negociado pelo governo em 2016, época de inflação mais alta, está em descompasso com a realidade de agora. Mesmo com o IPCA rodando abaixo dos 3% ao ano, o reajuste previsto para 2019 é de até 6,31%. O porcentual garante ganho real do poder de compra dos servidores à custa de outros gastos que precisarão ser cortados para que o teto de gastos (regra que limita o crescimento das despesas à variação da inflação) não estoure.

O governo já havia tentado adiar, via medida provisória, o reajuste dos servidores de 2018 para 2019, mas enfrentou fortes resistências dos parlamentares. A MP acabou sendo suspensa no apagar das luzes de 2017 pelo Supremo Tribunal Federal, por meio de uma liminar, e perdeu validade no início de abril. Agora, a avaliação do ministro é que, mesmo se a nova medida for rejeitada pelo Congresso atual, o ambiente será melhor no ano que vem, dando capacidade ao novo presidente para aprovar a proposta.

“Poderia ser projeto de lei ou medida provisória. Seria a mesma tentativa que a gente fez agora, mas talvez num outro cenário, com presidente eleito”, disse Colnago. O ministro reconheceu que a proposta enfrentará a resistência dos servidores públicos, mas ressaltou que ela é necessária para garantir espaço para os investimentos dentro do teto de gastos.

Essa é uma das medidas que são necessárias porque o governo precisa abrir espaço para aumentar as despesas discricionárias, aquelas sobre as quais tem margem de controle, incluindo obras e outros investimentos, no Orçamento do ano que vem. O cenário de paralisação na máquina pública está no radar porque o espaço que a equipe econômica tem para gastar livremente em 2019 será menor que o necessário para manter os serviços à população.

O presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), Rudinei Marques, disse, porém, que os servidores públicos têm sido “surpreendidos por medidas unilaterais da administração” e pediu diálogo com o governo. “Se vierem mais medidas arbitrárias, só temos uma resposta, que é trabalhar contra”, afirmou.

abr
22
Posted on 22-04-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-04-2018



 

Sinfrônio, no (CE)

 

 DO BLOG O ANTAGONISTA

Agressão no Instituto Lula: A saúde da vítima e a alegação dos indiciados

 

O empresário Carlos Alberto Bettoni, atacado por petistas em frente ao Instituto Lula após se manifestar a favor da prisão do corrupto e lavador de dinheiro, foi submetido a uma cirurgia para retirada de um coágulo na cabeça e continua hospitalizado.

“As perspectivas são positivas, mas como foi um choque na cabeça todo o cuidado é pouco”, disse a mulher de Bettoni, Teresinha Quaresma, ao Estadão. “Na sexta foi aniversário dele. Levamos um bolinho e ele pareceu bem melhor. O estado de saúde dele é estável, mas ainda não existe previsão de alta.”

Segundo o delegado Wilson Zampieri, o depoimento do empresário foi tomado no próprio hospital e “ele contou sobre como estavam vestidos seus agressores”, entre outros detalhes.

Os três apoiadores de Lula agora indiciados também prestaram depoimentos.

Paulo Caires, de acordo com o jornal, “negou que tenha participado de qualquer agressão e acrescentou ter um marca-passo – o que inviabilizaria a participação em uma luta corporal ou qualquer outro esforço físico”.

Maninho do PT e seu filho Leandro “disseram que empurraram o empresário para se proteger”.

É muita cara-de-pau.

Do Jornal do Brasil

Morreu neste sábado (21), aos 89 anos, o cineasta Nelson Pereira dos Santos, um dos nomes mais importantes do Cinema Novo. Ele estava internado havia uma semana no Hospital Samaritano, na zona sul da cidade. Às 17 horas, a família confirmou a morte, em consequência de um câncer de fígado diagnosticado há 40 dias.

Diretor de filmes fundamentais da história do cinema brasileiro, como Rio, 40 graus (1955) e Vidas secas (1963), ele realizou os últimos longas em 2012, os documentários musicais A música segundo Tom Jobim e A luz do Tom. Além de dirigir, era também roteirista de seus filmes.

“Ele estava ótimo, não estava doente. Foi internado com uma pneumonia, na semana passada, que cedeu. Estava lúcido, mas cansado. Morreu sem dor, uma morte tranquila, com toda a família reunida”, disse a publicitária Mila Chaseliov, sua neta.

Diretor de filmes fundamentais do cinema brasileiro, como Rio, 40 graus (1955) e Vidas secas (1963), realizou últimos longas em 2012

Nelson teve quatro filhos e cinco netos. “Foi um avô muito presente. A gente tinha muitas discussões intelectuais. Foi quem me ensinou a tomar uísque, num show, aos 19 anos. Eu me senti muita adulta na hora”, contou.

O cineasta participou da formação intelectual de netos, lembrou Mila. “Eu descobri como ele era importante ainda na escola. Todo mundo que eu encontro, quando descobre que sou neta do Nelson, fala do quanto ele é incrível.”

Em 2006, Nelson foi eleito para a Academia Brasileira de Letras, na sucessão do diplomata Sergio Corrêa da Costa. Passou a frequentar a Casa de Machado com assiduidade. Atuava na programação cultural da instituição.

Nelson nasceu dia 22 de outubro de 1928, em São Paulo. Formou-se advogado em 1952. A partir dos anos 1940, trabalhou como revisor e repórter de jornais como o “Diário da Noite” e “O Tempo”, em São Paulo.

Nos anos 1950, no Rio, trabalhou também no “Diário Carioca” e no “Jornal do Brasil”. Mais tarde, seria professor da Universidade Federal Fluminense, de cujo curso de graduação em cinema foi fundador.

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 20 21

  • Arquivos