Dilma acena aos militantes na subida
ao navio militar entregue ontem.

DEU NO G1/O GLOBO

Por Catarina Alencastro, enviada especial

A presidente Dilma Rousseff deixou para trás o tom combativo de defesa de seu mandato que vinha adotando em seus discursos e, ao inaugurar um navio no Porto de Salvador, ateve-se quase que exclusivamente à necessidade estratégica de investir nas Forças Armadas. A única menção de que enfrenta um processo de impeachment na Câmara foi feita ao agradecer aos manifestantes que, na calçada em frente ao navio, gritavam, sob forte chuva, o já tradicional “não vai ter golpe”.

— Queria agradecer a todos os manifestantes que se colocam aqui debaixo de chuva defendendo a nossa democracia e defendendo a institucionalidade do nosso país — disse Dilma, encerrando sua fala, no convés do navio.

Depois, a presidente ignorou a chuva e foi até a ponta da embarcação acenar para os manifestantes. Os gritos então aumentaram: “não vai ter golpe, vai ter luta” e “não vai ter golpe, vai ter Dilma”.
Dilma Rousseff na inauguração de um navio no Porto de Salvador – Divulgação / Roberto Stuckert Filho

Antes dela, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), fez uma defesa mais enfática contra o impeachment. Essa parte do discurso dele também teve como mote o agradecimento aos manifestantes. O governador aproveitou para dar um recado à plateia de oficiais da Marinha que lotava a cerimônia, afirmando que as Forças Armadas têm o dever de salvaguardar a Constituição.

— Queria saudar todos os baianos e baianas que estão debaixo dessa chuva pedindo respeito à constituição, respeito à legalidade e defendendo aquilo que nós acreditamos: que uma democracia, e as Forças Armadas existem inclusive para isso, para defender a nossa Constituição, para defender a legalidade e para defender a legitimidade do voto – disse, complementando:

— Uma democracia não fica de pé se a Constituição não for respeitada e se o voto do cidadão não for respeitado. E esse povo lá fora está dizendo que quer o seu voto, que a legalidade seja respeitada nesse país. Se alguém deseja chegar ao governo central, que se submeta e ofereça suas propostas para o brasileiro para que ele possa, eventualmente, votar no momento oportuno.

O evento foi organizado como espécie de batismo da nova aquisição da Marinha, o navio doca multipropósito Bahia, que conta com um complexo hospitalar com 49 leitos e uma unidade para queimados. Essa função do navio pode ser útil em missões de paz. Além disso, a embarcação serve para o transporte de embarcações, de tropas e de equipamentos militares. Ontem Dilma visitou o avião KC 390, em Brasília.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 6 Abril, 2016 at 18:45 #

Dilma “…ateve-se quase que exclusivamente à necessidade estratégica de investir nas Forças Armadas”

Uai, mas seu governo tem cortado, ano após ano, recursos para a modernização das Forças Armadas. Até para o funcionamento mínimo falta grana. Hoje o rancho dos soldados tem recursos cortados, e contingentes são dispensados antes do período normal de treinamento, pois não há dinheiro.

Os governos, pelo menos do tempo de FHC até os dias de hoje, tem cumprido à risca os passos que o Departamento de Estado Americano traçou paras as forças armadas da América Latina. Passos que têm como objetivo transformar essas forças armada em coisa fraquinha, grandes ‘guardas nacionais’, sem treinamento, sem armas, sem tecnologia, sem nada. Sem condições de defender os países.

Aliás, nossos governos, vergonhosamente, fizeram que as forças armadas brasileiras assumissem a intervenção militar (sim, é uma intervenção) no Haiti. Uma terceirização da intervenção americana naquele país.

Aliás, para constatar o desprezo com as nossas forças armadas, basta lembrar quem foi alguns dos últimos ministros da Defesa: Nelson Jobim (o que, nas constituinte de 1988, emprenhou a Constituição para beneficiar banqueiros e rentistas), Aldo Rabelo e, pasmem, Jaques Wagner. E Rabelo novamente. Precisa dizer mais alguma coisa sobre o que é o desprezo pela segurança externa brasileira? Claro que não.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos