fev
13
Postado em 13-02-2017
Arquivado em (Artigos) por vitor em 13-02-2017 00:40


DEU NO POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

“Colégio” em breve fechará as portas

O “colégio de líderes” inaugurado na Assembleia Legislativa tem o mesmo destino de outros do passado: a morte por inanição.

É uma ideia nobre e louvável, discutir previamente matérias em tramitação na Casa para que cheguem ao plenário prontas para aprovação.

Essa civilidade, porém, esbarra na necessidade de espaço da oposição. Mesmo atendida em suas emendas e brindada com relatorias, a bancada da minoria não vai querer dar a impressão de que não existe.

Projetos do governo, especialmente os mais sensíveis, serão tratados a discurso e obstrução. Para isso serão apresentadas as melhores emendas, que o governo não aceitará.

A polêmica virá à tona por muitas sessões, com a “imprensa escrita, falada e televisada” em cima, dando voz à discórdia. É disso que político gosta.

Imprimir Imprimir Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Máquina pronta para entrar em ação

Na mesma linha, o líder da oposição, Leur Lomanto Junior, garante que não haverá mais aquela prática de apreciar as matérias em regime de urgência, sem debate nas comissões técnicas.

Essa é, também, uma discussão antiga. No tempo do carlismo era pior, porque a oposição não tinha espaço para nada, havendo biênio em que ficou até sem a representação proporcional na Mesa.

Os governos do PT até que deram vez aos adversários, com pequenas migalhas de participação, mas todos os governos são, em geral, exatamente iguais, aprovando, a toque de caixa, com rolo compressor, projetos cujos conteúdos os próprios deputados desconhecem.

Salvo melhor juízo

Vale ressaltar que tudo isso vai depender de como se definirá a correlação de forças na Assembleia até o fim da legislatura.

Caso se confirme o que é suspeita nos bastidores políticos, é possível que o governo Rui Cosrta termine em minoria.

DEU NO POR ESCRITO (BLOG DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

“Colégio” em breve fechará as portas

O “colégio de líderes” inaugurado na Assembleia Legislativa tem o mesmo destino de outros do passado: a morte por inanição.

É uma ideia nobre e louvável, discutir previamente matérias em tramitação na Casa para que cheguem ao plenário prontas para aprovação.

Essa civilidade, porém, esbarra na necessidade de espaço da oposição. Mesmo atendida em suas emendas e brindada com relatorias, a bancada da minoria não vai querer dar a impressão de que não existe.

Projetos do governo, especialmente os mais sensíveis, serão tratados a discurso e obstrução. Para isso serão apresentadas as melhores emendas, que o governo não aceitará.

A polêmica virá à tona por muitas sessões, com a “imprensa escrita, falada e televisada” em cima, dando voz à discórdia. É disso que político gosta.

Máquina pronta para entrar em ação

Data: 12/02/2017
10:06:42

Na mesma linha, o líder da oposição, Leur Lomanto Junior, garante que não haverá mais aquela prática de apreciar as matérias em regime de urgência, sem debate nas comissões técnicas.

Essa é, também, uma discussão antiga. No tempo do carlismo era pior, porque a oposição não tinha espaço para nada, havendo biênio em que ficou até sem a representação proporcional na Mesa.

Os governos do PT até que deram vez aos adversários, com pequenas migalhas de participação, mas todos os governos são, em geral, exatamente iguais, aprovando, a toque de caixa, com rolo compressor, projetos cujos conteúdos os próprios deputados desconhecem.

Salvo melhor juízo

Vale ressaltar que tudo isso vai depender de como se definirá a correlação de forças na Assembleia até o fim da legislatura.

Caso se confirme o que é suspeita nos bastidores políticos, é possível que o governo Rui Cosrta termine em minoria.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2017
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728