Magnificamente, Cole!!!

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)

DO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

Parte do prédio do Centro de Convenções da Bahia (às vésperas da reinauguração) desabou na noite desta sexta-feira (23). Moradores se assustaram com barulho intenso, pouco antes das 21h. Bombeiros, polícia e Defesa Civil estão no local, que foi interditado. Um vigilante, que quebrou a janela para sair da guarita, teve ferimentos leves, assim como uma policial militar que fica em um batalhão no local. Ninguém ficou soterrado.

“Ouvi um barulho muito forte e até senti o prédio tremer”, disse ao CORREIO um morador da região. Muitos curiosos estão no local. A professora Suiane Veloso, 30 anos, que mora próximo ao Centro de Convenções, foi até lá. “Eu estava em casa quando ouvi o barulho. Parecia um prédio desabando ou avião planando”.

Um engenheiro da Defesa Civil informou no local que a estrutura que caiu foi o mezanino do prédio, que fica antes do primeiro andar. Ele ainda não tem extensão do problema, mas a estrutura que desabou é grande e na queda atingiu a entrada principal, incluindo a guarita.

No Twitter, também houve relatos sobre o momento da queda. “Parte do Centro de Convenções de Salvador acabou de desabar. Ouvimos um estrondo enorme por todo o bairro. As janelas do prédio até tremeram”, escreveu um internauta. “Minha cama tremeu”, escreveu outra.

Fuga

O vigilante Sergio Souza, 37 anos, escapou do desabamento. “Eu estava dentro da portaria quando ouvi um estalo, barulho de coisas caindo”, contou. Para sair da guarita, ele deu um soco na janela de vidro e pulou para o lado de fora. “Corri e abri o portão”, diz. Um batalhão com oito policiais funciona no local e todos conseguiram sair correndo – um teve ferimentos leves. Outros cinco vigilantes que trabalham no Centro de Convenções, em outros pontos, também não se feriram.

O vigilante foi atendido no local por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e imobilizou a mão, que ficou machucada. Ele também tem arranhões no braço, mas não ficou ferido com gravidade.

Foram ouvidos outros pequenos desabamentos por volta das 21h45. A Defesa Civil já foi acionada pois a estrutura está instável e os Bombeiros não descartam riscos de novos desabamentos. A área foi isolada.

Interditado pela Sucom em 20 de maio de 2015, o Centro de Convenções passava por reforma e tinha previsão de inauguração até dia 15 de outubro, com expectativa de sediar em 2 de novembro um congresso de Odontologia. O investimento nas reformas foi de cerca de R$ 15 milhões. “A minha ideia é que esteja reaberto até 15 de outubro para que haja tempo hábil para a realização do evento, que acontece no dia 2 de novembro. O pessoal precisa entrar com 15 dias de antecedência para organizar tudo, arrumar estandes etc”, disse o secretário de Turismo, José Alves, à coluna Farol Econômico.


Dilma com Alice, quinta-feira , 22, em Salvador…


…e com Wagner, que depois da campanha ira para a FLEM

ARTIGO DA SEMANA

Ao pé do Caboclo: Dilma, Wagner, Rui e Alice em Salvador

Vitor Hugo Soares

A Cidade da Bahia assistiu, na tarde da última quinta-feira, 21, a reprodução temporã de uma de suas mais tradicionais e reconhecidas cerimônias de lamentações na política e no futebol: o “choro no pé do Caboclo”. Aconteceu antes da caminhada “das oposições soteropolitanas em desalinho” ao centro da capital, marcada por nítidos sinais de desencanto e atordoamento decorrentes, em grande parte, da divulgação dos números da mais recente pesquisa, do Instituto Paraná/Rede Record, de intenção de votos para a prefeitura de Salvador. O candidato ACM Neto (DEM) segue em pleno galope, com 69 por cento da preferência dos eleitores, contra 10,5% da deputada Alice Portugal (PC do B), candidata do governador Rui Costa e do ex-ministro Jaques Wagner, do PT.

Refiro-me, é claro, à performance da ex-presidente Dilma Rousseff em sua primeira visita à capital baiana, depois de condenada e afastada do cargo, por prática de crime de responsabilidade e pedaladas fiscais (mas preservada em seus plenos direitos políticos e de ocupar cargos públicos, graças à estranha e imediata anistia que recebeu da aliança, à margem da Constituição, construída pelo ministro Ricardo Lewandowski, do STF, e Renan Calheiros, presidente do Senado).

Pior para a turma de Rui e Wagner que o resultado da pesquisa Paraná/Record, – divulgada pouco antes da concentração, na praça histórica aos heróis do 2 de Julho, no Campo Grande, rumo à caminhada que iria culminar com um comício eleitoral, na Praça Castro Alves, estrelado pela ex-presidente – foi o impacto nacional devastador, nos comando e na militância petista, causado pela notícia da detenção, em São Paulo, do ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, em nova etapa da operação Lava Jato, de combate a corruptos e corruptores.

Com buscas e prisão feitas também em Salvador, horas antes de Dilma desembarcar na cidade. E de começar, sob o comando de Jaques Wagner, o “chame gente” ( para usar a expressão do famoso frevo baiano de Moraes Moreira), no Campo Grande. Um banho de água fria, sem chuva, no começo da primavera na cidade de todos os santos e de quase todos os pecados, no dizer do saudoso cronista do cotidiano, Nelson Gallo. Uma conjugação de tempestades quase perfeitas e de desventuras políticas mais que propícias para lamentações e choro de mágoas e decepções ao pé do monumento ao Caboclo.

Aqui, abro um pequeno interlúdio, para informações e algumas explicações necessárias ao entendimento do 22 de setembro de 2016 na Cidade da Bahia, visitada por Dilma Rousseff às vésperas da votação para eleger o comando da prefeitura da quarta maior capital do País. Primeiro e único, muito provavelmente, a deduzir pelas pesquisas mais atualizadas (dias antes do instituto Paraná, o Ibope havia divulgado uma pesquisa, encomenda pela TV Bahia (afiliada da Rede Globo) com números bastante parecidos, francamente favoráveis a ACM Neto, o candidato da coligação DEM/PMDB, que segue, na frente para permanecer no comando do Palácio Tomé de Souza.

Escrevi uma vez, em 2005, sobre este tema. Vale reproduzir agora alguns trechos, 11 anos depois, não só para contextualizar os fatos desta semana, mas, igualmente, para os devidos comparativos factuais e históricos por parte dos leitores: “Vá chorar no pé do caboclo” é uma expressão popular com a cara de Salvador. Tanto quanto a célebre ¨triste Bahia”, do poeta satírico Gregório de Matos, o boca do inferno, ou “cada macaco no seu galho”, de Riachão, sambista da terra. A frase tem a ver com os festejos ao 2 de Julho, data cívica mais reverenciada do Estado”.

“O Caboclo e a Cabocla – é preciso explicar aos nativos de outras paragens – são personagens simbólicos das batalhas libertárias de Pirajá. Os conterrâneos da heroína Joana Angélica identificam um significado épico e histórico no 2 de Julho para a consolidação, por meio de lutas heróicas, da Independência do Brasil. No Campo Grande, depois de anos de polêmica, foi construído o monumento em louvor a esses heróis da raça, inaugurado em 2 de julho de 1895. E começou o costume local de aconselhar o choro no pé do caboclo, quando se chega “à casa do sem jeito”.

Na situação em tela, pode até não ser ainda a casa do sem jeito. Mas o choro correu solto “diante do caboclo”, antes da saída em passeata eleitoral de Dilma com Alice, que culminaria no comício da Castro Alves. Malandramente convocada, nas rádios e emissoras de TV, como “ato em defesa da democracia e pelo Fora Temer”.

Ainda no Campo Grande, em meio a gritos de palavras de ordem pela militância, e choradeira quase geral, o ex-ministro Jaques Wagner cutucou com provocações risíveis o candidato do DEM. Cobrou de ACM Neto, -cuja gestão é aprovada por mais de 80% da população, – que traga o presidente Michel Temer para participar de ato de sua campanha, acompanhado do ministro Geddel Vieira Lima, do PMDB, principal aliado do prefeito na campanha de reeleição. “Duvido que o prefeito queira aparecer ao lado de Temer e Geddel, como nós ao lado de Dilma. E aí Neto, vai trazer Temer?”, disse Wagner na praça.

No palanque da Castro Alves, em seu discurso, Dilma seguiu na arenga, puxando o assunto do metrô soteropolitano (que já enterrou carradas de dinheiro público e serve de bandeira eleitoral petista há mais de 14 anos) para provocar Neto: “Quem é capaz de dar golpe e defender rupturas, perdas de direitos trabalhistas, é capaz de mentir em quaisquer circunstâncias”, disse a ex-mandatária condenada e afastada, sobre a declaração de ACM Neto em sua campanha, de que ajudou a destravar e fazer o metrô de Salvador andar.

Choro de matar de rir ao ocupante do Tomé de Souza e seus atuais aliados em Brasília. Mais que isso, só a confirmação do governador Rui Costa, de que o ex (governador e ministro), Jaques Wagner, depois das eleições municipais, vai ocupar o comando da Fundação Luiz Eduardo Magalhães (FLEM), órgão de planejamento do governo do Estado. Ou não? Responda quem souber.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br

Letra: Sergio Natureza / Música: Paulinho da Viola
Um monumento musical em ritmo de samba. Confira!

BOM DIA !!!

(Vitor Hugo Soares)

set
24

Ausência de Neto divulgou debate da TVE

Agora que os fatos começam a se consumar, é difícil dizer que tipo de assessor – porque a ideia não pode ter sido dele – terá convencido o prefeito ACM Neto a não participar de debates nas emissoras de televisão, exceto na de sua família.

O tamanho do erro começa a se apresentar: o grande público só soube que ontem houve um debate de candidatos a prefeito na TVE porque Neto não compareceu, tornando-se, na sua cadeira vazia, um alvo parado para os demais competidores.

O que deveria ser “traço” de audiência – um número próximo de zero, no jargão publicitário – ganhou repercussão por outros caminhos.

A ausência do prefeito se irradia a partir do meio político, ocupa espaço de comentários radiofônicos, frequenta as redes sociais e serve de munição aos concorrentes, sem falar na densidade demográfica de Salvador.

Repercussão será maior na TV Record

Neto não deixou de ser favorito por isso, e é claro que a ampla vantagem o estimulou a agir assim. Entretanto, é falha capital que macula seu suposto espírito democrático e tem discordância mesmo entre eleitores convictos.

A estranheza quanto a essa posição obstinada do prefeito é tanto maior porque na TV Bahia todos os seus adversários estarão presentes para falar livremente. Não se sabe exatamente o que poderiam dizer ontem, na TVE, que não possa ser proclamado na TV Bahia no dia 29.

O prefeito não conseguirá esconder a ausência no debate da TVE nem no da TV Record, domingo, que terá maior reverberação ainda. E para ser coerente com a opção contrária à discussão aberta e frontal, deveria cancelar a participação, também, no evento da emissora da família.

Todos à TV Bahia!

Sempre em sintonia com o proveito político, o deputado Sargento Isidório desta vez deu uma derrapada ao propor que, em represália, os candidatos a prefeito deveriam faltar em bloco ao debate na TV Bahia.

Ora, isso seria obviamente fazer o jogo do adversário, ninguém duvide de que ele iria soltar foguetes. É justamente na televisão de maior audiência que a presença de todos será mais produtiva, quando estarão frente a frente com “o monarca”, como diz Isidório.

set
24
Posted on 24-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 24-09-2016


Miguel, no Jornal do Comércio (PE)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Parabéns, rapazes!

A turma do PowerPoint levou essa semana o prêmio principal do CNMP pelo trabalho de combate à corrupção na Lava Jato. Para desgosto de Lula, a cerimônia ocorreu no Royal Tulip de Brasília.

“Não poderíamos receber esse prêmio se não fossem membros e servidores do Ministério Público brasileiro, que trabalham incansavelmente contra a corrupção”, disse Deltan Dallagnol.

  • Arquivos

  • setembro 2016
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930