maio
15
Postado em 15-05-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 15-05-2016 00:22

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

CPMF: o teste inaugural da atual democracia

A proposta de volta da CPMF pela então presidente Dilma Roussef, quando viu que o tacho estava quase raspado, foi rejeitada liminarmente no meio político e na classe empresarial, tendo sido até objeto de campanha da Fiesp, presidida pelo prestigiado peemedebista Paulo Skaf.

Diziam – e todos concordávamos – que era um imposto inflacionário e que tudo que a economia menos precisava era de uma elevação da carga tributária. Isso não faz muito tempo, de sorte que aguardamos para breve a manifestação daqueles que não se dispunham a “pagar o pato”.

A tentativa de fazer retornar o rejeitado “imposto do cheque”, hoje mais apropriadamente rotulável de “imposto do cartão”, bate no mesmo nível de estelionato eleitoral atribuído a Dilma quando mentiu sobre indicadores econômicos e medidas que seu governo não tomaria nem – para lembrar outro bicho – que “a vaca” tossisse.

Primeiro, foi o ministro do Planejamento, Romero Jucá, após dizer que “não, a meta é reduzir gastos”, a prever que “pode ser necessário elevar [os tributos] por causa do equilíbrio fiscal”, não mais o “ajuste”, que era palavra para o governo Dilma.

Em seguida, na primeira entrevista à imprensa, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirma que, diante do quadro da dívida pública, pior do que se imaginava, a CPMF será “aplicada” – sentença depois corrigida para “proposta”, já que o Senado e a Câmara ainda estão no meio.

A CPMF será, seguramente, o primeiro teste da “democracia” e da “liberdade de imprensa” sob o governo Michel Temer. O povo foi às ruas, também, contra essa escorcha, e foi muito saudado por isso, pelos políticos e pela mídia. Vejamos como será, desta vez, a “reação da sociedade”.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 15 Maio, 2016 at 8:31 #

A volta da CPMF apenas confirmará que tudo muda para continuar igual. Sem direito a Cláudia Cardinale, afinal O Leopardo era ficção!

Meirelles não nega a origem, de fiador de Lula a garantidor de Temer, só foi recusado por Dilma, deu no que deu!

-Não verás um filho teu livre tão cedo!!!

Ordem e Progresso, na terra de JurosAlém, Amém!


luiz alfredo motta fontana on 15 Maio, 2016 at 11:15 #

O cinismo é regra!

Diz Meirelles: a solução está em resolver a crescente a dívida pública!

Para, como Maquiavel redivivo, sugerir a saída: aumentar a receita via impostos, reduzir os gastos via reformas.

E como bom e legítimo representante do sistema financeiro,: manter os ganhos estratosféricos dos que financiam esta dívida sagrada, lá fora funcionam como bancos, em eterna e penosa concorrência, cá dentro, agiotas perenes, garantidos pelos meninos do Copom.

Assim é desde sempre, FHC fez assepsia e anestesia, Lula manteve a regra, afinal sobrava muito para os dutos companheiros, Dilma, quase coloca tudo a perder, não restou saída, o sacrifício de Lula et caterva foi o preço, afinal business is business. A máfia é admitida, desde que discreta.

Temer não ousará, dizem que sua principal característica é compor, nada mais adequado.


Taciano Lemos de Carvalho on 15 Maio, 2016 at 19:07 #

Acesse o link a seguir e veja qual a verdadeira estrutura da ‘Ponte para o Futuro’ no governo Temer.

https://latuffcartoons.wordpress.com/2016/05/12/charges-do-impeachment-de-dilma-rousseff/#jp-carousel-4677


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos