Pixuleco aparece na Fonte Nova na
chegada da caravana de Lula…


…e ACM Neto:inimigo de Lula e sua caravana.

ARTIGO DA SEMANA

Caravana Lula (PT) x ACM Neto (DEM): jogo duro na Fonte Nova

Vitor Hugo Soares

Nesta quinta-feira de agosto (17), horas antes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcar em Salvador, no comando de sua nova “caravana” pelo Nordeste, o jornal Tribuna da Bahia acionou o sinal de alerta para o bafafá que se anunciava no horizonte. Em nota de abertura, da sua bem informada coluna “Raio Laser” o diário advertiu para a tensão flutuante no carregado ambiente da política local, já conflagrado por choques pesados entre forças do PT e do DEM, que dominam o pedaço (e seus beligerantes satélites em volta), a partir de um bisú (no dizer baianês da imprensa), usado como espoleta detonadora.

O prefeito da capital, ACM Neto, fora escolhido, segundo o informe, – junto com o complicado e claudicante presidente da República, Michel Temer, – para saco de pancadas, alvo principal dos ataques de Lula e séquito no comício com características de BA x VI (o clássico mais polêmico e imprevisível do futebol estadual). Convocado para o fim da tarde na Arena Fonte Nova, a pretexto do lançamento do livro “Comentário sobre uma sentença anunciada”: coletânea de escritos de advogados e juristas, em defesa do ex-presidente, e de cerrado ataque e tentativas de desqualificação do juiz Sérgio Moro – condutor da Operação Lava Jato, em Curitiba (para os sem foro privilegiado), que já condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e diante de quem o fundador e maior líder do PT ainda tem quase uma meia dúzia de processos a responder.

Um jogo programado para torcida única (ou quase), como está virando praxe nos selvagens e perigosos estádios do Brasil, neste tempo temerário, cada dia mais estranho, complicado e difícil de atravessar.

Ficava patente, assim, que não poderia ser mais carregado de tensas expectativas, o ponto de partida da trupe petista do ex-presidente (e seus seguidores de diferentes estirpes, colorações e discursos cada vez mais agressivos e radicalizados), à Cidade da Bahia, de todos os santos e de quase todos os pecados.

Terra convulsa e de poder dividido, dos primeiros passos e confrontos desta inacreditável caravana (fora da Macondo do realismo fantástico de Garcia Marquez) que pretende percorrer antes do 7 de setembro, 25 cidades dos nove estados nordestinos. Pelo que se vê e se prenuncia, de costas para a desastrosa crise nacional destes dias (em boa parte resultante de desastradas e corruptas administrações, nos últimos 15 anos, de governos petistas ou parceiros) de olho na improvável escapatória, via urnas de 2018. No caso em foco, a busca desesperada, também, da reconquista de um paraíso político e eleitoral que ameaça se desgarrar, mas cuja manutenção de áreas já controladas e a recuperação de outras inapelavelmente perdidas, Lula e o PT assumem como tarefa prioritária, em território a ser mantido a ferro e fogo.

Em Salvador, como esperado, não deu outra. Afinal, o ambiente tem sido arena de notórios confrontos e arranca rabos históricos envolvendo Lula e o PT desde o tempo em que o falecido Antônio Carlos Magalhães era quem mandava na Bahia quase inteira. Salvo uns poucos e heroicos polos de resistência, a exemplo de Feira de Santana, do ex-prefeito cassado pela ditadura e bravo deputado federal Chico Pinto: de éticas e épicas jornadas democráticas no extinto MDB autêntico. Mas Pinto também já partiu, depois de sucessivos períodos de internamento hospitalar e muito sofrimento. Não antes, porém, de perceber fraudes e engodos e denunciar, visionário que sempre foi at´rmorrer, o desastre político e moral que já se anunciava, ainda no segundo mandato de Lula.

Agora quem governa Salvador é ACM Neto, galopando em notáveis índices de aprovação popular de sua gestão, e de preferência disparada nas pesquisas de opinião, na provável disputa do governo estadual com o petista Rui Costa (apadrinhado de Jaques Wagner, Lula e Dilma). PT e DEM, na Bahia, metidos em uma briga de arrepiar e que seguramente atrairá a atenção do País no ano que vem. A conferir.

Eis, portanto, o cenário e os motivos dos arrepiantes embates do começo da caravana de Lula no Nordeste. No primeiro dia, em vários momentos e em diferentes pontos da capital, onde o ex-presidente “cumpriu agenda”, um rastro de tumultos entre manifestantes a favor e contrários ao líder petista. O furdunço foi mais intenso e barulhento, no percurso do visitante entre a estação do metrô do Campo da Pólvora e as imediações da Arena Fonte Nova. Teve de de tudo, ou quase: até réplicas do Pixuleco (boneco inflável de Lula vestido de presidiário) apareceram de repente, e foram atacadas com fúria (até com dentadas) por militantes petistas. Policiais fizeram disparos para o ar, na tentativa de evitar o pior. BA x VI é pouco.

Teve embate, também, no “tapetão” no clássico PT x DEM na estreia da atual caravana na capital baiana. A Justiça Federal deferiu pedido liminar cancelando a entrega do título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente, concedido pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), programada para esta sexta-feira em que escrevo o artigo, na cidade de Cruz das Almas, na reitoria da instituição criada no governo petista. O juiz Evandro Reis concedeu liminar em resposta ao habeas corpus impetrado pelo vereador do DEM, Alexandre Aleluia, que apontou o “uso eleitoral” da solenidade em ato público de professores e estudantes.

O magistrado acolheu o pedido e acentuou em sua decisão “o fim político-eleitoral da outorga do título com vistas a propiciar manifestação ruidosa do réu Luiz Inácio Lula da Silva no local da homenagem, ao coincidí-la com o evento, onde ele está envolvido, de visibilidade político – partidária”. E determinou a presença da Polícia Federal na cidade baiana para fazer observar o efetivo cumprimento da sua decisão.

Justiça, polícia e democracia caminhando juntas. Agora é esperar os passos seguintes da caravana de Lula no Nordeste. Mas espaço e tempo acabaram. Depois eu conto o resto.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@ terra.com.br

Be Sociable, Share!

Comentários

Lucia Jacobina on 19 agosto, 2017 at 9:00 #

Vou pedir licença ao poeta Fernando da Rocha Peres para utilizar um termo por ele criado para se referir às mazelas de nossa Capital, essa pobre “Salvadolores”, que sofreu nesta última quinta-feira o agravo de ter sido escolhida para o confronto de duas das lideranças mais perversas e lamentáveis da política brasileira, o lulismo e o carlismo. Pense numa luta chinfrim, decadente, vampírica, essa a que nosso grande articulista se refere em seu elucidativo comentário, os soteropolitanos tiveram de aturar.
Tamanha audácia e desenvoltura, os cultores de Maria Quitéria, de Joana Angélica, dos caboclos que derramaram seu sangue pela independência de nossa terra não deveriam esquecer, pois foram justamente essas duas facções que no passado numa manobra covarde e à revelia do povo, surrupiaram o nome de nosso aeroporto em homenagem ao 2 de Julho e mantiveram até hoje a denominação usurpadora, apesar de todos os protestos.
Infeliz “Salvadolores”, forçoso é reconhecer que contra as forças da malvadeza, da esperteza e da desfaçatez, não tem orixás nem Senhor do Bonfim que acudam.


Vanderlei on 19 agosto, 2017 at 16:39 #

Muito bom o texto descrevendo, ao que parece, o início da campanha do Lula para 2018. O comentário de Lucia Jacobina complementa o assunto. Enquanto isso, o TSE não “se apresenta” nem pra dizer que ele existe.


Daniel on 19 agosto, 2017 at 20:50 #

Uma coisa me parece inquestionável: dois dos mais competitivos adversários do petismo para a eleição de 2018 foram hostilizados e atacados ferozmente nos últimos dias, Dória em Salvador e Bolsonaro em Ribeirão Preto/SP.

E foram atacados em ações típicas de regimes ditatoriais e autoritários, como o fascismo/nazismo de Mussolini/Hitler e o comunismo de Stalin!


Jair Santos on 19 agosto, 2017 at 23:40 #

Dória e Bolsonaro se comportam como fascistas , meu caro Daniel , enquanto Lula https://www.esmaelmorais.com.br/2017/08/lula-atravessando-o-mar-vermelho-segundo-as-redes-sociais/#more-173941


Daniel on 20 agosto, 2017 at 10:35 #

Fascistas, meu caro Jair? Tem certeza de que você realmente conhece o fascismo, suas convicções e seu método de agir??

Vejamos, Dória é um liberal clássico (direitos individuais) e Bolsonaro um conservador (conservar as instituições). Estão em linha ideológicas diferentes, mas, como ponto de concordância, ambos defendem um estado mínimo e uma economia sem grandes intervenções estatais.

Já o fascismo e o nazismo se baseavam nos seguintes dogmas:

1. Nascimento do “novo homem”;
2. Um mundo melhor através da “revolução”;
3. Eugenia;
4. Eutanásia;
5. Aborto para “os inferiores”;
6. Controle de armas;
7. Estado grande;
8. Aliança com o islã;
9. Aversão a judeus/ Israel;
10. Controle da mídia;
11. Perseguição a grupos políticos e religiosos “contra o partido”;
12. Dívida histórica.

Agora, meu caro Jair, gostaria de ler sua argumentação sobre a razão de Dória e Bolsonaro “serem fascistas” quando os fatos mostram que o fascismo sempre foi e sempre será intimamente ligado ao estamento comunista e sua visão de mundo.

PS: Estudar antes de atacar os outros, ajudaria a evitar esse tipo de constrangimento…


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos