out
21
Postado em 21-10-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 21-10-2016 00:18

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Um manhoso à luz do dia

Três propostas faz o senador Renan Calheiros à nação: a reforma política, a luta contra a corrupção e a aprovação de uma PEC contra o abuso de autoridade.

Como ele nunca patrocinou reforma em tantos anos de poder e se trata de um político envolvido em muitos casos de corrupção, conclui-se que ele quer mesmo é reduzir a força de procuradores e juízes.

O próprio

Agora falem a verdade: alguém conhece autoridade que tenha abusado mais do que Renan?

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 21 outubro, 2016 at 8:06 #

Ele abusou, tirou partido de todos, abusou.

Abusou dos cofres públicos, abusou.

Deu mesada pra amante com dinheiro de empresa, mas em troca de favor. Abusou

Continua solto, abusou.

Quando também irá para o xadrêz? Abusar

Quer continuar a ficar impune, e abusar.


luis augusto on 21 outubro, 2016 at 13:32 #

Caro colega e amigo Taciano, ao citar obra de Vieira, não o padre, mas o apelido de Antônio Carlos, um antigo vizinho de infância no Rio Vermelho, já citado neste BP, que viria a “nacionalizar-se” (e “internacionalizar-se”) em dupla com Jocáfi, você me faz lembrar de velho humorístico em que, se não me engano, Miele, representava Brizola, na época em que ele, por manobra golberiana, perdeu a sigla do PTB para Ivete Vargas.

Miele cantava para uma atriz que encarnava a desgarrada sobrinha-neta de Getúlio: “Você abusou/ tirou partido de mim, abusou…”


luis augusto on 21 outubro, 2016 at 13:36 #

Um revisor de ofício tem esta obrigação: elimine-se a vírgula após o primeiro “Miele”.


Daniel on 21 outubro, 2016 at 18:00 #

Pior que conheço: Lula


Taciano Lemos de Carvalho on 22 outubro, 2016 at 1:17 #

Caro Luís Augusto.

Imagino o quanto seria diferente nosso país se Golbery não tivesse tomado o PTB (o velho, o velho) de Brizola. Seria muito diferente. Diferente e bem melhor.

Conheço Raimundão, que na época que arrancaram as três letras (P T B) de Brizola, estava de férias de suas funções como segurança do Senado. Hoje está aposentado. Negro, alto, forte, um verdadeiro armário, ficou uns quinze dias plantado no TSE para protocolar em primeiro lugar o documento que requeria a legenda PTB para o grupo liderado por Brizola.

Eis que no momento exato que entra na sala para entregar o documento, já se encontrava com o presidente do Tribunal a neta desviada de Getúlio. Havia ela entrado, segundo dizem, com o presidente. E Brizola perdeu o PTB.
– – – – – – –
De Carlos Drummond de Andrade:

Eu vi
Vi um homem chorar porque lhe negaram o direito de usar três letras do alfabeto para fins políticos. Vi uma mulher beber champanha porque lhe deram esse direito negado ao outro.
Vi um homem rasgar o papel em que estavam escritas as três letras, que ele tanto amava. Como já vi amantes rasgarem retratos de suas amadas, na impossibilidade de rasgarem as próprias amadas.
Vi homicídios que não se praticaram mas que foram autênticos homicídios: o gesto no ar, sem conseqüência, testemunhava a intenção. Vi o poder dos dedos. Mesmo sem puxar o gatilho, mesmo sem gatilho a puxar, eles consumaram a morte em pensamento.
Vi a paixão em todas as suas cores. Envolta em diferentes vestes, adornada de complementos distintos, era o mesmo núcleo desesperado, a carne viva;
E vi danças festejando a derrota do adversário, e cantos e fogos. Vi o sentido ambíguo de toda festa. Há sempre uma antifesta ao lado, que não se faz sentir, e dói para dentro.
A política, vi as impurezas da política recobrindo sua pureza teórica. Ou o contrário.. Se ela é jogo, como pode ser pura… Se ela visa o bem geral, por que se nutre de combinações e até de fraudes.
Vi os discursos…


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • outubro 2016
    S T Q Q S S D
    « set   nov »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31