DO CORREIO24HORAS

Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)

O humorista Jô Soares se manifestou a respeito do fim do seu programa na rede Globo de televisão. Nesta segunda-feira (22) foi anunciado que esta será a última temporada do “Programa do Jô”, que estreia em março.

“Foram 28 anos de programa no ar, não é uma má ideia… não é um mau desfecho”, disse Jô Soares, 78 ano, ao jornal Folha de S.Paulo. Ele disse ainda que quando renovou em 2014 disse que dava para fazer mais dois anos.

Os 28 anos que Jô se refere dizem respeito a duração do programa no SBT e Globo. Após anos com humorísticos na emissora de Roberto Marinho, o artista estreou em 1988 o “Jô Soares Onze e Meia”, no SBT. Em 2000, o ele voltou para a Globo com o “Programa do Jô”, no ar até hoje.

Apesar do anúncio do fim do programa, Jô não pretende se aposentar. “Tenho muita coisa para fazer. Agora mesmo vou dirigir duas peças, um Shakespeare e uma outra inglesa que foi dirigida por John Malkovich em Paris”, conta. Ele disse ainda que está terminando um livro para a Cia. das Letras e escreveu um conto a pedido do titã Tony Bellotto.

Imenso Caymmi!! Formidável Carmen Miranda!!!

Para ouvir, sempre, cantar e pensar.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)


Dilma conversa com João Santana em 2014.
E. Knapp Folhapress

DO EL PAIS

A estrela do marketing político do PT, o baiano João Santana, é o principal alvo da 23ª fase da operação Lava Jato, realizada na manhã deste segunda-feira. Ele foi responsável pela propaganda de campanha que ajudou a reeleger o ex-presidente Lula, em 2006, e pelas peças publicitárias de Dilma Rousseff nos pleitos de 2010 e 2014. Além disso, Santana atuou como conselheiro da presidenta em diversos momentos da crise política que o Planalto atravessa. De acordo com fontes não oficiais dentro da Polícia Federal, os agentes tentam cumprir mandado de prisão temporária contra ele, que de acordo com seus assessores está na República Dominicana. A suspeita da força-tarefa é que o marqueteiro tenha contas não declaradas no exterior que teriam sido irrigadas com dinheiro da empreiteira Odebrecht – os ativos superariam 7 milhões de dólares. O nome desta etapa da operação, Acarajé, seria uma referência ao nome usado pelos envolvidos no esquema para designar dinheiro vivo.

A nova etapa da operação tem potencial de colocar mais lenha na fogueira da crise política vivida pelo Governo, que ainda tem pela frente um processo de impeachment – suspenso pelo Supremo Tribunal Federal – e um Congresso hostil. Além disso, o Planalto ainda lida com o desgaste provocado pela fase anterior da Lava Jato, a Triplo X, que mirou um triplex que teria sido reformado pela OAS para Lula.

No total a PF cumpre hoje 51 mandados judiciais nos Estados da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. Além de Santana, a PF também realiza buscas em escritórios da construtora Odebrecht, uma das investigadas na Lava Jato. O ex-presidente da empresa Marcelo Odebrecht, preso em junho de 2015, é um dos poucos executivos denunciados que continua detido – ele não aderiu ao acordo de delação premiada.

A relação entre o herdeiro do império Odebrecht e o marqueteiro começaram a ficar mais claras em junho do ano passado, quando, no telefone celular do ex-presidente da empreiteira a força-tarefa encontrou a seguinte mensagem, endereçada a outro executivo da companhia: “Dizer do risco cta suíça chegar na campanha dela”. Para os agentes, trata-se de uma possível menção a pagamentos feitos pela Odebrecht depositados nas contas de Santana que seriam redirecionados para a campanha da presidente.

No ano passado a Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Polícia Federal havia aberto inquérito para investigar Santana por outra suposta irregularidade. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, havia a suspeita de que ele teria trazido ao Brasil 16 milhões de dólares, oriundos de Angola, em 2012, no que poderia ser uma operação de lavagem de dinheiro para beneficiar o PT. Naquele ano o marqueteiro atuou em duas campanhas eleitorais: em São Paulo, para o então candidato Fernando Haddad, que venceu o pleito para prefeito da capital, e em Angola, onde assessorou o partido Movimento Popular pela Libertação de Angola (MPLA). Santana negou qualquer irregularidade, e publicou no site de sua agência, a Pólis Propaganda, recibos e comprovantes das transações realizadas.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a PF também cumpre hoje mandado de prisão contra o consultor Zwi Skornicki. Ele seria um dos operadores do esquema envolvendo Santana, e é representante da Keppel Fels, um estaleiro de Cingapura que prestou serviços à Petrobras.Dos 51 mandados, 38 são de busca e apreensão, dois de prisão preventiva, seis de prisão temporária e cinco de condução coercitiva (quando o intimado é obrigado a comparecer às dependências da Polícia).

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES

Ainda o caso da paternidade terceirizada

Esse caso – no sentido amoroso da palavra – entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a jornalista Miriam Dutra foi um desses segredos de polichinelo que acometem qualquer república respeitável.

Embora todo mundo o conhecesse na época, a imprensa não ousou abordá-lo abertamente, como faz agora, após o escancaramento pela própria ex-consorte.

Quando a história chegou a ser divulgada, destacou-se a atitude de FHC de reconhecer o filho nascido do conúbio, provendo-lhe as necessidades, inclusive afetivas, apesar da distância.

O comportamento “nobre” do ex-presidente não se alterou nem mesmo com a comprovação, por dois exames de DNA, de que não foi o seu sêmen responsável pela gestação, numa situação atípica do que se poderia chamar de paternidade terceirizada.

Há um clima de conluio cósmico no ar

A propósito, deve haver um toque místico nessa história toda, pois somente o imponderável seria capaz de construir trama tão caprichosa como esta, em que dois episódios distantes se conjuminam de forma tão, digamos, excitante.

Em 1989, no segundo turno da primeira eleição presidencial pós-ditadura, Lula enfrentava Collor, que levou à televisão a ex-amante do petista Miriam Cordeiro para dizer que ele – Lula – queria obrigá-la a abortar a gravidez da qual nasceu a primogênita do metalúrgico.

Era o calor de uma disputa direta, e Lula, em programa eleitoral subsequente, precisou levar a própria Lurian – assim batizada por combinação dos nomes dos pais –, tendo dito que lhe interessava o julgamento que a filha fazia dele, não o “da mãe da menina” ou do “adversário”, aos quais não responderia.

Em 2016, quando o calendário não prevê eleição de presidente, apesar de haver quem queira promovê-la, outra Miriam vem a público denunciar a pressão do ex-presidente Fernando Henrique para que abortasse, acusando-o ainda de usar uma concessionária de serviço público para pagar sua “pensão” no exterior.

A clandestinidade aqui é outra

Está muito claro que há dois móveis coincidentes em ambos os casos: o primeiro é o móvel político, de que Collor lançou mão contra Lula, hoje seu aliado, e agora parece estar por trás de um contra-ataque ao turbilhão em que Lula se envolveu.

O outro é o móvel financeiro, válido para as duas Mirians. O da Cordeiro, já falecida, estimou-se, pagos de uma só vez, em 200 mil cruzados, moeda criada por Sarney, outro adversário que o PT conquistou. Quanto ao da Dutra, desconhece-se o que rolou agora, sendo igualmente incontáveis os dólares via Brasif, devido ao longo prazo de amortização.

Fala-se, com excesso de falsos pruridos, em privacidade, direito a escolher os próprios caminhos e até em razões do coração, mas a ação extemporânea da jornalista da Rede Globo, agora afastada, mais se assemelha às produções de um caráter que não se furta uma duradoura relação clandestina, como, aliás, também FHC.

Imprimir Imprimir Enviar por e-mail Enviar por e-mail

Roberto Marinho devia estar no meio

Veja-se: sobrou para Antonio Carlos Magalhães e seu filho Luís Eduardo, ambos falecidos. A jornalista Miriam precisava ter explicado melhor a mecânica do impedimento de sua volta ao Brasil, atribuída aos dois ilustres baianos.

Numa época em que o Brasil era presidido pelo grande combatente da democracia FHC, embora com as restrições que se possa fazer à aliança com ACM, essa é uma tese que requer esmiuçamento para compreensão e convicção.

Video postado por Maria Olivia Soares em sua página do Facebook.E a mensagem que ela escreveu:

Video postado por Maria Olivia Soares em sua página no Facebook. E a mensagem que ela escreveu:

“Aniversariante do dia canta para o querido aniversariante do dia 19, meu fevereiro festivo.
Aumente o som, Vilmar Ledesma”

========================
É a música para começar a semana no BP. Parbéns a Vilmar Ledesma. Eternidade para Nina (o documentario sobre ela vem forte para a disputa do Oscar com Amy (fabulosa) no domingo próximo, 28.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

DO G1/ O GLOBO

As primeiras pesquisas mostram que os bolivianos rejeitaram, em referendo popular uma reforma constitucional que permitiria ao presidente Evo Morales se candidatar a um quarto mandato (2020-2025). O referendo foi realizado neste domingo (21).

fev
22
Posted on 22-02-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-02-2016


Clayton, no jornal O Povo (CE)

fev
22

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

A reforma é pop

Pesquisa inédita do Ibope revelará que 65% dos brasileiros se dizem favoráveis à reforma na previdência.

Lauro Jardim, em O Globo, acrescenta que 60% concordam que homens e mulheres deveriam se aposentar com a mesma idade, e 66% acreditam que não deveria haver diferenças nas leis para trabalhadores rurais.

O único ponto impopular diz respeito ao aumento da idade mínima para se aposentar: 81% se dizem contra.

fev
22
Posted on 22-02-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-02-2016

Torcedora invade o estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF) com a faixa “Fora Dilma”, durante o Fla x Flu de ontem, e a galera vibra. Pode estar nascendo a mais nova sensação do futebol brasileiro. A conferir.
(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos

  • Fevereiro 2016
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    29