Do G1 BA

Corpos das quatro vítimas do desabamento de sobrado em Pituaçu são enterrados em Brotas

Corpos das quatro vítimas do desabamento de sobrado em Pituaçu são enterrados em Brotas

Uma multidão acompanhou o enterro das quatro vítimas do desabamento de um prédio no bairro de Pituaçu, em Salvador, na tarde desta quarta-feira (14). Os sepultamentos ocorreram no Cemitério Municipal de Brotas, sob forte comoção de familiares e amigos.

 Bebê de um ano foi o primeiro a ser enterrado (Foto: Maiana Belo/ G1)

Bebê de um ano foi o primeiro a ser enterrado (Foto: Maiana Belo/ G1)

O desabamento ocorreu no início da manhã de terça-feira (13). Três pessoas sobreviveram: Alex Pereira, irmã de Rosemeire e Alan, a mulher dele, Bianca Menezes, e a filha do casal, Sabrina.

 

Dona Iara, mãe das vítimas do desabamento em Pituaçu, é amparada durante enterro dos filhos (Foto: Maiana Belo/ G1) Dona Iara, mãe das vítimas do desabamento em Pituaçu, é amparada durante enterro dos filhos (Foto: Maiana Belo/ G1)

Dona Iara, mãe das vítimas do desabamento em Pituaçu, é amparada durante enterro dos filhos (Foto: Maiana Belo/ G1)

A mãe de Rosemeire e Alan, Iara Maria Silva de Jesus, 55 anos, compareceu ao enterro, mas não conversou com a imprensa. Um dos sobreviventes, Alex, também foi ao sepultamento dos irmãos e sobrinhos. Ele se emocionou muito durante a cerimônia.

Durante o velório, as vítimas foram lembradas com muito carinho pelos amigos e familiares, que com flores nas mãos, foram dar o último adeus.

“Família maravilhosa e muito unida. Era uma família que se amava”, lembrou a amiga das vítimas Juliana Abreu Alcântara.

 

Alex, que perdeu os irmãos e os sobrinhos na tragédia, recebe o carinho de amigos no sepultamento dos familiares (Foto: Maiana Belo/ G1) Alex, que perdeu os irmãos e os sobrinhos na tragédia, recebe o carinho de amigos no sepultamento dos familiares (Foto: Maiana Belo/ G1)

Alex, que perdeu os irmãos e os sobrinhos na tragédia, recebe o carinho de amigos no sepultamento dos familiares (Foto: Maiana Belo/ G1)

Juliana também falou sobre Rosemeire e as crianças. O filho dela estudou com Robert e eram amigos desde pequenos. “Ela era uma mãe guerreira, mulher que batalhava para cuidar da família. Robert um menino muito educado, tinha o sonho de jogar bola, era estudioso”, contou.

As crianças também foram lembradas com carinho pelos vizinhos. “[A tragédia] abalou a estrutura do alto [do São João]. Rose estava muito feliz com os filhos. Artur estava aprendendo a andar. Ele [Artur] estudava com meu filho. A gente sempre se encontrava no caminho quando ia deixar os meninos na creche”, disse Larissa Gomes Gonçalves.

 

Enterro das vítimas da tragédia ocorreu nesta quarta, no Cemitério Municipal de Brotas (Foto: Maiana Belo/ G1) Enterro das vítimas da tragédia ocorreu nesta quarta, no Cemitério Municipal de Brotas (Foto: Maiana Belo/ G1)

Enterro das vítimas da tragédia ocorreu nesta quarta, no Cemitério Municipal de Brotas (Foto: Maiana Belo/ G1)

A aposentada Rosália Genoveva foi ao velório para representar a filha, que era amiga de Alan Pereira e não pôde ir ao sepultamento.

“Eu moro no Rio Sena [subúrbio de Salvador] e, apesar da distância, não poderia deixar de fazer minha última homenagem. Ele vivia na minha casa, era muito gentil, amigo de todo mundo. Minha filha quando fazia amigo secreto no final do ano, incluía ele. Ele dormia na minha casa, muito amigo da minha filha e do meu genro. Fiquei sabendo pela televisão. Eu via e não acreditava”, disse.

Uma jovem amiga da família, Duda Santos de Andrade não esqueceu de falar do cachorro Nino, único sobrevivente da parte de baixo do imóvel. “Hoje [quarta-feira] ele correu a rua toda e só queria ficar no lugar da casa”, disse.

Tragédia

 

Quatro pessoas morreram e três foram resgatadas com vida após desabamento d eprédio em Pituaçu (Foto: Divulgação/SSP-BA) Quatro pessoas morreram e três foram resgatadas com vida após desabamento d eprédio em Pituaçu (Foto: Divulgação/SSP-BA)

Quatro pessoas morreram e três foram resgatadas com vida após desabamento d eprédio em Pituaçu (Foto: Divulgação/SSP-BA)

O desabamento aconteceu na Rua Alto do São João, durante uma forte chuva que atingiu a capital baiana. Em cerca de três horas, três bairros de Salvador registraram um índice de precipitação 70% do esperado para todo o mês de março.

Há suspeita de que a construção estava irregular, segunda informações de Sosthenes Macêdo, diretor geral da Defesa Civil de Salvador.

Outros imóveis tiveram a estrutura abalada e precisaram ser demolidos. Sete foram condenados e os moradores tiveram que deixar suas casas. No total, dez famílias tiveram que sair do local. Nesta quarta, cinco barracos já tinham sido demolidos.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos