Resultado de imagem para General Walter Braga Netto intervenção no Rio
Walter Braga Netto: o general de Temer para comandar no Rio
Resultado de imagem para Fernando Segovia e Temer PF
Segovia e Temer: abafa no caso do Porto de Santos

 

 

 

 

 

ARTIGO DA SEMANA

Do Porto de Santos, de Temer, ao Porto de Nápoles, de “Gomorra”

Vitor Hugo Soares

Caminha para desaguar no brejo – assim como a Reforma da Previdência, afogada pela intervenção militar e a indicação do General Walter Braga Neto para mandar, de fato, no estado do Rio de Janeiro-, a manobra desastrada (ou desesperada?) tocada pelo novo chefe da Polícia Federal, Fernando Segovia, com o infeliz propósito de abafar ou fulminar de vez as investigações que envolvem o mandatário atual da República, Michel Temer, no rumoroso caso do Porto de Santos.

Pior, mesmo, só o desastre e o quadro indecente de terra arrasada – sem governantes, sem lei, sem segurança e sem perspectivas – que o Rio apresentou ao mundo nos dias do carnaval. Agravado, na madrugada da quinta-feira, deste início da Quaresma de 2018, com o temporal que caiu na Cidade Maravilhosa, Baixada Fluminense e redondezas, cujo balanço de devastação, desabamentos, prejuízos, quatro mortos e mais de dois mil desalojados, segue seu curso. Em meio às mazelas e omissões de governador e prefeito, trêfegos e ausentes. E, desde sexta-feira,16, sob mando militar de imprevisíveis e sempre temerários objetivos e rumos.

Vamos por parte, para não transformar em caos definitivo, incluído no rol do “sem jeito”, a situação suficientemente grave que se apresenta agora. Na Quarta-Feira de Cinzas mesmo, o Jornal Nacional (TV Globo), divulgou os termos do memorando dos delegados da Polícia Federal que formam o Grupo de Inquéritos do Supremo Tribunal Federal, responsáveis pela investigação de detentores de foro privilegiado. Os delegados entregaram ao diretor de combate ao crime organizado da PF, Eugênio Rica, o protesto por escrito, produzido depois da extemporânea entrevista (para dizer o mínimo), do novo chefe da PF, distribuída pela Agência Reuters: “Em face dos recentes acontecimentos amplamente divulgados pela imprensa, os delegados integrantes deste Grupo de Inquéritos junto ao STF vêm a Vossa Excelência dar conhecimento de que, no exercício das atividades da Polícia Judiciária naquela Suprema Corte […], não admitirão, nos autos do inquérito 4621/STF ou em outro procedimento em trâmite nesta unidade, qualquer ato que atente contra a autonomia técnica e funcional de seus integrantes, assim como atos que descaracterizem a neutralidade político-partidária de nossas atuações”, diz o memorando em recado duro, direto e de certeira pontaria.

Resta saber se alguém (e quem) vai pagar para ver. Porque se efetivamente for levada a fundo uma investigação sobre malfeitos no Porto de Santos – não só neste caso nebuloso da Rodrimar, mas também mergulhando nas inúmeras denúncias acumuladas no largo período de controle do PMDB (Temer à frente) sobre o mais importante complexo portuário do Brasil-, a terra vai tremer. Em 1999, quando presidia o Senado e emendou os bigodes com o mandatário atual do País, Antonio Carlos Magalhães afirmou, de público: “As coisas morais nunca foram o forte do senhor Temer. Se abrir um inquérito no Porto de Santos, ele ficará péssimo”, disparou ACM. Premonitório? Responda quem souber.

Portos escondem segredos em suas docas, em seus navios, em seus contêiners e em suas águas. Roberto Saviano – jornalista infiltrado na máfia napolitana -, faz uma descrição tão esplêndida quanto terrível, no capítulo “Porto”, em seu livro-reportagem, “Gomorra”. Fala sobre o Porto de Nápoles: “O contêiner balançava enquanto a grua o deslocava para o navio. Como se estivesse flutuando sozinho no ar, o sprider, gancho que prendia a grua, não conseguia domar o movimento. Suas portas mal fechadas se abriram bruscamente e dezenas de corpos começaram a cair”… Mais não conto. Só recomendo, mais uma vez, a leitura do livro extraordinário.

Não deve ser a mesma coisa por aqui. Mas há quem desconfie – e até aposte – , que há segredos e esqueletos escondidos também nos contêiners do Porto de Santos. Metaforicamente ou não. Agora é aguardar, para ver onde os delegados da PF vão chegar.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br 

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 17 Fevereiro, 2018 at 9:54 #

Ah! Ah, se os esqueletos do rumoroso caso do Porto de Santos falassem…


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2018
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728