mar
14
DO EL PAÍS
Morre Stephen Hawking
Stephen Hawking em uma praia de Tenerife em 2015 GORKA LEJARCEGI EL PAÍS
Londres

O físico britânico Stephen Hawking, o cientista que explicou o universo de uma cadeira de rodas e aproximou as estrelas de milhões de pessoas ao redor do mundo, faleceu nesta madrugada em sua casa de Cambridge (Inglaterra), aos 76 anos.

“Estamos profundamente entristecidos com o falecimento do nosso amado pai hoje”, dizem seus três filhos, Lucy, Robert e Tim, em nota publicada na primeira hora da manhã de quarta-feira. “Era um grande cientista e um homem extraordinário cujo trabalho e legado sobreviverão por muitos anos. Sua coragem e persistência, com seu brilho e humor, inspiraram pessoas no mundo inteiro. Certa vez disse: ‘O universo não seria grande coisa se não fosse lar das pessoas que você ama’. Sentiremos sua falta para sempre”.

Aos 22 anos, Stephen Hawking foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica, ELA, e os médicos lhe deram apenas dois anos de vida. Mas viveu mais 54 anos. A doença o deixou em uma cadeira de rodas e incapaz de falar sem a ajuda de um sintetizador de voz. Reduziu o controle de seu corpo à flexão de um dedo e ao movimento dos olhos. Seu intelecto avassalador, sua intuição, sua força e seu senso de humor, combinados com uma doença destrutiva, transformaram Hawking em símbolo das infinitas possibilidades da mente humana, e de sua insaciável curiosidade.

“Apesar de haver uma nuvem sobre meu futuro, descobri, para minha surpresa, que desfrutava mais do que nunca da vida no presente”, disse Stephen Hawking em uma ocasião. “Meu objetivo é simples. É um completo conhecimento do universo, por que ele é como é e por que existe”.

Amigos e colegas da Universidade de Cambridge prestaram uma homenagem produzindo um vídeo sobre a trajetória de Stephen Hawking – referindo-se a ele como o “professor Hawking”, como era mencionado no mundo da ciência – e um texto em cujo penúltimo parágrafo se resume uma palestra do professor em seu 75º aniversário: “Foi um momento glorioso estar vivo e pesquisar sobre física teórica. Nossa imagem do Universo mudou muito nos últimos 50 anos, e estou feliz de ter feito uma pequena contribuição”.

O professor Stephen Toope, vice-reitor da Universidade de Cambridge, também o homenageou com estas palavras: “O professor Hawking foi um pessoa única que será lembrada com carinho e afeto não só em Cambridge, mas no mundo inteiro. Suas contribuições excepcionais para o conhecimento científico e a popularização da ciência e a matemática deixaram um legado indelével. Sua personagem foi uma inspiração para milhões. Ele fará falta.”

Nascido em 8 de janeiro de 1942 em Oxford (embora sua família morasse em Londres), Stephen William Hawking já se destacava no colégio do St. Albans, cidade para onde seu pai se mudou. Ali os colegas o apelidaram de “Einstein” por seu interesse pela ciência.

Hawking saltou para a fama junto a seu colega Roger Penrose no final da década de 1960. O motivo, sua teoria da singularidade do espaço-tempo. Os dois físicos aplicaram a lógica dos buracos negros ao universo inteiro, assunto que o primeiro detalharia mais tarde para o grande público em Uma Breve História do Tempo, do Big Bang aos buracos negros (1988).

A partir dos 21 anos, a doença condicionou a vida de Hawking. A ELA destruiu pouco a pouco seu corpo, sua capacidade motora, seus músculos. Primeiro deixou-o em uma cadeira de rodas e logo tirou a capacidade de falar. Além de seu brilhantismo e suas qualidades de divulgador, Hawking se transformou em uma estrela mundial por causa da obstinação com que se agarrou ao mundo. Em 1985, uma pneumonia piorou sua saúde, obrigando-o a respirar por um tubo. Nunca mais pôde usar a voz. O físico optou então por um artefato eletrônico, um sintetizador de voz, para driblar o silêncio. A voz robótica do Stephen Hawking se transformou em parte de sua lenda. buracos negros marcaram sua vida. Em janeiro de 2014 apresentou um polêmico artigo defendendo que não existiam. Ao menos que não existiam da forma como eram entendidos até então. Um buraco negro é um lugar de grande densidade e energia. A teoria dizia que a partir de certo ponto, a energia – a luz – não poderia escapar de sua gravidade. Hawking argumentou que poderia sim, que não existia um horizonte de eventos, isto é, um ponto de não retorno, mas um horizonte aparente. Assim, o buraco negro conteria a energia durante algum tempo antes de deixá-la escapar.

Em entrevista concedida ao EL PAÍS em 2015, o físico se referiu à vida extraterrestre, uma de suas últimas obsessões. “Se os extraterrestres nos visitassem, o resultado se pareceria muito ao que aconteceu quando Colombo desembarcou na América: não foi bom para os nativos americanos. Esses extraterrestres avançados poderiam se tornar nômades e tentar conquistar e colonizar todos os planetas a que pudessem chegar. Para meu cérebro matemático, de números puros, pensar em vida extraterrestre é algo totalmente racional. O verdadeiro desafio é descobrir como poderiam ser esses extraterrestres.”
O diretor do Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC), Rafael Rebolo, recorda Hawking como uma “mente brilhante presa em uma jaula”, depois de conversar com ele em suas três visitas a suas instalações. Dessa relação surgiu a ideia de nomeá-lo professor honorário do IAC, coisa que o britânico aceitou de bom grado. “Tinha grandes inquietações e sempre tentava formular perguntas sobre nosso trabalho, se encontraríamos planetas similares à Terra”, relembra Rebolo, que não se esquece da primeira pergunta que o famoso astrofísico lhe fez, se os telescópios Cherenkov que estão sendo instalados em La Palma poderiam confirmar a radiação de Hawking, chamada assim em seu nome. O IAC tinha planos de construir um edifício em suas instalações para dar um escritório a seu único professor honorário, e Rebolo insiste na ideia de levantar o edifício e dar-lhe o nome de Stephen Hawking, que dependerá do orçamento da prefeitura de Tenerife, informa Javier Salas de Tenerife.

Sua vida, tanto no âmbito profissional como no pessoal, foi um desafio aos limites. Stephen Hawking viajou por todos os continentes, incluindo a Antártida. Ganhou prêmios, entre eles o Fronteiras do Conhecimento da Fundação BBVA em 2016, mas não o Nobel. Casou-se duas vezes, foi pai de três filhos. Tornou-se uma espécie de ícone pop, que apareceu em séries como Os Simpsons e The Big Bang Theory, da qual se declarava fã. Celebrou seus aniversário de 60 anos subindo em um globo aerostático. Cinco anos depois, experimentou a gravidade zero a bordo de um Boeing 727. Quando lhe perguntaram por que fazia tudo isso, respondeu: “Quero demonstrar que as pessoas não devem se limitar por suas deficiências físicas se o seu espírito não estiver deficiente.”

DO CORREIO24HORAS
Da Redação, com Gil Santos
Rosemary com os filhos Arthur e Robert, vítimas da tragédia (Foto: Reprodução/Carol Aquino/CORREIO)

O corpo de Rosemary Pereira, 34 anos, foi retirado dos escombros de um imóvel de quatro pavimentos que desabou em Pituaçu na tarde desta terça-feira (13). Quatro pessoas morreram – além de Rosemary, estão entre as vítimas fatais os filhos dela, Arthur, 1 ano, e Robert de Jesus, 12 anos, e o irmão dela, Allan Pereira de Jesus, 31. Após o resgate dos quatro corpos, as buscas foram encerradas.Três pessoas que estavam no local conseguiram ser resgatadas com vida.

O pedreiro Joselito Santana, 41 anos, é vizinho da família. Ele contou que estava em casa, com a esposa e os quatro filhos, quando ouviu o barulho do imóvel ruindo. “Eu ouvi o estrondo e meu menino correu para a janela, para ver o que estava acontecendo. Ele me disse ‘meu pai, a casa caiu’. Eu levantei e abri a porta. Na mesma hora outro vizinho já ia saindo de casa. Foi uma correria.  A gente correu para o local, para fazer o resgate, e outros vizinhos começaram a gritar e foi todo mundo descendo”, contou.

Arthur e Robert dormiam no andar térreo com a mãe (Foto: TV Bahia)

Ele explica que o imóvel que desabou foi erguido por Alex Pereira de Jesus, 29, irmão de Rosemary e Allan. No primeiro pavimento viviam Rosimeire, com os dois filhos e  Allan. Ela não trabalhava e vivia da pensão que recebia do ex-marido, pai dos meninos, e Allan trabalhava como ajudante de pedreiro. No segundo e terceiro piso viviam Alex com a esposa e a filha. Todos foram resgatados com vida.

Alex teve ferimentos na testa, cabeça e tem dores abdominais. Ele, a filha Sabrina Bispo de Jesus, 11 meses, e a mulher, Rosângela Santana, estão no Hospital Geral do Estado (HGE).

A tragédia que atingiu a família Pereira também paralisou o bairro. Muitos vizinhos que haviam saindo para trabalhar no início da manhã retornaram para casa depois que souberam da notícia. A rua, geralmente tranquila na semana, estava movimentada na manhã desta terça. Moradores se aglomeraram e fizeram das janelas arquibancadas para acompanhar o trabalhos dos bombeiros. Dois carros dos bombeiros, duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), viaturas da Polícia Militar e diversos carros dos agentes da prefeitura davam o sinal de que essa manhã era atípica na comunidade de São João.

Construção irregular
O diretor da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macedo, afirmou na manhã desta terça-feira (13) que o imóvel de quatro pavimentos que desabou na Rua Alto de São João, em Pituaçu, foi construído de forma irregular. No desabamento, quatro pessoas morreram. Seis casas vizinhas foram isoladas – uma delas foi parcialmente demolida para facilitar o trabalho de resgate.

“Esse não é um local de escorregamento de terra. Trata-se de uma construção irregular. Ou seja, há um risco construtivo. Pelo o que a gente apurou era uma edificação de quatro pavimentos: sotão, térreo, primeiro andar e cobertura. Isso certamente pode ter pesado nesse período de chuvas e ter acontecido esse desabamento”, afirma. 

Nas últimas 12 horas, choveu metade do previsto para todo mês de março. “Chegamos a 108 mm na região de Plataforma. Isso gera um sobrecarregamento nos taludes e em construções irregulares. Percebemos que as construções são realizadas sem a técnica devida, o que gera essa sobrecarga do peso. Nossa equipe está fazendo avaliação para verificar se outros imóveis correm risco de desabamento”, detalhou Sosthenes. 

Juliana Portela, diretora da Proteção do Social da Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps), afirmou que as pessoas que moram ao lado do imóvel atingido serão retiradas e levadas para outras áreas, caso a Defesa Civil identifique a necessidade de evacuação da área. 

Uma preciosidade de beleza e perfeição da música brasileira em versões interpretativas de duas vozes magistrais: Elizeth e Nana. Música e poesia de um mestre da composição: Cesar Camargo Mariano. 

=============================================

Velho Piano

Ah! O amor muda tanto
Parece que o encanto
O cotidiano desfaz
Feito um verso jogado num canto
De um velho piano
Que não toca mais

E ele estende seu manto
Feito um soberano
E vem como um santo
Mas parte profano
Parece um cigano
Não volta jamais

Ah! O amor causa espanto
O amor é o engano que traz
Desengano por trás
E no entanto
Todo ser humano
Por ele faz plano demais
Erra demais

Ai, é o amor, barco tonto
Num vasto oceano
De riso e de pranto
De gozo e de dano
E como é mundano
Não pára no cais
E quando quer paz
É tarde demais

Messi Barcelona Chelsea
Messi celebra seu gol diante do Atlético de Madrid. Alejandro García EFE
Uma das coisas que mais gosto sobre Lionel Messi, antes de que o mundo soubesse que era Lionel Messi, é que quando estava fazendo testes no Barcelona, com 13 anos, seu pai tentou arranjar ingressos para ver um jogo entre Barça e Milan e não conseguiu. Fico imaginando Messi tão atordoado como Deus brigando com o porteiro de uma igreja por não poder entrar de sandálias: nem sequer queria celebrar a missa, apenas ouvi-la. Pelo menos o Milan venceu por 2 a 0; o diabo sempre está nos detalhes.

Lembrei desta história após o nascimento do terceiro filho de Messi, porque eu sou madridista, mas, antes de tudo, também sou pai. E ainda conservo a capacidade de me impressionar pelo passo do tempo, que é a medida mais estúpida e constante da humanidade. Na biografia que Guillem Balagué publicou sobre Messi, intitulada “criptamente” de Messi, o autor relembra as semanas em que o hoje pai de três filhos era uma criança com graves problemas de desenvolvimento, que chegou vomitado a Barcelona após voar pela primeira vez de avião e encontrou um comitê de boas-vindas no vestiário que lhe chamava de anão pelas costas e ria dele porque enfaixava os tornozelos. “Era um frangote, um tampinha, todos pensávamos”, diz Cesc Fàbregas no livro. “Não entrem firme nele porque é muito pequeno”, ordenava o treinador aos jogadores sem que o argentino escutasse.

Messi teve a má sorte de ir ao campo de treinamento com Piqué, a quem mal alcançava a cintura (media 1,48m), e, no alambrado, incrédulos, os que foram ver àquela avis rara pela qual o Barça fazia algo tão absurdo como pagar uma passagem da Argentina para testá-lo por duas semanas levaram as mãos à cabeça. Os risos duraram só uns minutos.

A primeira coisa que La Pulga fez foram embaixadinhas, até lhe pedirem que parasse (semanas antes, em Rosário, ele havia feito 113 embaixadinhas com uma laranja e 140 com uma bolinha de tênis). Depois, quase deu um nó em Fàbregas nos duelos de um contra um (“me entortou uma vez, e outra, e outra…”). E a terceira coisa que fez Leo Messi em La Masía foi, de forma bem direta, se encarregar do modelo de jogo. “Dizíamos aos garotos: um toque, dois toques”, conta seu ex-treinador, Rodo. “Mas eu dizia ao Leo: faça o que fazia lá [na Argentina]. Pega a bola, não passe para ninguém e leve-a até o gol”, recorda seu pai. Fez isso outras tantas vezes que tiveram que aceitá-lo assim, embora atentasse contra a Bíblia das categorias de base barcelonistas. Gosto de pensar que, como não podia conseguir ingressos para o Camp Nou, Messi achou um jeito de entrar à sua maneira.

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Em livro, Lula se diz ‘pronto para ser preso’

Na entrevista que consta do livro alegadamente não ficcional que lançará nesta sexta-feira, “A Verdade Vencerá”, Lula diz estar “pronto para ser preso”, relata O Globo.

 

“O que não estou é preparado para a resistência armada. Como sou um democrata, nem aprender a atirar eu aprendi. Então, isso está fora. O PT não nasceu para ser um partido revolucionário, nasceu para ser um partido democrático e levar a democracia até as últimas consequências”, declara o condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

O petista prometeu, ainda, recorrer às instâncias superiores –STJ e STF– e não fugir do país.

“Eu não vou sair do Brasil, não vou me esconder em embaixada, eu não vou fugir. A palavra ‘fugir’ não existe no meu dicionário. Vou estar na minha casa, chegando em casa entre 20h e 21h, indo dormir às 22h, acordando às 5h para fazer ginástica.”

mar
14
Posted on 14-03-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-03-2018


 

Nani, no portal da web

 

mar
14
Posted on 14-03-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-03-2018

A Polícia Federal teria notificado uma secretária do Planalto pedindo acesso ao computador de Rocha Loures, que despachava do terceiro andar.

Agentes da PF estiveram no Palácio do Planalto
Agentes da PF estiveram no Palácio do Planalto

Em nota oficial assinada pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República, o Palácio do Planalto informou que “recebeu notificação do STF sobre quebra de sigilo telemático de Rodrigo Rocha Loures. Todas as informações estão sendo providenciadas e serão enviadas tão logo o levantamento seja concluído.”

Quebra de sigilo

Barroso também autorizou, no dia 27 de fevereiro, a quebra de sigilo bancário de Michel Temer. A decisão só veio à tona no último dia 5, e atendeu a um pedido do delegado Cleyber Malta, responsável pelo inquérito que investiga irregularidades na edição do decreto dos Portos, assinado em maio de 2017.

Além do presidente, são investigados no inquérito Rodrigo Rocha Loures, Antônio Celso Grecco e Ricardo Conrado Mesquita, respectivamente dono e diretor da empresa Rodrimar. Todos negam irregularidades. A quebra de sigilo de Temer abrange o período entre 2013 e 2017. 

O inquérito contra Temer foi solicitado pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em junho do ano passado e teve sua abertura autorizada por Barroso, em setembro. A apuração mira os possíveis crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva.

  • Arquivos