Juiz Sergio Moro


Jornalista J.C. Teixeira Gomes

ARTIGO

REPÚBLICA DE CURITIBA, REPÚBLICA DA HONRADEZ

J.C. Teixeira Gomes

A maior tragédia do impasse nacional é a falta de lideranças confiáveis para a alternância do poder. O naufrágio ético do PT assanhou a presença, na mídia, de figuras reacionárias e ultrapassadas, posando de catões da moralidade pública, apesar da sua trajetória lamentável.
A chamada “República de Curitiba”, conforme Lula a batizou com ironia, incomodado com a firme ação do juiz Moro, é o único motivo de alento nos corações brasileiros. Nem mesmo a conduta do ministro Joaquim Barbosa durante o mensalão atingiu níveis tão altos de decência saneadora. Não surpreende que Moro esteja sendo alvo da fúria dos atingidos.

Os jornalistas petistas vociferam: “Estão acusando Lula sem provas!”. Queriam o quê? Que Lula assinasse e publicasse autorização para que Dirceu, Genoíno, Palocci, Delúbio, Vaccari Pixuleco, Erenice Guerra, Barusco, Cerveró, Renato Duque, Paulo Roberto Costa e tantos outros mafiosos continuassem saqueando o país? Que provas são hoje necessárias para confirmar o sinistro pacto do PT com os partidos que ajudaram a roubar o Brasil, produzindo os rombos do mensalão? Ou o mais sinistro ainda do PT com os empreiteiros que, durante anos, vinham assaltando a Petrobras? Quem era o presidente da nossa empresa maior ou chefiava o seu Conselho Deliberativo durante a fraudulenta compra da refinaria de Pasadena? Quem colocou na direção da estatal Paulo Roberto Costa, Duque, Cerveró, Barusco e outros campeões da ladroagem?

Se estão reclamando provas contundentes, em letra de forma, com autenticação e firma reconhecida, para comprovar crimes óbvios, lembremos que nada disso foi preciso para que o Tribunal de Nuremberg acusasse Hitler e demais chefes nazistas de responsáveis pelo extermínio dos judeus, apesar de nenhum deles ter deixado um único documento, autorizando o Holocausto. Muitos anos penou a Justiça dos EUA para meter na cadeia Al Capone, que aterrorizava Chicago, sem oferecer registros de criminalidade, até que foi flagrado por um descuido no imposto de renda. Não poucos criminosos são mestres sagazes em dissimulações, contando com a cobertura dos seus beneficiários. Há uma solidariedade voraz na delinquência.

O juiz Sérgio Moro está sendo alvo da barragem de fogo do petismo e dos que ainda deliram com a miragem de que o partido é o refúgio da pobreza. Lembremos que muitas das acusações contra Moro – estrelismo, excessos, agressões contra direitos – são exatamente iguais às que os inconformados jogaram no cangote de Joaquim Barbosa, quando o magistrado procurava descascar no Supremo a cebola podre do petismo, nas práticas (comprovadas) do mensalão. Cerca de sete anos suportou Barbosa as agressões da militância petista. Há dois anos, o injuriado Moro conduz a operação Lava Jato com absoluta competência, tanto assim que já conseguiu encarcerar expressiva cambada de ladrões poderosos, enfrentando a mais compacta coligação (nunca vista no Brasil) de advogados de excelência profissional. Apenas um dos empreiteiros presos é defendido por um time de 22 advogados. E continua preso!

Não é fácil dissuadir o fanatismo. Aos irredutíveis defensores de Lula e Dilma, porém, lembremos que, indignados com as traições do partido ao chegar ao poder, o PT foi abandonado por militantes do nível de Arruda Sampaio, Heloísa Helena, Chico Alencar, Carlos Nelson Coutinho, Frei Beto, Leonardo Boff e tantos outros expoentes. Em síntese: a República de Curitiba representa, hoje, as esperanças dos milhões de brasileiros que clamam por dignidade na vida pública. O grito das ruas não é o grito do golpe, mas sim o da honradez e da decência.

Be Sociable, Share!

Comentários

luis augusto on 29 Março, 2016 at 13:08 #

Meu velho redator-chefe no Jornal da Bahia e professor na Escola de Comunicação da Ufba está afiadíssimo aos 80.

Disse de tudo que muitos sabemos da forma mais bonita, sintética e inteligível.

Para reforçar suas palavras de crença implícita de que estamos diante de uma nova realidade no Brasil, destaco: Marcelo Odebrecht está preso há mais de nove meses e já condenado a mais e 19 anos.

Seria até bom que isso fosse visto como normal, mas meu medo remanescente vem do fato de eu saber que isso é muito anormal.

Abraços.


Mariana on 29 Março, 2016 at 14:30 #

“O grito das ruas não é o grito do golpe, mas sim o da honradez e da decência”!!!!
Show!!! É isso mesmo!!!
Chega de corrupção!!!


ISA on 29 Março, 2016 at 14:45 #

Muito bem JOCA. Estes esquerdistas q ainda apoiam o petismo precisam se ressignificar. Acabou e não nos representam. Aposto no TEMER para uma transição em algo novo.


Jader martins on 29 Março, 2016 at 14:59 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)

Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica .

Isa , O vice de Temer é o Cunha . Ótimo , naõ?!!!!!
O ministro da Justiça deve ser o Gimar Mendes, aquele do habeas corpus do Abdelmassih ( 54 estupros)!!!


Jader martins on 29 Março, 2016 at 15:43 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)
Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica .

O hoje, o amanhã e o depois, por Wagner Iglecias
TER, 29/03/2016 – 15:27

Por Wagner Iglecias

Do Facebook

HOJE: Ao que parece conspirações frenéticas estão acontecendo com objetivo de aprovar rapidamente o impeachment da Presidente Dilma Rousseff. Contra ela não há crime comprovado. Diferentemente do que acontece com seus algozes. Na Folha de hoje a insuspeita jornalista Mônica Bergamo já adiantou o que está acontecendo: o PMDB desembarca do governo e acelera o processo de impeachment, a ser conduzido por Eduardo Cunha. O qual já teria fechado acordo com Michel Temer para não ser cassado. Aprovado o afastamento de Dilma, Cunha deverá renunciar à Presidência da Câmara, mas continuará deputado, mantendo o direito ao foro privilegiado.

AMANHÃ: O provável governo Temer será baseado numa aliança entre os irmãos siameses PMDB e PSDB. Um mix entre pessoas como Temer, Serra e Renan, entre outros. Especula-se que Gilmar também poderia fazer parte deste governo. É algo muito difícil de acontecer, no entanto especula-se também que Sérgio Moro possa vir a ser indicado para uma vaga no STF pelo novo governo.

DEPOIS: Deverá ser implantada uma duríssima agenda de ajustes econômicos, com o peso recaindo exclusivamente sobre os trabalhadores (os pobres e os de classe média). O discurso de peemedebistas e tucanos é previsível: dirão que Dilma arrasou o país e que agora será preciso cortar na carne para recolocar a economia nos trilhos. O rolo compressor da direita deverá impor diversas medidas, não apenas econômicas, como as citadas abaixo:

a) o fim de qualquer tipo de indexação para o reajuste dos salários e dos benefícios previdenciários, prevalência das convenções coletivas entre patrões e empregados sobre as normas legais e terceirização total do mercado de trabalho, acabando na prática com a legislação trabalhista prevista pela CLT (possibilitando a informalização e a precarização completa da mão de obra, com facilitação inclusive para práticas de trabalho infantil e atividades análogas ao trabalho escravo);
b) desvinculação da Constituição dos gastos mínimos obrigatórios dos governos com saúde e educação;
c) privatização de todas as empresas estatais, nos âmbitos federal, estadual e municipal;
d) regulamentação da autonomia do Banco Central (que poderá passar a fazer política monetária a seu bel prazer e ao bel prazer dos rentistas, independentemente da vontade do Poder Executivo);
e) fim da exclusividade da Petrobrás na exploração do Pré-Sal e reinstituição do regime de concessão, de óbvio interesse das petroleiras estrangeiras;
f) fim da política de subsídios governamentais à política industrial e ao comércio exterior brasileiro;
g) fim do uso dos recursos do FGTS para financiar a expansão da política habitacional (Minha Casa Minha Vida);
h) cortes nos recursos dos programas de financiamento à educação superior (FIES e ProUni) e cortes nos recursos dos programas de formação técnica (Pronatec);
i) intervenção no Sistema Único de Saúde (SUS) (provavelmente visando a diminuição do repasse de recursos à saúde pública);
j) duro reajuste das tarifas públicas (energia elétrica, gás, telefonia, pedágios etc.);
k) forte mudança na Política Externa, afastando o Brasil do Mercosul, da Unasul e dos BRICS e redirecionando o país para acordos com os USA e a União Européia;
l) instituição do Estatuto da Família (que prevê como único tipo de família aquela formada por pai, mãe e filhos)
m) instituição do Estatuto do Nascituro (que ameaça os direitos reprodutivos das mulheres)
n) instituição do Estatuto do Desarmamento;
o) transferência ao Congresso Nacional da questão da demarcação de terras indígenas, hoje sob incumbência do Poder Executivo;
p) regulamentação de parcerias público-privadas para a administração do sistema penitenciário em todo o país;
q) Instituição da redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos;
r) alteração da Constituição para que entidades de cunho religioso possam propor Ações de Constitucionalidade perante o STF;
s) engavetamento de qualquer projeto de Reforma Agrária mais consistente;
t) engavetamento de qualquer projeto de regulação da propriedade dos meios de comunicação;
u) regulamentação da compra de terras por estrangeiros;
v) alterações na Lei de Biossegurança de modo a favorecer os fabricantes em detrimento dos consumidores;
w) regulamentação da dispensa de servidores públicos por insuficiência de desempenho;
x) estabelecimento do Código da Mineração, que favorece as grandes mineradoras;
y) engavetamento de qualquer projeto de Reforma Política que vise o aumento do poder do cidadão / eleitor;
z) engavetamento de qualquer projeto de Reforma Tributária de caráter progressivo, voltado a tributar mais os mais ricos e menos os mais pobres;
za) reforma da Previdência, de caráter prejudicial aos trabalhadores.

E tanta gente por ai achando que tudo se resume ao “combate à corrupção”.

http://jornalggn.com.br/noticia/o-hoje-o-amanha-e-o-depois-por-wagner-iglecias


Rosane Santana on 29 Março, 2016 at 16:01 #

Querido Joca, dias piores virão! A lista é extensa, muito além do petismo. Não há salvação, por hora. Aos bem nutridos que marcham nas ruas, pergunta-se do que se queixam? Dizer que combatem a corrupção, caminhando com Geddel Vieira Lima, Lúcio Vieira Lima, Antônio Imbasshay etc. só pode ser desvairio. Aliás, o que esperar de multidões iradas?


Rosane Santana on 29 Março, 2016 at 16:09 #

Desvario


Jader martins on 29 Março, 2016 at 16:12 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)
Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica.

http://campanharededalegalidade.blogspot.com.br/2016/03/rede-globo-assume-face-da-conspiracao.html


Taciano Lemos de Carvalho on 29 Março, 2016 at 16:24 #

Por aclamação, PMDB decide deixar a base do governo Dilma

Companheiro infiel de jornada do PT.

Bem feito. Traiu quem traiu as bandeiras da mudança, do diferente, da ética, da moralidade.


Jader martins on 29 Março, 2016 at 16:45 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)
Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica.

http://www.blogdacidadania.com.br/2016/03/o-preco-do-golpe-sera-descredito-interno-e-externo-do-pais/

O preço do golpe será (?) descrédito interno e externo do país
Posted by eduguim on 29/03/16 • Categorized as Análise

Buzz ThisPost to Google BuzzBookmark this on DeliciousBookmark this on DiggShare on FriendFeedShare on FacebookShare on LinkedIn

impeachment

O golpe ainda não vingou. Se vai vingar, só saberemos mais adiante. Mas, desde já, é possível mensurar o que acontecerá no país se um bando de parlamentares envolvidos até o pescoço em corrupção – e processados por isso – cassarem o mandato de uma presidente contra quem não pesa nem mesmo acusação de desvio ético.

No próximo dia 31, quando o golpe de 1964 completar 52 anos, haverá uma manifestação gigantesca contra o golpe parlamentar que se avizinha. Será, sem sombra de dúvida, a maior manifestação com esse fim que o país já viu.

A resistência ao impeachment aumentou muito. Até setores da esquerda que torciam o nariz para defender o governo Dilma estão se posicionando contra. Até o PSOL, partido de esquerda que mais condescendeu com o golpismo, dividiu-se irremediavelmente. Pode-se dizer, hoje, que a maioria se posiciona contra o impeachment.

Grande parte da imprensa internacional enxerga o golpe como o que ele é, um golpe. Não estamos falando de qualquer veículo. The New York Times, The Guardian, Los Angeles Times, L’Humanité… Espalhou-se pela imprensa internacional a suspeita de que não há normalidade no processo que pretende jogar no lixo 54 milhões de votos.

Ao mesmo tempo, centenas de juristas condenam esse processo. Ministros do Supremo veem abusos nas investigações e violação do Estado Democrático de Direito.

Se o golpe vingar, o Brasil deverá mergulhar em uma tempestade de greves e paralisações. O Congresso ficará em pé-de-guerra. E quanto mais a situação da economia não evoluir, mais difícil será ao governo Michel Temer conseguir apoio para governar.

Os grupos de mídia formuladores de mais um golpe no país já tratam de preparar o terreno, ou seja, o espírito das pessoas para o fato de que a economia não irá reagir com a simples substituição de Dilma por Temer. É claro que durante algum tempo tentarão atribuir o caos na economia ao PT, a Lula, a Dilma, mas essa desculpa tem prazo de validade.

Concomitantemente aos problemas econômicos, o plano de um eventual governo Temer é desmontar o estado de bem-estar social edificado pelos governos do PT. O Congresso conservador, agora com o apoio do Planalto, tratará de suprimir direitos trabalhistas, colocando a massa trabalhadora em pé-de-guerra.

O pré-sal será entregue às petroleiras estrangeiras. A privatização da Petrobrás é uma possibilidade concreta.

Mas o pior de tudo está nas perspectivas. A estratégia usada para derrubar Dilma e jogar fora os 54 milhões de votos que a elegeram permanecerá pairando sobre a República. Nenhum governo estará seguro de que chegará ao fim, o que tornará o Brasil um país imprevisível, o que, vejam só, é o que há de pior para o capitalismo.

O capitalismo requer previsibilidade. Sem ela, não se anima.

O grande dano que o golpe causará à imagem do Brasil, porém, está no fato de uma presidente contra quem nunca terá pesado uma única ação na Justiça e nem mesmo uma investigação ter sido cassada por um Congresso cuja maioria de seus membros está sendo investigada e/ou processada por corrupção.

Se o golpe se concretizar, o Brasil estará com a sua imagem maculada para sempre. Será visto como uma republiqueta com instituições débeis e suscetíveis a arranjos políticos improvisados como o que terá resultado na derrubada de um governo legítimo e na mudança brusca das regras do jogo.

A instabilidade político-institucional fará deste país um alvo para saqueadores internacionais, que virão para cá pilhar o que puderem no menor espaço de tempo possível e irão embora. Não contem com investimentos de médio e longo prazos, não contem com fé neste país.

Os efeitos desse golpe irão perdurar por gerações. Os corruptos que terão derrubado Dilma para se safar das investigações irão interrompê-las e os órgãos de controle fortalecidos pelos governos do PT serão sumariamente desmontados.

O Brasil voltará a ser uma fazendona, com uma elite minúscula e uma massa descomunal de cidadãos comendo o pão que o diabo amassou.

A consequência mais imediata do aumento da pobreza e da desigualdade que se seguirá ao golpe será o correspondente aumento da violência e da criminalidade. Com a ascensão dos Bolsonaros da vida, tentarão combater o problema com violência policial e encarceramentos, o que só fará aumentar esse problema.

Este país irá mergulhar em um mar de violência, criminalidade e carestia.

Durante 13 anos, os brasileiros se acostumaram a melhorar de vida mês a mês, ano a ano. De 2003 a 2014, os salários e o nível de emprego só aumentaram e a pobreza e a desigualdade só caíram. É isso que os brasileiros querem de volta. Eu não queria estar na pele dos golpistas quando o povo descobrir que eles não trarão isso de volta.

E que, muito pelo contrário, farão a vida deste povo voltar ao que era antes de o PT chegar ao poder.

*

PS: aconteça o que acontecer, este Blog estará sempre aqui externando suas posições, analisando o cenário e divulgando aquilo que o fascismo tupiniquim não quer que seja divulgado. Como este espaço nunca dependeu do poder para existir, se esse poder mudar


Taciano Lemos de Carvalho on 29 Março, 2016 at 17:04 #

Rosane Santana on 29 Março, 2016 at 18:30 #

PIADA DO ANO
Atendendo ao clamor das ruas, onde muito bem nutridos e bem pagos cidadãos dizem ser contra a corrupção e a favor da ética na política, o PMDB rompe com o governo após aprovação de moção assinada pelo irrecuperável Geddel Vieira Lima, cuja folha corrida de malfeitos com o dinheiro público já foi até objeto de documentário divulgado por Antônio Carlos Magalhães no Congresso. Para se ter uma ideia da estatura ética do novo lider, ACM apelidou-o de “O Agatunado”. Tenho eu a impressão de que o Brasil sofre um curto-circuito na memória. Em 1993, durante a CPI dos Anões do Orçamento, que cassou vários deputados do PMDB, comentaristas políticos como Clóvis Rossi, da Folha de São Paulo, relataram que Geddel era um dos anões, e escapou da cassação graças a Luís Eduardo Magalhães, então presidente da Câmara dos Deputados, depois de chorar copiosamente diante das câmeras de TV.


Jader martins on 29 Março, 2016 at 18:44 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)
Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica.

Pensamento SUFI:
” Os fins definem os meios”


luiz alfredo motta fontana on 29 Março, 2016 at 19:45 #

Enquanto isto, Cláudio Humberto informa:

OUTRA BAIXA
SENADOR BAIANO WALTER PINHEIRO PEDE DESFILIAÇÃO DO PT
PRIMEIRO SENADOR DO PT NA BAHIA, PINHEIRO TEVE 3,6 MILHÕES DE VOTOS
Publicado: 29 de março de 2016 às 17:53

O senador Walter Pinheiro (BA) entregou hoje o pedido de desfiliação do Partido dos Trabalhadores. A baixa, já esperada, veio e péssima hora para o governo da presidente Dilma Rousseff, que vê, impotente, a pulverização de sua base de apoio no Congresso. Pinheiro estava filiado ao PT desde 1983 e foi o primeiro senador eleito pelo partido na Bahia com mais de 3,6 milhões de votos em 2010. Confira a íntegra do epdido de desfiliação do senador Walter Pinheiro.
Decido encerrar, depois de uma reflexão profunda, minha única filiação. Agradeço pelas coisas boas, pelo apoio, pelas amizades, por tudo que vivenciei na vida pública e tudo que foi possível construir.

Vou continuar cumprindo, com todo empenho, a jornada que o povo da Bahia me confiou.

Grato aos meus familiares, grato aos parceiros que constroem nosso mandato, grato aos amigos, aos companheiros, ao povo da Bahia e muito, mais muito grato a Deus que pela sua Graça tem me sustentado.

Creio que, como diz o apóstolo Paulo, “combati o bom combate”. Permanecerei com o trabalho firme e mantendo minha Fé, Fé que é possível, Fé no Brasil e Fé na vida.

—————————————–

Lula, na sua visita a Salvador, na sexta-feira, contará com Oto, aquele Alencar destemido. Lídice deve estar agoniada.

A pauta será divertida, caso ocorra!


Taciano Lemos de Carvalho on 29 Março, 2016 at 20:03 #

Imagem do dia: A debandada dos que até ontem roíam o queijo do poder

Por Celso Lungaretti, no Blogue Náufrago da Utopia

A imagem do dia pode ser vista em:
http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.br/2016/03/imagem-do-dia-debandada-dos-que-ate.html

O PT ouviu o Raul Seixas dizer que “quando se quer entrar num buraco de rato, de rato você tem que transar!”. E, de tantas e tantas dicas (a maioria inspirada) que o maluco beleza nos deixou, escolheu para seguir logo a pior de todas elas…

Ao misturar-se com a escória da política convencional, passou a ser tido pelo povo como idêntico a ela. Ao imitar-lhe os métodos, acabou vendo seus grandes nomes no xilindró.

E esqueceu de que, quando os navios estão afundando, os ratos são os primeiros a abandonarem-nos, pois, além do queijo do poder, o que mais prezam é a continuidade de sua vidinha imunda de ratos.

É o que está acontecendo agora.

É o que o PT deveria ter previsto, antes de aceitar como parceiras as criaturas dos esgotos.

https://youtu.be/Up341aG62Kw


Jader martins on 29 Março, 2016 at 21:01 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)
Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica.

Desculpem-me , eu cometi um crime, digo, equívoco! Grande Moro!
http://www.jb.com.br/pais/noticias/2016/03/29/moro-admite-ao-stf-equivoco-ao-divulgar-conversa-de-lula-e-dilma/
País
Hoje às 19h08 – Atualizada hoje às 19h14
Moro admite ao STF equívoco ao divulgar conversa de Lula e Dilma

O juiz federal Sérgio Moro admitiu hoje (29) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki que se equivocou ao autorizar a divulgação de escutas telefônicas entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilam Rousseff. Ao ministro, Moro também disse que não teve intenção de provocar polêmicas, conflitos ou constrangimentos.

“O levantamento do sigilo não teve por objetivo gerar fato político-partidário, polêmicas ou conflitos, algo estranho à função jurisdicional, mas, atendendo o requerimento do MPF, dar publicidade ao processo e especialmente a condutas relevantes do ponto de vista jurídico e criminal do investigado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que podem eventualmente caracterizar obstrução à Justiça ou tentativas de obstrução à Justiça”, justificou Moro.

Sergio Moro admitiu que foi um erro divulgar os aúdios
Sergio Moro admitiu que foi um erro divulgar os aúdios
Moro enviou as informações a pedido de Zavascki após a decisão do ministro que determinou a suspensão das investigações da Operação Lava Jato que envolvem Lula e envio dos processos ao Supremo.

Na quinta-feira (31), o STF decidirá se o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal, continuará na condução dos inquéritos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na semana passada, o ministro Teori atendeu a pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) e suspendeu, com base em jurisprudência da Corte, a divulgação das interceptações envolvendo a Presidência da República e fixou prazo de dez dias para que Sérgio Moro preste informações sobre a divulgação dos áudios do diálogo entre a presidenta Dilma Rousseff e Lula, tornadas públicas após decisão do juiz.


luiz alfredo motta fontana on 29 Março, 2016 at 21:08 #

Jader, acorde, na Bahia a debandada começou, olhe o teu quintal.

Esqueça o Moro, ao menos esta noite varie o pesadelo, amanhã será o STF que cuidará do destino do “namorado” de Rose.


luiz alfredo motta fontana on 29 Março, 2016 at 21:38 #

O Judiciário é assim, nada acontece sem a benção da toga! O Moro sabe disto, por isso segue o rito e pede escusas, é tudo que a Veneranda Corte exige, já o “namorado de “Rose” repete o velho vício sindicalista, esbraveja, suado e tenso, não aprendeu nada o “inocente”.

Jader, é sério, descanse, amanhã tome um banho de descarrego, não resolve a lide, mas ameniza a tensão.

O caso agora é com as excelências.


Jader martins on 29 Março, 2016 at 22:00 #

…a querela atual não é entre a Rede Globo e Lula. É entre o Brasil e
Lula.( Luis Augusto)
Em sua homenagem Luis, vou começar meus comentários, citando sempre a sua
frase antológica.
Cai na real poeta . Procure um psicanalista para resolver o seu luto em relação ao Ulisses e Brizola! Ainda existe muito ser humano bom e amoroso! Xô amargor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


luiz alfredo motta fontana on 30 Março, 2016 at 1:06 #

Compreensível, tensões podem causar reações singulares.

Mudo de mesa, em respeito à casa, era apenas um comentário, será o ultimo dirigido, de forma pessoal, ao sensível Jader. Assim, espero evitar certas interjeições.

Ficam minhas escusas ao VHS.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos