Artur Ikissima: arte na fotografia e na convivência

DO CORREIO DA BAHIA24HORAS/ BAHIA EM PAUTA

Da Redação

Morreu em Salvador, aos 77 anos, o fotógrafo baiano Arthur Ikissima vítima de uma parada respiratória. O fotógrafo faleceu por volta das 17h de quarta-feira (27), na casa onde morava no bairro da Pituba.

Arthur morreu vítima de uma parada cardíaca na casa onde morava, no bairro da Pituba
(Foto: Reprodução/Facebook)

Arthur sofria de um tumor no cérebro. O corpo do fotógrafo será cremado às 14h30 desta quinta-feira (28) no Cemitério Bosque da Paz, na Avenida Aliomar Baleeiro, no bairro de Nova Brasília.

Paulista, Arthur Ikissima chegou a Bahia aos 20 anos, onde começou a fotografar. Dentre os locais em que trabalhou, estão a sucursal do Jornal do Brasil e da revista Veja e no jornal A Tarde, em Salvador. No final da década de 1970, Arthur integrou o Grupo de Fotógrafos da Bahia.

Bastante ligado à área cultural, principalmente à dança, Arthur Ikissima fez o registro de vários artistas, dentre eles Caetano Veloso, Gilberto Gil e Jorge Amado. Dentre os trabalhos mais famosos do fotógrafo estão as capas dos discos ‘Barra 69 Cateano e Gil’ (1972), dos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, e ‘Cantoria’ (1984), de Elomar, Geraldo Azevedo, Vital Farias e Xangai.

Perda sem tamanho para o foto jornalismo nacional, para a inteligência, cultura e a arte da convivência pessoal e profissional na Bahia, especialmente Salvador, sua cidade do coração.

Be Sociable, Share!

Comentários

marli carneiro on 29 julho, 2016 at 9:49 #

Saudade eterna!
Vai com Deus meu irmão


GERALDO VILALVA on 30 julho, 2016 at 13:08 #

Artur trabalhou muito tempo na Veja com Edgar Catoira e Carlos Libório. Competente e muito profissional em todas suas atividades.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos