set
01
Postado em 01-09-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 01-09-2016 00:16

A vida corre em disparada! Ou melhor, voa!

Maria Aparecida Torneros

Um dia eu perguntei ao meu pai o que era morrer.

Devia ter uns 5 anos. Lembro que ele me abraçou carinhosamente e resumiu: ” é como voar”. Chorei. Ele me consolou explicando que isso demoraria muito. Conseguiu me fazer sorrir de novo.

E , claro, há cerca de 10 anos, Ele já voou. Mamãe tá aqui com Alzheimer e resiste. Fará 90 em Janeiro. Praticamente não enxerga mas me dá broncas porque me aposentei. Lido com ela, pisando em ovos. Lembro da infância e seus cuidados. Só tenho um irmão. Eu vou completar 67 e ele 65 em setembro.

Temos filhos e ele tem um neto.
No festival da música Disparada, nos anos 60, recordo como meu pai elogiava e foi logo comprar o vinil pra gente ouvir em casa.

A vida disparou. Como tenho ultimamente que conviver com saúde debilitada e muitas dores, preparo o meu coração porque adoro um sertão. A paisagem e o gado. O verde e a guerra da sobrevivência.

Porque tive e tenho a sorte de conviver com família e amigos tão especiais não posso pensar no direito de desistir. Devo resistir.

Como em Disparada. Na hora certa também vou voar. E quero sorrir deixando pra trás uma experiência indescritível que é viver tanto mistério. sem chorar.

Cá estou meio sem rumo. Caio e levanto. Capengo e me aprumo. Choro e volto a sorrir.

Tudo em disparada. Não dá tempo de refletir mais sobre isso. Só posso agradecer a sorte. E seguir enquanto minhas asas crescem.

Cida Torneros é jornalista e escritora. Mora no Rio de Janeiro, onde é editora do Blog da Mulher Necessária

Be Sociable, Share!

Comentários

Cida Torneros on 1 setembro, 2016 at 1:14 #

Obrigada Vitor e toda a turma do BP por me permititem compartilhar algo tão pessoal mas em momento tão nacions l. O Brasil dos grandes sertões. Das caatingas e secas. Dos coronéis e acordos inenarráveis também vai em disparada. Como uma boiada sem vaqueiro vivo. Todos da nossa geração aprendemos a ver a morte quase sem chorar. Há que pensar menos nos poderes efêmeros e mais nas reais necessidades de um povo festeiro seja das cidades ou dos sertões. Santos Dumont me representou nas Olimpíadas. O sonho de voar é legar para a história um dia de país unido e resolvido.
Por isso viajei na lembrança do gado e do verde. Pensei na nossa gente humilde que sequer imagina as mordomias dos poderosos. Disparada é mensagem para refletir e mudar as regras do jogo.
Tenho sorte de lidar com pessas especiais como vocês. Sou grata. Um grande abraço.
Cida Torneros


regina on 1 setembro, 2016 at 1:34 #

Dia pesado, querida Cida, vida pesada…
Te abraço com o desejo de diminuir tua dor….
Que nossas asas nos levem em um longo e deslumbrante voo quando chegue nossa hora, mas, por enquanto, que nossos dias sejam menos pesados!!


ermelinda rita on 1 setembro, 2016 at 5:19 #

As asas crescem e sabemos que vamos voar.No entanto,Cida ainda tem muito o que fazer em terra firme.Beijos e parabéns pela reflexão.


luís augusto on 1 setembro, 2016 at 6:46 #

Me abalou às seis e meia da manhã. Além de tudo, lindo.


luiz alfredo motta fontana on 1 setembro, 2016 at 8:49 #

Cara Cida

Quando a alma fala todo silêncio é reverência.

Tem dualidade em teu texto poético, tem a angústia do pressentir, tem a esperança do renovar, doce e amarga mistura.

Cabe Edu Lobo

https://www.youtube.com/watch?v=4uQvB2M1OaA

Cabe Lennon-McCartney

https://www.youtube.com/watch?v=qokMu7BMv_8


luiz alfredo motta fontana on 1 setembro, 2016 at 8:51 #

Gostaria de saber da diligente censora a razão de me sujeitar novamente ao expediente triste da moderação?


luiz alfredo motta fontana on 1 setembro, 2016 at 9:08 #

Lamento Cida, talvez quando a “boa vontade”, de quem me censura, permitir, poderei dizer o que teu texto despertou!


luís augusto on 1 setembro, 2016 at 9:35 #

Poeta, explique melhor esse negócio de censura. Não entendi.


Cida Torneros on 1 setembro, 2016 at 9:45 #

Meninos não briguem. Paz e amor! Um dia seremos todos anjos no céu das ilusões. Este nosso BP é republicsno, democrático e fomentador de paixões. RS. Amo todos vocês meninod e meninas. Quando puder baixo em Salvador e fazemos uma festa .bjs


luiz alfredo motta fontana on 1 setembro, 2016 at 10:06 #

Simples, voltaram a me sujeitar à este incomodo chamado moderação, não acredito que ainda caiba em alguém que frequenta este sitio há tatos anos sem nunca ter ferido qualquer regra de comportamento.


Cida Torneros on 1 setembro, 2016 at 11:23 #

Luiz Alfredo. Estou arrepiada. Acho que a pseudo censura foi pra preparar meu coração que até disparou. Lindas canções e obrigada por tua sensibilidade. Cabe um beijo!
Smackkkk


luiz alfredo motta fontana on 1 setembro, 2016 at 11:57 #

Abraços, Cida!


Cida Torneros on 1 setembro, 2016 at 14:18 #

Minha amiga Regina Soares me mandou. Adorooooo

https://youtu.be/C3PB1jWO3_E


regina on 1 setembro, 2016 at 14:56 #

Interessante, Cida, justamente quando eu ia testar minha teoria de que os “attachments” links anexos, faziam acionar a moderação, vc manda esse email e minha teoria vem abaixo….
Seja qual for o motivo, e me recuso a chamar censura, como já se justificou, em outras ocasiões, o editor deste site/blog que nós acostumamos a chamar de nosso, pois aqui depositamos nossa voz, mais que sentimentos, e onde nos sentimos em casa pra falar sem peias, seja descoberto e arejado sem restrições, para que evitemos os ressentimentos desnecessários…Obrigada!!


Vanderlei on 1 setembro, 2016 at 17:59 #

Adorei, parabéns!. Já passei por uma doença grave e dois assaltos a mão armada, sendo que no segundo tive de fingir de morto, e graças a Deus e o destino, os assaltantes acreditaram. A vida segue…mas com certeza em disparada.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • setembro 2016
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930