WAVE, DE TOM JOBIM, PARA QUEM SABE IMPOSSÍVEL SER FELIZ SOZINHO!

BOA TARDE!!!

(Gilson Nogueira)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Sem ostentação na cadeia

Vinte detidos pela Lava Jato passarão o Natal nas celas paranaenses. O Globo informa, no entanto, que, independentemente da condição financeira dos envolvidos, a “comemoração” não pode constranger os demais presidiários.

Presente requintados não entram, assim como pratos refinados. E mesmo o cardápio permitido precisará ser compartilhado com os companheiros de cela. Tudo para não gerar desconforto.

Esse deve ser o fim de ano de nomes como Marcelo Odebrecht, José Dirceu, João Vaccari Neto e José Carlos Bumlai.

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Mulher inspira a liberdade do marido

Nos bastidores da internet não é segredo: a ida, há cerca de dez dias, do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a Curitiba, onde está o núcleo da Operação Lava-Jato, resultaria em benefício para o senador Delcídio Amaral.

A providência teria sido inspirada pela mulher do senador, de nome Maika, disposta a entornar mais um tacho de caldo fervente sobre a República, levando o governo, sabiamente, a abafar a delação premiada que o senador queria fazer.

O primeiro efeito foi a transferência de Delcídio – obra do ministro Teori Zavascki – da desconfortável carceragem da Polícia Federal para um quartel onde, quem sabe, poderá até praticar esportes ao ar livre.

Mas o melhor está por vir. Com o recesso do Judiciário a partir de domingo, responderá solitariamente pelo Supremo Tribunal Federal seu presidente,. Ricardo Lewandowski. E justamente nesse período a defesa de Delcídio entrará com pedido de habeas corpus.

Vai para Janio, na beira baiana do Rio São Francisco, em agradecimento do BP pela formidável crônica de lembrança dos natais do “pedacito de cielo” de Santo Antônio da Glório antes da inundação provocada “em nome do progresso” que a submergiu.
BOM DOMINGO A TODOS!!!

(Vitor Hugo Soares)

======================================================
Pedacito De Cielo

La casa tenía una reja
pintada con quejas
y cantos de amor.
La noche llenaba de ojeras
la reja, la hiedra
y el viejo balcón…
Recuerdo que entonces reías
si yo te leía
mi verso mejor
y ahora, capricho del tiempo,
leyendo esos versos
¡lloramos los dos!

Los años de la infancia
pasaron, pasaron…
La reja está dormida de tanto silencio
y en aquel pedacito de cielo
se quedó tu alegría y mi amor.
Los años han pasado
terribles, malvados,
Llevando esa esperanza que no ha de llegar
y recuerdo tu gesto travieso
después de aquel beso
robado al azar…

Tal vez se enfrió con la brisa
tu cálida risa,
tu límpida voz…
Tal vez escapó a tus ojeras
la reja, la hiedra
y el viejo balcón…
Tus ojos de azúcar quemada
tenían distancias
doradas al sol…
¡Y hoy quieres hallar como entonces
la reja de bronce
temblando de amor!…

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

O principal avalista de Dilma
Brasil 19.12.15 20:27

O Estadão dedicou o editorial deste sábado a analisar a relação entre Dilma, Renan Calheiros, Rodrigo Janot e Eduardo Cunha. Mas O Antagonista destaca o trecho em que o Estadão desenha para os petistas o perfil da pessoa que Dilma escolheu como protetor.

Leiam o que foi publicado:

“Sem querer azedar a festa da presidente, é preciso dizer que o único resultado concreto dos acontecimentos da quinta-feira é que a presidente, na prática, se tornou de vez refém do presidente do Senado, Renan Calheiros. Alvo de seis inquéritos no âmbito da Lava Jato e com um currículo que inclui uma renúncia à presidência do Senado para escapar da cassação, Renan passou a ser o principal avalista de Dilma no Congresso. É evidente que o senador alagoano tem todo interesse em proteger a presidente, pois espera reciprocidade. Se esse arranjo vai funcionar ou não, é impossível saber.”

É a franja desse Renan Calheiros que os puxa-sacos petistas estavam aplaudindo durante a semana.

dez
20
Posted on 20-12-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-12-2015


Myrria, no jornal A Crítica (AM)

DO PORTAL G1/ O GLOBO

Mariana Oliveira

Da TV Globo, em Brasília

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no período entre 2010 e 2014. A informação foi divulgada pela revista “Época” e confirmada pela TV Globo.

O pedido para quebrar os sigilos de Renan foi enviado ao Supremo pela Procuradoria Geral da República na Operação Catilinárias, desdobramento da Operação Lava Jato, que cumpriu mandados de busca e apreensão na residência oficial do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Também foram alvos de mandados dois ministros, um ex-ministro, um prefeito e parlamentares – a maioria ligada ao PMDB.

No mesmo despacho em que autorizou a quebra do sigilo de Renan, o ministro Teori Zavascki rejeitou mandado de busca na residência do presidente do Senado, mas autorizou a coleta de provas na sede do PMDB em Alagoas, reduto eleitoral dele.

Segundo as investigações, Renan recebia propina pelos contratos da Transpetro, à época presidida por Sérgio Machado, indicado pelo PMDB para ocupar o cargo.

De acordo com a “Época”, no despacho do ministro Teori Zavascki que autorizou a quebra do sigilo de Renan, um dos pagamentos veio do contrato de R$ 240 milhões para a construção de 20 comboios de barcaças.

Ao longo da concorrência que definiria quem construiria as barcaças, as empresas que viriam a vencer a disputa fizeram doações para a direção estadual do PMDB de Alagoas, cujo responsável é Renan. De acordo com o despacho, em seguida, o diretório repassava o dinheiro para a campanha de Renan.

“Constata-se que em 19 de julho de 2010 ocorreram duas transferências para a campanha de José Renan Vasconcelos Calheiros, ambas no valor de R$ 200 mil perfazendo-se o total de R$ 400 mil correspondentes aos valores depositados pelas empresas que fraudulentamente venceriam a licitação em comento”, diz o documento do ministro Teori, obtido pela “Época”.

A defesa do presidente do Senado afirmou ter ficado “perplexa” com a determinação de quebra de sigilo já que, segundo o advogado Eugênio Pacelli, Renan havia colocado as informações bancárias e fiscais à disposição da Justiça desde maio.

O advogado disse ainda que o peemedebista nunca teve resistência em entregar os dados e que, na opinião dele, não havia necessidade do pedido da Procuradoria.

  • Arquivos

  • dezembro 2015
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031