DO PORTAL G1

Samuel Nunes e José Vianna

Do G1 PR e da RPC

O juiz federal Sérgio Moro aceitou nesta quinta-feira (3) a denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra o ex-ministro Antônio Palocci e outras 14 pessoas. Com isso, todos eles se tornam réus na Operação Lava Jato. As denúncias tratam de crimes como corrupção ativa e passiva, além de lavagem de dinheiro.

Antonio Palocci foi preso no dia 26 de setembro pela 35º fase da Operação Lava Jato. Ele foi ministro da Casa Civil no governo Dilma Rousseff e ministro da Fazenda de Lula – ambos do Partido dos Trabalhadores (PT). Desde a prisão, Antonio Palocci está detido na carceragem da Polícia Federal (PF), em Curitiba.

Entre os réus no processo, há várias pessoas que já respondem a outras ações penais na Operação Lava Jato, como o ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht e o ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque.

Veja a lista completa dos denunciados e dos crimes:
-Antonio Palocci – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
-Branislav Kontic – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
-Marcelo Odebrecht – corrupção ativa e lavagem de dinheiro
-Fernando Migliaccio da Silva – lavagem de dinheiro
-Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho – lavagem de dinheiro
-Luiz Eduardo da Rocha – lavagem de dinheiro
-Olivio Rodrigues Junior – lavagem de dinheiro
-Marcelo Rodrigues – lavagem de dinheiro
-Rogério Santos de Araújo – corrupção ativa
-Monica Moura – lavagem de dinheiro e corrupção passiva
-João Santana – lavagem de dinheiro e corrupção passiva
-João Vaccari Neto – corrupção passiva
-João Ferraz – corrupção passiva
-Eduardo Musa – corrupção passiva
-Renato Duque – corrupção passiva

O MPF pediu que a Justiça Federal bloqueie R$ 284.696.735,92 de todos os acusados. O valor é correspondente a 0,9% dos contratos firmados entre a Sete Brasil e a Petrobrasx e também ao valor correspondente à lavagem de dinheiro.

Como ressarcimento total, os procuradores solicitaram ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, que seja determinado o pagamento total de R$ 505.172.933,10, caso eles sejam condenados. Segundo o MPF, esse valor corresponde ao dobro das propinas pagas aos agentes públicos envolvidos no caso.

Suspeitas de propina
A 35ª fase apura a relação entre o Grupo Odebrecht e o ex-ministro Antonio Palocci. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), há evidências de que o Palocci e Branislav receberam propina para atuar em favor da empreiteira, entre 2006 e o final de 2013, interferindo em decisões tomadas pelo governo federal. O ex-ministro também teria participado de conversas sobre a compra de um terreno para a sede do Instituto Lula, que foi feita pela Odebrecht.

“Conforme planilha apreendida durante a operação, identificou-se que entre 2008 e o final de 2013, foram pagos mais de R$ 128 milhões ao PT e seus agentes, incluindo Palocci. Remanesceu, ainda, em outubro de 2013, um saldo de propina de R$ 70 milhões, valores estes que eram destinados também ao ex-ministro para que ele os gerisse no interesse do Partido dos Trabalhadores”, diz o MPF.

As suspeitas sobre Palocci na Lava Jato surgiram na delação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Ele disse que, em 2010, o doleiro Alberto Youssef lhe pediu R$ 2 milhões da cota de propinas do PP para a campanha presidencial da ex-presidente Dilma Rousseff. O pedido teria sido feito por encomenda de Palocci. Youssef está preso na PF em Curitiba e já foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

No caso específico da denúncia, a denúncia trata de pagamentos feitos para beneficiar a empresa SeteBrasil, que fechou contratos com a Petrobras para a construção de 21 sondas de perfuração no pré-sal. O caso foi delatado pelo ex-gerente de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco.

O MPF acredita que o valor pago pela Odebrecht a título de propina pela intermediação do negócio chegou a R$ 252.586.466,55. Esse valor foi dividido entre as pessoas que aparecem na denúncia. Em troca disso, a Odebrecht firmou contratos que, somados, chegaram a R$ 28 bilhões.

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Volta FHC sem FHC

Volta, FHC?

FHC é contra.

Ele disse:

“A propósito de comentários sobre uma eventual candidatura à Presidência esclareço, do exterior, onde me encontro, que jamais cogitei dessa hipótese nem ninguém me consultou sobre o tema”.

Ele disse também que apoia o mandato de Michel Temer:

“Minha posição é conhecida: nas circunstâncias, o melhor para o Brasil é que o atual governo leve avante as reformas necessárias e que em 2018 possamos escolher líderes à altura dos desafios do País. Precisamos superar a crise financeira para criar empregos e para que o povo viva em uma sociedade próspera e decente”.

O Antagonista concorda com ele.

O coração da bossa nova bate no BP. Escute com atenção!!!

BOA TARDE!!!

(Gilson Nogueira)

nov
03

DEU NO BLOG POR ESCRITO ( DO JORNAL

O PT, por enquanto, é tudo que Rui tem

O esquartejamento eleitoral do PT dá margem às mais esdrúxulas teses, como a de que o governador Rui Costa poderia, deixando a legenda, aliar-se à já posta candidatura presidencial de Ciro Gomes (PDT).

É certo que o PT dificilmente será competitivo em 2018, pela ruptura do compromisso de ética e justiça social que o sustentava, e o governador precisa de um palanque nacional forte tendo em visto seu projeto de reeleição.

Entretanto, Rui somente deixaria o PT a bordo de um movimento amplo de extinção – ou abandono – da sigla pelas suas lideranças mais expressivas no país, nos estados e nos municípios, com uma proposta legítima, ainda que a longo prazo, ao povo brasileiro.

Do contrário, o que diria, filiado, a um partido qualquer, depois de uma vida dedicada ao que seria um projeto redentor da nação? “Nós destruímos tudo e agora estamos aqui com nova roupagem para enrolar vocês de novo”?

Também diziam que Neto ia deixar o DEM

A posição de Rui é, mais ou menos, a que atravessou cinco anos atrás, no DEM, o então deputado ACM Neto, que se irritava quando indagado se deixaria o partido, tido como em desagregação

Em nota de 15/05/11, intitulada “O DEM é o único túmulo digno para ACM Neto”, este blog dizia da inconveniência política e eleitoral da mudança, que lhe tiraria o lastro nacional e prejudicaria regionalmente os planos de disputar a Prefeitura.

Não se pode dizer que seus planos foram malsucedidos. De sigla moribunda, o DEM revigorou-se pela atuação que o próprio governo do PT lhe propiciou, com a particularidade de que Neto se tornou a grande estrela nacional do partido.

Portanto, no patamar a que chegou, o governador Rui Costa não pode dar passo em falso, muito menos salto no escuro. Terá, até segunda ordem, de conviver com os fantasmas que o cercam, tomando o cuidado de não ser confundido com eles.

Tal e qual

Grupos no PT defendem até a mudança da sigla, não se sabe para qual. Também nisso o DEM tem experiência, pois se originou de um PFL envergonhado.

BOM DIA!!!


Michelle e Barack Obama na limusina presidencial durante o desfile inaugural de 2013. Pete Souza White House

DO EL PAIS

Perfil

Michelle Obama, a aliada perfeita

Barbara Probst Solomon

Em meados dos anos sessenta do século passado, tive a sorte de passar um ano em Chicago. Meu marido, Harold Solomon, foi convidado como professor da Faculdade de Direito da Universidade de Chicago e ali pude experimentar em primeira pessoa um mundo completamente diferente do de Nova York.

Naquela mesma época nasceu em Chicago Michelle Obama, em 1964. Ela cresceu no South Side, a parte sul da cidade, uma região que cresceu rapidamente com a chamada Grande Migração, ou seja, a chegada em massa da população negra que deixou as regiões agrárias do sul do país em busca de novas oportunidades no norte industrial. Minhas duas filhas foram ao Chicago Lab School, o mesmo colégio que muitos anos depois teriam como alunas as filhas dos Obama.

Os Obama organizam sua vida em torno de suas duas filhas, Malia e Sasha. São uma família de classe média alta muito estável – que inclusive tem um rabino entre seus parentes. Michelle sofreu terríveis perdas em sua vida, como a morte de seu pai, Fraser C. Robinson, e a de sua melhor amiga, Suzanne Alele, de câncer. Tenho a sensação de que essas duas desgraças e a vida em Chicago lhe conferiram uma sensibilidade especial em relação ao futuro de suas filhas (Chicago sempre contou com alto índice de criminalidade e não é considerada uma cidade muito segura).

Michelle foi uma estudante brilhante em Princeton e depois na Faculdade de Direito de Harvard, e teve a lógica preocupação de que suas filhas sentissem a pressão de ter de estar à altura dos pais. Entre seus muitos interesses estão o trabalho que desenvolveu no Escritório de Ajuda Legal de Harvard, assessorando inquilinos de baixa renda com problemas de moradia.

No início, Michelle expressou publicamente sua preocupação com a decisão do marido de continuar sua carreira política, e como isso poderia repercutir em suas filhas mas, quando chegou o momento de sua indicação como candidato democrata, tornou-se óbvio que a esposa era um ativo fundamental para sua campanha. Depois de seu discurso na Convenção Nacional Democrata, o índice de aprovação de Michelle entre os norte-americanos chegou a 55%.

Na vida de Michelle Obama sempre houve uma mistura de atividade física, boa alimentação e boa educação que fez com que, ao chegar à Casa Branca, seu primeiro objetivo como primeira-dama fosse ajudar as crianças a comer melhor. Também ensinou os jovens a cultivar sua própria horta. Os Estados Unidos, diferentemente da Europa, teve durante muito tempo hábitos alimentares muito ruins, e ela foi uma das primeiras figuras públicas a lutar para mudá-los.

Mas o mais interessante de Michelle é que seu marido, o atual presidente Barack Obama, e ela sempre trabalharam em equipe. Era o que Hillary Clinton aspirava a ter em sua época com Bill, mas nunca conseguiu totalmente. Bill gostava demais das mulheres e Hillary era ambiciosa demais.

A bela e inteligente Michelle demonstrou ser um exemplo de perfeição. No entanto, apesar de seu glamour e de seu enorme talento, na Casa Branca de Hillary não haverá muito espaço para ela. Michelle é extraordinariamente inteligente e está interessada em melhorar a situação das crianças e do mundo. Hillary, acima de tudo, acredita em seu direito a ser presidenta, um cargo que exercerá bem. Mas as duas mulheres não estarão unidas por um destino comum. Por mais que Michelle tenha contribuído para impulsionar a campanha de Hillary, sabe que não fará parte de seu círculo.

Barbara Probst-Salomon é escritora norte-americana.

nov
03
Posted on 03-11-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-11-2016


Paixão, na Gazeta do Povo (PR)

nov
03
Posted on 03-11-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-11-2016

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Equilíbrio distante

Cármen Lúcia tem se submetido a sessões de reiki, uma técnica oriental que busca restabelecer o equilíbrio espiritual, emocional e físico. Não está sendo fácil lidar com Renan Calheiros e sua turma.

  • Arquivos

  • novembro 2016
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930