DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Torquato Jardim reage a servidores

Após a posse, Torquato Jardim gravou uma mensagem interna aos servidores do Ministério da Transparência. Como mostramos mais cedo, representantes dos funcionários ameaçam parar as atividades de fiscalização enquanto o governo não recriar a CGU.

Jardim sabe que o movimento é liderado pelo petista Rudinei Marques.

Ele deu um ultimato:

“Quem tiver incompatibilidades filosóficas, ideológicas e políticas insuperáveis com o governo interino, tenha dignidade de entregar o seu cargo.”

BOA TARDE!!!

DE NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

PT a aliados: “Toma que o filho é teu”

Os rumores e informações em curso no lado oposicionista da sucessão municipal conferem alta emoção ao processo, mas só do ponto de vista da alimentação da euforia da imprensa, porque, vendo-se o quadro do ângulo eleitoral, é fatura liquidada, o que as urnas dirão em quatro meses.

O maior indicador é a “magnanimidade” do PT, que abre mão, na “discussão” com os aliados, de indicar o candidato a prefeito, embora disponha de pretendentes, como o deputado Valmir Assunção, o vereador Gilmar Santiago e o ex-ministro Juca Ferreira – este aparentemente com menos chance por ser branco.

Nesse aspecto, vale lembrar que seria, após cinco eleições, a primeira em que o PT não teria a cabeça da chapa. Os respeitáveis nomes do deputado Nelson Pelegrino, em quatro oportunidades mal-sucedidas, e do senador Walter Pinheiro, em uma, ocuparam as vagas de 1996 a 2012.

Quando o maná sobra para expressividades mais modestas, como as citadas, é porque, na linguagem pouco burilada da atual política brasileira, é esparro. Infelizmente, para os petistas, o ex-governador Jaques Wagner, única personalidade capaz de bater o prefeito ACM Neto em outubro, preferirá a tranquilidade da federal quarentena.

Imprimir Imprimir Enviar por e-mail Enviar por e-mail

A seguir, o PCdoB do B

Data: 01/06/2016
16:36:33

O desconcerto da “esquerda” não para por aí. Informa-se a determinação do presidente do PCdoB, deputado Daniel Almeida, de fazer da deputada Alice Portugal a candidata, enquanto ao PT interessaria outra “comunista”, Olívia Santana, secretária de Política para as Mulheres do governo Rui Costa, que até as 16 horas de hoje continuava no cargo.

O PCdoB, de fato e enfim, parece ter assumido sua independência em relação ao PT, como demonstra em Vitória da Conquista, na candidatura do deputado Fabrício Falcão. A questão é que, em Salvador, o torpor da liberdade estaria exagerado, com dissidência que, a julgar pela história, não será tolerada.

Imprimir Imprimir Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Feminismo eleitoral

Data: 01/06/2016
16:35:12

Outra coisa não se pode ignorar: na Prefeitura, deve ser desejo total que a “esquerda” dispute a eleição com uma das mulheres disponíveis, embalada pela “questão de gênero” tão em voga ultimamente.

É discurso que não cola mais, seja proferido pela deputada Alice, seja pela senadora Lídice da Mata (PSB), especialmente esta última, que tem passagem pelo cargo, e serão permitidas comparações.

Sugere-se a marqueteiros que assumam eventual campanha não recomendar o uso da “perseguição” pelo falecido senador Antonio Carlos Magalhães, que teve sua parcela de responsabilidade, mas não pelo desastre total do lixo, buracos e salários não honrados, como o próprio Neto, do ponto de vista fiscal, está provando.

Ministro do Samba,criação do imortal Batatinha, em homenagem ao imenso Paulinho da Viola, para ouvir e bater no peito! Ou na caixa de fóstoro, como fazia o grande Batata!

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)

=============================

EM TEMPO: Caro Gilson, de uma checada no seu e-mail, por favor. As fotos (dos Donatos e a sua não chegaram. Reenvie, por favor para votors.h@uol.com.br. Grande abraço e Batatinha na vitrola do BP. Ministro do Samba,criação do imortal Batatinha, em homenagem ao imenso Paulinho da Viola, para ouvir e bater no peito! ( Vitor Hugo)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Mané Cardozo

José Eduardo Cardozo quer a inclusão dos áudios de Sérgio Machado na defesa do impeachment de Dilma Rousseff, mas rejeita que as pedaladas cometidas pela petista no primeiro mandato sejam consideradas no processo.

Cardozo acha que é malandro.

jun
02
Posted on 02-06-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 02-06-2016



Paixão, no jornal O Povo (CE)

jun
02
Posted on 02-06-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 02-06-2016


Marcos Santos Agência Usp/El Pais

DO EL PAIS

Ana Carolina Cortez

São Paulo

Com uma taxa de desemprego de dois dígitos, aumento do endividamento e dos preços no supermercado, os dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados nesta quarta-feira (1) confirmam o que o brasileiro vem sentindo na pele e no bolso nos últimos meses: a economia enfrenta sua pior recessão em 25 anos. O PIB encolheu 5,4% no primeiro trimestre de 2016, em comparação ao mesmo período do ano passado, a oitava queda consecutiva. Já em relação ao último trimestre de 2015, a queda foi de 0,3%. Em valores correntes, o PIB totalizou 5,94 trilhões de reais.
PIB do Brasil recua 5,4% e confirma maior recessão em 25 anos
Marcos Santos Agência Usp

Desta vez, todas as atividades que compõem o PIB apresentaram queda, até a agropecuária, que vinha contribuindo positivamente para o indicador nos trimestres anteriores, descolado da recessão que atingia os demais setores. A atividade no campo se contraiu 3,7% no trimestre de 2016, frente ao mesmo período do ano passado. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o resultado é explicado pelo desempenho ruim na safra de alguns produtos, como o milho.

A indústria, por sua vez, manteve a trajetória de queda, com recuo de 7,3%, puxada pela menor produção de máquinas e equipamentos, do setor automotivo e de metalurgia. Esse dado afeta, inclusive, a taxa de investimentos, que despencaram 17,5%, a oitava queda trimestral consecutiva. Os dados divulgados nesta quarta revelam que nos três primeiros meses do ano as empresas ficaram em compasso de espera com o futuro do país diante da ameaça de impeachment da presidenta Dilma, que acabou se confirmando em maio. O pedido de destituição da mandatária foi aceito pela Câmara de Deputados em dezembro do ano passado e as negociações para a sua saída se intensificaram desde então.

A construção civil também sentiu o impacto do menor investimento, e se retraiu 6,2% no período. Com menos poder de renda, mais desemprego e temeroso com o cenário nacional, o consumidor também deixou de comprar. O setor de serviços teve queda de 3,7% no primeiro trimestre, influenciado pela queda de 10,7% no comércio.

Pelo quinto trimestre seguido, o consumo das famílias apresentou resultado negativo. No primeiro trimestre de 2016, o consumo das famílias caiu 6,3%. Segundo o IBGE, o resultado é explicado pela deterioração dos indicadores de inflação, juros, crédito, emprego e renda ao longo do período.
Comércio internacional

Apenas no setor externo o PIB registrou um bom resultado. As exportações foram o único item a apresentar aumento no nível de atividades no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano anterior.

As exportações de bens e serviços cresceram 13%, puxadas pela melhoras dos preços das commodities no mercado internacional e da desvalorização cambial. Por outro lado, as importações de bens e serviços caíram 21,7%.

Ainda que os resultados do PIB apontem para a deterioração da economia nos últimos dois anos, o mercado estava esperando uma queda ainda maior. As projeções de economistas consultados pela Bloomberg eram de uma retração de 5,9% no PIB, frente ao primeiro trimestre de 2015, e de 0,8% em relação ao quarto trimestre do ano passado.Os economistas do Bradesco esperavam queda de 5,8% e 0,7%, respectivamente.

Para o economista Juan Jensen, do Insper, os dados divulgados nesta quarta, que vieram “menos piores” do que o esperado pelo mercado, já trazem sinais de melhoria da economia. Se antes o consenso era de que o PIB encerraria 2016 com uma queda de 3,8%, agora é possível esperar um tombo um pouco menor, mais próximo de 3%.

Segundo ele, se o setor externo estivesse menos favorável, o PIB do primeiro trimestre teria vindo pior. “Com a queda forte do consumo dentro do país, pressionada pela inflação, as empresas se voltaram para as exportações, favorecidas pelo câmbio”, explica.

A retomada do mercado de trabalho e dos investimentos, entretanto, deve ser mais lenta. “As empresa não estão trabalhando com o máximo de suas capacidades, ou seja, há funcionários fazendo jornadas menores e máquinas sem utilização. Isso deve postergar a retomada dos investimentos e, consequentemente das contratações, mesmo com sinais de melhora da economia”, afirma. Nesse sentido, o desemprego tende a se manter elevado ainda este ano e, somente em 2017, voltar a cair.

  • Arquivos

  • junho 2016
    S T Q Q S S D
    « maio   jul »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    27282930