jun
07
Postado em 07-06-2017
Arquivado em (Artigos) por vitor em 07-06-2017 00:57


Mané Garrincha:um canhoto extraordinário.


Arthur Andrade

E eu que sou direita!!

Arthur Andrade

Altamirando era o melhor jogador do mundo. E era meu colega, rááá!! Tinha orgulho de ser colega dele. Tínhamos 8 anos.

Mas eu era diferente dele, muito. O melhor jogador do mundo era o que passei a sonhar ser: canhoto!

Ele chutava de esquerda, uaoo!!. Depois vi, também escrevia com a esquerda. Era craque.

Virou minha primeira maluquice. Imitá-lo! Escrever e chutar com a esquerda. Viver na esquerda.

Tentei durante meses com minha mãe na cola. Pra que isso, filho? O mundo é destro e você quer ser canhoto?

A sala de aula era um transtorno. Percebi a ginástica do amigo pra escrever em cadeiras feitas para destros. O mundo era mesmo destro. E até então era um mundo bem confuso…e eu nele, fazendo o que?

E se o mundo fosse canhoto? Ou se o mundo fosse meio a meio?

Perguntas ao vento. Os canhotos são ínfima parte da humanidade. Cerca de 4%. Estão entre eles Charles Chaplin e Einstein. Garrincha e Maradona. Paul, Ringo, Jimmi Hendrix, Plant. Marilyn Monroe e Madame Curie. Picasso. Napoleão. Hitler. Alexandre, o grande, Isaac Newton, Michelangelo, Leonardo da Vinci… Caraca!

Mas até Hitler? Sim! Hitler deu uma boa sacudida no mundo. Chaplin também,uao! E da Vinci?!

Virou minha crença. Pra sacudir o mundo tinha que ser canhoto. Tinha que usar a esquerda.

Cansei de treinar, suei, desisti. Recolhi-me a minha insignificância de destro, esse lugar comum da humanidade. O lugar dos 96% restantes, que saco!
A maioria que tem bagunçado, que tropeça e se atrapalha, pra não falar toda verdade.

Mas você não sabe o que sofre uma pessoa canhota, me disse a linda miga artista e terapeuta ali no trajeto do Catete, no Rio.

Fora o incômodo das carteiras da sala de aula, tem o baleado, o pingpong, o volei, tem o violão invertido, tem o karatê, o lado da queda no judô, o aikidô…epa!!

Mulher linda, eu te respeito!

Parte dos 4% da humanidade está na familia dela. Dos 5 irmãos, três são canhotos. Todos passaram por vexames e chacotas. Que idiotice fazer chacota com gente que sacode o mundo!

Ok, ok! Tem uma gente meio estranha entre os canhotos. Ronald Reagan e João Batista Figueredo, Jack o Estripador e Otto Von Bismark.

Mas tem Ghandi pra contrabalançar. Goethe, Kafka, Spike Lee e Billy the Kid. Mozart, Ravel e Caruso. Ainda Bethoven, Paganini e o grande faraó Ramses II, tudo esquerda.

No campo ideológico, o termo “esquerda” surgiu com a Revolução Francesa. No lado esquerdo sentavam os políticos contrários ao rei e a favor das igualdades sociais. Do lado direito do parlamento, sentavam os leais às religiões e ao poder dos monarcas. Os caretas!

Mas a mão direita tem governado o mundo, sim. Nem a Revolução Francesa mudou isso.
A qualquer movimento da mão esquerda, o aparato da direita levanta-se com suas luvas de adamantium e destroça o que vem pela frente. Ou pela esquerda.

Não é à toa que essa mão comanda bancos, indústrias de armas, remédios, alimentos, doenças, virus, os sistemas de informação e toda comunicação do planeta.

A mão direita ganhou até aqui. Nem sei se um dia irá perder algo.

Mas sei que sei e sei que eu ainda vou ganhar.

Vou chutar com a perna esquerda e jogar ping pong com a mão direita dando tchau pro mundo todo.

Cês vão ver!

Arthur Andrade é jornalista, profissional multimídia, músico e compositor premiado. Editou, durante anos, uma das mais lidas e importantes colunas políticas da imprensa baiana (Bahia com H, no extinto jornal Bahia Hoje). Participou ativamente da fase de criação deste Bahia em Pauta.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 7 junho, 2017 at 14:50 #

É verdade que o jogo pela esquerda tem sido perdido, principalmente porque algumas estrelas canhotas resolveram trair a natureza das coisas e passaram a jogar com a direita. Pior, fazer todo o jogo da direita.


Daniel on 7 junho, 2017 at 18:00 #

Que texto infeliz!

Sou canhoto, mas o articulista tenta seguir uma linha de extrema intolerância e distorção histórica entre esquerda x direita. Para não falar na eterna visão (mais do mesmo) romântica e ignóbil de uma esquerda que não existe enquanto impõe uma pecha odiosa na direita.

Imaginem se invertêssemos o tom do texto e disséssemos que à esquerda estão os regimes genocidas, os experimentos totalitários defendidos pela academia e o que mais pudermos?

O bravo chega a tal ponto de surrealismo que foi capaz de elencar Reagan como “gente estranha”, ao lado de ‘Jack o Estripador’, enquanto põe para “contrabalancear” um Billy The Kid…

Por fim, devo admitir que considero ainda mais perverso quando um texto pretensamente ingênuo e inocente é carregado por um subtexto notadamente abjeto!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos