Jazz na caixa do BP,maestro!!!

BOA TARDE!!!

(Gilson Nogueira)

O juiz federal Sérgio Moro ordenou o bloqueio de R$ 4,4 milhões do ex-ministro da Fazenda Delfim Netto, protagonista do chamado milagre econômico da ditadura militar. O valor é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões que teria sido destinada a Delfim nas obras da usina de Belo Monte, no Pará.

Nesta sexta-feira, 9, a Polícia Federal e a Procuradoria da República deflagraram a Operação Buona Fortuna, fase de número 49 da Lava Jato, e fizeram buscas na residência e no escritório do ex-ministro em São Paulo.

O bloqueio atinge contas de Delfim, de Luiz Apolonio Neto, seu sobrinho, que também alvo da Buona Fortuna, e de empresas de ‘consultoria’ do ex-ministro.

A Procuradoria requereu o bloqueio total de R$ 15 milhões de Delfim, Apolonio e as “consultorias”, valor “correspondente ao total de vantagens indevidas acordadas entre Antonio Palocci Filho (ex-ministro dos Governos Lula e Dilma) e as empresas integrantes do Consórcio Construtor Belo Monte”.

Valor é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões que teria sido destinada a Delfim
Valor é referente a uma parte da propina total de R$ 15 milhões que teria sido destinada a Delfim

Moro limitou o embargo a R$ 4,4 milhões, valor já rastreado pelos investigadores. “Em que pese o pedido formulado pelo Ministério Público Federal, resolvo limitar, por ora, o montante a ser constrito em relação a Antonio Delfim Netto, Luiz Appolonio Neto, e as empresas de ambos, a R$ 4.444.314,00 que teria sido o montante pago, valores brutos, em cognição sumária, às empresas de ambos pelas empreiteiras participantes do consórcio.”

“O dinheiro (para Delfim) é fruto de fraudes a licitações, cartel, corrupção e lavagem de dinheiro”, disse o procurador da República Athayde Ribeiro Costa.

Segundo o procurador, “o dinheiro saiu das empreiteiras Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht e J. Malucelli”. A investigação aponta que Delfim recebeu os valores por meio de contratos fictícios de consultoria.

Defesas

Os advogados Fernando Araneo, Ricardo Tosto e Jorge Nemr afirmam que Delfim “não cometeu nenhum ato ilícito em qualquer tempo”. “O professor Delfim Netto não ocupa cargo público desde 2006 e não cometeu nenhum ato ilícito em qualquer tempo. Os valores que recebeu foram honorários por consultoria prestada”, afirma a defesa.

A reportagem fez contato com os advogados de Luiz Appolonio Neto A defesa informou que só vai se manifestar quando tiver acesso aos dados da investigação.

Fascinante canção!

Difícil escolher entre Nara e Rod qual a melhor interpretação. São extraordinárias as duas. Mas existem outras. Escolha a sua.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

“Remeto-lhe copia por mero interesse acadêmico, tendo em vista o vício intelectual que me acompanha há muito tempo com vistas a discutir os grandes temas do Direito Constitucional”, escreveu Temer. 

O presidente enviou ainda varias manifestações de ministros da Suprema Corte que opinaram sobre o tema em decisões passadas, incluindo um artigo do atual ministro da Justiça, Torquato Jardim. “Reitero que o objetivo é meramente acadêmico já que não me insurgirei contra o despacho dado pelo ministro (Edson) Fachin acolhendo sua postulação. E de logo registro que respeito e respeitarei sempre as suas manifestações já que, tenho absoluta certeza, são guiadas pela sua convicção jurídica”, disse. 

De acordo com a PGR, Temer é suspeito de edição de decreto que modificou regras do setor portuário
De acordo com a PGR, Temer é suspeito de edição de decreto que modificou regras do setor portuário

No último dia 2, Fachin, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), incluiu o presidente como investigado em um inquérito que apura suspeitas de repasses de propinas da Odebrecht para campanhas eleitorais do PMDB em troca de favorecimento à empresa. Já eram investigados no caso os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência). O inquérito foi aberto em abril de 2017 com base nas delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht.

Esta é mais uma investigação aberta contra o presidente, que é alvo de um inquérito em andamento sob a suspeita de ter editado um decreto que modificou regras do setor portuário, sob relatoria do ministro Luís Roberto Barroso. Outros inquéritos contra o presidente que levaram a PGR a denunciá-lo por duas vezes estão suspensos após decisão da Câmara dos Deputados barrar o prosseguimento até que ele deixe o mandato presidencial.

“Defiro o pedido da Procuradora-Geral da República para determinar a inclusão de Michel Miguel Elias Temer Lulia, atual Presidente da República, como investigado nestes autos de Inquérito, sem prejuízo algum das investigações até então realizadas e daquelas que se encontram em curso. Defiro também, a pedido da Polícia Federal e da Procuradoria-Geral da República, a prorrogação do prazo para as investigações, determinando, assim, o retorno dos autos à autoridade policial para que, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias, proceda à conclusão das diligências pendentes e apresente a peça informativa”, decidiu o ministro Edson Fachin.

 Por O Globo
Grupo de mulheres do MST em frente ao Parque Gráfico – Reprodução
 Os manifestantes fizeram pichações de mensagens políticas em vidraças, sofás, paredes e no piso. Também atearam fogo em pneus ao redor de um totem com o nome do jornal, que é de metal e não chegou a ser danificado. Os invasores gravaram toda a ação e divulgaram em redes sociais. Meia hora depois da invasão, o grupo deixou o local. Não houve feridos.
 

mar
09
Posted on 09-03-2018
Filed Under (Artigos) by vitor on 09-03-2018


 

 

Jorge Braga, no jornal (GO)

 

mar
09
 DO BLOG O ANTAGONISTA

O UOL estreou em grande estilo um site chamado Universa, dedicado a mulheres — mas homens e não-binários também podem ler, imagina-se.

Em grande estilo porque a entrevistada é Pilar del Río, viúva do escritor português José Saramago (ela só é citada como jornalista linhas depois).

Na entrevista, a viúva diz que:

— Daria um tapa na cara de um homem que lhe oferecesse uma rosa neste Dia Internacional das Mulheres;

— Aprova a candidatura de Manoela D’Ávila e Guilherme Boulos, porque a esquerda é “plural”;

— José Saramago era um “comunista hormonal”;

 

— E que tem “muita pena dos brasileiros e brasileiras. Acho que não mereciam isso. Se eu fecho os olhos e penso no Brasil, penso em 36 milhões de pessoas que, de alguma maneira, foram atendidas por um partido, o PT, e que com todos os seus erros — porque ninguém é santo –, saíram da pobreza absoluta por um período, mas agora voltaram. A noite do impeachment foi uma das noites mais vergonhosas que eu presenciei. Acompanhei desde Lisboa. Isso não poderia acontecer no século XXI. Não sinto só pela Dilma, a quem eu respeito muitíssimo e considero uma amiga, mas pelos brasileiros que foram enganados.”

Pilar del Río faz da viuvez marital e ideológica uma verdadeira profissão. De fé.

  • Arquivos