jan
14


DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Motoqueiro de Dilma cai de novo

O agora ex-ministro Carlos Gabas, que já havia caído na Operação Pixuleco II, voltou a figurar na Lava Jato. Ele aparece trocando mensagens com Léo Pinheiro, da OAS.

Segundo o Estadão, Gabas recebeu pedido de Léo para agilizar a assinatura de um aditivo e o pagamento de parcelas da obra do BRT Sul do Distrito Federal, obra tocada no governo de Agnelo Queiroz.

Em 27 de outubro de 2014, duas semanas antes de ser preso, Pinheiro enviou mensagem a Gabas citando José Lunguinho Filho, diretor da OAS Defesa. “Amigo, não deu para o Lunguinho lhe ver. Abaixo a nossa agonia”, escreveu o empreiteiro, citando “as pendências”.

“Contrato: – Solicitar ao GDF (Casa Civil e Secretaria de Transportes) a aprovação do 7.º Termo Aditivo e a respectiva reprogramação (R$ 60 MM), junto a CEF. – Última medição recebida foi referente ao mês de Junho/14. Saldo financeiro do contrato após este recebimento = R$ 90 MM – Recursos: empenhar e pagar – R$ 30 MM da fonte 100 do GDF (contra partida) desbloquear e pagar – R$ 60 MM do convênio de empréstimo, junto a CEF. Grande abraço, Léo.”

Cinco horas depois, Gabas respondeu. “Ok, Cuido daqui”.

“Segura bem na mão da menina, poupa o coração que é só na colina, que o santo serve o caruru”. Faça como sugerem os versos da primorosas canção. E siga o cortejo a pé (se tiver fôlego, canela e fé). Veja com olhos atentos e espírito aberto entre o largo da Conceição da Praia e as escadarias da basílica do Senhor do Bonfim ( o Oxalá do povo do candomblé) uma das festas mais bonitas e multiculturais da Bahia.

Não se limite a olhar. Participe, com a intensidade da interpretação de Gal para a música de Gil.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

jan
14

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Pais precisa de mais que um pontapé

A piada deve ocorrer em vários pontos: demitido pela Fifa, o ex-secretário-geral Jérôme Valcke tomou, enfim, seu “pontapé no traseiro”, com que ameaçou, traduzido ou não ao pé da letra, os brasileiros sobre os preparativos para a Copa do Mundo.

Podemos ter nos ferido em nosso orgulho patriótico mais raso com as palavras de Valcke, mas a verdade é que o Brasil precisa de muito mais que isso, diante do pandemônio que se consolida em praticamente todos os setores da vida nacional.

Esta é a hora – apesar de o Legislativo e o Judiciário acharem que não e hajam se recolhido em férias – de aparecerem lideranças inspiradas a apontar os caminhos que o país deve tomar, sempre com base no conceito de que sem traumas não se alterará o quadro.

É preciso que as classes dirigentes se congreguem para prevenir o caos e definam um programa e um cronograma de reformas na política e na economia que transmitam à sociedade um sentimento de segurança quanto à mudança profunda que se mostra necessária.

Para tanto, o país tem, ainda, recursos naturais, capacidade científica e patrimônio intelectual que, devidamente empregados, sob uma estrutura institucional rígida, podem desenvolvê-lo de forma justa, levando-o, no plano mundial, a uma posição compatível com sua imponência geográfica.

A educação verdadeira, não o arremedo, é a ferramenta básica de todo um processo de transformação, como outros povos já provaram, sem desprezar outras de grande importância,. É inútil ficar tapando rombos sociais aqui e ali, pois essa não é, lamentavelmente, tarefa para um só governo.

O que se impõe é começar de baixo, preparar as pessoas e as gerações para a ética, a filosofia, o trabalho – como resultado virão o progresso, a paz e o respeito mútuo dentro da sociedade. Erros e distorções serão a exceção, não a regra, como hoje.

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Dilma sanciona a lavagem de dinheiro

Dilma Rousseff sancionou a lei de repatriação de recursos, aprovada pelo Senado em dezembro.

Quem aderir ao programa pagará 30% de imposto e não poderá ser processado por crimes como sonegação fiscal, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

jan
14
Posted on 14-01-2016
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-01-2016


Aroeira, no jornal O Dia (RJ)

jan
14

Localidade Bento Rodrigues devastada pelo rompimento da barragem de Fundão. TV Senado/El Pais

DO EL PAÍS

HELOÍSA MENDONÇA

De São Paulo

Mais de dois meses após a tragédia de Mariana, a mineradora Samarco – dona da barragem do Fundão, que se rompeu em novembro do ano passado – foi indiciada, juntamente com seu presidente, Ricardo Vesvoci, no processo que apura crimes ambientais relacionados ao desastre. A informação foi divulgada pela Polícia Federal na tarde desta quarta-feira. Uma das maiores mineradoras do mundo, a Vale, acionista da Samarco, e a empresa Vogbr, consultoria responsável pela declaração de estabilidade da barragem, também foram indiciadas.

A decisão, segundo a PF, se baseia em condutas previstas na Lei de Crimes Ambientais: “Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora”.

Junto com Vescovi, foram indiciados também outras seis pessoas: o coordenador de monitoramento das barragens, a gerente de geotécnica, o gerente geral de projetos e responsável técnico pela barragem Fundão, o gerente geral de operações, o diretor de operações e o engenheiro responsável pela declaração de estabilidade da barragem Fundão em 2015, que atestou a estabilidade das estruturas.

Os indiciados como responsáveis pela maior tragédia ambiental do país, que deixou pelo menos 17 mortos e gerou uma tsunami de lama que atingiu o Rio Doce e chegou ao litoral do Espírito Santo, podem responder por crimes que têm penas previstas de um a cinco anos de prisão.

A polícia informou que novos indiciamentos poderão surgir com o decorrer das investigações. A atuação da PF no caso se deve ao fato de os rejeitos terem atingido o leito do rio Doce, que é um bem da União (já que banha mais de um Estado). Já a investigação sobre as mortes na tragédia é feita pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Procurada pela reportagem, a Samarco informou, por meio de nota, que “não concorda com o indiciamento de seus profissionais porque até o presente momento não há uma conclusão pericial técnica das causas do acidente”.

A Vale também afirmou, por meio de nota, que o indiciamento reflete um entendimento pessoal do delegado e ocorre em um momento em que as reais causas do acidente ainda não foram tecnicamente atestadas e são, portanto, desconhecidas. “Além disso, as suposições da Polícia Federal sobre uma teórica responsabilidade da Vale baseiam-se em premissas que não têm efetivo nexo de causalidade com o acidente, conforme será oportuna e tecnicamente demonstrado pela Vale”, afirma o comunicado. Já a VogBR afirmou que não foi comunicada “oficialmente do indiciamento”.

Samarco entrega plano com atraso

A Samarco afirmou que entregou na terça-feira, com um dia de atraso, o plano hipotético em caso de ruptura das barragens de rejeitos de minério Germano e Santarém, em Mariana, na Região Central. As duas estruturas foram danificadas pelo rompimento da barragem de Fundão. A mineradora que alegou ter contratado uma consultoria especializada e só ter recebido o novo plano, chamado de “dam brak”, na noite de segunda. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a apresentação do documento.

Desde o rompimento da barragem, em 5 de novembro, o IBAMA já emitiu 37 notificações contra a Samarco e a multou em 250 milhões de reais. O Governo federal ainda coordena um grupo de trabalho para discutir ações locais no sentido de mitigar os efeitos da lama e a União, ao lado dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, cobra 20 bilhões de reais em ação civil pública a título de compensação.

  • Arquivos

  • Janeiro 2016
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031