fev
19
Postado em 19-02-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 19-02-2016 01:38

DO UOL/FOLHA

O ex-senador Jorge Bornhausen, 78, que foi ministro no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), afirmou nesta quinta-feira (19) que só soube do relacionamento entre o ex-presidente e a jornalista Mirian Dutra Schmidt pelos jornais e que os dois nunca conversaram sobre o assunto. Nega ainda que a tenha ajudado financeiramente.

Em entrevista à Folha, Mirian afirma que o ex-presidente bancou despesas do seu filho Tomás no exterior por meio de uma empresa, a Brasif S.A. Exportação e Importação. Disse ainda que, no período em que se afastou do ex-presidente depois do nascimento do filho, Bornhausen a ajudou. “Ele era meu amigo”, disse Mirian.

Bornhausen já foi apontado como um dos sócios da Brasif. O ex-senador nega; diz ter sido apenas vice-presidente da empresa entre 1991 e 1992, quando deixou o cargo para assumir o cargo de ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República.

“O presidente Fernando Henrique jamais tocou nesse assunto comigo, mesmo quando eu estava em Portugal [Bornhausen foi embaixador naquele país de 1996 a 1998]”, disse.

Segundo Bornhausen, a relação dele com Mirian sempre foi a de político e repórter. Ele a conhece desde o período em que era governador em Santa Catarina e ela, repórter em Florianópolis. Voltou a revê-la, disse, já como jornalista em Brasília e ele, senador.

Em Portugal, Bornhausen diz ter sido entrevistado por Mirian, como repórter da TV Globo, assim que chegou ao país, para assumir a função de embaixador.

Na entrevista à Folha, Mirian disse ter contado com o apoio de Bornhausen. O ex-senador nega. “Embora tenha sido um relacionamento sempre muito amistoso, ela nunca me pediu nada, nenhum tipo de favor”.

Ele diz não ser sócio da Brasif, “infelizmente”, e que nunca fez nenhum pedido à empresa para realizar qualquer pagamento para Mirian. “E também não acho que o Fernando Henrique fez algum pedido”.

Figura eminente no antigo PFL, Bornhausen chegou a ser filiado ao PSD e hoje não está ligado a nenhum partido –”graças a Deus”, completou.

Aos 78 anos, coordena um centro de estudos da Associação Comercial de São Paulo, integra conselho de diversas empresas e também do Fórum Estratégico da Federação das Indústrias de Santa Catarina e do Conselho de Estudos Superiores da Fiesp.

Be Sociable, Share!

Comentários

Jader martins on 19 Fevereiro, 2016 at 10:59 #

Jader martins on 19 Fevereiro, 2016 at 14:50 #

Cheguei a conclusão depois de anos nas redes sociais que o assunto FHC/Mirian realmente não é interessante e nem relevante(sic)!!!!!!!!!!!!!!! Vamos esperar o Moro soltar mais uma operação urgente!!!


Taciano Lemos de Carvalho on 19 Fevereiro, 2016 at 19:08 #

Maquiagem ou fraude?
********

No DF: Cenário da mobilização contra ‘Aedes’ foi maquiado

Borracheiro relatou que pneus foram colocados em frente à oficina pouco antes da visita de autoridades, diz jornal

Revista veja/ Ricardo Botelho/Brazil Photo Press/Folhapress – 19/02/2016 –

Um borracheiro de Brazlândia, cidade a 50 quilômetros de Brasília, vai entrar com uma ação na Justiça por causa da visita feita pelo governo federal no último sábado, dia da mobilização contra o mosquito Aedes aegypt, transmissor de doenças como a dengue, chikungunya e do vírus zika. Segundo Elder Fernandes Dias, de 30 anos, o cenário da “mobilização” foi “maquiado”, conforme mostrou a edição desta sexta-feira do jornal Folha de S. Paulo.

Dias contou que dez minutos antes das autoridades chegarem a sua borracharia, algumas pessoas o procuraram, perguntando se ele tinha pneu para jogar fora. Ele buscou cerca de vinte pneus do fundo da oficina e colocou do lado de fora, para que pudessem ser recolhidos. Foi então que o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, o vice-governador do Distrito Federal, Renato Santana, secretários de governo, deputados distritais e membros do Exército apareceram acompanhados de jornalistas e fotógrafos, e deram uma lição de moral no borracheiro. A foto dos pneus que, supostamente, estavam colaborando para a transmissão das doenças transmitidas pelo Aedes, saiu em todos os jornais.

O Banco Central e o Palácio do Planalto não deram um posicionamento à Folha. O governo do Distrito Federal disse apenas que as casas foram visitadas previamente por equipes de cerimonial “para ficarem cientes do encontro e da presença da imprensa”. Disse ainda que “não tem conhecimento de qualquer alteração de local”.
http://www.edsonsombra.com.br/post/no-df-cenario-da-mobilizacao-contra-aedes-foi-maquiado20160219


Taciano Lemos de Carvalho on 19 Fevereiro, 2016 at 19:17 #

Pensando bem…faz sentido essa maquiagem no combate à dengue, chikungunya e zika.

Afinal estamos combatendo uma “mosquita” que, assim, deve se apresentar na TV toda bonitinha, maquiadinha, arrumadinha.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2016
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    29