ARTIGO

Cine Concerto:Parabéns para uma orquestra que pede socorro

Lúcia Jacobina

A Orquestra Sinnfônica da Bahia completou 34 anos no último dia 30 de setembro. E a data foi devidamente comemorada pela plateia cantando em uníssono os parabéns para os músicos e o maestro Carlos Prazeres. Mas o presente mesmo quem recebeu foi o público que lotou a sala principal do Teatro Castro Alves,pelo terceiro ano consecutivo para assistir a mais um Cine Concerto, criação de seu talentoso maestro que nos sucessivos anos tem inovado na seleção das músicas de filmes de sucesso. Este ano, os primeiros acordes foram reservados para “Assim falou Zaratustra”, de Richard Strauss, da trilha sonora do filme 2001 uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubric, ilustrando com esse exemplo a estreita relação entre música clássica e cinema, eis que os diretores não raras vezes incluem em seus filmes composições dos grandes mestres.

Em seguida, começou a tocar o tema de Tubarão e logo após uma passagem da Sinfonia do Novo Mundo,de Dvorák, para ilustrar como John Williams se inspirou no célebre compositor checo para compor a música de um de seus filmes de maior êxito de bilheteria. Tudo isso para desmistificar a aparente rejeição que o público demonstra em relação à música de concerto, já que absorve com tanto entusiasmo as trilhas sonoras de filmes.Além de Tubarão, outros sucessos deJohn Williams foram executados, tais comoSuperman, ET, Indiana Jones, Harry Potter, A Lista de Schindler, etc. Prosseguiu com Cinema Paradiso, de Enio Morricone, e Romeu e Julieta,de Nino Rota. Ainda fez uma rápida passagem por filmes de detetives, James Bond, de quem ele tocou Moscou contra 007, de Lionel Bart e Missão Impossível, de Danny Elfman, retornando a John Williams e o célebre Star Wars, para encerrar.

Além dos sucessos executados e do didatismo das explicações fornecidas pelo maestro, tanto com relação às composições como aos sons produzidos pelos diversos instrumentos, os músicos também deram sua contribuição para o êxito visual da apresentação, ao comparecerem fantasiados de personagens cinematográficas, como Dorothy, de O Mágico de OZ, O Fantasma da Ópera, Alice no País das Maravilhas, Rainha de Copas, Chapeuzinho Vermelho,Bela, Peter Pan, Zorro, Batman, Coringa, Superman, Indiana Jones, Marilyn Monroe, Ana Karenina, Don Corleone, de O Poderoso Chefão etc, tendo contagiado o próprio maestro que regeu caracterizado como o personagem interpretado pelo ator Keanu Reeves em Matrix, inclusive com os inseparáveis óculos escuros.

Em seu terceiro ano consecutivo, os Cines Concertos demonstraram que a finalidade de buscar aproximar o público baiano de sua orquestra sinfônica foi alcançada.Embora a orquestra tenha ficado desfalcada pela aposentadoria de vários integrantes, de tal forma que os músicos remanescentes já nem podem compor um corpo orquestral, estando sua atividade atualmente reduzida a algumas formações de câmera,mais uma vez o empenho do maestro foi bem-sucedido. A atividade incansável de Prazeres pela recuperação da orquestra fez com que ele conseguisse a adesão de professores e alunos da Escola de Música da UFBa para fazer mais esse concerto e comemorar o trigésimo quarto aniversário da OSBA, tendo aproveitado para comunicar ao público presente a notícia que já era de todos esperada, o compromisso assumido pelo Governo do Estado de recuperar a orquestra, tanto que seu dirigente já anunciou como programa para o próximo ano a apresentação das nove sinfonias de Bruckner.

E, para concluir, o próprio maestro,depois de anunciarem seu desaparecimento, retornou ao palco caracterizado como lutador (papel que ele vem desempenhando incansavelmente em prol da continuidade da orquestra), com roupa esportiva, tênis e luvas de boxe para reger a música de Star Wars, acompanhada do desfile e combate dos guerreiros empunhando seus sabres de luz, deixando encantados adultos e crianças num final apoteótico. O público presente aplaudiu de pé e agradeceu a todos os que colaboraram para tornar aquela noite inesquecível, tendo saído satisfeito com a certeza de que em 2017 o espetáculo vai continuar…

Lúcia Jacobina é ensaísta e autora de “Aventura da Palavra”.


Be Sociable, Share!

Comentários

vitor on 7 outubro, 2016 at 15:03 #

Lucia

Belo e relevante artigo . Lindas trilhas de sempre do cinema, que empolgam e emocionam. Conte com o BP na batalha cultural de resistência pela salvação e soerguimento da OSBA , prestes a ser vitimada pelo abandono. Com delicadeza e generosidade você levanta a cortina deste absurdo que não pode se consumar!!!. Bravo!!!


Lucia Jacobina on 7 outubro, 2016 at 22:31 #

Obrigada, Vitor. É de fundamental importância contar com seu apoio e solidariedade para mais essa luta pela sobrevivência de um bem cultural do povo baiano. Inclusive essa preservação não se dará exclusivamente em benefício dos melômanos que são seu público cativo, tampouco para assegurar a tradição musical em nosso Estado que conta com compositores nacionalmente reconhecidos, mas sobretudo pela função social que a OSBA desempenha como um promissor mercado de trabalho para os jovens músicos que querem fazer carreira após a conclusão do curso universitário. Essa foi para mim a maior revelação, feita pela representante dos estudantes da Escola de Música da UFBA que tocaram no concerto.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • outubro 2016
    S T Q Q S S D
    « set   nov »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31