BOA TARDE DE DOMINGO!!!

(Gilson Nogueira)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Fim da diplomacia do cachimbo

Em entrevista ao Estadão, José Serra rebateu as críticas de Celso Amorim.

Disse que a política externa brasileira será “independente de partidos e de aliados desses partidos” no exterior, “além de não se alinhar às potências”.

Serra já trabalhou com Amorim, com quem teve uma boa relação no passado. E comentou: “Celso deixou de fumar cachimbo por minha causa.”

Mas a boca continua torta.sERR


Inácio de Jesus, morto dias depois de abordagem policial, na Bahia

DO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

María Martín

No último 27 de abril, Inácio de Jesus, um adolescente baiano de 16 anos ainda com rosto de menino, voltava do almoço em direção ao lava jato do tio, onde trabalhava por 100 reais por semana. No caminho, na garupa da moto de um amigo, foi parado por uma viatura com três policiais militares, mas não foi conduzido à delegacia. Os agentes levaram os garotos para um matagal, no entorno do presídio Lauro de Freitas, no bairro de Itinga, a 40 minutos de carro da turística Salvador. Foi ali, no meio do nada, onde o GPS da viatura parou de funcionar e onde, segundo a denúncia que está sendo investigada, Inácio foi torturado durante horas.

Os detalhes das agressões vieram do próprio adolescente que descreveu a sessão de tortura ao chegar em casa. Ele, segundo esse relato, hoje contado entre lágrimas pela mãe, sofreu várias tentativas de asfixia com uma sacola plástica, recebeu golpes no corpo todo sem deixar marcas externas e foi desafiado a escolher entre um pau fino e outro mais grosso para ser abusado pelos policiais.

Após o violento interrogatório, Inácio e seu amigo tampouco foram levados à delegacia. Mais uma viatura somou-se à ação policial e acompanhou os jovens até suas casas. Procuravam, sem mandado judicial, armas e drogas que, segundo seus familiares, não tinham. Os agentes, porém, disseram ter achado uma pistola e com ela pegaram Inácio para levá-lo, quatro horas depois da abordagem, até a delegacia. Algemado a uma barra de ferro e obrigado a ficar de pé, Inácio, menor de idade, passou a noite preso.

Liberado no dia seguinte, o adolescente, que estudava no turno da noite, relatou à mãe, uma desempregada de 35 anos, sua primeira passagem policial. O relato foi complementado pelo amigo que sobreviveu às agressões. “O menino andava torto, tinha as pernas inchadas de ter passado a noite inteira de pé, e dois dias depois começou a passar mal, estava com falta de ar. Levei-o ao médico”, lembra a mãe. No primeiro atendimento em um posto de saúde, Inácio recebeu remédio e foi dispensado, mas nos dias seguintes não conseguia respirar. Em 2 de maio ele foi internado em um hospital e morreu quatro dias depois.

O médico, segundo a família, explicou que o menino tinha uma lesão na traqueia, que tinha afetado o esôfago e comprometido os pulmões, lesões supostamente associadas as tentativas de asfixia que Inácio sofreu. No primeiro informe, ao qual o EL PAÍS teve acesso, o doutor constatou que o garoto havia sido vítima de agressões e apresentava um “enfisema subcutâneo na região cervical”, normalmente associado a uma lesão pulmonar que permite que o ar escape dos pulmões para se infiltrar embaixo da pele. O laudo que explicará as causas da morte de um menino, até então sem problemas de saúde, ainda não está pronto.

“Meu filho não era errado, mas mesmo que fosse eles não teriam esse direito de fazer o que fizeram com ele”, reclama a mãe, que resolveu denunciar o caso, ainda com o garoto no hospital, à Corregedoria da Polícia, órgão fiscalizador da corporação. “Eles nos advertiram que sabiam onde a gente morava, mas eu denunciei. Antes dele morrer. Só não deu tempo de salvar a vida dele”, afirma. Os seis policiais envolvidos continuam trabalhando normalmente.

BOM DIA!!!

maio
22


DEU NO POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Um partido forjado a duras penas

Seremos obrigados a outra referência ao PT, mas por provocação do ex-governador Jaques Wagner, para quem “estão enganados os que acham que o partido foi derrubado”.

Liminarmente, para dizer que Wagner falhou em previsões recentes, especialmente quanto ao resultado da votação do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

Depois, para sentenciar que o PT praticamente acabou como proposta original, o que será demonstrado cabalmente nas duas próximas eleições, de 2012 e 2014.

Pode-se dizer, nesse aspecto, que o PT será um partido qualquer, que perdeu a identidade e, principalmente, a credibilidade fora dos arraiais que se convencionou chamar “militância”.

A legenda desperdiçou clamorosamente todo o patrimônio que em décadas adquiriu a duras penas.

Duras penas? Foi uma expressão infeliz. Duras penas é o que muitos petistas de proa estão curtindo agora. E vem mais por aí.

maio
22
Posted on 22-05-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-05-2016



Clayton, no jornal O Povo (CE)


DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

O Brasil morreu na praia

Vicente Nunes, do Correio Braziliense, denuncia em seu blog que ministros de tribunais superiores e familiares curtem o fim de semana no resort Iboerostar, na Praia do Forte, na Bahia, com tudo pago.

Eles foram convidados para um seminário que discute, vejam só, “os caminhos para o país sair da crise”. Com patrocínio de BNDES, Itaipu, JBS etc.

  • Arquivos