fev
11
Postado em 11-02-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 11-02-2016 00:21

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Moro e a “conspiração universal

Além de recusar o pedido da defesa da Odebrecht de exclusão dos documentários bancários provenientes da Suíça, Sergio Moro deu outra lição aos advogados da empreiteira:

“Quanto às demais alegações de que ele (Márcio Faria) e a Odebrecht seriam vítimas de uma espécie de conspiração universal, são desnecessários comentários do Juízo.”

Conspiração existia antes — entre as empreiteiras, PT, PMDB e PP –, para tungar os brasileiros. Mas não era universal, não, era bem nacional.

Be Sociable, Share!

Comentários

Jader martins on 11 Fevereiro, 2016 at 7:34 #

Janio de Freitas na FSP:
Carnaval da guerra
11/02/2016 02h00

Parecia Carnaval, um tanto estilizado pelas multidões mais afeitas a espectadoras imóveis dos shows de rock do que à ginga do samba e à graça das marchinhas. Parecia, mas era guerra. Mais uma, não bastando Eduardo Cunha versus governo, Lava Jato versus corrupção na Petrobras, PSDB contra PT, imprensa contra Lula, e as muitas menos prestigiadas pelos bombardeios.

Duas combatentes, entrevistadas como diretoras de um bloco, diziam coisas sem nexo: trabalham o ano inteiro na organização do bloco, apesar dos seus diplomas universitários só se ocupam do bloco, organizá-lo exige muitas reuniões de trabalho. Mas o bloco nada tem de especial, nem fantasias próprias, nem alegorias, nada. Só gente, gente, gente. E cerveja, cerveja, cerveja. Mas tem novidades, sim. Inovações de verdade.

Uma nova profissão: fundador e diretor de bloco, antes ocupação amadora, tornou-se profissão. Emprego sem risco de demissão. O velho “general da banda” só deu samba, mas ser general ou generala de bloco dá dinheiro. É que os fabricantes de cerveja trouxeram para as ruas a guerra até então disputada só na TV e nos bares.

O grande aumento do número de blocos no Rio e em São Paulo neste ano, apoiado no grande aumento do incentivo “jornalístico” para o comparecimento das massas, foi fabricado e financeiramente bancado por indústrias de cerveja. Um programa desenvolvido ao longo do ano. Cada multidão com nome de bloco veio a ser, na verdade e sem saber, como uma reunião inumerável de pontos de venda: a multidão de consumidores acompanhados pela multidão de carrocinhas, carrinhos, triciclos vendendo latas de cerveja. E aí a chave do negócio: em cada bloco, cerveja de um só fabricante. Exclusivo, aliás, de numerosos blocos, áreas de concentração e de dispersão.

Para as cervejeiras envolvidas, uma operação em tudo bem sucedida. Para a guerra entre o marketing, promotor de vendas, e os consumidores, desinformados e compelidos, uma evidência a mais de que a liberdade de escolha e a educação para o gosto consciente estão irrefreavelmente derrotadas. E, no entanto, eram valores da cidadania.

BEM MAIS

No essencial, o retorno da acusação do empreiteiro Ricardo Pessoa ao advogado Tiago Cedraz não traz novidade, mas tem duas qualidades. De uma parte, mostra a lerdeza, ou o desinteresse, da PF e da Lava Jato no apontado recebimento, pelo filho do presidente do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz, de pelo menos R$ 2,2 milhões para “serviços” dentro do tribunal. Tiago alega que o dinheiro foi para o Solidariedade de Paulinho da Força.

Além disso, a volta do assunto talvez lembre a Ricardo Pessoa mais revelações sobre o TCU. Pode ser que lhe falte memória, ou outra coisa, mas não o que revelar.

ATOS E PALAVRAS

O presidente e o diretor afastados da Andrade Gutierrez e presos há sete meses na Lava Jato, Otávio Azevedo e Elton Negrão, foram soltos na véspera do Carnaval depois de assinarem acordo para delação premiada. Quem, preso no mesmo dia, não o assinou, o juiz Sergio Moro manteve preso.

Já que a nova Justiça brasileira, inclusive o Supremo Tribunal Federal, não considera que haja opressão e coação para acusados cederem à delação premiada, é preciso que os ministros e magistrados proponham palavras para substituir as do vernáculo e do Direito. Porque as atitudes que as palavras consagradas e recusadas descrevem, essas continuam.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2016
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    29