Já é primavera no BP.

BOA TARDE!!!

(Gilson Nogueira)

set
09

DO PORTAL G1/ O GLOBO

Roniara Castilhos

Da TV Globo, em Brasília

A nova advogada-geral da União, Grace Mendonça, confirmada nesta sexta-feira (9) no cargo, é a primeira mulher a ser ministra no governo do presidente Michel Temer. Ela vai para o lugar do agora ex-ministro Fábio Medina, demitido também nesta sexta (9). Grace é servidora de carreira da AGU.

A nomeação de Grace foi publicada em edição extra do “Diário Oficial da União” no início da tarde de hoje. Também foi publicada a demissão de Medina. A posse da nova ministra deve ser na segunda-feira (12).

O Palácio do Planalto informou por meio de nota a saída de Medina e o convite a Grace Mendonça. No texto, Temer agradeceu “os relevantes serviços prestados pelo competente advogado doutor Fábio Medina Osório”. Ele foi demitido por telefone pelo presidente.

Segundo a GloboNews, Medina teria tido uma discussão com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha nesta quinta-feira (8). Após o desentendimento, Padilha teria demitido Medina. O agora ex-advogado-geral da União, no entanto, havia afirmado que Temer é quem deveria tomar esse tipo de decisão.

Temer se reuniu com a nova AGU nesta sexta em seu gabinete para convidá-la oficialmente para o cargo. No caso de Medina, a demissão foi feita por telefone.

Carreira

Grace Maria Fernandes Mendonça é a primeira mulher a assumir oficialmente o cargo de advogada-geral da União, segundo a assessoria do órgão. Nascida em 17 de outubro de 1968, é natural de Januária (MG).

É bacharel em Direito pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal, especialista em Direito Processual Civil e mestranda em Direito Constitucional, informou a AGU;

Ela faz parte do quadro de servidores do órgão desde 2001. Ela atuava como secretária-geral de contencioso desde 2003. O cargo é responsável por representar a União junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Grace Maria já atuou em mais de 60 processos no Supremo.

Na AGU, também já exerceu os cargos de adjunta do advogado-geral da União e de coordenadora-geral do gabinete do advogado-geral da União. Ela também chegou a ocupar o cargo de advogada-geral da União interinamente.

Desentendimento
Padilha indicou Medina para a pasta, mas, segundo a GloboNews, estaria insatisfeito com uma sucessão de ações consideradas erráticas pelo Planalto por parte do ministro no comando da AGU. Após a discussão entre ele e Padilha, assessores do governo já davam como certa a demissão.

Segundo o colunista do G1 e da GloboNews Gerson Camarotti, a gota d’água para a demissão de Medina foram, segundo interlocutores do Palácio do Planalto, afirmações feitas recentemente por ele de que tinha a intenção de que a AGU se associasse à Lava Jato para investigar políticos.

Além disso, segundo o Blog do Camarotti, interlocutores do governo o ex-AGU estava querendo ganhar uma visibilidade política no cargo e também ganhar protagonismo na própria Operação Lava Jato, o que seria incompatível com o cargo.

Em agosto, o Fábio Medina pediu ao STF cópia de processos abertos contra diversos parlamentares dentro da Lava Jato para abrir ações de ressarcimento de valores desviados dos cofres públicos.

Os pedidos da AGU foram feitos nos casos em que a Polícia Federal já concluiu a investigação e encontrou indícios de participação dos políticos em desvios no esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

Segundo apurou a TV Globo, também pesaram contra Medina a atuação no caso da demissão do presidente da EBC, o pouco diálogo com ministros do STF e problemas com a equipe do órgão.

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Rui antecipa confronto com Neto

Depois de tentar sem êxito fazer a candidatura de sua preferência a prefeita de Salvador, o governador Rui Costa esquece a tese da “pulverização” e concentra forças no apoio à deputada Alice Portugal (PCdoB).

A postura é surpreendente, porque, se o governador defendia a ideia do lançamento de vários nomes para tentar, com a diluição dos votos, um hipotético segundo turno, seria de esperar que ele participasse igualmente de todas as campanhas da “base”.

Nesse aspecto, vale uma digressão: naquele momento estava “ameaçada” a “unidade da esquerda”, esta entendida como aqueles partidos que hoje são meros rótulos, sem correspondência ideológica com a história do segmento.

No entanto, tão logo se fechou a negociação entre PCdoB, PT e PSB, a qual incluiu ainda os direitistas assumidos PSD e PTN, o governador colocou em segundo plano os demais aliados – deputado Sargento Isidório (PDT) e Cláudio Silva (PP).

Na propaganda, Rui aparece mostrando obras de seu governo em Salvador, que são, de fato, marcantes, e promete ao público “parceria” com Alice para fazer avançar ainda mais o trabalho na capital.

Mergulhou na campanha, e esta é a questão: se, por um lado, mostra disposição política para o enfrentamento com o prefeito ACM Neto, por outro, antecipa perigosamente o confronto que ambos poderão ter em 2018.

Precisaria vencer agora ou, pelo menos, levar a disputa, como era seu plano, para o segundo turno. Uma derrota expressiva seria um forte indicativo de que a próxima sucessão estadual será uma “eleição do século”.

Conceito de risco

Esse negócio de querer administrar esta cidade “com um olhar de mãe sobre seus filhos” pode não dar certo para Alice Portugal como mote de discurso.

Recordemos que a gestão da prefeita Lídice da Mata (1993-97), da Fundação Cidade-Mãe, não foi exatamente um modelo de eficiência, e que a lembrança da ex-presidente Dilma, a mãe do PAC, ainda é muito recente.

Viva Rocio!!! Viva o Passodoble!!! Viva Espanha!!!

BOM DIA!

(Vitor Hugo Soares)


Michel Temer e Mariano Rajoy durante encontro bilateral realizado em 5 de setembro na cidade chinesa de Hangzhou Juan Carlos Hidalgo EFE


DO EL PAÍS

Javier Casqueiro

Madri

Mariano Rajoy e Michel Temer estreitaram laços e trocaram convites para visitas recíprocas durante a recente reunião do G-20, realizada na China. O primeiro-ministro espanhol em exercício apressou-se, dessa forma, em acolher o novo chefe de Estado e do Governo brasileiro, confirmado no cargo depois da destituição de Dilma Rousseff pelo parlamento.

O novo presidente do Brasil encontrou resistências por parte de outros líderes para a realização de encontros bilaterais, dada a maneira como chegou ao poder após a destituição de sua antecessora, de quem era o vice. Em Hangzhou, ele se reuniu face a face com os primeiros-ministros do Japão, Shinzo Abe, e da Itália, Matteo Renzi.

Embora nos outros casos tenha sido feito um registro fotográfico, somente no caso de Rajoy houve uma pose formal, com as bandeiras nacionais ao fundo e as equipes dos dois mandatários. Além da pose inicial com o anfitrião, o presidente chinês Xi Jinping, esse foi o maior gesto de apoio que o novo presidente do Brasil, contra quem se multiplicam as manifestações pelas ruas do país, poderia ter recebido.

Além de Rajoy, o presidente brasileiro convidou também o rei Felipe VI para uma visita oficial ao Brasil. Rajoy e Temer conversaram também a respeito da nova situação que se abre na Colômbia após a assinatura do acordo de paz entre o Governo e a guerrilha das FARC, bem como sobre a tensão política e institucional vigente na Venezuela. Fontes da comitiva espanhola informam que os mandatários também trocaram opiniões sobre a situação política em seus respectivos países.

O líder espanhol expôs a seu colega os dados referentes às eleições na Espanha em 20 de dezembro passado, assim como em 26 de junho, relatando, igualmente, como se deu o posterior bloqueio à formação de um governo pleno, situação que se arrasta há quase um ano. Expos, também, a sua visão sobre o que aconteceu na semana passada no Congresso, quando sua investidura não prosperou, e relatou como andam as negociações em curso para destravar a paralisia política antes que se torne incontornável a convocação de uma terceira eleição em 31 de outubro.

Ainda de acordo com fontes do palácio de La Moncloa, Temer relatou a Rajoy o que está acontecendo no Brasil e como se deu a decisão final do Senado no processo de destituição da ex-presidente Rousseff.

O dirigente brasileiro evitou conversas políticas como essa com outros líderes, mas recebeu congratulações de muitos deles, como o presidente chinês, Xi Jinping, pela “fantástica e bem-sucedida” realização dos Jogos Olímpicos e pela estreia como líder de seu país em uma reunião do G-20.

“O encontro me pareceu positivo sob todos os aspectos”, declarou Temer, mais tarde, à imprensa de seu país, segundo a agência espanhola EFE, principalmente “do ponto de vista do reconhecimento e das homenagens prestadas ao Brasil por parte de todos os participantes”.

“Toda vez que eu entrava em uma sala conversando com alguém, eram muitos os cumprimentos ao Brasil”, disse.

Rajoy e Temer falaram também a respeito das perspectivas econômicas de seus países e de suas regiões. Assim como sobre as relações bilaterais, tanto políticas quanto econômicas e empresariais, marcadas por inúmeros interesses em comum. O Brasil é o terceiro país com maior presença de investimento por parte da Espanha, e grandes empresas como o Santander ou a Repsol possuem interesses nesse país.

O primeiro-ministro espanhol convidou Temer a visitar a Espanha e o brasileiro fez o mesmo, tanto para Rajoy como para o Rei da Espanha. Fontes de La Moncloa afirmam, porém, que, de todo modo, essas visitas não se concretizarão em curto prazo, podendo levar cerca de seis meses para isso.

Os dois mandatários aproveitaram o encontro na China para abordar outras questões da região e da América Latina que afetam diretamente os dois países, como o novo cenário aberto na Colômbia com o acordo de paz entre o Governo e a guerrilha das FARC, que deve ser aprovado pela população em referendo marcado para outubro. Comentaram, também, a situação tensa e conflitiva em vigor já há algum tempo na Venezuela com a reivindicação da realização de um referendo revogatório contra o presidente do país, Nicolás Maduro, e as manifestações da oposição nas ruas.

Rajoy aproveitou a reunião do G-20 na China para realizar encontros bilaterais também com oo presidentes da Argentina, Mauricio Macri, e da China, Xi Jimping.

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Claudio Dantas comenta a saída de Ricardo Lewandowski da presidência do STF e o impacto que terá sua volta à segunda turma, que julga a Lava Jato.

Os recursos contra o impeachment de Dilma Rousseff, rejeitados por Teori Zavascki e Rosa Weber, também estão no Momento Antagonista.

set
09
Posted on 09-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 09-09-2016


Clayton, no jornal O Povo (CE)

set
09
Posted on 09-09-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 09-09-2016


DO EL PAÍS

O nadador norte-americano Ryan Lochte, 12 vezes medalhista olímpico, foi punido e ficará 10 meses sem competir devido ao escândalo que protagonizou nos Jogos do Rio de Janeiro, quando inventou ter sofrido um assalto à mão armada, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira pela imprensa local.

A punição imposta pelo Comitê Olímpico dos Estados Unidos e pela Federação de Natação USA Swimming impedirá Lochte de competir no Campeonato Mundial de Natação, que será realizado em Budapeste, em julho de 2017.

Segundo o jornal USA Today, os outros nadadores norte-americanos envolvidos no incidente no Rio, James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger também receberão punições, porém mais leves do que a de Lochte. De acordo com o portal TMZ.com, que divulgou inicialmente a notícia, o prazo das punições para Feigen, Bentz e Conger não será superior a quatro meses fora das piscinas.

Durante os Jogos Olímpicos do Rio, os quatro nadadores, liderados por Lochte, inventaram um assalto à mão armada que teria envolvido criminosos disfarçados de policiais que, segundo eles, teriam parado o táxi no qual retornavam à Vila Olímpica de madrugada, depois de uma festa.

As contradições em suas versões, juntamente com um vídeo que mostrava a chegada dos nadadores às instalações olímpicas horas depois do suposto assalto, tranquilos e com seus pertences, levaram a polícia brasileira a iniciar uma investigação.

Essa investigação concluiu que foram precisamente os nadadores que causaram danos em um posto de gasolina quando pararam com o táxi e também um confronto com agentes de segurança, que os fizeram pagar pelos danos, um incidente que, em seguida, tentaram fazer passar por um assalto.

A Justiça brasileira ordenou a retenção dos passaportes dos atletas e impediu dois deles (Bentz e Conger), que já estavam no aeroporto do Rio, de embarcar no avião de volta para os Estados Unidos, embora tenham deixado o país no dia seguinte, depois prestar depoimento. Até então, Lochte era o único dos quatro que havia retornado aos EUA.

Os promotores brasileiros apresentaram acusações por “falsa comunicação de crime” contra Feigen, que fechou um acordo com a Justiça depois de uma audiência de quatro horas, ao pagar uma multa de 35.000 reais.

Lochte, por sua vez, enfrenta um processo no Brasil também por “falsa comunicação de crime”. Depois de reconhecer que havia mentido e pedir desculpas, Lochte perdeu todos os quatro grandes patrocinadores que tinha como a Speedo (vestuário esportivo), Gentle Hair Removal (cosméticos), Airwave (colchões) e Ralph Lauren (moda). Agora, o nadador aceitou uma oferta para participar da próxima temporada do popular programa de TV “Dançando com as Estrelas”, o original da norte-americana ABC.

  • Arquivos

  • setembro 2016
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930