Morre Naná Vasconcelos! Viva Naná Vasconcelos! Para sempre.

Com saudades da marcante e singular presença e e doloroso amargor pela ausência inevitável.

R.I.P.

(Vitor Hugo Soares)

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 9 Março, 2016 at 11:58 #

Ele era a música, respirava ritmos, suava acordes, seu coração era literalmente percussão.


regina on 9 Março, 2016 at 12:22 #

http://youtu.be/Xl7ONKSm0mI

Concordo com o poeta!!!


Janio on 9 Março, 2016 at 23:40 #

Vitor, Poeta, Regina, em 15 de março de 1998, quando a Chesf completou 50 anos, houve uma grande festa diante da Usina Delmiro Gouveia, onde foi montado um palco para apresentações de algumas atrações musicais, entre elas, Naná. Perto do meio-dia eu resolvi dar uma olhada no movimento e lá estava ele, sozinho, sentado numa pedra, olhando pra cima. Devagarzinho fui encostando, encostando e já pertinho ele fez um sinal de psiu com o dedo na boca e disse, baixinho: “ouça esse som das asas batendo!”. Olhei pra cima e uns cinco urubus voavam tranquilamente sobre o paredão onde o Véu da Noiva corria solto quando o São Francisco (Velho Chico é o cacete!) não tinha amarras. Esse era o nosso imenso e genial Naná. Sexta o beberei ouvindo Milton e o tambor de Dona Mercês. Tim Tim!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos