jan
06
Postado em 06-01-2016
Arquivado em (Artigos) por vitor em 06-01-2016 23:57

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Lewandowski para presidente

Se, em algum desvão que ainda não está muito claro nesse tenebroso labirinto, for o caso de depor a presidente Dilma Rousseff, que se o faça, mas antes é indispensável que sejam também cassados o vice-presidente Michel Temer, seu aliado Eduardo Cunha, presidente da Câmara, e, claro, o presidente do Senado, Renan Calheiros.

Estaria assim quebrada quase toda a cadeia sucessória presidencial, restando-lhe apenas, como uma espécie de elo perdido, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, nome certamente menos suspeito que os demais para conduzir, em 90 dias, nova eleição direta de presidente da República.

Essas considerações não vêm à toa. Fazem-se necessárias para a abordagem do mais expressivo fato dos últimos dias: as declarações do ministro Jaques Wagner, que de tão envolventes são capazes de convencer o público nacional, que ainda não o conhece – mesmo o da imprensa –, apesar de sua antiga participação na cena nacional.

Recorde-se que, além da recente passagem pelo Ministério da Defesa, Wagner já foi ministro do Trabalho e das Relações Institucionais – quando se gaba de ter sido fiel a Lula no escândalo do mensalão, sem tê-lo advertido para as reformas e providências cuja necessidade justamente agora consegue enxergar.

Jaques Wagner para presidente

Esquecido do passado silencioso, Wagner aproveita a súbita ribalta à qual foi alçado por falta de opções para exercer uma qualidade na qual é muito bom: a conversa melíflua Mas são palavras que não resistem à mais simples análise.

Sobre os efeitos da Operação Lava-Jato, atribui-os não ao esquema de corrupção montado na Petrobras pelo PT e os aliados PMDB e PP, mas ao financiamento privado de campanhas eleitorais, que chama de “ferramentas que já eram usadas”, embora as falcatruas correspondam apenas ao período de seu partido no poder.

Os “métodos de exercício da política” que hoje condena foram plenamente utilizados por mais de dez anos, inclusive nas duas vezes em que se elegeu governador da Bahia e fez o sucessor, sem que visse, então, os defeitos que passou a abjurar depois de entornado o caldeirão.

Wagner, em reverberante entrevista, reconheceu a impopularidade de Dilma, a impossibilidade de retomada do crescimento em 2016 e, ainda, que o PT “se lambuzou no melado”. Como o ente masculino do poema, falou “a verdade”, que “é seu dom de iludir“.

Visivelmente, tenta descolar-se de uma realidade em que está mergulhado há décadas, pensando, diante do caso quase perdido em que se encontra, em fazer o contraponto e erguer-se dos escombros como o nome que sobrou para 2018.

Be Sociable, Share!

Comentários

Jader martins on 7 Janeiro, 2016 at 5:38 #

… “embora as falcatruas correspondam apenas ao período de seu partido no poder.” E a morte de Paulo Francis, quando e por que aconteceu foi?


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 5:45 #

Ora,ora, Luís, métodos que foram usados pelo PT na presidência…Assim, não dá, querido amigo. Pergunte a turma aí da Assembleia, os carlistas velhos e novos, geddelistas, lomantistas, durvalistas…Batam-me uma abacatada!!!


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 5:51 #

Há uma amnésia generalizada no Brasil de hoje. E eu, que nunca fui petista, tenho que admitir que existe, sim, não tenho dúvida, a despeito de toda roubalheira posta a nu nos governos do PT ( envolvendo todos os partidos!), uma indignação e uma investigação seletivas, pra lá de seletivas.E, afinal, que dia o Aecio Neves vai depor, uma vez que já foi citado em mais de uma ocasião pelos delatores?


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 5:54 #

Sobre o financiamento de campanhas eleitorais, no Brasil e no mundo, posso lhe indicar estudos do sociólogo Manuel Castells, esclarecedores ou estarrecedores, como queira.


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 6:04 #

“Ferramentas que já eram usadas” e’ a expressão da verdade, se quisermos, de fato, chegar a um diagnóstico minimamente honesto, para buscarmos alternativas ao lamaçal que é o financiamento de campanhas eleitorais no Brasil. E, frise-se, no Brasil e no mundo. O ditado “quem nunca comeu mel suando come se lambuza” e’ perfeitamente cabível ao PT, melhor dizendo, à cúpula do PT.


Jader martins on 7 Janeiro, 2016 at 6:25 #

Está aí Rosane! Talvez o Luis desconheça :
https://www.youtube.com/watch?v=AtDCTUNBcqA


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 6:43 #

Conheço esse vídeo, Jader. Era um tempo em que o Manhattan Conecttion contava com a erudição de Paulo Francis. Hoje, conta com o apedeuta e mafioso Diogo Mainardi, que usa estante de livros como cenário.


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 6:44 #

Correção: Connection


luis augusto on 7 Janeiro, 2016 at 7:15 #

Costumo dizer, como força de expressão, que no Brasil qualquer funcionário público que senta atrás de uma carteira dá um jeito de roubar.

Não seria, portanto, estranho que houvesse falcatrua na Petrobrás talvez até no processo de sua criação.

Entretanto, reconheço meu erro técnico de não ter incluído, na parte das falcatruas citadas por Jader, que nos governos Lula e Dilma a corrupção foi estruturada pelo PT e partidos políticos aliados, como está sobejamente provado. São reincidentes pós-mensalão.

De qualquer forma, Ró-Ró, apraz-me que esteja contribuindo: 1) para a recuperação de sua simpatia pelo velho PT; e 2) para atiçar sua veia polêmica.

Não posso ser apontado como alguém que defende ou defendeu o durvalismo, o geddelismo ou outro ismo desses, apenas foquei-me no presente caso nacional, que é peculiar nesta endemia que nos acompanha desde 1500.

Estamos diante da institucionalização da corrupção, com o poderoso Lula lado a lado do hoje em cana Odebrecht, com vista a perenizar essa farsa ideológica que nos acometeu.

A questão de Paulo Francis hoje é regida pela sua inexistência entre nós, por isso não avançarei. Porém, mesmo que tenha sido gravíssima a injustiça cometida contra ele, o fato não pode ser usado como contraponto não à crítica, mas ao repúdio que o PT e seus cupinchas – ressalvadas as pessoas decentes que nele militam, mas não mandam – fazem por merecer.


Jader martins on 7 Janeiro, 2016 at 7:16 #

Mainardi ão é somente um apedeuta . Com o Antagonista tornou-se um idiota. Nem Freud ou Lacan conseguiria desvendar a personalidade de um indivíduo que se auto denomina idiota :
https://www.youtube.com/watch?v=dvk7ygE7Umw


Taciano Lemos de Carvalho on 7 Janeiro, 2016 at 8:28 #

Estou quase chegando a acreditar que o “Maluco Beleza” estava certo e foi brilhante ao dizer “pare o mundo que eu quero saltar”.

Como ainda não saltamos, continuamos a ser assaltados pelos de ontem e pelos de hoje. Afinal, eles todos sempre estiveram a serviço dos mesmos empreiteiros, dos antigos latifundiários, dos mesmos banqueiros.

Mudaram só as moscas.


luiz alfredo motta fontana on 7 Janeiro, 2016 at 8:31 #

Caro Luís

Lula parece ter triunfado, aquela baboseira sobre o fizeram antes, então o PT está liberado, fez escola, afinal o que não falta são almas sensíveis e influenciáveis.

Ficamos assim, a quadrilha de plantão não pode ser objeto de repulsa, afinal outras a antecederam. Estamos condenados à sanha dos violadores da república, com o beneplácito nada silencioso dos diletantes de ocasião.

Na UTI, a junta médica, coroada de diplomas, decreta, não se pode combater o patógeno atual, outros o antecederam, combate-lo seria ato discriminatório, seletivo, melhor deixar o paciente como está.

Caro Luís, repito a advertência, cuidado, tirar véus, desnudar vilanias, provoca reações estranhas, patos simulam carneiros, carneiros caminham como lobos, que se locupletam em boquinhas vãs.

A verdade é que para desinfetarmos a história, colocando a nu os parasitas de outrora, necessária é a assepsia do quadro atual.

Não há santas no bordel. Nem beleza no esgoto.


luiz alfredo motta fontana on 7 Janeiro, 2016 at 8:39 #

Qual a ética de não combater os atuais meliantes pelo simples fato de que outros os antecederam?


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 8:52 #

Todas as quadrilhas são objeto de repulsa, fato que não vem ocorrendo hoje no Brasil, onde apenas o PT e’ criminalizado na imprensa e no Judiciário, com raras exceções.


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 8:58 #

Assim, a máfia política, que na Bahia tem raízes profundas, continua impune.
A Prefeitura de Salvador, hoje comandada por ACM Neto e Geddel Vieira Lima, e’ uma exceção. Trata-se de uma ilha de transparência e accountability! As famílias Magalhães e Vieira Lima são exemplos de empreendedorismo no Brasil, não tenho dúvida.


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 9:11 #

Aliás, tenho certeza, que as famílias Magalhães e Vieira Lima assumiram o poder local, em Salvador, para defender os interesses dos 80 por cento da população, que recebem até três salários mínimos e dos 15 por cento da classe média que adora os shoppings, e não sabe pra que lado vai. As duas famílias continuarão comandando Salvador até 2020, por pura competência, não tenho dúvida. A competência de fazer o andar de baixo defender seus interesses, como observam os grandes teóricos do pensamento político.


Jader martins on 7 Janeiro, 2016 at 10:35 #

Taciano Lemos de Carvalho on 7 Janeiro, 2016 at 11:45 #

E Dilma declarou hoje (7/1) que aprovar a CPMF é questão de saúde. Verdade que o criador já havia dito que a saúde pública no Brasil estava quase que atingindo a perfeição.

Mas concordo com Dona Dilma. A CPMF é uma questão de saúde. Dos banqueiros, que a cada dia ficam mais fortes e dominadores. Já levam quase metade do orçamento anual da União. Garantindo juros acima de 15 por cento sobre papeis do governo, que não ficaria com tanta saúde?

Faltou Madame Dilma dizer que todo esse arrocho é só para garantir ganhos maiores aos banqueiros e rentistas. Mas pra que contrariar a Madame?


Rosane Santana on 7 Janeiro, 2016 at 12:08 #

Com todo respeito, Ticiano, seu “Madame” soa pejorativo. É desrespeitoso com o sexo feminino, onde a madame e’ sinônimo de babaca, mulher fútil etc. Não vejo esse tratamento com dirigentes do sexo masculino.


Taciano Lemos de Carvalho on 7 Janeiro, 2016 at 12:28 #

Usei o termo Madame com o significado de “soberana”, jamais usaria com o significado de babaca, mulher fútil etc. Nem com ela nem com qualquer outra pessoa.

Seria muita ingenuidade minha imaginar que a presidente seja uma babaca.


luiz alfredo motta fontana on 7 Janeiro, 2016 at 13:23 #

Caro Taciano

Grafias e tratamentos despertam reações, especialmente nestes tempo bicudos, sem nenhuma alusão a tucanos ou mesmo araras, destaca-se tua sorte em chamar-se Taciano, quando erram, como foi o caso em censura havida, te nominam Ticiano, mestre em arte, de uma época que madames vicejavam em quadros, sinônimo que eram, de mulheres casadas.

Fica um atrevido conselho, que tal, em próxima referência ao personagem Dilma, grafar madama, com a tão amada vogal “a”, fará mimo aos seguidores de Pilar del Río.


luis augusto on 7 Janeiro, 2016 at 14:08 #

Prefiro Dilma, presidente Dilma, Dilma Rousseff etc.


luiz alfredo motta fontana on 7 Janeiro, 2016 at 15:23 #

Dona Dilma é de bom tamanho, embora nada possa conter a extensão linguística de dilmês, essa língua insana e avassaladora que ecoa em pronunciamentos oficiais.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2016
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031