set
23

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Esqueceram de mim

Preso na PF em Curitiba, Alberto Youssef reclamou com colegas de carceragem que não teve o nome incluído no PowerPoint de Lula. O doleiro acha que já não é mais importante para a Lava Jato.

Mas ainda tem o ombro amigo de Marcelo Odebrecht.

BOA NOITE!!!

set
22

Do G1 São Paulo

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega deixou a sede da Polícia Federal em São Paulo por volta das 14h desta quinta-feira (22) após o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato, ter revogado sua prisão. Ele saiu da PF com o advogado em um carro com os vidros escuros sem falar com a imprensa.

Mantega foi preso por volta das 7h50 desta quinta-feira no hospital Albert Einsten, onde acompanhava sua mulher, que tem câncer, em um procedimento cirúrgico.

Para o advogado de Mantega, José Roberto Batochio, a revogação da prisão foi um ato de “legítima defesa da operação”.

“Foi uma prisão desnecessária, absuvia, autoritária e sobretudo desumana pela ‘coincidência’ com a cirurgia da mulher”, disse Batochio.

Para o advogado, a prisão foi revogada depois que a opinião pública se revelou contrária à prisão.

Moro afirmou que a Polícia Federal (PF), o Ministério Público Federal (MPF) e ele mesmo não tinham conhecimento do estado de saúde da mulher do Mantega, que tem câncer. O ex-ministro estava com a mulher no hospital Albert Einstein no momento da prisão.

A Polícia Federal afirmou que, nas proximidades do hospital, agentes ligaram para Mantega, que se apresentou espontaneamente na portaria. “De forma discreta e em viatura não ostensiva, o investigado acompanhou a equipe até o apartamento e, já tendo feito contato com seu advogado, foi então iniciado o procedimento de busca”, diz trecho de nota oficial emitida pela Polícia Federal. (Veja a íntegra no fim da reportagem)

Segundo o advogado, ele quem sugeriu que Mantega se apresentasse no lobby do hospital para evitar que homens com “roupas pretas, tocas ninjas e metralhadoras entrassem no hospital e causassem tumulto”.

“Quando ele foi procurado pela PF, a mulher estava pré-anestesiada e tinha saído do quarto. Ela estava em cima daquela maca rolante em direção ao centro cirúrgico e tocou o telefone dos policiais federais”, disse Batochio.

Sergio Moro citou que foi informado que o ato foi praticado com discrição, sem ingresso no hospital. Para decidir pela liberação do ex-ministro, ele argumentou que as buscas começaram e que Mantega, uma vez solto, não deve oferecer riscos ou interferir na colheita das provas.

“Procedo de ofício, pela urgência, mas ciente de essa provavelmente seria também a posição do MPF e da autoridade policial. Assim, revogo a prisão temporária decretada contra Guido Mantega, sem prejuízo das demais medidas e a avaliação de medidas futuras”, declarou o juiz.

Durante entrevista coletiva, na qual a força-tarefa detalhou a 34ª fase da Lava Jato, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou a prisão do ex-ministro teve como base “o fundamento foi a ordem pública”.

“Estamos falando de valores bilionários desviados dos cofres públicos”, disse. Ele afirmou que foi pedida a prisão preventiva do ex-ministro, mas o juiz recusou e deferiu prisão temporária. Carlos Fernando classificou de “coincidência infeliz” o fato de a prisão ter acontecido no momento em que Mantega acompanhava a mulher no hospital.

A prisão
Durante o cumprimento do mandado, nesta manhã, a PF foi até a casa de Mantega, mas o ex-ministro não estava. Ele estava no hospital Albert Einstein, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo, onde a mulher passa por uma cirurgia. Do hospital, os policiais levariam Mantega até seu apartamento em Pinheiros, na Zona Oeste, para também cumprir um mandado de busca e apreensão.
O ex-ministro Guido Mantega chega à sede da PF em SP (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)
O ex-ministro Guido Mantega chegou a ser levado para a sede da PF em SP (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)

34ª fase
A 34ª fase da Lava Jato, batizada de Arquivo X, investiga a contratação, pela Petrobras, de empresas para a construção de duas plataformas de exploração de petróleo na camada do pré-sal, as chamadas Floating Storage Offloanding (FSPO´s). O valor do contrato foi de US$ 922 milhões, de acordo com os investigadores.

Segundo a PF, as empresas Mendes Júnior e OSX – da qual Eike era presidente do Conselho de Administração – se associaram na forma de consórcio para obter os contratos de construção das duas plataformas, mesmo sem possuir experiência, estrutura ou preparo para tanto.

“Espera que este invierno muera
y otra prinavera florescerá”

Bem vinda Primavera de 2016, que chega hoje ao Hemisfério Sul.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

DEU NO BLOG POR ESCRITO ( DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Wagner vive seus dias de Sine-Bahia

Com a carreira e a inserção no meio político baiano e nacional, o ex-governador Jaques Wagner não precisa ser secretário do governo Rui Costa para credenciar-se a uma disputa pelo Senado em 2018, como sugerem os correligionários que trabalham para isso.

Por outro lado, é certo que ele não está precisando de emprego, no sentido salarial da palavra, pois dispõe de alguma justa aposentadoria por tantos anos de labuta.

A outra opção que querem lhe arranjar é a presidência nacional do PT. Essa se pode até desaconselhar, porque é pepino, ou rabo, na gíria carioca que Wagner já deve ter esquecido. Melhor ficar quieto no seu canto.

set
22
Posted on 22-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-09-2016

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

TCU COBRA 1 BILHÃO DE GABRIELLI & CIA

Para desgosto de Marco Aurélio Mello, o TCU determinou hoje o bloqueio de bens de José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, do ex-diretor Renato Duque e das empreiteiras Queiroz Galvão, Iesa Gás e Óleo e do Consórcio Ipojuca Interligações.

Em decisão unânime, os ministros aprovaram o relatório de Benjamin Zymler, que atestou irregularidades e superfaturamento de obras de tubovias na Refinaria Abreu e Lima (Rnest).

O prejuízo apurado foi de R$ 682 milhões, mas o valor corrigido chega a R$ 960 milhões.

DO EL PAÍS

Silvia Ayuso

O presidente do Brasil, Michel Temer, declarou nesta quarta-feira em Nova York que no país onde acaba de assumir as rédeas de forma definitiva “a confiança retornou” e prometeu que quem estiver disposto a investir no gigante sul-americano pode estar certo de que será respeitado o que for acordado porque, ressaltou, a estabilidade política e legal foi restabelecida. “Tudo o que for assinado será cumprido”, afirmou diante de altos executivos norte-americanos.
Michel Temer em Nova York.
Michel Temer em Nova York. LUCAS JACKSON / POOL

O presidente do Brasil, Michel Temer, declarou nesta quarta-feira em Nova York que no país onde acaba de assumir as rédeas de forma definitiva “a confiança retornou” e prometeu que quem estiver disposto a investir no gigante sul-americano pode estar certo de que será respeitado o que for acordado porque, ressaltou, a estabilidade política e legal foi restabelecida. “Tudo o que for assinado será cumprido”, afirmou diante de altos executivos norte-americanos.

Um dia depois de defender perante a plataforma política mundial que é a ONU a legalidade do processo de destituição de sua antecessora, Dilma Rousseff, seu sucessor e antigo aliado se dirigiu a outra plateia que também quer conquistar: os necessários investidores internacionais.

Diante deles, primeiro em um encontro privado com duas dezenas de representantes de fundos de investimentos e, depois, em um almoço na America’s Society, Temer fincou pé na “certeza legal” que seu mandato garante, segundo afirmou, acompanhado da “estabilidade política”, também assegurada, disse ele, desde que se foi confirmado na presidência no dia 31 de agosto.

No entanto, Temer não pôde escapar na cidade norte-americana dos protestos e dúvidas que o perseguem desde o Brasil. Também em Nova York teve de responder a perguntas sobre o escândalo de desvio de recursos públicos conhecido como Lava Jato e sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ameaça de julgamento por corrupção que pesa cada vez com mais certeza contra ele.

Temer disse não querer comentar a situação do ex-presidente para não entrar em areias movediças, mas garantiu que, se estivesse no lugar dele, iria à Justiça para defender seu caso. Temer não deu importância a uma pergunta sobre se acredita que um processo contra Lula poderia polarizar ainda mais a sociedade e se limitou a responder que, estando o caso em mãos da justiça, é aí onde a disputa legal tem de se desenrolar.

Do mesmo modo, esquivou-se de responder sobre a Lava Jato, alegando que se trata de “uma questão da justiça, não do ramo Executivo”, e reiterou sua intenção de “pacificar” um país convulsionado por protestos sociais pela crise econômica e política que está atravessando. Questionado se tinha consciência da corrupção no PT na época em que foi vice-presidente de Rousseff, ele afirmou que não. “Todo mundo sabe que eu não tinha participação no Governo e eu mesmo me rotulei como ‘vice-decorativo’”, respondeu.

Apesar de suas afirmações sobre a normalização da situação do Brasil, a divisão diante dos acontecimentos políticos dos últimos meses se tornou patente também em Nova York. Por um lado, nos protestos que perseguem Temer nestes dias nas ruas da cidade, onde dezenas de manifestantes o esperavam com cartazes e gritos denunciando o “golpe de Estado” que, segundo uma parte da sociedade, é o que significa o impeachment de Rousseff, e como a própria ex-presidenta qualificou sua destituição.

O protesto também chegou ao interior da sede da ONU, onde os representantes de seis países –Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador, Nicarágua e Costa Rica– se levantaram na terça-feira e saíram do plenário quando Temer tomou a palavra na Assembleia Geral.

O presidente brasileiro não deu importância ao gesto –embora o Brasil tenha chamado seu embaixador na Costa Rica depois de o presidente Luis Guillermo Solis ter deixado o plenário da ONU– e garantiu que “nem sequer” se deu conta de que esses países se haviam retirado de uma sala, lembrou, que representa 193 nações. Mas deixou patente seu mal-estar ao repreender o jornalista que lhe fez a pergunta, recomendando-lhe “que leia a Constituição brasileira”. Basta lê-la, “não interpretá-la”, enfatizou, “para ver que é um governo legítimo”, afirmou Temer.

Um dia depois de defender perante a plataforma política mundial que é a ONU a legalidade do processo de destituição de sua antecessora, Dilma Rousseff, seu sucessor e antigo aliado se dirigiu a outra plateia que também quer conquistar: os necessários investidores internacionais

Diante deles, primeiro em um encontro privado com duas dezenas de representantes de fundos de investimentos e, depois, em um almoço na America’s Society, Temer ficou pé na “certeza legal” que, seu mandato garante, segundo afirmou, acompanhado da “estabilidade política”, também assegurada, disse ele, desde que é formalmente presidente.

No entanto, Temer não pôde escapar na cidade norte-americana dos protestos e dúvidas que o perseguem desde o Brasil. Também em Nova York teve de responder a perguntas sobre o escândalo de desvio de recursos públicos conhecido como Lava Jato e sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ameaça de julgamento por corrupção que pesa cada vez com mais certeza contra ele.

Temer disse não querer comentar a situação do ex-presidente para não entrar em areias movediças, mas garantiu que, se estivesse no lugar dele, iria à Justiça para defender seu caso. Temer não deu importância a uma pergunta sobre se acredita que um processo contra Lula poderia polarizar ainda mais a sociedade e se limitou a responder que, estando o caso em mãos da justiça, é aí onde a disputa legal tem de se desenrolar.

Do mesmo modo, esquivou-se de responder sobre a Lava Jato, alegando que se trata de “uma questão da justiça, não do ramo executivo”, e reiterou sua intenção de “pacificar” um país convulsionado por protestos sociais pela crise econômica e política que está atravessando.

Apesar de suas afirmações sobre a normalização da situação do Brasil, a divisão diante dos acontecimentos políticos dos últimos meses se tornou patente também em Nova York. Por um lado, nos protestos que perseguem Temer nestes dias nas ruas da cidade, onde dezenas de manifestantes o esperavam com cartazes e gritos denunciando o “golpe de Estado” que, segundo uma parte da sociedade, é o que significa o impeachment de Rousseff, e como a própria ex-presidenta qualificou sua destituição.

O protesto também chegou ao interior da sede da ONU, onde os representantes de seis países –Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador, Nicarágua e Costa Rica– se levantaram na terça-feira e saíram do plenário quando Temer tomou a palavra na Assembleia Geral.

O presidente brasileiro não deu importância ao gesto –embora o Brasil tenha chamado seu embaixador na Costa Rica depois de o presidente Luis Guillermo Solis ter deixado o plenário da ONU– e garantiu que “nem sequer” se deu conta de que esses países se haviam retirado de uma sala, lembrou, que representa 193 nações. Mas deixou patente seu mal-estar ao repreender o jornalista que lhe fez a pergunta, recomendando-lhe “que leia a Constituição brasileira”. Basta lê-la, “não interpretá-la”, enfatizou, “para ver que é um governo legítimo”, afirmou Temer.

set
22
Posted on 22-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-09-2016


Jarbas, no Diário de Pernambuco ( Recife)

set
22
Posted on 22-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-09-2016


DO EL PAÍS

A Academia Latina de Gravação divulgou, na manhã desta quarta-feira, os indicados ao Grammy Latino 2016 por meio de vídeos no Facebook. A lista distribui as principais indicações entre estilos e países muito diferentes da Ibero-América. Djavan, os espanhóis Pablo Alborán, Enrique Iglesias e Buika, os mexicanos Sin Bandera, Jesse and Joy e Pepe Aguilar e os colombianos Morat, Carlos Vives e Shakira concorrem nas principais categorias. Os vencedores serão anunciados na cerimônia de gala anual do Grammy Latino, cuja décima-sétima edição será realizada em 17 de novembro em Las Vegas, EUA. No dia anterior, a indústria da música latina prestará homenagem a Marc Anthony como Pessoa do Ano. Confira as principais categorias do prêmio mais importante da música latina.

Gravação do Ano

Se Puede Amar, Pablo Alborán

Me Faltarás, Andrea Bocelli

Si Volveré, Buika

Vidas Pra Contar, Djavan

Duele El Corazón, Enrique Iglesias Featuring Wisin

Ecos De Amor, Jesse & Joy

Lado Derecho Del Corazón, Laura Pausini

Iguales, Diego Torres

La Bicicleta, Carlos Vives e Shakira
Música do Ano

A Chama Verde, John Finbury feat. Marcella Camargo

Bajo El Agua, Manuel Medrano

Céu, Celso Fonseca

Duele El Corazón, Enrique Iglesias feat. Wisin

Ecos De Amor, Jesse & Joy

En Ésta No, Sin Bandera

Es Como El Día, Kevin Johansen + The Nada

Hermanos, Fito Páez e Moska

La Bicicleta, Carlos Vives e Shakira

La Tormenta, Los Fabulosos Cadillacs
Álbum do ano

Tour Terral Tres Noches En Las Ventas, Pablo Alborán

Cinema (edição em espanhol), Andrea Bocelli

Mil Ciudades, Andrés Cepeda

Vidas Pra Contar, Djavan

Conexión, Fonseca

Los Dúo 2, Juan Gabriel

Un Besito Más, Jesse & Joy

¿Donde Están?, José Lugo e Guasábara Combo

Buena Vida, Diego Torres

Algo Sucede, Julieta Venegas

Artista Revelação

Sophia Abrahão
Alex Anwandter
The Chamanas
Esteman
Joss Favela
iLe
Mon Laferte
Manuel Medrano
Morat
Ian Ramil

Melhor Álbum de Pop Vocal Tradicional

Lleno De Vida, Adrián
Cinema (edição em espanhol), Andrea Bocelli
Mil Ciudades, Andrés Cepeda
Los Dúo 2, Juan Gabriel
Buena Vida, Diego Torres

Melhor Álbum de Música Urbana

Energía, J Balvin
Luz, El B
Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições De Casa…, Emicida
Visionary, Farruko
Despierta, Arianna Puello

Melhor Álbum Pop/Rock

8, Caramelos De Cianuro
Universos Paralelos, Jotdog
Buenaventura, La Santa Cecilia
Meteoros, Meteoros
Algo Sucede, Julieta Venegas

Melhor Álbum de Rock

Y Lo Dejamos Venir, Andrea Álvarez
Sexo Con Modelos, Marilina Bertoldi
La Salvación De Solo y Juan, Los Fabulosos Cadillacs
Biblia Ovni, Massacre
Los Amigo, Spinetta

Melhor Álbum de Latin Jazz

Jobim Jazz (Ao Vivo), Mario Adnet
Tropical Infinito, Antonio Adolfo
Between Brothers, Raul Agraz
Big Band, Carrera Quinta
Cuba: The Conversation Continues, Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra

Melhor Álbum de Música Alternativa

Cambio De Piel, Bebe
Caótica Belleza, Esteman
L.H.O.N., Illya Kuryaki & The Valderramas
Mon Laferte – Vol. 1, Mon Laferte
Amor Supremo, Carla Morrison

set
21
Posted on 21-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-09-2016

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Exclusivo: Pessoa confirma R$ 5 milhões para Dilma

No depoimento que deu ao ministro Herman Benjamin, o delator Ricardo Pessoa confirmou que entregou R$ 5 milhões para a campanha de reeleição de Dilma Rousseff, após exigência de Edinho Silva.

O tesoureiro de Dilma, como sempre, vinculou a doação à manutenção dos contratos da UTC com a Petrobras. Segundo apurou O Antagonista, Pessoa disse que o valor foi descontado da “conta da propina do PT” e autorizado por João Vaccari Neto.

Pages: 1 2 ... 5 6 7 8 9 ... 21 22

  • Arquivos

  • setembro 2016
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930