DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Agora é tarde, Inês é morta

Trinta e cinco entidades sindicais do serviço público, que sempre elegeram os governos do PT que têm passado pela Bahia, vêm agora, em carta aberta, repudiar o governo Rui Costa e os deputados que o apoiam.

A ruptura já está posta, porque, no texto, publicado ontem nos jornais, condicionava-se a paz à rejeição, pela Assembleia Legislativa, de projetos “que mexem com os direitos do funcionalismo”.

Horas depois, as matérias estavam aprovadas, com os votos de “parlamentares de direita” da base governista, mas também dos “deputados com uma trajetória nos movimentos sociais e na construção da esquerda”.

Esse – dizemos nós – não é um desenlace que possa surpreender. Por esperança ou acomodação, inclusive nos cargos à disposição, as “lideranças” dos servidores permaneceram muitos anos omissas, aceitando as progressivas perdas das categorias representadas.

Foi como no poema antológico: não reagimos quando um “deles” pula o nosso muro e tira uma flor. Chegará o dia em que o mais fraco “deles” destruirá o jardim e nada poderemos dizer, porque nos arrancou também a voz da garganta.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 25 dezembro, 2015 at 6:42 #

A serpente será devorada por seus filhotes?

Atrair adesões com mamadeiras oficiais vira direito adquirido de “bezerros organizados”, cujo lema é: bezerros organizados jamais serão desmamados!.

O PT morrerá pelo próprio veneno?


Taciano Lemos de Carvalho on 25 dezembro, 2015 at 12:11 #

Primeiro veio o Henrique Meireles, não precisando sequer pular o muro, pois Lula, lá das terras do Tio Sam, uns 15 dias antes da sua posse na Presidência, anunciou que escancarava as portas para sua infiltração no governo do Brasil. E os sindicatos e centrais domesticadas nada disseram. Depois veio a DEforma da Previdência que FHC tanto queria, mas não havia conseguido, e entrou, em fins do primeiro ano do governo do ex-operário, nos jardins dos trabalhadores públicos, pisou as plantas e flores, arrasou tudo. E mais uma vez os pelegos dos sindicatos e centrais nada fizeram. Se omitiram. Se calaram. Se acovardaram.

E a cada semestre, ou a cada mês, mais algumas coisas ruins passavam pelas portas escancaradas do Planalto e do Congresso e estouravam no colo do brasileiro. E os pelegos, agarrados aos seus cargos sindicais ou com os dentes cravados nas tetas do Estado, nada fizeram.

Agora fingem que rompem, que se incomodam. Se alguma coisa os incomodam é o risco, mesmo pequeno, de em algum dia à frente eles —os pelegos— vierem a perder as boquinhas (e boconas).


rosane santana on 25 dezembro, 2015 at 13:49 #

Caro Luis, sugiro ao Por Escrito fazer o levantamento do preço total das obras de “urbanização”, nome que calçadões ganhou na administração ACM Neto, em Salvador. Chegar-se-a ao metro quadrado de calçamento mais caro da história da Bahia. Ainda assim, a classe média comemora. Pois bem, enquanto isso, a qualidade de qualquer escola pública do Ceará, de ensino fundamental, ganha de goleada das escolas de Salvador; os postos municipais devolvem para o nada pacientes com Zica (esta que vos fala, por exemplo, qdon tenho fazer um diagnóstico da doença), o sistema de transporte público e’, em Português claro, uma MERDA; a limpeza em bairros populares ou do miolo e’ uma merda ( ex. Daniel Lisboa, Brotas) e por aí vai. Mas, o que importa mesmo, e’ que ACM Neto já pavimentou sua volta à Prfeitura com calçadões milionários. Barra, etapa 1: 45 milhões; Rio Vermelho, 45 milhões etc etc. a atração pelo 45? Só perguntando à turma do prefeito que, com certeza, não faz obra superfaturada em Salvador. Isso é inveja dos detratores da administração. Nunca tive dúvida.


rosane santana on 25 dezembro, 2015 at 13:54 #

Luís, meu comentário foi inserido no post errado. Vale para o post referente à desistência do PT em lançar candidato à prefeitura nas eleições municipais de 2016.


luis augusto on 26 dezembro, 2015 at 8:30 #

Ró-Ró, vou dizer algo sobre seu comentário depois, na matéria correspondente. Por enquanto é só uma observação a Vítor: o poema é atribuído a Brecht, mas, incrivelmente, é de um brasileiro, Eduardo Alves da Costa.


luis augusto on 27 dezembro, 2015 at 8:10 #

Taciano, o ex-operário passou com um trator por cima das flores.

Será mais triste ainda se você estiver certo quanto à falsidade do rompimento, mas, de qualquer maneira, essa pelegada não tem mais bases. Você vê nas “manifestações” pró-Dilma: o que tem muito é balão, bandeira e carro de som.

Eu, que “venho de longe”, como dizia o Engenheiro, me lembro com indignação das acusações que os trabalhistas sofriam naquele início da década de 80. Queriam amenizar as relações capital-trabalho e impedir a revolução do povo brasileiro, que eles, os que restam petistas, acham que é isso que está aí.


Taciano Lemos de Carvalho on 27 dezembro, 2015 at 11:30 #

Luís:

Lembremos que a maior central de trabalhadores do Brasil, a CUT, tem o DNA —e as práticas— da direitista AFL-CIO (American Federation of Labor and Congress of Industrial Organizations)‚ a grande central dos Estados Unidos e Canadá. Aquela que é apontada como uma das mais fortes pontas de lança e financiadora das ações do imperialismo norte-americano ao redor do mundo. E que imprime nas cabeças dos líderes sindicais dos demais países a sua ideologia.

Quanto à Força Sindical, tem o DNA do Collo/Paulinho. Então…


Taciano Lemos de Carvalho on 27 dezembro, 2015 at 11:32 #

Correção: Collor (Cruz Credo!)/Paulinho


Taciano Lemos de Carvalho on 27 dezembro, 2015 at 23:00 #

Achei!!!!
“STANLEY GACEK – O AMIGO “STAN” DO LULA
Desde a sua criação em 1983, a trajetória da CUT está muito ligada a uma figura emblemática do imperialismo ianque, Stanley Gacek, dirigente da AFL-CIO, organização que tem sido desde os primeiros dias da “guerra fria” uma verdadeira cobertura para atividades criminosas da CIA em várias partes do mundo – particularmente no Terceiro Mundo.”

http://www.gamalivre.com.br/2011/01/por-que-lula-favoreceu-os-trustes-ao.html


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • dezembro 2015
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031