Henri Salvador,Jazz Méditerranée,com chuva ou sol, boa tarde, onde você estiver!

(Gilson Nogueira)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Fabiano Silveira tem de ser demitido

Fabiano Silveira, ministro da Transparência, foi gravado por Sérgio Machado, na casa de Renan Calheiros, como mostrou o Fantástico.

Ainda como integrante do CNJ, ele participou de uma conversa na qual foram feitas críticas à Lava Jato e discutidos quais os caminhos que Machado e Renan deveriam adotar em relação às investigações da operação.

No áudio, Renan Calheiros diz estar preocupado com o inquérito que apura o recebimento de propina via Transpetro. Fabiano Silveira aconselha Renan a não entregar a sua versão à PGR, para os procuradores não terem condições de rebatê-la. Ele também afirma que Rodrigo Janot e os seus auxiliares estão perdidos em relação ao caso.

Depois da conversa, Fabiano Silveira procurou integrantes da Lava Jato para inteirar-se das investigações sobre Renan. Como os procuradores foram evasivos, Renan comemora com Machado. “Disseram que sou gênio”, comenta o presidente do Senado.

Fabiano Silveira tem de ser demitido.

DO EL PAIS

Ministra e vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, Carmen Lúcia é mais uma voz pública que se somou aos protestos contra o caso de estupro coletivo sofrido por uma adolescente de 16 anos, no Rio de Janeiro. Publicadas no Twitter, as imagens das agressões sexuais, em que a garota aparece sangrando, com diversos sinais de violência, e desacordada, chocaram parte da sociedade e reacenderam o debate sobre os assédios infligidos diariamente às mulheres. Em uma nota, divulgada nas redes sociais por assessores, a ministra do Supremo faz coro à indignação, classificando o caso como “inadimissível”, “insuportável” e “inaceitável”.

Leia abaixo o texto de Carmen Lúcia na íntegra:

“É inadmissível, inaceitável e insuportável ter de conviver sequer com a ideia de violência contra a mulher em nível tão assustadoramente hediondo e degradante”

“Não pergunto o nome da vítima: é cada uma e todas nós mulheres e até mesmo os homens civilizados, que se põem contra a barbárie deste crime, escancarado feito cancro de perversidade e horror a todo o mundo.

O gravíssimo delito praticado contra essa menor – mulher e, nessa condição, sujeita a todos os tipos de violência em nossa sociedade – repugna qualquer ideia de civilização ou mesmo de humanidade.

É inadmissível, inaceitável e insuportável ter de conviver sequer com a ideia de violência contra a mulher em nível tão assustadoramente hediondo e degradante. Não é a vítima que é apenas violentada. É cada ser humano capaz de ver o outro e no outro a sua própria identidade.

A luta contra tal crueldade é intensa, permanente, cabendo a cada um de nós – mais ainda juízes – atuar para dar cobro e resposta à sociedade contra tal chaga da sociedade.

O que ocorreu não é apenas uma injustiça a se corrigir; é uma violência a se responsabilizar e a se prevenir para que outras não aconteçam.

Repito: a nós mulheres não cabe perguntar quem é a vítima: é cada uma e todas nós. Nosso corpo como flagelo, nossa alma como lixo. É o que pensam e praticam os criminosos que haverão de ser devida e rapidamente responsabilizados.”

Maravilha de canção e de cantora. Confira.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

(

DEU NO BLOG POR ESCRITO ( DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO gOMES)

Modesta contribuição para a defesa dos Renans

O objetivo das gravações feitas por Sérgio Machado com políticos do PMDB era, obviamente, comprometê-los, atendendo aos propósitos do acordo de delação premiada que planejava fazer para aliviar sua barra com o juiz Sérgio Moro.

Assim, uma ressalva é indispensável: é plausível que ele não estivesse, de sã consciência, atacando autoridades da República, como o procurador Rodrigo Janot, porque isso, em tese, seria ruim para ele. Tratava-se, portanto, apenas de ardil.

Por outro lado, a seus interlocutores, implicados em crimes diversos, interessava convencê-lo de que tudo ficaria bem, pois era clara a ameaça que sofriam, com frases do tipo “vai ser ruim pra todo mundo”.

Nessa estratégia, tranquilizar Machado era tarefa fundamental, donde não se pode afirmar que Renan, Sarney e Jucá necessariamente concordavam com os conceitos que emitiam, apenas queriam fazer parecer assim.

Por exemplo, Machado dizia: “Esse Janot é um mau caráter”. E Renan: “Mau caráter, mau caráter”. Machado avaliava a equipe da Lava- Jato: “Estão se sentindo o dono do mundo”. Volta Renan: “Dono do mundo”.

Com Sarney e Jucá foram muitas situações semelhantes. Os pobres coitados foram levados a dizer coisas que não queriam. Um fato que, bem aproveitado por caros advogados já em ação ou a ser constituídos, pode render bons resultados.

maio
30
Posted on 30-05-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 30-05-2016


Aroeira, no jornal O Dia (RJ)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Alguém acredita?

Gilmar Mendes e Michel Temer se encontraram ontem à noite, no Palácio do Jaburu.

Ambos dizem que trataram do “orçamento do TSE para as eleições municipais deste ano”.

Alguém acredita?

maio
29

DORALINDA DONATO DOMINGO DEUS!!!

BOA NOITE

(Gilson Nogueira)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

A marcha da insensatez

Neste domingo, 1.500 pessoas participaram da Marcha das Flores.

Os manifestantes, segundo a Folha de S. Paulo, estenderam um varal de calcinhas manchadas de tinta vermelha na frente do STF e gritaram “Fora Temer” e “Fora Gilmar, defensor de estuprador”.

Ontem à tarde, na frente do Congresso Nacional, 1.500 pessoas participaram da Marcha da Maconha.

Depois de formarem uma grande folha de maconha no gramado, elas gritaram “Fora Temer”.

Se continuar assim, Michel Temer vai governar por mais 30 anos.

DEU NO BLOG POR ESCRITO ( DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

OPINIÃO

Cientistas contra os Jogos não defendem “golpe”

Se a presidente Dilma Rousseff ainda estivesse no cargo, é possível que a carta aberta de cientistas de todo o mundo à OMS e ao COI, propondo o adiamento ou a transferência dos Jogos Olímpicos do Rio, fosse tomada como mais uma etapa da conspiração internacional que teria sido encetada pelo impeachment.

Como não é o caso, é preciso refletir: as considerações feitas por 125 destacados membros da comunidade científica, entre cientistas, médicos e especialistas, inclusive de universidades respeitáveis, como Harvard e Oxford, apenas dão uma espécie de cunho oficial a uma convicção largamente difundida no país.

Como a Copa do Mundo, os Jogos vieram para o Brasil para a euforia de muitos, mas também despertando em outros pelo menos a preocupação com o grande dispêndio a ser feito por um país pobre, cuja população, em sua grande maioria, nem mesmo tinha acesso razoável aos mais elementares direitos, como saúde e educação.

Prevaleceram, no entanto, enfunados pelo interesse político indissociável de eventos desse tipo, os argumentos do fortalecimento da imagem do Brasil no exterior, da criação de empregos e, sobretudo, do “legado” que ficaria em obras públicas, apesar da evidente e consensual suspeita, enfim confirmada, de alta corrupção.

Da zika cidadã à falta de vacina contra a gripe

Mesmo com a consumação da indicação do Rio e o início dos trabalhos, a dúvida quanto à realização dos Jogos era levantada a cada episódio da tradicional criminalidade violenta reinante na cidade. Por último, incorporou-se o colapso da saúde no Estado, fruto óbvio da virtual falência financeira que compromete todos os serviços públicos.

Os custos reconhecidos pela assim chamada Autoridade Pública Olímpica chegam aos R$ 40 bilhões, contra previsão inicial de R$ 29 bilhões, com as cifras definitivas ainda dependentes de atualizações, uma até junho e outra programada para depois dos Jogos. Só a “estrutura temporária” de arquibancadas e energia, somadas este ano, atingiu R$ 400 milhões.

O que mais dói no orçamento é a mentira do “legado”. Fora as obras que atrasaram ou não se concretizaram, como na Copa, o maior parte dos equipamentos não configura um investimento social compensatório, e em pouco tempo estará até deteriorada e abandonada pela previsível falta de manutenção.

Nações civilizadas tratam a saúde de outra ótica. No caso específico, autoridades na matéria consideram “desnecessário” que 500 mil pessoas de todo o planeta corram o risco de contrair e levar para seus países o vírus da zika, que adotou a cidadania fluminense. Mas vale lembrar a gripe H1N1, matando pessoas de norte a sul e sem vacina suficiente.

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 24 25

  • Arquivos