DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Lain deixa legado científico e de preocupação social

Faz hoje (ontem, 22) uma semana que morreu Lain Carlos Pontes de Carvalho, nascido em 11 de janeiro de 1952, médico da turma de 1975 da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e pós-graduado em Imunologia pela Universidade de Londres.

Pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz desde 1985, exerceu a direção do Centro de Pesquisa Gonçalo Moniz (Fiocruz-Bahia) de 2001 a 2005, tendo sido também docente da Escola Bahiana de Medicina, da Pós-graduação de Imunologia da Universidade Federal da Bahia e do Doutorado da Rede Nordeste de Biotecnologia, além de primeiro secretário da Sociedade Brasileira de Imunologia, de 1989 a 1991.

Em nota, a Fiocruz destacou o papel de Lain, “responsável por contribuições relevantes na área de imunologia, principalmente visando à biointervenção em doenças de natureza inflamatória (leishmanioses, doença de Chagas, alergia e doenças autoimunes)”.

A SBI, por sua vez, referiu-se ao “amplo legado” do professor na formação de estudantes, citando sua “vasta pesquisa de 123 trabalhos publicados ou aceitos em livros e periódicos científicos”. Trinta e seis deles – dizemos nós – produzidos já depois de enfermo.

Além dos filhos Lain César e Gabriel, deixa viúva Neuza Maria Alcântara Neves, pesquisadora como ele e professora Instituto de Ciências da Saúde da UFBa.

Em carta de agradecimento às mensagens recebidas, ela citou, do marido, a “honestidade, especialmente científica”, o “engajamento político sempre a favor dos menos privilegiados” e a “atitude espartana perante a doença, sem queixas nem desespero”.

Seu compromisso com o país e as causas sociais levou-o a participar, em 1989, em Salvador, do Movimento Brasil Brizola, na primeira eleição presidencial direta após o golpe militar de 1964, vencida por Fernando Collor de Mello.

Aos amigos e companheiros que com ele dividiram a longa campanha, deixou a imagem indelével de pessoa afável, porém determinada, sem abrir mão do ideal de justiça e do sentimento de solidariedade e esperança que embalaram aquela época.

Be Sociable, Share!

Comentários

vitor on 24 Abril, 2016 at 14:02 #

Luis:

Baque enorme para mim a notícia da morte de Lain, da qual só fiquei sabendo ontem pelo Por Escrito. Uma dessas coisas cujo impacto deixam a gente sem chão e com os olhos marejados. Quis ligar para você enquanto procurava a foto que ilustra e edição de seu texto perfeito no Bahia em Pauta, mas já era de madrugada. Dividi com Margarida -também acordada no computador- minha inquietação e tristeza diante da nota do PE.E da lembrança imensa presença de Nain (acompanhado da sua querida Neuza) na ponta da mesa das nossas reuniões no Movimento Brasil Brizola (MBB) no casarão histórico do Rio Vermelho.
Com a foto na mão, lembrei de muito mais daquela época de esperança, como vc assinala no texto. Mas isso é pauta que reforça a urgência do reencontro para o sarapatel e feijoada do sábado, no bar que vc frequenta no Imbui. Morreu Nain! Viva Nain!


Christian Pereira de Castro on 11 agosto, 2017 at 17:45 #

Deixo minhas condolências aos familiares pelo qual tive um prazer imenso de dividir atividades profissionais e que sou para todo sempre grato…Christian Pereira.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos