maio
08
Posted on 08-05-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-05-2016

DEU NO CORREIO 24H

O Vitória é o campeão baiano de 2016. O Leão perdeu por 1 a 0 na Fonte Nova neste domingo (8), mas se sagrou campeão graças ao resultado da última semana, quando venceu por 2 a 0 no Barradão. O gol tricolor saiu aos 20 do primeiro tempo e o Bahia dominou grande parte do jogo, mas não conseguiu converter a pressão em mais um gol. O Leão volta a erguer a caneca estadual – a última vez foi em 2013.

O Bahia pressionou desde o primeiro minuto. Feijão fez boa jogada, João Paulo Gomes bateu cruzado e a zaga conseguiu afastar. O próprio João Paulo Gomes, jogando pelo meio, voltou a ter chance aos 17 minutos, quando deu uma caneta em Welison, avançou pelo lado, mas se atrapalhou na hora de cruzar.

E aos 20 saiu o gol. Thiago Ribeiro recebeu pela esquerda, cruzou, a bola bateu em Amaral e Feijão e entrou no gol de Caíque, abrindo o placar para o tricolor. Logo após o gol, houve confusão entre os dois bancos de reservas. O goleiro reserva do Bahia, Jean, foi expulso, assim como o treinador de arqueiros, Tiago Melo. Felipe Fernandes, médico do Vitória, também recebeu o cartão vermelho.

Vencendo por 1 a o, o tricolor precisava de mais um gol para conseguir o tricampeonato. E o time continuava pressionando. Caíque conseguia fazer as defesas e o Vitória não conseguia ir para a frente.

No final do primeiro tempo, mais confusão, depois que o goleiro Marcelo Lomba acusou Vander de deixar o pé de propósito em um lance.

Segundo tempo

O Leão teve sua melhor chance aos 4 do segundo tempo, quando Kieza recebeu na área e chutou forte, mas Lomba conseguiu fazer bela defesa. Doriva tentou mudanças no time. Juninho entrou na vaga de Paulo Roberto. Luisinho entrou no lugar de João Paulo Gomes. A última mudança foi Henrique no lugar de Danilo Pires.

De fora da área, Danilo Pires chutou forte, mas viu Caíque cair para fazer a defesa. O Vitória se segurava e tentava ameaçar no contra-ataque – Leandro Domingues chutou de longe e mandou com perigo.

No Vitória, Tiago Real entrou na vaga de Leandro Domingues e Alípio no de Vander. O jogo continuava tenso. Aos 33, Henrique caiu na área e o Bahia pediu pênalti, mas o árbitro mandou seguir.

O Ba-Vi teve mais confusão aos 42. Lucas Fonseca e Diego Renan se estranharam depois de entrada forte do zagueiro tricolor e os dois foram expulsos. Aos 48, Juninho cruzou para Tinga, que cabeceou para fácil defesa de Caíque.

Mi madre y María

(Víctor Heredia)

Yo sé que estas allí llorando madre
envuelta en la penumbra de la tarde
fingiendo que estás bien pero es diciembre
un mes en que ciertos fantasmas vuelven
deslizan su perfume inolvidable
sus voces aletean en un aire
de nueces y de almendras navideñas
y vuelan a tus ojos y despeñan
en lágrimas su amada letanía
yo sé que estás allí junto a tu fe
y yo no sé que hacer.

De pronto me doy cuenta que tus ojos
reflejan la tristeza de María
la sombra de una cruz toca tus hombros
y en tu pañuelo blanco muere el día.
Las dos están llorando por lo mismo:
la sangre derramada en el martirio
la vida de tu vientre y el de todas
las madres de los hijos de la tierra
los que parió el amor, mató una guerra
yo sé que estas allí junto a tu fe
y yo no sé que hacer.

(Do filho, Hugo. )

CRÔNICA/FUTEBOL

Ferro na Boneca, Bahêa!!!

Gilson Nogueira

Há mais mistérios entre o céu e a terra do que imaginamos.Entre o Estádio Octávio Mangabeira, a Fonte Nova, no bairro de Nazaré, em Salvador, (terra em que nasceu o saudoso Raul Seixas, colega de sala e de sonhos no lendário Ginásio de São Bento, dirigido pelo inesquecível mestre Dom Norberto Santana,ícone, em espírito, carne e osso, de mais de cinco geraçÕes de estudantes), e o firmamento,suponho, fantasiado de drone, ou não,um disco voador vem visitando a Capital do Berimbau. O que querem os homenzinhos verdes?

Há uns nove meses, no início da noite, de uma das janelas do meu apartamento, saquei um deles. Rápido, como um raio, o bicho sumiu, assim que me ocorreu a ideia de chamar a família para conferir a nave, meio brilhante e amarronzada, perqunta, sobre a Fonte Nova, estádio que tentaram identificar como Arena Fonte Nova, coisa que nunca ouvi torcedor baiano algum chamar com esse nome.Argh!

Pois é, em função do encontro, hoje, dos times do Bahia e do Vitória, na Fonte Nova de todas as paixões e saudades,decidindo o campeonato baiano de futebol de 2016, ocorreu-me a lembrança da peça estranha, imóvel, sobre o Dique do Tororó.

Seja o que tenha sido, não descarto a possibilidade de alguma civilização que habita os primeiros condomínios do Universo estar interessada em imitar a maneira de jogar do Esquadrão de Aço, ou, no mínimo, entender as razões que levam mais da metade da população da cidade do axé a acreditar que o Bahia, no último segundo de qualquer partida, decide o placar a seu favor.

” É coisa de Deus, que é tricolor”. diria Chico, irmão de fé e de Vat 69, o bloco de carnaval que não mais existe.

Neste domingo, vale olhar para o alto e gritar, Bahêa!!!, Bahêa!!!
, Bahêa!!!, comemorando, com os espiões de outra galáxia, mais um título do maior time do Planeta Terra.

No placar luminoso de cada torcedor, desde logo, 4 x 0, no mínimo, em cima do Leão da Barra, adversário que valoriza mais a façanha do Tri de Doriva e de seus comandados.

Que os Heróis de 59, título do,livro do jornalista Antonio Matos, que vem aí,inspirem Feijão e companhia!

Gilson Nogueira é jornalista, colaborador da primeira hora do BP.

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Maranhão dá início a novo gingado

O cancelamento do recesso parlamentar deste meio de ano é algo tão necessário que nem era para estar sendo posto em dúvida.

Num ano eleitoral, em que até eleição da presidente se pretende, com a presidente em exercício sob julgamento no Senado, não se pode abrir mão dos bons préstimos dos nossos parlamentares, como ocorreu na mudança de ano, com graves prejuízos ao país.

A situação é inquestionavelmente anômala. O Supremo Tribunal Federal declara vaga, até melhor decisão da Câmara dos Deputados, a presidência da própria Câmara.

No entanto, o novo ocupante natural do cargo, igualmente provisório, porque se trata de substituto, não de sucessor, o que carece de eleição, não aparece na Casa no dia seguinte.

Quando dá as caras, Waldir Maranhão (PP-MA), velho escudeiro de Cunha, se compromete a colocar em votação “todos os projetos necessários ao bom desempenho da economia do país”.

que se há alguém em que ele possa se encostar agora, é Temer
Rei posto

A senha está dada. Maranhão sabe que se há alguém em que ele possa se encostar agora, é o presidente Michel Temer.

maio
08
Posted on 08-05-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-05-2016

DO PORTAL TERRA BRASIL

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF), em um dos inquéritos da Operação Lava Jato, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o marido dela, o ex-ministro das Comunicações Paulo Bernardo, e o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, que seria ligado ao casal. Eles são acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por suposto recebimento de R$ 1 milhão para a campanha de Gleisi ao Senado em 2010. De acordo com depoimento de delatores, o valor é oriundo de desvios de contratos da Petrobras.

A senadora e o ex-ministro foram citados nas delações do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Um novo delator, Antônio Carlos Pieruccini, afirmou que o dinheiro foi transportado, em espécie, de São Paulo para Curitiba, em quatro viagens e que teria sido entregue a Ernesto Kugler.
PUBLICIDADE
inRead invented by Teads

Se o STF decidir receber a denúncia, Gleisi e Paulo Bernardo vão virar réus na ação penal. O advogado Rodrigo Mudrovitsch, que representa a senadora e o ex-ministro, disse que vai esperar a intimação pelo ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no STF, para apresentar a defesa. “A denúncia causou surpresa e indignação. É uma denúncia frágil e merece ser derrubada pelo Supremo”, disse à Agência Brasil.
Foto: Agência Brasil

Em nota, os advogados de Gleisi informaram que “todas as provas que constam no inquérito comprovam que não houve solicitação, entrega ou recebimento de nenhum valor por parte da senadora. A denúncia sequer aponta qualquer ato concreto cometido. Baseia-se apenas em especulações que não são compatíveis com o que se espera de uma acusação penal”. “Ao apagar das luzes, depois de um ano e meio da abertura do inquérito, uma terceira pessoa [Antônio Carlos Pieruccini] aparece disposta a dizer que teria realizado a suposta entrega de valores, numa nova versão que foge de qualquer raciocínio lógico. Vale lembrar que esta pessoa é amigo/sócio/ funcionário de Alberto Youssef, o que comprova ainda mais a fragilidade das provas e se vale do mesmo advogado de Alberto Youssef para fazer sua delação”, informa a nota.

maio
08
Posted on 08-05-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-05-2016


Sid, no portal de humor gráfico A Charge Online

DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

O primeiro muçulmano a ser eleito prefeito de uma capital da Europa Ocidental escolheu uma catedral anglicana para a cerimônia de tomada de posse, que incluiu uma celebração ecumÊnica. A mensagem é clara: Sadiq Khan quer ser o mayor de todos os londrinos. “Estamos aqui em Southwark porque queria começar como faço intenções de continuar. Queria tomar posse aqui no coração da nossa cidade, rodeado dos londrinos de todas as origens”, afirmou o trabalhista, filho de imigrantes paquistaneses que cresceu num bairro social.

“Olá, o meu nome é Sadiq Khan e sou o novo prefeito de Londres”, disse depois de ter sido apresentado pela baronesa Doreen Lawrence, mãe de um adolescente que foi morto num ataque racista no sudeste da capital em 1993. “Prometo que farei tudo o que estiver ao meu alcance para tornar a nossa cidade melhor. Vou ser um prefeito para todos os londrinos”, acrescentou, dizendo que em criança “nunca sonhou” que um dia seria o mayor de Londres.

Um dos oito filhos de um motorista de ônibus e de uma costureira, ambos imigrantes paquistaneses, Sadiq Khan nasceu e cresceu em Tooting. Depois de ter feito carreira como advogado de direitos humanos, foi eleito em 2005 deputado por essa circunscrição (deixará agora o cargo e haverá eleições intercalares) e tornou-se ministro dos Transportes de Gordon Brown em 2008. “Só estou aqui hoje por causa das oportunidades e da mão amiga que a nossa cidade me deu a mim e à minha família”, disse ontem. “A minha maior ambição para a nossa cidade, que vai guiar o meu mandato, é garantir que todos os londrinos tenham as oportunidades que a minha cidade me deu”, acrescentou.

Prioridades para Londres

As apostas de Khan para o seu mandato são quatro: habitação (a principal preocupação dos londrinos), transportes, ambiente e segurança. O novo prefeito, que sucede ao conservador Boris Johnson, prometeu ainda liderar “a mais transparente, comprometida e acessível administração que Londres já conheceu”.

Khan espera lidar com a crise habitacional garantindo que 50% das novas casas que vão ser construídas terão preços acessíveis. Na área dos transportes, prometeu não aumentar os preços nos próximos quatro anos e criar um novo bilhete válido por uma hora que permite “saltar” de um ônibus para o outro. Também quer continuar a desenvolver o uso de bicicletas na cidade, aumentando os percursos seguros.

Outra prioridade é o ambiente, com Khan querendo restaurar a qualidade de ar na capital. Uma das apostas é tornar só para pedestres a Oxford Street, uma das mais conhecidas ruas da cidade, e dificultar a entrada de veículos poluentes no centro. O novo prefeito é também contra a construção de uma terceira pista no aeroporto de Heathrow e promete empreender uma campanha para plantar árvores em Londres.

A última prioridade é tornar a cidade mais segura e Khan quer fazê-lo apostando no policiamento de vizinhança, no combate às gangues e aos crimes com arma branca. O novo mayor quer ainda evitar a proliferação do extremismo – depois de na campanha ter sido acusado pelo adversário conservador, o milionário Zac Goldsmith, de dar “oxigênio” aos extremistas por aparecer em eventos ao lado deles (quando era advogado). Várias vozes dentro do partido criticaram a campanha.

“Esta eleição teve alguma polêmica e fico orgulhoso por Londres ter escolhido a esperança em vez do medo e a união em vez da discórdia”, disse Khan no discurso após ser declarado vencedor, às primeiras horas da madrugada de ontem. Em palco estavam todos os adversários, incluindo Paul Golding, o líder e candidato do Britain First (extrema-direita), que virou as costas ao prefeito enquanto este discursava.

A contagem dos votos prolongou-se mais do que o esperado devido a “pequenas discrepâncias”, mas no final Khan venceu com 56,8%, contra 43,2% de Goldsmith (quando contabilizadas as segundas escolhas, isto é, as segundas opções dos eleitores que na primeira não tinham votado em nenhum desses candidatos). Foram 1 310 143 votos contra 994 614, naquele que é o maior mandato pessoal de sempre no Reino Unido. A participação foi de 45,6%, a mais alta de sempre.

Líder do Labour ausente

Jeremy Corbyn foi uma ausência notada na tomada de posse de Khan, que disse desconhecer porque é que o líder do Labour não esteve presente, apesar de ter sido convidado. “Temos de descobrir o que aconteceu”, afirmou aos jornalistas. Corbyn esteve na tomada de posse do novo prefeito de Bristol, Marvin Rees, que derrotou o independente que estava à frente da cidade.

A verdade é que o novo mayor de Londres fez uma campanha totalmente independente de Corbyn – que não recebeu o voto de Khan na disputa para a liderança partidária. Ao contrário de Corbyn, o ex-líder trabalhista Ed Miliband esteve na Catedral de Southwark – Khan foi seu diretor de campanha quando ganhou a liderança do Labour.

  • Arquivos