DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES )

O poder corrompido chega aos estertores

A trapalhada indecorosa do assim chamado “presidente interino da Câmara dos Deputados”, Waldir Maranhão, tem a mesma gênese que os bloqueios de tráfego urbano e rodoviário que hoje se registram em todo o Brasil: a disposição do governo federal de reagir cegamente ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Maranhão, “convencido” pelo governador do seu Estado, Flávio Dino (PCdoB) e pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, produziu, ou melhor, assinou a disparatada suspensão do processo, da qual já recuou e que vai lhe custar caro, como já demonstra a exoneração do filho servidor-fantasma.

Nas ruas, igualmente movidos pelo desespero, sindicalistas e até estudantes queimam pneus. Chega a ser melancólico, e daria para ter pena se não fosse uma grave, desnecessária e inócua perturbação da ordem pública, além de insanável violência contra o direito de ir e vir, fundamental ao exercício de diversos outros.

Não se trata de movimentos populares. São grupelhos de prestadores de serviço praticando atos que beiram a marginalidade, pontificando, entre representantes de muitas outras categorias profissionais, petroleiros que não reagiram quando a Petrobras era saqueada.

Em frente à Universidade Federal da Bahia, em Ondina, o protesto era de alunos certamente muito satisfeitos com as faculdades de que dispõem – avançadas, bem equipadas, com professores e funcionários regiamente pagos e onde jamais se falou de greve.

A nação também lamenta – ou pelo menos está com um pé atrás – quanto a esses que vão assumir o governo, pois o passado de muitos decididamente não os recomenda. Mas não custa lembrar que o PT e seus aliados chegaram ao poder, em nome da esperança, para mudanças reais, não para o aprofundamento da mentira e da corrupção.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 11 Maio, 2016 at 9:38 #

“Em suma, se os horizontes parecem cada vez mais nebulosos, continuamos à espera de milagres, inexistentes em meio à desesperança. Entre Dilma e Temer, damos um pela outra e não queremos volta.” (Artigo do jornalista Carlos Chagas)

É a pura verdade.

http://www.tribunadainternet.com.br/michel-temer-e-dilma-rousseff-um-pela-outra-sem-querermos-volta/


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos