mar
05
Postado em 05-03-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 05-03-2016 16:59


Dilma, Lula e Mariza: day after em São Bernardo


DEU NO G1/O GLOBO

A presidente Dilma Rousseff visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista neste sábado (5). Dilma foi ao apartamento de Lula para dar apoio ao ex-presidente, que na sexta-feira (4) foi levado por condução coercitiva para depor à Polícia Federal na Operação Lava Jato. Ela ficou pouco mais de uma hora na companhia de Lula.

Dilma chegou por volta das 13h deste sábado (5) a São Paulo. Ela saiu de Brasília em um avião, que pousou no início da tarde no Aeroporto de Congonhas, Zona Sul da capital paulista. Em seguida, ela foi de helicóptero até São Bernardo do Campo, no ABC, e seguiu de carro até o prédio do ex-presidente, acompanhada do ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner.
operação

R$ 30 mi em doação e repasse
entenda as suspeitas
alvos da operação
lula: ‘me senti um prisioneiro’
dilma: ‘inconformada’
instituto lula: ‘ação arbitária’
confronto entre manifestantes
fotos
repercussão internacional
cobertura em tempo real

Na sacada do apartamento, Dilma acenou para militantes, acompanhada de Lula e da esposa do ex-presidente, Marisa Letícia. Na rua em frente ao prédio, manifestantes em apoio a Lula soltaram uma fumaça vermelha.

Às 14h30, Dilma desceu para cumprimentar os militantes e acenar para as pessoas que desde cedo esperavam no local. Ela não falou com a imprensa e voltou para dentro do prédio. Dilma foi embora logo em seguida.

Após o encontro, Dilma Rousseff seguiu para Porto Alegre (RS), onde tem compromissos pessoais.

Este é o primeiro encontro da presidente com Lula depois de a Polícia Federal (PF) ter deflagrado, na sexta-feira (4), nova etapa da Operação Lava Jato, cujo foco era o ex-presidente.

Vigília
Militantes pró Lula fizeram vigília em frente ao prédio onde o ex-presidente mora. Cerca de 300 pessoas, segundo a Polícia Militar, passaram no local protestando contra a investigação da Justiça Federal, que apura se o petista recebeu dinheiro da corrupção da Petrobras.

No começo da tarde deste sábado, o ex-presidente saiu do prédio e se reuniu com os militantes. Ele foi ovacionado pelos manifestantes, tirou fotos com simpatizantes, mas não subiu em um carro de som estacionado em frente ao edifício.

“Companheiros, sei que vocês querem um discurso, mas não podemos porque tem um hospital aqui perto”, disse Lula a sua militância. Em seguida, Lula voltou para dentro do prédio para esperar a chegada de Dilma.

Do lado de fora do prédio, manifestantes gritavam palavras de ordem como “Não vai ter golpe” e “Lula é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo”.

Grupos contrários ao ex-presidente não estavam presentes até as 12h, quando a modelo e socialite Ju Isen, conhecida por protestar contra o governo petista tirando a blusa, apareceu perto do protesto pró Lula usando camisa da seleção e bandeira do Brasil. Ela não falou com a imprensa e foi embora de táxi, sem conseguir realizar seu protesto, após militantes jogarem uma garrafa vazia nela. A modelo estava escoltada por seguranças particulares.
Fumaça vermelha é lançada por manifestantes em frente a prédio onde mora o ex-presidente (Foto: Carolina Dantas / G1)
Fumaça vermelha é lançada por manifestantes em frente a prédio onde mora o ex-presidente (Foto: Carolina Dantas / G1)

Pichação ao Instituto
Um portão do Instituto Lula, na Zona Sul de São Paulo, apareceu pichado na manhã deste sábado após o ex-presidente que dá nome ao local ter prestado depoimento na sexta-feira (4) na 24ª fase da Operação Lava Jato. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do instituto. Posteriormente, a assessoria disse que grafiteiros cobriram a pichação.

De acordo com a assessoria, a pichação deve ter ocorrido durante a madrugada deste sábado. Câmeras de segurança do prédio deverão ser analisadas para tentar identificar os responsáveis. O G1 esteve nesta manhã no local. O portão estava levantado, mas mesmo assim era possível ver a pichação “sua hora chegou corrupto”. O petista é investigado pela Justiça Federal por suspeita de ter sido beneficiado pelo esquema de desvios de dinheiro na Petrobras.

Depoimento à PF
Além de levar Lula para depor, em um posto da PF no Aeroporto de Congonhas, os policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do ex-presidente, em São Bernardo, na sede do Instituto Lula, na capital paulista, e no sítio que era usado por ele em Atibaia (SP).

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Lula é investigado porque há indícios de que ele recebeu benefícios desviados da Petrobras por meio da execução de reformas no apartamento triplex do Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia (SP). Os procuradores ressaltaram ainda que há evidências de que o petista recebeu móveis de luxo nos dois imóveis e teve a armazenagem de bens em uma transportadora bancada pela construtora OAS, uma das empreiteiras investigadas na Lava Jato.

Depois de prestar depoimento à PF, Lula fez um pronunciamento. O ex-presidente disse que que se sentiu “prisioneiro” por ter sido levado coercitivamente para prestar depoimento à Polícia Federal. O ex-presidente afirmou ainda que “acertaram o rabo da jararaca”, mas “não mataram”. E também falou sobre a presidente Dilma Rousseff: “Não permitem que a Dilma governe esse país”.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos