CRÔNICA/CINEMA

“Casa do Lago”:Não me canso de rever.

Maria Aparecida Torneros

O casal protagonista se corresponde além do tempo. Cada um se mostra em ano diferente. Ela está no futuro. Ele, no passado. Chegam a marcar hipotético encontro. O enredo deixa dúvidas. Mas algo acontece para lhes oferecer a tal segunda chance. Sandra Bullock faz o papel impecável. Contracena com Keanu Rivers.

O tempo parece parar em torno da paisagem da Casa do Lago.
O arquiteto e a médica vivem um romance à distância.
A correspondência os une em cartas que atravessam sua diferença de “time”.
Ilusões entremeadas de sonhos. Um mesmo cachorro pertence a ambos.
A história supõe o quanto a fantasia esbarra na pseudo realidade.
A personagem Kate busca ver o correspondente Alex que ela deve ter visto alguma vez e depois nunca mais.

Uma possibilidade ainda que remota de se verem quando o futuro chegar e ela puder impedir um acidente em que ele poderia morrer.
– Ela é real. Ele disse para o irmão. Teme perde- la. Vai esperar por ela.
A jovem doutora se esforça para compreender o fenômeno que a faz viver na Casa do Lago e sentir a presença do igualmente jovem arquiteto.
Chega o ano de 2006. Ele estava ainda em 2004.
Quando 2006 o alcança, ela sabe que é viável se encontrarem finalmente.
E descobre que há uma cilada do destino.
No dia dos namorados fica sabendo que ele se foi. Mas, mesmo assim, Kate corre para salvá-lo.
Filmaço.
Dia dos Namorados. 14 de fevereiro de 2006.
It should be this way. Isso poderia ser desse modo.
Kate chora. Mas vai tentar avisá-lo do risco.
É o sonho superando a realidade.
A canção de Paul McCartney diz tudo.
This never happened before.
Kate pede que ele a espere por 2 anos e vai para a casa do Lago.
Ali se realiza o milagre. Ela o salva. Ele a esperou.
O filme tem um final feliz fantasioso e o amor vence.

Cida Torneros é jornalista e escritora. Mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Cida

Be Sociable, Share!

Comentários

regina on 28 junho, 2017 at 13:56 #

Querida Cida, o amor sempre tem seu lugar é, como já sabemos, qualquer maneira de amor vale à pena!!
Por falar nele, celebremos um querido nosso que celebra aniversário no dia de hoje, o filho de Xango, poeta da casa, Luiz Alfredo Motta Fontana!!!
E quem melhor que ele pra botar em versos seus caminhares:

O segredo

(luiz alfredo motta fontana)

Porque andas tão leve?
Teu caminho, pelo que sei, foi árduo…
Porque esse sorriso com ares de novo?
Qual teu segredo?

As perguntas brotavam sem pausas
do que se dizia “velho amigo”

sem pausas
sem vírgulas
sem pudores…

A curiosidade explícita

Porque?
Simples!
dissera em resposta
O caminho foi árduo, mas único
O segredo é singelo
Caminhe…
ao mesmo tempo dispa as mágoas
E nunca…
nunca mesmo
vista o “achamos isto ou aquilo”
dos meros circunstantes
estes, são péssimos alfaiates

Respondendo
entre um gole e outro
admirando a cor do malte
no mesmo copo baixo
límpido cristal
sem máculas do passado
mesmo que maturado entre histórias e encantos

Tim Tim!!!!


Cida Torneros on 28 junho, 2017 at 16:29 #

Regina. Que lindo!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos